Gwyneth Paltrow investe em linha de cosméticos

 

gwyneth-paltrow-0-image-m-51_1478261264668Gwyneth Paltrow tem mais uma novidade saindo do forno do seu e-commerce e site de lifestyle goop.com. A atriz anuncia hoje que vai investir em sua própria linha de cosméticos voltada aos cuidados da pele – a Goop Skincare.

A estreia terá seis produtos, incluindo óleos, esfoliantes, tonalizadores e cremes para a região dos olhos e rosto, que começam a ser vendidos online no dia 1º de março.
Vale lembrar que, em novembro de 2016, ela lançou no mercado o primeiro perfume do seu empreendimento digital.

DNA retirado de amarras levou a suspeitos de assalto a Kim Kardashian

 

kim-b_03_10_2016_08_10_40_12019521

Traços de DNA descobertos em pulseiras de plástico usadas para amarrar os pulsos de Kim Kardashian ajudaram a polícia francesa a prender 17 suspeitos em conexão com um assalto armado em outubro do ano passado, em Paris, onde foram levadas jóias da socialite e personalidade de reality show.

Os rastros genéticos de uma pessoa levaram a uma ampla rede de suspeitos na segunda-feira, muitos dos quais conhecidas figuras do submundo francês, disse uma fonte policial.

Os presos, incluindo um idoso que os investigadores acreditam que esteve no local, estão sendo interrogados na sede da polícia parisiense desde a manhã de segunda-feira, após batidas policiais nas cidades de Rouen, Grasse e na região da grande Paris.

Entre eles está também o motorista que Kim utilizou para ir à Semana de Moda da capital francesa. Foi na ocasião de sua visita que os ladrões entraram em seu apartamento e roubaram suas jóias. Alguns fugiram de bicicleta.

O assalto
Na madrugada de 3 de outubro, um grupo de homens armados e mascarados entrou na residência de um prestigioso bairro de Paris, onde Kardashian, de 36 anos, se hospedava para participar da semana de moda. A rainha das redes sociais foi algemada, amordaçada e trancada no banheiro durante o assalto.

Ela, que desapareceu das redes sociais após o incidente, rompeu seu silêncio sobre o roubo neste fim de semana, afirmando que temeu por sua vida.

“Vão atirar nas minhas costas”, disse a esposa do rapper Kanye West durante um clipe promocional para a nova temporada de seu bem-sucedido programa televisivo “Keeping Up with the Kardashians”.  “Não há como sair, fico mal ao pensar nisso”, acrescentou.

Os ladrões levaram joias e outros pertences num valor estimado de 9 milhões de euros (R$ 30 milhões), segundo a polícia.

Job for Model I Start-up inspirada no Uber quer mudar mercado para contratação de modelos

ju-2-1Sócios do Job for Model, Juliane Rudolph, Filipi Russo (ao centro) e Roberto Barros (divulgação)


Uma empresa paulistana se inspirou no Uber para tentar mudar o modo como as contratações de modelos são feitas.

Fundada pelo administrador Filipi Russo, 26, e pela modelo Juliane Rudolph, 28, a start-up Job for Model permite que organizadores de eventos, estilistas e quem desenvolve campanhas publicitárias encontre profissionais do setor e feche negócios diretamente com eles, a partir da internet.

Ou seja, a companhia quer assumir o papel das agências de modelos, reunindo um banco de milhares de profissionais cadastrados e permitindo a qualquer um fazer propostas a eles.

Na plataforma do Job for Model, interessados em contratar descrevem o trabalho que precisam, quais os atributos dos profissionais (idade e medidas, por exemplo) e qual cachê querem pagar.

A empresa envia o pedido para os cadastrados que se encaixam no perfil, a partir de e-mail, mensagens de celular ou em sua própria plataforma. Conforme as respostas são recebidas, o contratante pode ver o perfil dos profissionais que se interessaram pela proposta.

Russo afirma que o serviço consegue dar retorno às solicitações em trinta minutos, em geral.

Os pedidos das contratantes são analisados anteriormente, com o objetivo de garantir segurança aos profissionais, diz Russo. Modelos e empresas que os contratam se avaliam mutuamente após o serviço, como acontece no caso do Uber na relação entre passageiros e motoristas.

Os pagamentos são feitos pela plataforma. A companhia fica com comissão de 20% do valor do serviço contratado.

COMISSÕES

Russo diz que a ideia do negócio surgiu da frustração de sua sócia, Rudolph,  ao perceber que ela chegava a ficar com menos da metade do cachê combinado entre a agência a qual ela estava ligada e a empresa contratante.

Além disso, o pagamento poderia chegar após mais de dois meses de o serviço ter sido feito, afirma.

A modelo Julia Lazaro, 25, diz receber propostas de trabalho diariamente pelo Job For Model, tanto para fazer fotos como também para participar de desfiles.

Ela conta que atua como modelo há 11 anos e, até conhecer a plataforma, trabalhou com agências de modelos com as quais tinha contrato de exclusividade (ou seja, só poderia fazer trabalhos quando fosse indicada por elas).

Ela usa a Job for Model há um ano e meio. Diz que o tipo de contratação oferecido pela empresa permite contato direto com o cliente e dá mais liberdade para decidir quais trabalhos são mais interessantes para ela. O serviço também permitiu pagar uma comissão menor do que a que pagava antes (que era de 40%).

O site é dedicado apenas a modelos profissionais. Apesar de o cadastro ser permitido a todos, a companhia avalia o currículo e o portfólio dos profissionais cadastrados, priorizando os mais experientes nas indicações, diz Russo.

OPORTUNIDADES

Russo deixou carreira em banco de investimentos para abrir o negócio.

Ele diz ter ouvido de muitos que haveria dificuldades para sua empresa crescer, por estar em nicho pequeno. O que rebate afirmando que o serviço vai muito além das passarelas e do mercado de luxo.

Segundo ele, um único evento no qual a moda parece não estar diretamente associada pode movimentar muito dinheiro na contratação de modelos, como no caso do Salão do Automóvel de São Paulo.

Além disso, Russo diz que seu serviço pode aumentar o número de companhias que têm acesso a contratações desses profissionais. Isso porque a internet traria menos burocracia e preços mais competitivos para essas empresas.

“Lojas virtuais que só fotografam produtos ou naquelas em que o dono chama uma amiga ou prima para fazer fotos poderiam ter imagens com profissionais em suas páginas”, diz.

Fábio Bae, diretor da agência de publicidade especializada em moda Vosh, conta que sua empresa passou a contratar modelos rotineiramente a partir do site há um ano para desenvolver peças para seus clientes.

No mercado há cinco anos, a empresa faz campanhas para terceiros, oferecendo itens como maquiagem, fotografia e seleção de profissionais.

Segundo ele, a principal vantagem que obteve a partir do uso desse serviço foi o aumento da variedade de profissionais que ele consegue contratar. Isso porque a internet permite entrar em contato com mais modelos, sem depender tanto das indicações das agências, diz.Modelo Isadora Amorim, contratada pela empresa Les Alis a partir da Job for Model (divulgação)Modelo Isadora Amorim, contratada pela empresa Les Alis a partir da Job for Model (divulgação)


O Job for Model conta hoje com 5.000 profissionais cadastrados (70% mulheres e 30% homens).

Do lado dos contratantes, são cerca de 2.300 empresas na plataforma.

O negócio é tocado por equipe com cinco pessoas.

A companhia teve apoio da aceleradora de negócios ACE em 2015. Neste mês, recebeu investimentos adicionais de R$ 1 milhão da mesma aceleradora e dos grupos de investidores Latin American Angels Society, STH Angels e da Brunel Advisor. [Filipe Oliveira]

Livro “Designed by Apple in California” está agora à venda no Brasil! [atualizado]

10-livro-apple

Em novembro passado a Apple lançou o livro “Designed by Apple in California”, o qual cobre todos os principais produtos da Maçã lançados desde 1998, com o primeiro iMac, até o Apple Pencil em 2015. Ele também “documenta os materiais e as técnicas usados pelo time de design da Apple durante duas décadas de inovação”.

O livro estava à venda pela Apple Online Store na Alemanha, na Austrália, na Coreia, nos Estados Unidos, na França, em Hong Kong, no Japão, no Reino Unido e em Taiwan — ele também estava exposto e à venda em algumas lojas físicas como a da Regent Street (em Londres), a de Ginza (em Tóquio), a da Quinta Avenida (em Nova York), a da Lincoln Road (em Miami), a de Union Square (em San Francisco) e a de Infinite Loop (em Cupertino) — só para citar algumas.

Livro "Designed by Apple in California"

A boa notícia é que ele está agora à venda no Brasil, pela Apple Online Store, saindo à vista por R$809,10 (modelo pequeno, com 260x324mm) e por R$1.169,10 (modelo grande, com 330x413mm). O preço pode assustar, mas não está muito diferente dos valores americanos não. Nos EUA eles saem respectivamente por US$199 e US$299 — levando em conta o câmbio de hoje o IOF do cartão de crédito, isso daria mais ou menos R$700 e R$1.050.


ATUALIZAÇÃO · 10/01/2017 ÀS 18:51

De acordo com o MacRumors, Canadá, Irlanda, Nova Zelândia e Singapura também fazem parte da nova leva de países que receberam o livro da Maçã. [MacMagazine]

Kirsten Dunst e George Clooney produzirão série de TV de humor negro na AMC

kirsten_dunst_sxsw_2016_1beh5iq-1beh5j5.jpg

Kirsten Dunst (Fargo, Homem-Aranha) estrelará um novo projeto da AMC produzido por George Clooney, segundo o Hollywood Reporter. Chamada de On Becoming a God in Central Florida, a série é descrita como “uma comédia de humor negro“.

Ambientada na década de 1990, o seriado acompanhará uma mulher chamada Kyrstal Gill (Dunst), uma empregada de parque aquático que começa a tramar sua subida na vida após tornar-se viúva. A direção é de Yorgos Lanthimos (O Lagosta), com produção executiva de Clooney, Dunst e Grant Heslov.

