Linda Evangelista – Annie Leibovitz – US Vogue – Setembro 2017

image0019.jpgLinda Evangelista posa para edição do 125º aniversário da US Vogue  Setembro 2017 pelas lentes de Annie Leibovitz e styled by Tonne Goodman with makeup by Diane Kendal and hair by Garren.

CHMPGN x Caliroots FW17 Capsule Collection

rue.jpgO gigante escandinavo STARS CALIROOTS e a marca francesa premium CHMPGN se unem neste inverno em uma coleção de cápsulas. Eles carregam uma mensagem positiva com o tema “Amour – Alskar”.
A coleção é um armário completo composto de peças revisadas: treino com tiras tecidas, calças de algodão 7/8, hoodies oversized e bombers, t-shirts, bem como acessórios como bonés de beisebol ou braçadeiras, inspirados no futebol.
Esta colaboração resulta em silhuetas minimalistas de rua específicas para CHMPGN e CALIROOTS DNA.
Photos: Sylvain Lewis
Models: Elio Picciotto & Marie Fofana
Styling: Lisa Bouteldja
Make-up: Flavie Terracol

Este slideshow necessita de JavaScript.

App Secrush diz quem dos seus amigos está a fim de você

 

Aplicativo brasileiro de paquera permite definir que tipo de interação você quer ter com seus amigos

por 

unnamedMuita gente diz ter saudade do Orkut. Das funcionalidades mais legais da rede social da Google era uma que mostrava quais dos seus amigos estava afim de você. Ou seja, muito antes de Tinder e quetais, o Orkut te dava a dica de quem eram os seus crushes secretos. Criado por três brasileiros, um aplicativo chamado Secrush promete trazer de volta essa ideia.

Como funciona? Ao se cadastrar, aparecerá sua lista de amigos do Facebook – e não um pretendente, como no Tinder. Em vez de dar like ou dispensar o perfil, você irá classificar que tipo de relação teria com esse amigo. Existem quatro opções de classificação: ficaria, sairia, conhecer melhor ou não tenho interesse.

Se a outra pessoa estiver com a mesma intenção que você, o aplicativo avisará ambos que “deu match”- e daí é só correr pro abraço. Caso a classificação seja diferente, quem optou pelo grau mais alto, recebe um aviso para mudar a escolha e, assim, ambos terem o mesmo interesse.

Fique tranquilo, as marcações são secretas. Caso alguém te dê um fora, isso fica só no aplicativo e ninguém fica sabendo. Também é possível “bloquear” os perfis que você não quer que te vejam no Secrush sem que isso afete a amizade no Facebook.

Até agora, o Secrush tem cerca de 10 mil usuários. Os criadores esperam que o app chegue a um milhão de usuários no primeiro ano de vida. O Secrush está disponível nas versões iOS e Android. Ficou curioso? No site do app, tem um videozinho tutorial neste link.

São Paulo Fashion Week N44 ocorre em agosto; veja calendário

1489597529585.jpgDesfile da Ellus na SPFW N43, que marcou os 45 anos da grife Foto: REUTERS/Paulo Whitaker


A São Paulo Fashion Week ocupa o prédio da Bienal no Parque Ibirapuera no final deste mês. O evento, que chega à 44ª edição, ocorre entre os dias 27 e 31 de agosto e conta com 33 marcas. Entre os destaques, a estilista Vanessa Moe, radicada na Australia, apresenta sua coleção inspirada nas tribos aborígenes da Oceania na terça, 29.

Outra novidade é o desfile #TodaBelezaPodeSer, apresentação colaborativa promovida pela Natura, com curadoria do consultor Jackson Araujo e direação criativa de Apolinário, da marca CemFreio.

Excepcionalmente nesta edição, o desfile da marca À La Garçonne ocorre no sábado, dia 26, em função de restrições de última hora com a data da locação escolhida e que inviabilizaram uma recomposição do calendário.

DOMINGO
16h Iódice
SEGUNDA-FEIRA
10h Uma Raquel Davidowicz
11h30 Paula Raia
15h Osklen
16h30 Vix
17h30 Fabiana Milazzo
18h30 João Pimenta
19h30 Lilly Sarti
21h Triya

TERÇA-FEIRA
10h Giuliana Romanno
11h Vitorino Campos
15h Lenny Niemeyer
16h Vanessa Moe
17h PatBo
18h Two Denim
19h LAB
20h Agua de Coco por Liana Thomaz

QUARTA-FEIRA
10h Animale
11h30 Gloria Coelho
14h Ronaldo Fraga
15h Sissa
16h30 Cotton Project
17h30 Top 5
18h30 Amir Slama
20h Lino Villaventura
21h Tig

QUINTA-FEIRA
12h Samuel Cirnansck
14h30 Coven
15h30 Helo Rocha
17h30 Juliana Jabour
18h30 Apartamento 03
19h30 Reserva
20h30 Ratier
21h #todabelezapodeser

Conheça a Orbe, nova linha da joalheira Eduarda Brunelli

Sem título.png90Se o céu é o limite, foi para lá que a designer Eduarda Brunelli olhou para desenvolver sua nova coleção: Orbe. As órbitas e as estrelas são as principais influências para as joias com formas elípticas, inspiradas no sistema solar.

O brilho, a força e o misticismo que as constelações evocam estão nas 15 peças, entre brincos, anéis, colares, chockers e braceletes. As joias criadas por Eduarda são peças autorais, que misturam metais nobres, pedras naturais e, às vezes, materiais alternativos, como madeira e acrílico. Como resultado, temos joias versáteis e elegantes feitas para mulheres modernas. [Simone Pontes]

Facebook expande serviço de mercado digital pela Europa

Frankfurt – O Facebook está intensificando movimentos no comércio eletrônico ao expandir serviço que conecta compradores e vendedores para 17 novos mercados europeus, disse a companhia norte-americana nesta segunda-feira.

face.jpgChamado de Marketplace, o serviço, que fica ao lado dos principais recursos de notícias, fotos, vídeos, mensagens e outras ferramentas do Facebook, marca uma nova competição para pioneiros de comércio eletrônico baseado na comunidade, como o Craigslist e o eBay.

O Marketplace está sendo lançado esta semana na Áustria, Bélgica, República Tcheca, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Hungria, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Noruega, Portugal, Espanha, Suécia, Suíça e Holanda.

Lançado há 10 meses em alguns mercados, o Marketplace não cobra nenhuma taxa de compradores ou vendedores e tem como objetivo tornar mais fácil para os usuários trocarem principalmente produtos de segunda mão, com a possibilidade de publicação de produtos à venda via smartphone ou computador em menos de 15 segundos.

“Nós queremos tornar a compra e venda mais fácil, mas também queremos fazer isso com base na comunidade”, disse a vice-presidente do Facebook Marketplace, Deborah Liu.

O esforço do Facebook no varejo online ainda precisa apresentar impacto financeiro significativo. A empresa divulgou aumento de 45 por cento na receita, para 9,3 bilhões de dólares no último trimestre, quase 98 por cento oriunda de anúncios publicitários em seus serviços gratuitos. Eric Auchard, da Reuters

Chimamanda Ngozi Adichie em campanha pela moda nigeriana

banner_site_vogue_rolex5A escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie está à frente do projeto Wear Nigerian (Foto: Getty Images)


Cada palavra de Chimamanda Ngozi Adichie é um convite a pensar sobre a questões de gênero e de raça. A partir de agora, cada aparição pública também. É que a autora de livros como Americanah (título vencedor do National Books Critics Circle Award) e de discursos de cunho feminista (alguns tiveram trechos musicados por Beyoncé na canção Flawless) acaba de lançar a campanha Wear Nigeria.

Na pratica, é algo simples: ela se comprometeu a vestir roupas assinadas por seus conterrâneos em todos os eventos de que participa – de premiações literárias internacionais a get-togethers da moda, como o aniversário de 70 anos da Dior em Paris. Os créditos são informados em sua conta de Instagram, @chimamanda_adichie. Esses movimentos, porém, significam bem mais do que um “look do dia”. Celebram o comprometimento com narrativas mais plurais sobre o vestir.

“Nas últimas semanas, comprei mais peças de marcas nigerianas do que jamais fiz no passado. Descobri novos nomes. Fui tomada de admiração por mulheres e homens que tocam seus negócios apesar dos inúmeros desafios. Estou particularmente focada em marcas que tenham interesse em vestir mulheres nigerianas.”

banner_site_vogue_rolex5_looksAlguns dos looks postados pela escritora em seu perfil @chimamanda_adichie (Foto: Reprodução Instagram)


A empreitada custou alguns botões trocados (em função de dificuldades técnicas e com matéria prima de algumas marcas), disse a escritora no comunicado da ação. Por outro lado, tem dado oportunidade para que um time de criadores (novos e consolidados) seja visto para além das fronteiras do país. Grifes como Ladunni Lambo, Gozel Green e MsBeeFab ganharam uma vitrine especial: Chimamanda “se sente quem realmente é” quando veste as cores e modelagens nigerianas e estimula outras pessoas a tomarem decisões de moda mais conscientes – e com impacto econômico.

Roupas e histórias por um mundo mais diverso

Moradora de Lagos, maior cidade da Nigéria, Chimamanda fez faculdade nos Estados Unidos. Foi lá, quando uma colega de quarto a recebeu com perguntas sobre seu país de origem, que tomou consciência sobre o desconhecimento de muitas pessoas sobre a África. Chimamanda disse, anos mais tarde, que atribuía essa postura à ausência de personagens e histórias da literatura que representassem a diversidade do continente. Ela mesma, por muito tempo, não se reconheceu nas páginas que lia.

“As coisas mudaram quando eu descobri os livros africanos. Não havia muitos disponíveis e eles não eram tão fáceis de encontrar como os livros estrangeiros. Mas devido a escritores como Chinua Achebe e Camara Laye eu passei por uma mudança mental em minha percepção sobre a literatura. Percebi que pessoas como eu, meninas com a pele cor de chocolate, cujos cabelos não poderiam formar rabos de cavalo, também poderiam existir na literatura. Comecei a escrever sobre coisas que eu reconhecia.”
A busca por criar um mundo mais diverso, que é um de seus motores na literatura, mantém-se no projeto Wear Nigerian, dessa vez com vistas à identidade fashion. Ao vestir-se de nomes locais, lembra o mundo que os designers nigerianos existem e podem marcar espaço no cenário internacional. Assim como os escritores que transformaram a sua percepção sobre a literatura, ajuda a salvar o mundo de uma história única sobre a moda. [Raquel Chamis]

Snapchat lança filtro do pokémon Pikachu

Usuário poderá usar bochechas vermelhas e orelhas características da criatura dos games; filtro também tem ‘choques do trovão’ à disposição

FTu7FZn6Nzv8CvBnimD7J6.jpgO aplicativo de mensagens efêmeras Snapchat ganhou nesta segunda-feira, 14, um filtro bastante elétrico: a partir da data, os usuários do app poderão usar o filtro do pokémon Pikachu.

Com o filtro, é possível mandar mensagens com bochechas vermelhas e as orelhas características da criatura, a mais conhecida do game (e da série animada) da Nintendo, lançada nos anos 1990.

Se o usuário abrir a boca durante a foto ou vídeo, o Pikachu aparece soltando raios elétricos – o golpe mais conhecido do pokémon é o Choque do Trovão, com o qual ele nocauteava inimigos no desenho animado.

Segundo a Pokémon Company, empresa que controla o licenciamento da marca Pokémon, o filtro ficará disponível por tempo limitado.

O que será da Netflix sem a Disney (e vice-versa)?

netflix disney displaysemana passada foi uma das mais agitadas na história recente da Netflix. Dois dias após anunciar sua primeira aquisição, a empresa de HQs Millarworld, do quadrinista Mark Millar, responsável por títulos como “Kick-Ass” e “Kingsman” e “Velho Logan”, a plataforma teve um de seus principais parceiros, a Disney, anunciando que romperia o acordo para lançar uma plataforma própria de Vídeo on Demand (VOD).

Ainda na quinta-feira, 10, Ted Sarandos, diretor de conteúdo da Netflix, afirmou à Reuters que tenta negociar a permanência dos lançamentos da Marvel e da Lucasfilm, detentora de Star Wars. As duas empresas pertencem à Disney. Em nota publicada também na quinta-feira, a Netflix Brasil afirmou que o fim do acordo com a Disney está restrito aos Estados Unidos.

“Os assinantes da Netflix nos Estados Unidos terão acesso aos filmes da Disney no serviço até o final de 2019, incluindo todos os novos filmes que estrearão nos cinemas até o final de 2018. Continuamos a fazer negócios com a Disney globalmente em muitas frentes, incluindo o nosso relacionamento com a Marvel em andamento”, diz a nota da Netflix. No próximo dia 18, Marvel e Netflix lançam Os Defensores, que reúne os personagens de outras quatro séries desenvolvidas em parceria: Demolidor, Jéssica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro.

O movimento da Disney em desenvolver sua própria plataforma de distribuição e o da Netflix de adquirir uma empresa de conteúdo remetem a um caminho: a autonomia na produção de conteúdo próprio. “O maior interesse da Disney é aumentar suas chances de ganhos. Hoje, ela apenas comercializa seus conteúdos e a ideia agora é que também possa faturar com a distribuição”, observa Marcos Facó, diretor de comunicação e marketing da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

De acordo com Facó, no modelo atual, toda a inteligência de mercado, comportamento do consumidor e demais métricas estão nas mãos da Netflix. “A Disney entendeu que o proprietário do conteúdo deve possuir sua própria plataforma de distribuição. Porém, ainda não está claro se outros provedores de conteúdo farão o mesmo, o que compromete a Netflix. Devido aos baixos custos de streaming, a tendência é que os demais também passem para o modelo DTC (direct to consumer)”, observa.

Marcelo Forlani, sócio-fundador e diretor criativo do Omelete Group, explica que, com a aquisição da Millarworld, a Netflix continua sua busca por conteúdo. “Usando sua tecnologia e sua área de estratégia, o serviço de streaming monitora o consumo do conteúdo e sabe muito bem o que as pessoas procuram para assistir. