Tamanho de vestido de Heidi Klum chama atenção no Grammy

Se a 59ª edição do Grammy foi marcada por decotes poderosos, o tamanho do vestido de Heidi Klum chamou mais atenção da crítica especializada, que achou que a loira deveria ter usado uma peça mais comprida, e do público nas redes sociais do que qualquer recorte nas peças apresentadas no tapete vermelho, na noite de domingo (12), em Los Angeles.

A criação da top model alemã, assinada pelo estilista Philipp Plein, deixava as longas pernas dela à mostra, cobrindo apenas o essencial do corpo. Bordado com paetês prateados, o vestido também tinha uma leve transparência, exibindo a lingerie preta que Heidi usava.

Fechando a produção do Grammy, a apresentadora do reality show “Project Runway” usou sandálias plataformas metalizadas e brincos de argolas.

Solange Knowles apoia boicote ao Grammy logo após derrota de Beyoncé para Adele

solange-435.jpgA cantora Solange Knowles demonstrou irritação com a derrota de sua irmã Beyoncé para a cantora Adele na categoria Álbum do Ano no Grammy 2017. Logo em seguida ao término do evento, a artista declarou seu apoio a um suposto boicote à premiação. Vale lembrar que Solange saiu da festa com o troféu de Melhor Performance R&B. A cantora Adele também expôs seu descontentamento de ter levado o prêmio ao invés de Beyoncé.

Solange reproduziu no Twitter o link para uma carta aberta produzida pelo cantor Frank Ocean na qual ele critica os responsáveis pelo evento, sugere um possível boicote às próximas edições e afirma que o Grammy sofre de “vícios culturais e problemas nervosos em geral”. No texto, Ocean afirma que não pretende voltar ao evento caso seus questionamentos não sejam debatidos.

“Isso aí, Frank”, escreveu Solange junto com o link da mensagem. No Twitter Solange recebeu apoio de vários de seus seguidores. “Alguém poderia criar um prêmio musical que reflita a realidade ao invés de supremacia branca?”, questionou um rapaz. Outra pessoa recomendou a Solange: “Por favor, peça à Beyoncé para nunca mais submeter nada ao Grammy, eles não a merecem.

DVF: Um inverno vibrante e exótico

1_9lcpphq
A coleção DVF (Foto: Divulgação)


Glamourosa, estampada e colorida. Assim é a alma e essência do outono–inverno 2017 DVF e que leva a assinatura de Jonathan Saunders, diretor criativo da marca. Numa apresentação na Sean Gallery, no bairro de Hells Kitchen, estolas e casacos de pele de cores impactantes e com um quê clubber abraçavam vestidos jérsei de seda ou de malha paetizada.

O lenço é um dos fios condutores de toda coleção e empresta seu caimento a tops assimétricos e saias idem. O mix entre estampas marca boa parte das peças, num encontro entre leopardos, listras e outros bichos estilizados.3_ha4xouiO outono-inverno da marca (Foto: Divulgação)


A linha de acessórios promete ser um hit, com bolsas de alça de correntes e seus filhotes arredondados. Botas over the knee e de cano curto também estão entre os pontos altos da coleção, assim como os brincos únicos e statement. Camila Lima, De Nova York – Marie Claire

Princesa Diana é tema de documentário que marca os 20 anos da morte dela

diana.jpg
por ROLLING STONE EUA

Um documentário de quatro horas, dividido em duas partes, sobre a Princesa Diana, vai ser exibido nos Estados Unidos pela ABC, em agosto, para marcar o 20º aniversário da morte dela.

O documentário, uma colaboração entre a ABC e a People, conta com entrevistas com parceiros próximos e especialistas em Diana, bem como imagens de arquivo. As informações são do Hollywood Reporter.

O especial também examina o duradouro legado deixado por ela duas décadas depois de ter morrido, em 31 de agosto de 1997, em um acidente de carro, aos 36 anos de idade. A data exata da exibição do filme nos Estados Unidos ainda não foi anunciada (nem uma possível exibição no Brasil).

“A Princesa Diana apareceu na capa da People 57 vezes – mais do que qualquer pessoa na história da revista”, disse, em comunicado, o editor da revista, Jess Cagle. “Nosso público tem um apetite insaciável por novidades sobre a família real: de fato, eles são tão fascinantes hoje como eram quando a Lady Diana foi apresentada ao mundo pela primeira vez, em 1981.”

