Spotify supera 60 milhões de assinantes

spotify 2fe8eff0e3f87d2e9056154a0bc2545582O Spotify superou os 60 milhões de assinantes, reforçando a liderança do mercado de música via streaming, segundo dados publicados nesta segunda-feira no site da empresa. A companhia sueca mantém um alto ritmo de crescimento, com alta de 10 milhões de assinantes pagos em cinco meses e 20 milhões em 11 meses. O Spotify disse que conta, ao todo, com 140 milhões de usuários ativos, entre pagantes e gratuitos.

Principal concorrente da empresa, a Apple Music também avança rapidamente, mas começou a oferecer o serviço mais tarde, em junho de 2015, e continua bem atrás da gigante sueca. No começo de junho, o presidente e CEO da Apple, Tim Cook, anunciou que seu serviço de música online tinha 27 milhões de assinantes, ante 20 milhões no começo de dezembro.

O mercado de música via streaming por assinatura atualmente se resume, basicamente, a um duelo – os demais integrantes estão longe desses dois principais. Segundo um estudo publicado pela companhia especializada MIDiA, a francesa Deezer estava, no fim de 2016, no terceiro lugar, com 6,9 milhões de assinantes. [AFP]

Alphabet tenta armazenar energia renovável usando sal

google-595736Alphabet: a iniciativa nunca antes revelada faz parte de um grupo de projetos de energia do laboratório X


São Francisco – A hermética divisão X da Alphabet tem mais uma ideia que poderia salvar o mundo. Esta, cujo nome é Malta, envolve barris de sal e anticongelante.

O laboratório de pesquisa, que deu a luz ao carro sem motorista do Google há quase uma década, está desenvolvendo um sistema para armazenar energia renovável que de outra forma seria desperdiçada.

Ele pode ser instalado em praticamente qualquer lugar, poderia durar mais do que as baterias de íon-lítio e competir em preço com novas usinas hidrelétricas e outros métodos atuais de armazenamento de energia limpa, de acordo com executivos e cientistas do X.

A iniciativa nunca antes revelada faz parte de um grupo de projetos de energia do X, cujo histórico variado inclui “grandes projetos” audazes, como o Google Glass e entregas com drones. Investidores de capital de risco, e cada vez mais governos, têm reduzido o financiamento e o apoio à tecnologia e a empresas que giram em torno de alternativas aos combustíveis fósseis.

Os projetos de energia limpa do X ainda não tiveram o sucesso de seus carros sem motorista, mas o laboratório não se dá por vencido.

“Se a fábrica de grandes projetos desistir de um problema grande e importante como a mudança do clima, talvez o problema nunca seja resolvido”, disse Obi Felten, diretora do X. “Se começarmos a solucioná-lo, há trilhões e trilhões de dólares em oportunidades de mercado.”

The Foundry
Felten dirige The Foundry, onde uma equipe do Malta com menos de 10 pesquisadores está testando um protótipo básico. Esta é a parte do X que tenta transformar experimentos feitos em laboratórios científicos em projetos completos com modelos de negócios emergentes, como seus balões Loon, a altitudes elevadas, para dar conexão de internet.

O Malta ainda não é um projeto oficial do X, mas já “eliminou riscos” o suficiente para que a equipe procure parceiros para construir, operar e conectar um protótipo de tamanho comercial à rede, disse Felten. Assim, a Alphabet poderia se unir ou concorrer com potências industriais como Siemens, ABB e General Electric.

O X entrará em um mercado que poderia receber cerca de US$ 40 bilhões em investimentos até 2024, segundo a Bloomberg New Energy Finance.

Aproximadamente 790 megawatts de energia serão armazenados neste ano e projeta-se que a capacidade total atingirá 45 gigawatts em sete anos, estima a BNEF.

As redes elétricas atuais têm dificuldades com a energia renovável, um problema irritante que está aumentando a demanda por novos métodos de armazenamento.

