Estas são as melhores fotografias arquitetônicas de 2016

interiors-matt-emmett.jpeg

Foto de Matt Emmett, a grande vencedora do ano.
Vários prédios das mais diferentes partes de mundo – incluindo o SESC Pompéia, em São Paulo, assinado por Lina Bo Bardi – são os protagonistas das 20 fotos arquitetônicas vencedoras do prêmio Arcaid Images Architectural Photography Awards 2016. Expostas no World Architecture Festival , em Berlim, na semana passada, a imagem de Matt Emmett foi escolhida como a melhor do ano. Confira, abaixo, todas as imagens deste ano, divididas em quatro categorias – Buildings in Use, Exteriors, Interiors e Sense of Place (Prédios em uso, Exteriores, Interiores e Senso de lugar).

1. Prédios em uso

2. Exteriores

3. Interiores

4. Senso de lugar

Fonte: Dezeen

Kendall Jenner aparece com a boca mais carnuda e fãs reprovam visual

cx1a5lzuqaajdhh.jpg

Kendall Jenner  (centro da foto) está bem diferente. Nesta terça-feira, 22, a modelo apareceu com a boca mais carnuda em clique compartilhado pela beldade no Twitter. Na imagem, a morena aparece ao lado da irmã, Kylie Jenner, antes de uma entrevista.

O novo visual da irmã de Kim Kardashian, no entanto, não foi aprovado pelos fãs. “Me diga que você não preencheu seus lábios”, escreveu uma admiradora. “Isso é uma picada de mosquito nos seus lábios”, perguntou outro fã. “Você está tendo uma reação alérgica”, questionou mais um seguidor. “Seu rosto parece ridículo. Você não precisa disso”, postou mais um.

Visita guiada: apartamento de ilustradora se torna aberto e iluminado

01-apartamento-de-ilustradora-se-torna-aberto-e-iluminadoAs arquitetas Claudia Bresciani e Júlia Risi reformularam o apartamento em São Paulo, lar e espaço de trabalho de uma ilustradora, para deixá-lo mais aberto e iluminado.oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_1.jpgO projeto incluiu a restauração de alguns elementos do apê, como o piso espinha de peixe, e a remoção de paredes divisórias que bloqueavam a luz.oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_0.jpgUma porta dobrável translúcida fica entre o estúdio e a sala de estar, para dar privacidade à moradora quando necessário sem obstruir a luz.
As paredes brancas do estúdio e do living criam uma base neutra, deixando o destaque para os trabalhos da artista e seus pertences.
No estar, há uma mistura eclética de plantas e móveis. Um banco de concreto vai de um lado a outro da sala e serve de suporte para a decoração.

oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_4.jpgA longa mesa de jantar funciona como uma divisão entre o living e a cozinha, que foram integrados na reforma.

oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_3.jpgA cozinha conta com armários de pinho com portas brancas e rosa, além de uma parede lousa.
A pequena despensa aberta, por sua vez, foi pintada de turquesa.

oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_8.jpgCloset.

oscar-freire-apartment-claudia-bresciani-julia-risi-sao-paulo-brazil-pedro-vannucchi_dezeen_2364_col_7.jpgBanheiro.
Fonte: Dezeen

FIT abre exposição para celebrar a moda criada por negros

designers-negros

(Pascal Le Segretain/Getty Images)
Por Marcela De Mingo
Dentre tantas exposições que recontam a história da moda, é estranho pensar que poucas – ou quase nenhuma – mostraram o impacto dos estilistas de origem africana no mercado. Mas isso está para mudar no próximo dia 6 de dezembro.

O museu do The Fashion Institute of Technology vai inaugurar a Black Fashion Designers, que se dedicará a compreender o impacto cultural e criativo de estilistas africanos ou de descendência africana desde os anos 1950.

A exposição será dividida em temas e categorias, como vestidos de festa, influências culturais, street style, roupas masculinas, entre outras. O objetivo é destacar não só a potência desses criadores, que ainda representam apenas 1% dos designers abordados por grandes veículos de comunicação, mas também revelar os desafios pelos quais eles passam ao tentar entrar em um mercado tão competitivo.

Estilistas negros começaram a ganhar os holofotes da moda na década de 1940. Não à toa, uma parte da mostra é dedicada a esses nomes pioneiros, como Zelda Wynn e Ann Lowe, que desenvolvia vestidos de gala para mulheres da alta sociedade e celebridades da época – incluindo o vestido de noiva de Jackie Kennedy.