Glamour Brasil

glamour-brasil-4Glamour Brasil
Models: Miro Moreira e Ana Paula Renault
Photographer: Leandro Ramos
Stylist: Rafael Menezes
Produção: Thiago Barcellos

Grammy 2017: desculpa, Adele, mas Beyoncé é quem deveria ter levado os principais prêmios

beyonce-grammy2-1
Beyoncé ganhou dois Grammy e fez a performance mais emblemática  apresentando “Love Drought” e “Sandcastles”Foto: Christopher Polk / Getty Images/AFP


As baladas românticas de Adele superaram o discurso ousado, crítico e político de Beyoncé. Pelo menos na cerimônia do Grammy, que se estendeu até a madrugada desta segunda-feira. A cantora britânica levou os principais prêmios da noite (álbum, canção e gravação do ano, além de álbum pop e performance pop), e tornou-se a única artista a vencer as três categorias mais importantes em um mesmo ano duas vezes — já havia conquistado os mesmos prêmios em 2012.

Nem Adele convenceu-se de que merecia ficar com tantos gramofones (aliás, agora ela contabiliza 15).

— Não posso aceitar este prêmio. Minha vida é Beyoncé, e seu álbum Lemonade para mim foi monumental e um apoio para a alma. (Nele) Conseguimos ver outro lado de você que nem sempre nos deixava observar. Meu álbum do ano era Lemonade —disse a loira, que, ao receber o prêmio de melhor álbum do ano por 25, chegou a quebrar o troféu e oferecer metade à colega, levando a plateia ao riso.

Adele quebrou o gramofone de álbum do ano para dividir troféu com BeyoncéFoto: Kevin Winter / Kevin Winter/AFP


O discurso de Adele foi comovente e levou Beyoncé às lágrimas. De fato, Lemonade é o disco mais ousado da artista de 35 anos, no qual ela descortina as dificuldades e a resistência das mulheres negras americanas, falando sobre temas como a força para superar um pai rígido, problemas com o marido e uma longa história de perseguição. Além da música, foi todo pensado visualmente e tem vídeos incríveis. Foi apontado como melhor álbum do ano por várias publicações especializadas — entre elas a Rolling Stone dos EUA. Mas não foi suficientemente bom para garantir a Beyoncé os Grammy que lhe faltam em sua estante.

A diva pop — que fez sua primeira aparição após anunciar a gravidez de gêmeos em uma performance muito bem produzida de Love Drought e Sandcastles — soma 20 gramofones. É uma das artistas mais vencedoras de Grammy da história, mas ainda não conquistou duas das categorias mais importantes do prêmio, álbum e gravação do ano — coincidentemente, Adele já tem os dois e em dobro. É de se refletir sobre isso, uma vez que, em 2016, Taylor Swift desbancou o favorito Kendrick Lammar e levou o álbum do ano, fato que provocou polêmica e acendeu um debate sobre racismo na premiação.

Ainda que o trabalho de Adele seja incrível, sendo de fato um dos melhores álbuns do ano e com um dos principais hits dos últimos tempos (Hello), Beyoncé merecia sair do Staples Center, em Los Angeles, com mais do que os dois gramofones que recebeu — melhor álbum urbano contemporâneo e melhor videoclipe por Formation. Nesse ponto, teve razão Ryan Tedder, vocalista da banda OneRepublic e colaborador habitual das duas cantoras, que havia antecipado há uma semana: “O eleitor médio do Grammy é um cara branco com mais de 40 anos, alguém mais atraído por Adele do que Beyoncé”. [Vanessa Scalei]

Kendall Jenner divulga foto em cima de um cavalo e fãs questionam conduta

cavaloKendall Jenner (Foto: instagram / reprodução)


Kendall Jenner divulgou uma foto de um ensaio que está dando o que falar. É que na imagem, divulgada no Instagram, a modelo aparece em pé em cima de um cavalo, deixando muito fã com a pulga atrás da orelha.

“Espero que ele não tenha se machucado”, comentou um internauta. Outros questionaram se a imagem é, de fato, verídica ou se contém alguma intervenção gráfica. “Como você pode fazer algo assim?”, disse outro admirador decepcionado.

