Descubra as cores que, juntas, vão deixar o décor um charme

Por Mariana Conte


Algumas pessoas ficam receosas em combinar certas cores. O verde e o rosa podem causar certo estranhamento a princípio, mas, estes ambientes provam que a dupla dá muito charme ao décor e é uma ótima alternativa para sair do senso comum. Veja como fazer combinações com essas cores que são lindas sozinhas, mas ficam melhor ainda juntas:

Na cozinha

1-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Little Greene/Apartment Therapy)


Nas paredes

2a-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Sight Unseen/Apartment Therapy)


Os tons foram a escolha do Designer Guillermo Santomà para a sua própria casa em Barcelona.

2b-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Sight Unseen/Apartment Therapy)


A casa mobiliada e com outra luz:

2c-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Sight Unseen/Apartment Therapy)


Nos móveis

3-aambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Apartment 34/Apartment Therapy)

3b-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/My Interior Therapy/Apartment Therapy)


Nas plantas

4a-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Inuk Home/Apartment Therapy)


Combinando com os móveis…

4b-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Stories/Apartment Therapy)


Nos acessórios5-ambientes-com-verde-e-rosa(Reprodução/Turbulences Deco/Apartment Therapy)


Fonte: Apartment Therapy

Anna Ewers – Vogue UK Março 2017

vogue-uk-february-2017-anna-ewers-by-craig-mcdean-05Photography: Craig McDean
Model: Anna Ewers
Stylist: Kate Phelan
Hair: James Pecis
Makeup: Francelle Daly
Nails: Yuko Tsuchihashi

Este slideshow necessita de JavaScript.

Conheça a CRWN, a revista que celebra a beleza negra

crwn-firstwave-04.jpgFoi na década de 1960 que o movimento Black Is Beautiful surgiu nos EUA, incentivando os negros norte-americanos a assumirem seus traços naturais e deixarem de alisar os cabelos ou tentar clarear a pele. Passados alguns anos, o movimento se espalhou pelo mundo e, hoje, quase 60 anos depois, continua efervescente, numa luta diária que questiona e conscientiza a falácia de que os padrões africanos são menos atraentes do que os europeus. Mais do que nunca, hoje temos vozes poderosas que reverberam essa aceitação, vide Beyoncé, Solange, Rihanna e Willow Smith lá fora, e por aqui Karol Conká, Tássia Reis, Iza, Magá Moura e tantas outras.

O que não significa, claro, que os padrões foram redefinidos. Ao contrário. É algo que precisa ser disseminado incessante e diariamente. É aí que entra a revista CRWN, que surgiu como um zine em agosto de 2015, lançado durante o Afropunk, evento que celebra a cultura e os artistas negros. Hoje é uma revista trimestral, cada edição possui cerca de 130 páginas que celebram a beleza da mulher negra, mas a mulher que vemos na rua, no dia a dia, não de nenhuma Queen B ou RiRi – a revista busca modelos de streetcasting, com perfis diversos e pequenas exceções de modelos profissionais.

2c271a519c31bf955e681609a084c9ceCapa da primeira edição©Reprodução

“Nós criamos a CRWN porque vimos o movimento das conversas online e também no nosso network pessoal e profissional, sobre o estilo de vida do cabelo natural. Então vimos um nicho no mercado editorial, de revistas que imortalizaram a história do nosso cabelo numa publicação”, explica Lindsey Day, editora chefe do título, ao site Blavity. “Além de transmitir uma estética bonita e autenticamente representar a diversidade da mulher negra, queremos que a CRWN sirva como um modelo de criação sustentável, negócios com fins lucrativos que sirvam ao nosso povo”.

A revista conta com conteúdo diverso, com seções de beleza, moda, economia, relacionamentos, saúde, viagem e entretenimento, além dos perfis de nomes interessantes, sempre focando em estabelecer novos padrões de beleza em torno do cabelo natural, promovendo o amor próprio às leitoras através da autenticidade. “Estamos cansadas de ver dois ou três ‘tipos’ de mulher negra representada na mídia. Estamos cansadas de ouvir sobre ‘cabelo bom’ versus ‘cabelo ruim’ e pele clara versus pele escura”, desabafa Lindsey. “Criamos a CRWN pelo amor ao nosso povo, para elevar e celebrar nossas irmãs e seus lindos cabelos naturais”.crwn-firstwave-07.jpgDe olho nos novos talentos ao redor do mundo, a cada nova edição do título é aberta uma chamada para submissão de portfólios de design gráfico e texto, mesmo àqueles que não residem em NY, onde a revista é baseada.

Para o futuro, Lindsey Day e Nkrumah Farrar, diretor criativo e co-criador do título, pretendem criar a CRWN como uma plataforma que ajudará a promover negócios, empresas e relacionamentos.