Painéis solares e parques eólicos geram energia por volta do meio-dia e à noite, quando a demanda diminui. Isto obriga as concessionárias de energia elétrica a descartá-la, preferindo usinas a petróleo e carvão, que são mais previsíveis, e “para picos” as usinas a gás natural, que são mais controláveis. Mark Bergen, da Bloomberg

Aos 89 anos, morre a atriz Jeanne Moreau, um dos maiores nomes do cinema francês

2636590044_2.pngAos 89 anos, a atriz francesa Jeanne Moreau morreu hoje (31) em seu apartamento, em Paris. Um dos grandes nomes do cinema, nos 65 anos de carreira Jeanne trabalhou com diretores aclamados como François Truffaut – com quem fez talvez seu filme mais famoso, o clássico Uma Mulher Para Dois Orson Welles, Wim Wenders, Luís Buñuel Elia Kazan e Fassbinder.

Em comunicado, o presidente francês Emmanuel Macron prestou homenagem à falecida atriz: “Há pessoas que apenas elas mesmas parecem resumir sua arte. Jeanne Moreau era uma delas. (…) Sua força foi de jamais ir aonde esperávamos, sabendo escapar rapidamente das categorias onde queria-se encaixá-la. Tal era a sua liberdade, constantemente reivindicada, colocada a serviço das causas em que acreditava, uma mulher ardente de esquerda, sempre rebelde à ordem como à rotina”.

De fato, liberdade era uma das caractísticas principais da personalidade – e dos personagens de Jeanne. Nascida em 1928, em Paris, de um pai dono de restaurante e uma mãe inglesa que trabalhava como dançarina. As diferenças com o pai tradicional apareceriam cedo, um homem “criado por pais do século XIX” e que não suportou ver sua mulher ir embora. “Eu ficava furiosa de ver como uma mulher poderia se deixar intimidar”, contou Jeanne em entrevista ao jornal La Depèche, em 2008.

Apaixonada por literatura e dramaturgia, Jeanne começa sua carreira aos 19 anos como atriz no teatro da Comédie Française. “Funciona para mim, já que meu pai não suportaria que eu fosse à uma universidade ou fizesse longos estudos e ele me imaginava como mulher de um dono de restaurante ou funcionária pública”. Sua entrada no cinema acontece como protagonista em Elevador para o Cadafalso (1959), de Louis Malle. A partir daí, Moreau seria escalada para trabalhar em grandes filmes da Nouvelle Vague e ficaria conhecida pela voz grave e sex appeal, sendo comparada com grandes ícones da época, como Brigitte Bardot.

Em 1962, seu maior sucesso, Uma Mulher Para Dois (Jules e Jim) é lançado, inaugurando uma longa colaboração com Truffaut. Moreau ganhou o prêmio de melhor atriz em Cannes, em 1960, o BAFTA de melhor atriz estrangeira em 1965 pelo filme Viva Maria! além de inúmeros troféus e prêmios honorários – incluindo, em 1998, um da Academy of Motion Pictures Arts and Sciences, que entrega o Oscar.

No círculo de amigos de Jeanne não faltavam grades nomes, e a atriz era próxima de Jean Cocteau, Henry Miller e da autora francesa Marguerite Duras, uma das grandes amigas de Jeanne. Mãe de Jerôme Richard – fruto do seu primeiro casamento com Jean-Louis RIchard – a atriz se casou duas vezes – em segundas núpcias com americano William Friedkin, diretor de “O Exorcista” –  e se envolveu posteriormente com grandes personalidades francesas como o designer Pierre Cardin e o diretor Louis Malle. [Marie Claire]

Apple divulga novo comercial da série “Carpool Karaoke”, que estreia semana que vem no Music

A Apple divulgou hoje no YouTube mais um comercial da série “Carpool Karaoke”, em antecipação à sua estreia — que ocorrerá, conforme já havia sido anunciado, no dia 8 de agosto (terça-feira da semana que vem).

A versão da série — criada originalmente para o programa televisivo de James Corden — adaptada para o Apple Music terá episódios de meia-hora cada, num total de 16 nesta primeira temporada. Eles serão liberados semanalmente, às terças-feiras.

Pegue carona no “Carpool Karaoke” original do Apple Music, cheio de estrelas e recheado de música. Baseado no quadro do The Late Late Show with James Corden, que se tornou uma sensação viral, cada episódio trará duplas de celebridades — de Alicia Keys e John Legend a Billy Eichner e Metallica — compartilhando um carro, cantarolando suas playlists favoritas e mergulhando em aventuras.

