Apple deverá abrir novo centro de Pesquisa e Desenvolvimento na Indonésia em 2017

apple.jpg

Se você tem alguma dúvida de que o foco da Apple nestes últimos tempos está muito mais em desenvolver novas tecnologias que eventualmente cheguem aos seus produtos do que nos produtos em si, basta olhar para a quantidade de notícias relacionadas à abertura e planejamento de centros de Pesquisa e Desenvolvimento da Maçã nos últimos tempos.

Agora temos mais uma deste tipo, e mais uma vez na Ásia: o Ministro de Comunicação e Informação da Indonésia, falando para o site local Tempo, relata que a Apple está planejando abrir um centro de P&D em Jacarta.

Embora a localização exata ainda esteja para ser confirmada no mês que vem, sabe-se que a construção e fase de contratação para o centro começariam já em 2017. O ministro informou também já saber o valor do investimento da Apple no país, mas não revelou a cifra.

Com este anúncio podemos ter uma ideia clara de que, fora de Cupertino, a Ásia é o local escolhido pela Apple para abrir seus centros de P&D. Já vimos anúncios relacionados a isto na Índia, na China, no Japão e agora na Indonésia — o que é facilmente explicável pela tradição (e formação) tecnológica consolidada destes países, que representam, também, mercados importantíssimos para Tim Cook e sua turma.

Esperamos, portanto, que nossos amigos asiáticos possam criar novidades interessantes para os produtos da Maçã que, francamente, têm meio que decepcionado nos últimos tempos. [MacMagazine]
[via Cult of Mac]

Gosha Rubchinskiy volta a desfilar na Rússia

gosha-rubchinskiy.jpgO russo Gosha Rubchinskiy retorna a seu país em janeiro para apresentar o Inverno 2017, desta vez em Kaliningrado, cidade que fica à beira do Mar Báltico. Os detalhes da coleção não foram divulgados.

Um dos responsáveis por colocar o time dos russos na rota da moda – junto com Demna Gvasalia (Vetements e Balenciaga) –, Gosha chamou atenção com sua moda masculina que a imprensa internacional chamou de “pós-soviética”, em coleções em que predomina um mix de alfaitaria e sportswear, sempre olhando para os jovens russos.

Sua primeira coleção foi apresentada em Moscou em 2008, onde continuou até 2014, quando foi para a semana de moda masculina de Paris. Na última temporada, o russo causou burburinho com o seu Verão 17, apresentado na Pitti Uomo, Itália, com looks das marcas FILA e Kappa (leia mais aqui). FFW

Gucci lança o livro “Blind For Love”

novo-livro-gucci-blind-for_love_3
Novo Livro Gucci Blind For Love (Foto: Reprodução)

Emjunho deste ano, a Abadia de Westminster foi palco para a apresentação da coleção cruise 2017 da Gucci. Com essa locação de tirar o fôlego, o desfile foi especialmente registrado pelas lentes do artista e fotógrafo britânico Nick Waplington – famoso por sua representação crua e sem filtros da vida britânica.

A parceria não se deu por acaso, as imagens capturadas por Nick – tanto na preparação para o desfile, como nos bastidores durante e depois do evento principal – recheiam a publicação limitadíssima da grife, com apenas 1.000 exemplares rodados, batizada Blind For Love.
Custando US$ 95 (cerca de R$ 321), o título chega ao mercado no dia 1º de dezembro e estará disponível nas boutiques da Assouline no mundo todo, assim como no e-commerce.

Lojas especializadas como a Dover Street Market, em Londres, Nova York e Tóquio, a Colette, em Paris, além das livrarias selecionadas como a do Palais de Tokyo, em Paris, também terão o livro.

Lady Gaga chora ao falar das desvantagens da fama: ‘não sou mais livre’

gaga-joanneDinheiro, reconhecimento profissional e idolatria dos fãs. A vida de famoso traz uma série de vantagens para os astros e estrelas internacionais. Mas o reconhecimento público também tem seu lado negativo, como revelou a emocionada Lady Gaga em entrevista ao programa ‘Sunday Morning‘.

A cantora caiu no choro ao comentar as desvantagens da vida pública. “Eu tinha bastante consciência de que uma vez ultrapassada a barreira [da fama] eu não estaria mais livre. Assim que me mostrasse ao mundo, eu pertenceria, de certa forma, a todos. É legal me seguir. É legal me perseguir na praia. Não posso chamar a polícia ou pedir que eles saiam”, disse Gaga em entrevista ao programa da CBS.