Prêmio para Adele engrossa coro dos descontentes do Grammy

cerimonia-do-59-grammy-grandevencedora-20170213022301.jpgAdele carrega os cinco Grammys que ganhou na noite: álbum do ano, gravação do ano, música do ano, melhor performance solo e melhor álbum vocal popimagem: Mike Blake/Reuters


Principal vencedora do 59° Grammy neste domingo (12), em Los Angeles, Adele não apenas conquistou os três gramofones mais importantes da noite — melhor álbum (com seu terceiro disco “25”), gravação e canção do ano (por “Hello”, que ela cantou logo na abertura da premiação como prenúncio da barbada) – como derrotou, em cada uma dessas categorias, outra gigante do pop, e a grande recordista de indicações desta edição: Beyoncé.

Na ausência do rapper Kanye West para problematizar a escolha da Academia, a própria Adele reservou boa parte do seu discurso emocionado para elogiar sua maior concorrente. “Eu não posso receber esse prêmio”, disse ao microfone. “Seu disco [‘Lemonade’] é tão monumental. Tão bem pensado, tão lindo. Eu amo você. O jeito que você faz eu e meus amigos negros nos sentirmos é empoderador. Sempre vou te amar”.

A disputa entre as cantoras nas três principais categorias não foi meramente musical. Na época em que o Oscar é colocado na parede quanto à ausência de artistas negros entre os indicados, o Grammy se viu diante da mesma encruzilhada, especialmente no ano em que um dos mais aclamados artistas negros da atualidade, Frank Ocean, boicotou o processo de inscrição de seu disco “Blonde” por achar que a premiação não representa “as pessoas que vêm de onde eu venho, e que aguentam o que eu aguento”. Além de West e Ocean, a noite de festa também contou com baixas de Drake e Justin Bieber – que deram as costas à premiação.

Ao mesmo tempo em que contempla um dos maiores fenômenos da música recente, a esmagadora vitória de Adele endossa a teoria de que o Grammy não reconhece artistas negros nas categorias de maior prestígio.Getty ImagesEnquanto “25”, o terceiro disco da britânica, vendeu como água no deserto e alimentou uma música mais tradicional para um público amplo, “Lemonade” fundiu áudio com visual, o hip-hop com country e rock, e amarrou a essência pop a um discurso político e feminista. O disco que figurou nas listas dos melhores do ano foi reconhecido na “maior premiação da música” apenas na categoria de álbum de música urbana – categoria de difícil tradução, mas que serve para abrigar boa parte dos artistas negros.

Sua apresentação no palco do Grammy, no entanto, foi além desse conceito. Beyoncé remontou a santa ceia só com mulheres, e cantou duas baladas do mais recente disco, “Love Drought” e “Sandcastles”. Em referência ao momento de “dor e perda” em que o país atravessa, Beyoncé recebeu o prêmio dizendo que seu disco dá voz a essa dor.mulher-com-veu-islamico-entra-chutando-e-destruindo-muro-durante-apresentacao-de-a-tribe-called-quest-no-grammy-2017-1486964318198_v2_750x421Mulher com véu islâmico entra chutando e destruindo muro durante apresentação de A Tribe Called Quest no Grammy 2017imagem: Kevork Djansezian/Getty Images

“Nós, o povo”

Mas foi justamente a música negra, mais especificamente o rap, o responsável por elevar a mensagem política para outros decibéis. Até então nas entrelinhas, o protesto contra Donald Trump veio ruidoso na apresentação do A Tribe Called Quest, uma das principais referências do hip-hop nos Estados Unidos.

Com 20 anos de história, o grupo subiu ao palco dando um literal pontapé em um muro cenográfico, e chamou o novo presidente de ‘agente laranja’. A letra de “We the People” [Nós, o povo], além da referência às primeiras palavras da constituição norte-americana, denunciou, em seu refrão, o movimento de silenciamento das minorias, ao narrar que os negros, mexicanos, pobres, gays e muçulmanos “devem vazar”.

Em um dos pontos altos da noite, o recém-chegado Chance the Rapper não só não “vazou” como celebrou três merecidos prêmios em uma noite um tanto branca: melhor álbum de rap, performance de rap e revelação do ano.

Com o elogiado segundo disco de produção independente, “Coloring Book”, o rapper que chegou a gravar com Justin Bieber transformou o palco do Grammy em uma verdadeira igreja com a ajuda de um coral na apresentação de “How Great”.