A revista custa US$20 e pode ser adquirida através do site oficial, que entrega no Brasil. Também vale segui-los no Instagram (@CRWNmag). [FFW]

Angelina Jolie critica políticas migratórias de Trump em artigo de opinião do ‘NYT’

JORDAN-SYRIA-UN-CONFLICT-JOLIE-REFUGEEJolie visitou desde 2011 em muitas ocasiões campos de refugiados sírios no Iraque, Jordânia, Líbano, Turquia e Malta


LOS ANGELES – A atriz Angelina Jolie criticou na quinta-feira as políticas migratórias do presidente dos EUA, Donald Trump, ao ressaltar que essas decisões deveriam ser tomadas “com base em fatos e não em resposta ao medo”. Em um artigo de opinião publicado no site do jornal The New York Times, a atriz se referiu à polêmica ordem executiva que Trump assinou recentemente para lutar contra o terrorismo jihadista.

O decreto suspende a entrada ao país de todos os refugiados durante 120 dias, assim como a concessão durante 90 dias de vistos a 7 países de maioria muçulmana – Líbia, Sudão, Somália, Síria, Iraque, Iêmen e Irã – até que se estabeleçam novos mecanismos de vigilância.

“A crise global de refugiados e a ameaça do terrorismo fazem com que seja completamente justificável que consideremos como proteger nossas fronteiras da melhor maneira”, reconheceu a atriz.

“Cada governo deve equilibrar as necessidades de suas cidades com suas responsabilidades internacionais. Mas nossa resposta deve ser medida com base em fatos e não em resposta ao medo”, acrescentou. “Simplesmente não é certo que nossas fronteiras sejam ultrapassadas ou que os refugiados sejam admitidos nos EUA sem um estreito escrutínio.”

Além disso, declarou: “Se criarmos um grupo de refugiados de segunda classe, alegando que os muçulmanos merecem um menor grau de proteção, avivamos o extremismo estrangeiro enquanto em casa solapamos o ideal de diversidade desejado por democratas e republicanos”.

Para reforçar sua mensagem, Angelina, enviada especial do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), parafraseou Ronald Reagan: “Os EUA estão comprometidos com o mundo porque grande parte do mundo está dentro dos EUA”.

“Portanto devemos analisar as causas da ameaça terrorista, os conflitos que dão espaço e oxigênio a grupos como o Estado Islâmico, e a desesperança e rebeldia das quais se nutrem. Temos de formar uma causa comum com pessoas de distintas fés e origens que lutam contra a mesma ameaça e procuram a mesma segurança”, completou.

“Dessa maneira”, concluiu a atriz, “é como esperar que qualquer presidente de nossa grande nação exercesse como líder por trás de todos os americanos”. / EFE

Irmãos Campana serão homenageados no Design Sunsets

campana-irmaos

Fernando e Humberto Campana – os Irmãos Campana – serão homenageados no sábado (4), no Design Sunsets, evento promovido pelo Istituto Europeo di Design – IED São Paulo, que reúne conteúdo, ação solidária, mercado e música.

Eles receberão na ocasião o Prêmio Ícone do Design, criado pelo IED para celebrar a obra de protagonistas da área. A homenagem é concedida em caráter especial e foi conferida pela instituição em duas ocasiões anteriores – em 2013, para Julius Wiedemann, Diretor de Publicações Digitais e editor de Design da Taschen Books no mundo; e, em 2014, para Luciano Deviá (in memoriam), designer ítalo-brasileiro, que desenvolveu importantes projetos e contribuiu para a disseminação da cultura do Design em todo o país. [Casa Claudia]

Veja a programação completa do evento:

Mercado de Pulgas Solidário

13h às 19h

Bazar, brechó, feirinha, mercado de pulgas… Chame como quiser! Sabe aquele objeto que faltava na sua casa? Ou mesmo algo inusitado, “do baú”, pelo qual você jamais imaginou se apaixonar? Pois é! Venha garimpar seus “achados”. O melhor de tudo é que você, além de resgatar um objeto de Design, ainda contribui com entidades que fazem um importante trabalho assistencial na cidade de São Paulo.

Feira de Talentos (novos criadores, novas marcas)

13h às 19h

Professores do IED SP mostram suas criações, em tiragens limitadas e exclusivas. São objetos a preços acessíveis. É o design brasileiro!

 Desafio de Design – Game Brasil

13h às 16h

Os participantes serão divididos em grupos. Cada grupo irá receber um conjunto de elementos que deverá fazer parte do projeto apresentado no final. Os elementos serão: aroma, ritmo, região etc. O grupo deverá propor um jogo levando em conta todos os elementos recebidos.

Coordenação: Eliane Weizmann e Andrea Bandoni
Facilitação: Rodrigo Silveira

 Painel

14h – 7 Experiências Internacionais em Design

A partir das semanas internacionais dos cursos One Year do IED São Paulo em cidades como Milão, Florença, Turim, Barcelona e Madri, ex-alunos e coordenadores apresentam um painel de experiências vividas em algumas capitais criativas da Europa.