Em uma tentativa de superar as consequências negativas da fama, a cantora revelou que precisou encontrar a liberdade em sua própria vida. “Fiz uma grande análise dessa dura barreira e disse: ‘bem, se eu não posso ser livre lá fora, posso ser livre aqui”, comentou Gaga apontando para o seu coração.

Mas o momento mais emocionante da entrevista foi quando a cantora falou sobre o isolamento causado pela fama. “Sinto falta das pessoas”, disse Gaga começando a chorar. “Sinto falta de ir a algum lugar, conhecer uma pessoa qualquer, dizer ‘oi’ e conversar sobre a vida. Amo as pessoas”.

Essa não é a primeira vez que a cantora reclama da fama. No começo do ano, Gaga declarou em entrevista ao Daily News que não consegue “pensar em uma única coisa que isola mais uma pessoa do que ser famosa”. “É muito difícil não poder se envolver com as pessoas de uma maneira real e honesta, porque eles querem algo de mim ou me veem como algo que eu simplesmente não sou.”

Natalie Portman conta como foi incorporar ícone dos EUA em ‘Jackie’

jackie-1624334

A atriz Natalie Portman em cena de ‘Jackie’
Um novo filme sobre Jacqueline Kennedy, uma das mulheres mais fotografadas –e ainda assim discretas– do século 20, tenta se sobrepor à sua mística misturando acontecimentos reais com a imaginação na semana posterior ao assassinato de seu marido, o então presidente norte-americano John. F. Kennedy, em 1963.

“Jackie” estreia nos cinemas dos Estados Unidos nesta sexta-feira (2) e chega aos cinemas brasileiros em fevereiro. A Reuters conversou recentemente com a atriz Natalie Portman sobre sua atuação elogiada pela crítica. A seguir, alguns trechos editados da entrevista. Reuters

Qual era sua percepção de Jacqueline Kennedy antes deste filme?
Natalie Portman – Eu na verdade nem tinha muito conhecimento sobre ela. Eu, como a maioria das pessoas, estava muito mais familiarizada com ela por meio de suas imagens.

Qual de suas muitas facetas foi a mais desafiadora de se capturar?
Recriar o assassinato. Você tem muita liberdade quando não sabe realmente o que aconteceu. Quando ela está conversando com o padre ou com sua melhor amiga, ou com Bobby (Kennedy), você tem liberdade para inventar. Mas o assassinato é tão inimaginável, e o filme de Zapruder (do assassinato) é tão emblemático que foi muito assustador fazer algo tão extremo emocionalmente que é restringido pela realidade.

Você fez muitas pesquisas. Qual ajudou mais?
A turnê dela pela Casa Branca em 1962 ajudou muito. Nós a recriamos exatamente, tomada por tomada. Aprendi como seguir exatamente suas cadências, e onde ela faz uma pausa, e também o sotaque. Ela fez toda uma série de entrevistas com o historiador Arthur Schlesinger para ajudar a definir o legado (Kennedy).

A família Kennedy teve envolvimento neste filme?
Não. Acho que temos todo o respeito do mundo por eles e só posso imaginar que isso seja doloroso.

O que você espera que a plateia tire deste filme?
Esse é o lado bonito do filme que (o diretor chileno) Pablo Larraín fez –ele não indica o que você deveria pensar. Você vê muitos lados diferentes de uma mulher complicada. Vê sua força e sua vulnerabilidade, os momentos em que ela se rebela, os momentos em que ela é muito controlada, sua responsabilidade e sua impulsividade.

Produtora de conteúdo criativo ganha reforma total

mnma_fotor10Elementos ligados ao cinema foram o ponto de partida para o projeto de interiores da produtora de cinema IGC – InGoodCompany@. Com reforma conduzida pelos arquitetos André Pepato e Mariana Schmidt, do MNMA Studio, o imóvel de 90 m² em São Paulo adotou a amplitude espacial máxima – conferindo neutralidade ao espaço com o uso do branco – de tal forma a reverberar o próprio usuário e os objetos inseridos nesse contexto como força estética.