A nova série será exclusiva para assinantes do Apple Music, é claro. [MacMagazine]

Black Mirror pode retomar episódios de temporadas anteriores

black mirror.jpgO criador de Black Mirror, Charlie Brooker, deu indícios de que nova temporada pode dar sequência a episódios anteriores, como o “White Bear”. Em entrevista ao podcast da Variety, “Remote Controlled”, ele afirmou que essa possibilidade está sendo considerada.

“Tivemos algumas ideias de sequência, que é algo que não exploramos completamente. Eu não seria avesso a isso. Temos algumas ideias em mente e estamos pensando como poderíamos fazê-lo e quando seria o momento ideal para isso. Então, potencialmente. Mas de um jeito darwinista, uma nova ideia aparece e ela vence a briga pelo encaixe.”

Ainda não há previsão de estreia para o ano quatro de Black Mirror. O seriado já teve três temporadas e um especial de Natal, todos disponíveis no catálogo da Netflix. [Mariana Canhisares]

Jennifer Lawrence estrela teaser de Mãe!, terror psicológico do diretor de Cisne Negro

Jennifer Lawrence caminha por uma paisagem sombria, acompanhada por uma narração sinistra, no primeiro teaser de Mãe!. O filme é dirigido pelo cineasta Darren Aronofsky, que foi indicado ao Oscar em 2011 pelo aclamado Cisne Negro.

“O que te traz até aqui?”, questiona, enquanto entra em uma casa aparentemente vazia. O diálogo continua com mais perguntas do que respostas. “Você sabia que ele tinha uma esposa? Quem são essas pessoas?”, pergunta.

Ainda se conhece pouco sobre o enredo do filme. Supostamente, ele conta a história de uma desconhecida que chega e interrompe a vida pacífica de um casal.

Mãe! é um terror psicológico coestrelado por Javier Bardem, Michelle Pfeiffer, Ed Harris, Domhnall Gleeson e Kristen Wiig. O filme chega aos cinemas brasileiros em 21 de setembro.

A Apple confirmou o visual do próximo iPhone em um código-fonte

rRlr-fyiphwc4147106O visual do próximo iPhone é a característica mais aguardada pelos fãs, principalmente depois que a Samsung lançou o Galaxy S8 com uma tela que ocupa praticamente toda a parte frontal do celular. Algumas imagens já vazaram, a partir de uma loja que fabrica capinhas para o modelo, e elas indicam que o iPhone 8 realmente não terá muitas bordas. Neste final de semana, a própria Apple meio que confirmou o design do aparelho:

iphone-8-desenho1Imagem: Guilherme Rambo

Esta imagem está em um firmware do HomePod, liberado acidentalmente pela Apple aos desenvolvedores (esse material deveria ser lançado apenas em dezembro). Além dos detalhes de hardware do alto-falante inteligente, o código-fonte desse firmware contém várias informações sobre os outros produtos da empresa, incluindo os próximos iPhones.

A imagem que mostra um molde do iPhone foi descoberta pelo desenvolvedor brasileiro Guilherme Rambo. Ela está no arquivo Payment_glyph_phone-D22.caar do firmware do HomePod. Além disso, nas linhas do código existem muitas menções a um “BKFaceDetect” e, como aponta o The Verge, “BK” provavelmente se refere a “Kit Biométrico”. Referências sobre uma câmera infravermelho também aparecem no código, o que reforça o rumor de que o aparelho terá reconhecimento facial 3D, capaz de desbloquear a tela até mesmo no escuro.

Sem título.png33.jpg Consegui confirmar relatos de que o firmware do HomePod revela a existência de um futuro desbloqueio facial infravermelho no BiometricKit e outros lugares.

O rumor do reconhecimento facial surgiu em julho, a partir de fontes com bom histórico de acerto nos produtos da Apple. Ainda há dúvidas se a Apple manterá o Touch ID, a autenticação por digitais. Pelas imagens vazadas até agora, o sensor não aparece na parte frontal do celular. Informações anteriores apontam que a companhia pretendia incluir o sensor de baixo do vidro da tela, mas essa tecnologia pode não ficar pronta a tempo. Nesse caso, o leitor de impressões digitais poderia parar na traseira. É justamente por isso que o reconhecimento facial 3D surgiu como uma alternativa: seria um método ainda mais seguro e rápido, garantindo a conveniência. Se vai funcionar tão bem quanto o esperado, só saberemos no lançamento, previsto para ainda este ano. []

Imagem do topo: Vazamento do design do iPhone 8. Crédito: iDrop News.