Mediação: José Carlos Carreira
Coordenação: Katia Lamarca

Mesa-redonda

15h30 – “Made in Brazil”: identidade, marca e perspectivas

Mediação: Alexandra Forbes
Convidados: Amir Slama, Carla Pernambuco e Caio Esteves

Prêmio Ícone do Design

17h – Irmãos Campana

O IED homenageia dois dos maiores criadores brasileiros, sua vida e obra.
Apresentação: Mônica Barbosa.

Serviço

DESIGN SUNSETS
Edição especial em homenagem aos Irmãos Campana

4 de fevereiro
Das 13h às 19h
no IED São Paulo
Rua Maranhão, 617 – Higienópolis
O evento é gratuito e aberto, com vagas limitadas e serviço de valet no local.
As inscrições podem ser realizadas pelo site: http://iedm.io/DesignSunsets2017     

Estas duas tendências estão dominando o tapete vermelho

red-destaque.jpg

As duas tendências apareceram com frequência no tapete vermelho (Foto: Getty Images)


O red carpet é uma vitrine para a moda festa e tendências que vão deixar os looks de gala e também entrar de cabeça nos looks do dia. Por isso, toda temporada de premiações ficamos de olho para saber o que vai ser destaque na moda nas próximas temporadas e o que vai aparecer com frequências nas produções das famosas.

Os eventos de red carpet ainda estão acontecendo, mas já é possível perceber algumas tendências despontando com força no tapete vermelho, principalmente em duas frentes: as listas e as transparências.

As listras, por exemplo, já são um clássico na moda, seja como uma referência ao estilo navy ou como um básico fashion. No tapete vermelho, ela apareceu em versões diferentes, ou muito coloridas, como é o caso do vestido Naeem Khan de Yara Shahidi, ou então mais glamour, em tons metálicos que também estão altamente na moda hoje em dia – é o caso do modelo Louis Vuitton de Michelle Williams.

Yara Shahidi, Michelle Williams, Naomie Harris (Foto: Getty Images)Yara Shahidi, Michelle Williams, Naomie Harris (Foto: Getty Images)


Horizontais ou verticais – ou até na diagonal – as listras foram unânimes nos looks de gala e introduziram uma estética que não é tão comum assim nos looks de red carpet: as listas são, normalmente, reservadas para os looks mais simples do dia a dia.

A segunda tred a dominar as premiações foram as transparências. Por mais que os naked dresses tenham se tornado uma sensação entre as famosas – modelos cada vez mais reveladores e ousados marcam os guarda-roupas femininos – o see-through levou elegância e leveza para as produções das estrelas do cinema e da televisão.

Emma Stone, Taraji P. Henson, Kate Hudson (Foto: Getty Images)Emma Stone, Taraji P. Henson, Kate Hudson (Foto: Getty Images)


Emma Stone de Alexander McQueen, Taraji P. Henson de Reem Acra e Kate Hudson de Dior são ótimos exemplos disso, usando vestidos que são elegantes, femininos e com altas doses de transparência, que deram um viés mais sexy e moderno para os visuais. [Marie Claire]

Rede de lojas Nordstrom vai banir grife de Ivanka Trump

Nordstrom_Ivanka_Trump_5858902032017_w540.jpgIvanka Trump é um nome cortado da lista de parceiros da Nordstrom, uma das maiores redes de loja de departamento dos Estados Unidos. Especializada no mercado de luxo, a gigante do varejo resolveu não comercializar mais nenhum item da grife homônina da filha de Donald Trump.

A decisão chega após compradores da Nordstrom convocarem um boicote à marca de Ivanka Trump ainda durante a campanha presidencial, depois de virem à tona declarações misóginas e intolerantes com minorias por parte de Donald Trump.

A rede de varejo, no entanto, anunciou que a decisão de interromper a parceria com Ivanka foi motivda por razões estritamente comerciais.

“Nós sempre avisamos que fazemos decisões de compras de acordo com o desempenho. Neste caso, baseados na performance da marca, nós resolvemos não comprar nada para esta estação”, declarou uma porta-voz da marca em um comunicado.

A Nordstrom comercializava produtos de Ivanka Trump desde 2011. Em um e-mail divulgado pela revista “Fortune”, o co-presidente Pete Nordstrom reconhecia que o boicote por parte de consumidores era um problema.

“Não importa o que fizermos, nós vamos acabar desapontando alguns clientes. Toda marca que nós oferecemos é avaliada de acordo com seus resultados — se as pessoas não compram, nós não vendemos”, ele sustentou.

Na época, a Nordstrom ainda reforçou sua posição a respeito do assunto pelo Twitter: “Esperamos que oferecer um produto não seja confundido com assumir uma posicionamento político”.