“Acreditamos que a arquitetura ultrapassa a simples resposta em termos de conforto material e sobretudo cumpre melhor a sua função maior quando não se torna uma atividade individual”, dizem André e Mariana, que antes de criarem o próprio estúdio colaboraram com escritórios de renome como Studio MK27, FGMF, UNA e Jacobsen.

No projeto de reforma da IGC o trabalho com a luz foi a premissa mais relevante. A luminária que circula pelo ambiente principal foi feita sob medida e surge tanto para atender necessidades técnicas como também para preservar e valorizar a forma da laje aparente, através de uma iluminação indireta e sutil. Na sala envidraçada a caixa suspensa forma uma segunda luminária, além de conter parte do sistema de ar condicionado. Também desenhadas sob medida especialmente para a obra, as mesas de trabalho , além de sua funcionalidade técnica, são inspiradas nos moduladores de Le Corbusier – apropriados nas icônicas “três tabelas”, vitais em sets de filmagem.

Além disso, construiu-se um bloco hidráulico solto da laje. A estética do artista Jean Raynaud e seu sistema de grid serviram de inspiração para conceber o banheiro e conjugar volumetrias. [Marcos Zeitoune ]

Fotos: André Klotz / Divulgação

Cachorro sem dono tem “melhor dia da vida” em campanha da Canon

canon-dog-adoption-hed-2016

Comercial da Canon: mensagem de amor com cães à procura de um lar (Canon/Reprodução)
São Paulo – Muita gente, quando quer um cachorro, decide pagar por ele.
Mas ainda há milhares esperando um lar em abrigos e canis. E muitos deles acabam morrendo sem ganhar um dono. Outros tantos precisam ser sacrificados.
Mas há quem lute para que isso mude, como a fotógrafa americana Guinnevere Shuster.
Shuster estrela o novo comercial da marca Canon nos EUA.
O vídeo faz parte da série da marca “Rebel With a Case” (“Rebelde com uma Causa”), que faz um jogo de palavras com as câmeras Canon Rebel e também com o nome do famoso filme estrelado por James Dean, “Rebel Without a Case”.

Na campanha, a marca entrevista diferentes ativistas e pessoas envolvidas com projetos sociais – e sempre com a fotografia no meio da história, claro.
No caso de Guinnevere Shuster, ela fotografa animais à procura de um lar. As fotos, divertidas e profissionais, ajudam os cães a chamarem a atenção dos donos em potencial.
No vídeo, a cadela Willa sai do abrigo e ganha “o melhor dia da sua vida”, com festa, passeios no parque, bacon e muitos outros mimos.
Como a história foi transmitida em tempo real, milhares de pessoas apareceram com interesse em adotá-la. [Guilherme Dearo]

Mariana Kuenerz apresenta a label Meerk

meerk.jpg
Maiô (R$ 585) e saia (R$ 698), ambos Meerk por Mariana Kuenerz; sandálias (R$ 290) Corello (Foto: Hick Duarte, com beleza de Guilherme Casagrande e styling de Raquel Kavati)

Estilista consagrada de noivas e convidadas, a carioca Mariana Kuenerz expande suas criações para além das peças sob medida e lança neste verão a label Meerk, com biquínis, maiôs, quimonos, caftãs, túnicas e vestidos desenvolvidos em seda e tricô tingido manualmente e decorado com fios metalizados.
À venda na multimarcas carioca Ka Store a partir desta quarta-feira (30.11).

Inspiração do dia: cozinha e sala de jantar integradas e iluminadas

1-inspiracao-do-dia-cozinha-e-sala-de-jantar-integradas-e-iluminadas

A esposa do arquiteto Neil Dusheiko queria que seus pais vivessem perto deles, no norte de Londres. Encontraram uma construção que estava um pouco úmida e escura. Dusheiko reformou a casa de seu sogro, transformando a construção típica vitoriana em uma casa galeria muito confortável e arejada. O piso térreo foi estendido para que a cozinha se tornasse mais espaçosa. Sobre o cômodo, há uma fileira de claraboias que ilumina o local. Em uma das paredes, uma estante enorme de madeira foi construída para abrigar objetos de cerâmica, vidros e quadros emoldurados. Ao fundo, janelas e portas de vidro dão acesso ao jardim. As mudanças dão à casa um tom leve, moderno, mas muito pessoal. [Mariana Conte]

Fonte: Dezeen