Spotify desafia Apple com nova iniciativa de podcasts

A Spotify está em busca de novos empreendimentos outra vez. O principal serviço pago de streaming de música concordou em promover podcasts em seu aplicativo e através de anúncios em ônibus.

Em troca, os apresentadores de “Reply All”, “Pod Save America” e “The Bill Simmons Podcast” concordaram em elogiar o Spotify nas redes sociais e durante os programas, que abordam assuntos como a subcultura da internet, política e esportes.

A Spotify está testando se deve dedicar mais recursos a outras áreas além da música. Os podcasts são um campo de crescimento rápido, atualmente dominado pela Apple.

Ao aumentar a receita obtida de outras mídias, a Spotify poderia reduzir a enorme parcela das vendas que vai para as gravadoras. Os royalties representaram mais de 75 por cento dos custos da Spotify no ano passado e se baseiam no tempo que os usuários passam reproduzindo músicas.

“O potencial para a Spotify é apresentar esse calibre de narração a um público muito maior, que já está em uma mentalidade de escuta”, disse Matt Lieber, cofundador e presidente da Gimlet Media, que produz “Reply All”. “Eu vejo um esforço crescente para tornar os podcasts mais acessíveis na plataforma. E eles estão fazendo progressos.”

A Spotify está fazendo testes em novas mídias para aumentar o tempo gasto pelos clientes com seu aplicativo — e aumentar as vendas de publicidade. A partir de agora, a maioria dos consumidores que procura vídeos de música ou podcasts troca o Spotify por Apple e YouTube.

Em particular, a empresa quer avaliar a consciência de seu serviço entre ouvintes ávidos de podcast e poderia expandir a campanha para mais provedores ainda neste ano. A Spotify confirmou os detalhes da iniciativa, mas não quis disponibilizar um executivo para entrevista.

Em uma pesquisa no início deste ano, cerca de 15 por cento dos americanos com mais de 12 anos tinham ouvido um podcast na semana anterior, e quase um quarto ouvia pelo menos um por mês, um número que dobrou desde 2013, de acordo com a Edison Research. A receita dos podcasts com propagandas deverá crescer 85 por cento neste ano, para US$ 220 milhões.

A Apple domina o mercado, mas sua participação diminuiu de 70 por cento para cerca de 55 por cento, de acordo com Nick Quah, autor do boletim semanal Hot Pod. Os serviços de música SoundCloud e Pandora Media começaram a hospedar podcasts, assim como TuneIn e iHeartMedia.

Com mais de 140 milhões de usuários, incluindo cerca de 50 milhões de assinantes pagantes, a Spotify tem a oportunidade de arrebatar participação da Apple.

A empresa já encomendou podcasts originais sobre música e fez parceria com a Gimlet Media em uma série de podcasts sobre o falecido Chris Lighty, empresário dos rappers Busta Rhymes e 50 Cent. Os episódios estrearam no Spotify antes de se tornarem disponíveis em outros serviços.

A Spotify financiará um novo lote de podcasts originais nos próximos meses, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto, que pediram anonimato por discutir planos privados. A empresa também criou uma aba para podcasts em sua seção de navegação.

“A Spotify tem o potencial de fazer muito pela transmissão de podcasts”, disse Quah. “Eles têm uma grande base de usuários e bastam alguns ajustes aqui e ali para colocar a transmissão de podcasts em primeiro plano para os ouvintes diários.” [Lucas Shaw, da Bloomberg]

Escritório de Frank Gehry planeja extensão em LA

0244Em Los Angeles, o prédio que abriga o escritório de Frank Gehry ganhará uma extensão. Chamada New Beatrice West, a nova construção terá oito andares e será assinada pelo estúdio do próprio arquiteto, vencedor do Pritzker de 1989.

Os volumes – caixas de vidro que parecem empilhadas – terão diversas funções, acomodando escritórios, restaurantes, lojas e estacionamento para carros e bicicletas. Vestiários também serão construídos para os funcionários.

Pensando na sustentabilidade, o prédio contará com acessórios de água de baixo fluxo e iluminação eficiente em termos de energia. Durante o dia, os painéis de vidro permitem que a luz natural ilumine boa parte dos espaços.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pátios, caminhos e paisagismo serão adicionados ao espaço existente. O New Beatrice West deve ficar pronto em 22 meses. [Mariana Bruno]