Com apenas 23 anos, ele é uma promessa de um grande artista que pode transpor a barreira que a premiação, em sua 59a. edição, ainda insiste em manter. [UOL]

Conheça os ganhadores das principais categorias do Grammy Awards 2017:

MELHOR ÁLBUM DO ANO
Adele, “25”
Beyoncé, “Lemonade”
Sturgill Simpson, “A Sailor’s Guide to Earth”
Justin Bieber, “Purpose”
Drake, “Views”

GRAVAÇÃO DO ANO
“Hello”, Adele
“Formation”, Beyoncé
“7 Years”, Lukas Graham
“Work”, Rihanna feat. Drake
“Stressed Out”, Twenty One Pilots

MÚSICA DO ANO
“Formation”, Beyoncé
“Hello”, Adele
“I Took a Pill in Ibiza”, Mike Posner”
“Love Yourself”, Justin Bieber
“7 Years”, Lukas Graham

ARTISTA REVELAÇÃO
The Chainsmokers
Chance the Rapper
Anderson Paak
Maren Morris
Kelsea Ballerini

MELHOR VIDEOCLIPE
“Formation”, Beyoncé
“River”, Leon Bridges
“Up & Up”, Coldplay
“Gosh”, Jamie XX
“Upside Down & Inside Out”, OK Go

POP

MELHOR PERFORMANCE SOLO
“Hello”, Adele
“Hold Up”, Beyoncé
“Love Yourself”, Justin Bieber
“Piece By Piece”, Kelly Clarkson
“Dangerous Woman”, Ariana Grande

MELHOR PERFORMANCE DE DUO/GRUPO
“Closer”, The Chainsmokers Featuring Halsey
“7 Years”, Lukas Graham
“Work”, Rihanna Featuring Drake
“Cheap Thrills”, Sia Featuring Sean Paul
“Stressed Out”, Twenty One Pilots

MELHOR ÁLBUM POP VOCAL TRADICIONAL
“Cinema”, Andrea Bocelli
“Fallen Angels”, Bob Dylan
“Stages Live”, Josh Groban
“Summertime: Willie Nelson Sings Gershwin”, Willie Nelson
“Encore: Movie Partners Sing Broadway”, Barbra Streisand

MELHOR ÁLBUM VOCAL POP
“25”, Adele
“Purpose”, Justin Bieber
“Dangerous Woman”, Ariana Grande
“Confident”, Demi Lovato
“This Is Acting”, Sia

DANCE / MÚSICA ELETRÔNICA

MELHOR GRAVAÇÃO DANCE
“Tearing Me Up”, Bob Moses
“Don’t Let Me Down”, The Chainsmokers Featuring Daya
“Never Be Like You”, Flume Featuring Kai
“Rinse & Repeat”, Riton Featuring Kah-Lo
“Drinkee”, Sofi Tukker

MELHOR ÁLBUM DANCE
“Skin”, Flume
“Electronica 1: The Time Machine”, Jean-Michel Jarre
“Epoch”, Tycho
“Barbara Barbara, We Face A Shining Future”, Underworld
“Louie Vega Starring…XXVIII”, Louie Vega

ROCK

MELHOR PERFORMANCE ROCK
“Joe” (Live From Austin City Limits), Alabama Shakes
“Don’t Hurt Yourself”, Beyoncé Feat. Jack White
“Blackstar”, David Bowie
“The Sound Of Silence” (Live On Conan), Disturbed
“Heathens”,  Twenty One Pilots

CANÇÃO ROCK
“Blackstar”, David Bowie
“Burn The Witch”,  Radiohead
“Hardwired”,  Metallica
“Heathens”,  Twenty One Pilots
“My Name Is Human”, Highly Suspect

PERFORMANCE METAL
“Shock Me”, Baroness
“Silvera”,  Gojira
“Rotting In Vain”, Korn
“Dystopia”, Megadeth
“The Price Is Wrong”, Periphery

ÁLBUM DE ROCK
“California”,  Blink-182
“Tell Me I’m Pretty”, Cage The Elephant
“Magma”, Gojira
“Death Of A Bachelor”, Panic! At The Disco
“Weezer”, Weezer

ÁLBUM DE MÚSICA ALTERNATIVA
“‘22, A Million”, Bon Iver
“Blackstar”, David Bowie
“The Hope Six Demolition Project”, PJ Harvey
“Post Pop Depression”, Iggy Pop
“A Moon Shaped Pool”, Radiohead

R&B

PERFORMANCE R&B
“Turnin’ Me Up”, BJ The Chicago Kid
“Permission”,  Ro James
“I Do”,  Musiq Soulchild
“Needed Me”,  Rihanna
“Cranes In The Sky”, Solange

CANÇÃO R&B
“Come See Me”, PartyNextDoor Featuring Drake
“Exchange”, Bryson Tiller
“Kiss It Better”,  Rihanna
“Lake By The Ocean”, Maxwell
“Luv”,  Tory Lanez

ÁLBUM URBANO CONTEMPORÂNEO
“Lemonade”, Beyoncé
“Ology”, Gallant
“We Are King”, KING
“Malibu”, Anderson .Paak
“Anti”, Rihanna

RAP

PERFORMANCE RAP CANTADO
“Freedom”, Beyoncé Featuring Kendrick Lamar
“Hotline Bling”, Drake
“Broccoli”, D.R.A.M. Featuring Lil Yachty
“Ultralight Beam”, Kanye West Featuring Chance The Rapper
“Famous”, Kanye West Featuring Rihanna

PERFORMANCE RAP
“No Problem”, Chance The Rapper Featuring Lil Wayne & 2 Chainz
“Panda”, Desiigner
“Pop Style”, Drake Featuring The Throne (Jay Z, Kanye West)
“Ultralight Beam”, Kanye West Featuring Chance The Rapper
“All The Way Up”, Fat Hoe & Remy Ma Featuring French Montana & Infared
“That Part”, ScHoolboy Q Featuring Kanye West

CANÇÃO RAP
“All The Way Up”, Fat Joe & Remy Ma Featuring French Montana & Infared
“Famous”, Kanye West Featuring Rihanna
“Hotline Bling”, Drake
“No Problem”, Chance The Rapper Featuring Lil Wayne & 2 Chainz
“Ultralight Beam”, Kanye West Featuring Rihanna

ÁLBUM RAP
“Coloring Book”, Chance The Rapper
“And The Anonymous Nobody”, De La Soul
“Major Key”, DJ Khaled
“Views”, Drake
“Blank Face LP”, ScHoolboy Q
“The Life Of Pablo”, Kanye West

LATINO

ÁLBUM LATINO DE POP
“Un Besito Mas”, Jesse & Joy
“Ilusión”, Gaby Moreno
“Similares”, Laura Pausini
“Seguir Latiendo”, Sanalejo
“Buena Vida”, Diego Torres

ÁLBUM LATINO DE ROCK, URBANO E ALTERNATIVO
“ilevitable”, ile
“L.H.O.N. (La Humanidad O Nosotros)”, Illya Kuryaki & The Valderamas
“Buenaventura”, La Santa Cecilia
“Los Rakas”, Los Rakas
“Amor Supremo”, Carla Morrison

WORLD MUSIC

MELHOR ÁLBUM DE WORLD MUSIC
“Destiny”, Celtic Woman
“Walking In The Footsteps Of Our Fathers”, Ladysmith Black Mambazo
“Sing me Home”, Yo-Yo Ma & The Silk Road Ensemble
“Land Of Gold”, Anoushka Shankar
“Dois Amigos, Um Século De Música: Multishow Ao Vivo”,  Caetano Veloso & Gilberto Gil

REGGAE

MELHOR ÁLBUM DE REGGAE
“Sly & Robbie Presents… Reggae For Her”, Devin Di Dakta & J.L
“Rose Petals”, J Boog
“Ziggy Marley”, Ziggy Marley
“Everlasting”, Raging Fyah
“Falling Into Place”, Rebelution
“SOJA: Live In Virginia”, SOJA

OUTROS

MELHOR TRILHA ORIGINAL
“Ponte dos Espiões”
“Os Oito Odiados”
“O Regresso”
“Star Wars: O Despertar da Força”
“Stranger Things”

MELHOR ARTE
“Anti”, Rihanna
“Blackstar”, David Bowie
“Human Performance”, Parquet Courts
“Sunset Motel”, Reckless Kelly
“22, A Million”, Bon Iver

MELHOR MÚSICA EM VÍDEO (PRODUTO AUDIOVISUAL)
“I’ll Sleep When I’m Dead”,  Steve Aoki
“The Beatles: Eight Days A Week The Touring Years”, The Beatles
“Lemonade”, Beyoncé
“The Music Of Strangers”, Yo-Yo Ma & The Silk Road Ensemble
“American Saturday Night: Live From The Grand Ole Opry”, Vários