On Becoming a God in Central Florida ainda não tem previsão de estreia.

Batman vs Superman | “Ben Affleck é um dos meus Batmans favoritos”, diz Gal Gadot

Gal-Gadot-HD-Photos.jpg

Em entrevista ao Sky Cinema (via Heroic Hollywood), Gal Gadot elogiou a atuação de Ben Affleck em Batman vs Superman – A Origem da Justiça:

“Acho que Ben é um grande ator. Muito, muito talentoso. Eles queriam que o Batman fosse mais esgotado, mais cansado da vida, mais cínico, mais obscuro. Acho que Ben capturou isso de uma forma bem sofisticada. Ele é um dos meus Batmans favoritos, com certeza – se não for o melhor”.

O Batman volta em Liga da Justiça, que tem estreia prevista para 16 de novembro de 2017. [Camila Sousa]

Magpie Magazine Janeiro 2017 Mariana Dantec by Alex Hutchinson

magpie-magazine-january-2017-julianna-grogan-by-alex-hutchinson-5Fotografia: Alex Hutchinson
Styled by: Courtney Smith
Hair: Helen Reavey
Makeup: Julianna Grogan
Model: Mariana Dantec @Wilhelmina

Madonna na capa da “Harper’s Bazaar”: 150 anos de revista!

100117-madonna-harpers-bazaar-10-497x600

Madonna capa da edição de 150 anos da “Harper’s Bazaar”
A “Harper’s Bazaar” está comemorando 150 anos (uau!) e chamou uma celebridade muito especial pra celebrar a data na capa: Madonna! A cantora prepara um novo filme, “Loved“, que é a adaptação do livroThe Impossible Lives of Greta Wells” – ela já tem os direitos desde 2013, co-escreveu o roteiro e vai dirigi-lo. No recheio da revista ela ainda fala sobre política (e Donald Trump) e sobre o sexismo no showbizz – vai lá conferir (em inglês). Mas antes veja as fotos abaixo. [Lilian Pacce]

Este slideshow necessita de JavaScript.

A moda invade os museus em 2017

rei-kawakubo
A estilista japonesa Rei Kawakubo, da Commes de Garçons, ganha mostra especial no MET em maio (Foto: Getty Images)


Em 2011, a exposição “Alexander McQueen — Savage beauty” alcançou recordes de bilheteria no Metropolitan Museum de Nova York, levando em um único dia 582 mil pessoas ao museu. Na ocasião, 100 peças e 70 acessórios criados pelo designer britânico, durante seus 19 anos de carreira, ganharam também destaque pela imprensa nos quatro cantos do mundo. Na época de seu lançamento, o site do The New York Times, por exemplo, trouxe como manchete a seguinte frase: “Alexander McQueen, quase um deus como Van Gogh”. A mostra de McQueen foi uma, do total de três das exposições mais visitadas no tradicional museu ao longo dos seus 146 anos de vida.

A moda entra novamente em cena no MET a partir de 4 de maio, com uma grande exposição sobre o trabalho de Rei Kawakubo. Na ocasião, a estilista japonesa, por trás da Commes des Garçons e famosa por sua estética desconstrutivista, estará prestigiada com cerca de 120 criações,  desenvolvidas em quatro décadas de carreira.

O MOMA, que não tratava do assunto há 73 anos, época em que expôs a mostra “Are Clothes Modern?”, é outra instituição que volta a apostar na moda. Recebe a partir do dia 1 de outubro a “Items: Is Fashion Modern?”. A exposição reunirá 99 peças que contarão o de papel significativo na história do vestuário moderno e, consequentemente, na cultura do último século. O imortal little black dress (pretinho Givenchy, eternizado por Audrey Hepburn em Breakfast at Tiffany´s), a Levi’s 501 e os relógios Casio são alguns dos exemplos. Na expo, o museu também decorrerá sobre processo criativo em torno da invenção de cada uma dessas peças, além de seu impacto na sociedade, economia e cultura.

A maison Balenciaga, criada pelo espanhol e gênio da alta-costura Cristóbal Balenciaga ainda em 1919, é outra das casas a colocar duplamente sua história ao alcance do grande público. A primeira oportunidade acontece a partir de 8 de março, no Musée Bourdelle, em Paris. “Balenciaga, l’oeuvre au noir” chega com os desenhos em preto e branco que fazem parte da história da grife. Londres também está no roteiro da marca. A partir de 27 de maio, “Balenciaga: Shaping fashion” ganha os corredores de um dos mais importantes museus da cidade e do mundo, o Victoria & Albert.

O quase meio século de carreira do designer espanhol Manolo Blahnik, o mago dos sapatos e favorito das celebridades, é revisitado na retrospectiva da marca no Palazzo Morando, em Milão, a partir de 26 deste mês. Mais de 30.000 pares integram a exposição, revelando o processo criativo e as influências de Blahnik. [Camila Lima]