As modelos negras também são relembradas na exposição, com uma homenagem ao Ebony Fashion Fair, um evento que começou em 1958 e abriu espaço para elas na época mais intensa da segregação racial nos Estados Unidos.

A curadora do evento, Arielle Elia, passou dois anos estudando o tema a fundo antes de finalizar a montagem e, mesmo assim, a mostra já está causando furor. “Por um lado, é bom ser incluída nisso porque eu acho que as nossas vozes nem sempre são ouvidas, mas resta a pergunta: será que devemos separar os negros de todos os outros?”, pondera a estilista Tracy Reese, para a Allure. “Muitos de nós sentem que isso não deveria ser feito, mas você precisa começar de algum lugar. Eu quero conversar com todas as raças. Sou uma designer que por acaso é negra.”

RGirls /Digital I Novo relatório de diversidade da Apple mostra apenas 1% de melhora; maioria dos empregados ainda são homens brancos

03-diversidade

por Priscila Klopper – MacMagazine
E chegou mais um dia em que precisamos falar das estatísticas da Apple em relação a diversidade e inclusão.
Depois da matéria que publicamos sobre o ambiente tóxico e hostil de trabalhadores da Maçã, fica mais difícil acreditar que esses números configuram uma real preocupação não somente de inclusão mas também com o bem-estar de todos os empregados. Mesmo assim, preferimos acreditar que coisas boas estão a caminho e que realmente a Apple está se esforçando para melhorar a cada dia.

A diversidade é mais do que qualquer gênero, raça ou etnia. É a rica representatividade de todas as pessoas, todos as experiências e todas as perspectivas. É toda a experiência humana.
Denise Young Smith, vice-presidente de recursos humanos da Apple.

Os resultados no documento [PDF] do EEO1 que foram divulgados ontem são referentes ao mês de julho de 2016 e, apesar de demonstrarem melhoras, ainda nota-se que há muito progresso a ser feito.

Um dos números que continua alarmante é o de executivos mais importantes da empresa: enquanto há 73 homens brancos ocupando cargos mais altos, há apenas 10 asiáticos, 2 latinos e 2 negros; quanto a mulheres ocupando estes cargos, há 15 brancas, 4 asiáticas, apenas 1 negra e nenhum vestígio de latinas ou outras etnias. A diferença para o ano passado é mais 2 brancas, 2 asiáticos (uma mulher e um homem), um latino e menos uma negra.

Em todos os demais cargos mais baixos também há uma predominância de homens brancos, porém a empresa contratou neste ano 2.455 asiáticos, 951 latinos e 783 negros. No total, como pode ser visto abaixo, a melhora foi apenas de 1% em relação ao ano passado.

Ela ainda argumenta que as informações presentes nesta página [em inglês] representam muito mais a abordagem da empresa em relação à diversidade do que o documento do EEO, que “não acompanhou o ritmo das mudanças na indústria ou na força de trabalho americana ao longo da última metade do século”.

Vemos a diversidade como tudo o que faz os empregados serem o que são. Promovemos uma cultura diversificada que inclua a deficiência, a crença religiosa, a orientação sexual e o serviço ao país. Queremos que todos os empregados se sintam confortáveis sendo eles mesmos ao trabalho todos os dias. Porque acreditamos que nossas experiências, perspectivas e paixões individuais nos ajudam a criar as ideias que nos movem adiante.

Esperamos realmente que o discurso não fique apenas na página da Maçã, mas que realmente coloquem isso para funcionar nas entranhas da empresa.
[via AppleInsider]

Designer italiana Elena Bompani cria sistema de mobiliário para os “nômades” modernos

designer-cria-sistema-de-mobiliario-para-os-nomades-modernos

A designer italiana Elena Bompani criou um sistema flexível de mobiliário pensando no estilo de vida nômade de viajantes e de quem mora de aluguel.

Reprodução | Elena Bompani | Dezeen
02-designer-cria-sistema-de-mobiliario-para-os-nomades-modernosCom cestos de linho, caixas e prateleiras, o sistema Itaca é customizado de acordo com as necessidades do usuário e a quantidade de espaço disponível.

Reprodução | Elena Bompani | Dezeen
03-designer-cria-sistema-de-mobiliario-para-os-nomades-modernosA estrutura é feita de uma madeira leve e pode ser desmontada em várias estacas para facilitar o transporte.

Reprodução | Elena Bompani | Dezeen
04-designer-cria-sistema-de-mobiliario-para-os-nomades-modernosPara juntar as peças são usados cintos de couro, enquanto as cestas e suportes de linho também funcionam como uma sacola para carregar as partes de madeira.

Reprodução | Elena Bompani | Dezeen
05-designer-cria-sistema-de-mobiliario-para-os-nomades-modernosOs materiais e cores escolhidos foram inspirados nos que pastores nômades costumam usar.
A série atualmente inclui uma daybed e um conjunto de prateleiras.
Fonte: Dezeen

Antes & depois: oficina de carpintaria se torna casa moderna em Barcelona

oficina-de-carpintaria-se-torna-uma-casa-moderna.jpegReprodução | David Benito Cortázar | Contemporist
O escritório FFWD Arquitectes transformou uma antiga oficina de carpintaria em Barcelona, Espanha, em uma casa com dois espaços separados: uma suíte para hóspedes e a casa principal. [Gabriela Fachin]

02-oficina-de-carpintaria-se-torna-uma-casa-modernaCaracterísticas originais, como as paredes e o teto, foram preservadas na suíte de hóspedes e no restante da casa. O espaço ganhou um banheiro, piso de concreto e portas de celeiro.
Com as portas de correr, o quarto e o banheiro podem ficar expostos ou escondidos.
03-oficina-de-carpintaria-se-torna-uma-casa-modernaO box de vidro contribui para fazer o banheiro parecer maior, enquanto o teto de metal e o espelho grande ajudam a refletir a luz.
04-oficina-de-carpintaria-se-torna-uma-casa-modernaNa casa principal, a cozinha combina madeira cinza clara e concreto para criar um estilo contemporâneo.
05-oficina-de-carpintaria-se-torna-uma-casa-modernaA estrutura do sofá na sala de estar tem estofados coloridos e gavetas na parte de baixo.
06-oficina-de-carpintaria-se-torna-uma-casa-moderna
07-oficina-de-carpintaria-se-torna-uma-casa-modernaFonte: Contemporist

Este sérum fez Linda Evangelista desistir do Botox

lpl

O amor foi tanto que, depois de se tornar uma das maiores clientes da marca, Linda entrou em contato com a empresa que acaba de anunciá-la como sua embaixadora e diretora criativa. E os planos para o futuro já estão na mira da nova líder. No ano que vem, a Erasa – que até então produzia somente este sérum – pretende lançar um hidratante facial e um protetor solar. Todos eles com os mesmos ingredientes do creme que conquistou o coração da top: os neuropeptídeos que, de acordo com testes clínicos feitos pela marca, reduzem as rugas em 64% com apenas duas semanas de uso e duas aplicações diárias. [ELLE]

Não sabe o que vestir? Conte com a ajuda de Inès de la Fressange

ines-cj9nqu5w0ait6ac

Em seu novo livro, a musa conta como se arrumar para momentos inusitados como um jantar com o ex-namorado ou um almoço com sua tia preferida.

No dia 30 de novembro, Inès de la Fressange lança mais um guia de estilo. Ao lado de Sophie Gachet – uma das editoras da ELLE francesa -, a mulher mais francesa do mundo dá dicas de como se vestir para situações inusitadas em Comment je m’habille aujourd’hui (em tradução livre para o português “Como vou me vestir hoje?”). Exemplo? Um jantar com o ex-namorado, a audiência para o seu divórcio, a negociação de um aumento, um almoço com a sua tia mais querida e por aí vai.

São 160 páginas publicadas pela editora de seus outros dois livros – A Parisiense (2011) e Parisian Chic City Guide (2015) -, a Flammarion. Nelas, você vai encontrar fotos de Benoit Peverelli com os looks para cada ocasião vestidos por modelos diversas.

Em meio a suas sugestões divertidas, Inés também fez uma lista de peças que jamais entrarão em seu guarda-roupa. Camisetas de gatinhos, casacos doudoune que parecem sacos de dormir, bolsas de grife falsificadas e leggings(“a não ser que você tenha menos de 11 anos de idade”) figuram no índex proibido. Concorda com ela? [ELLE]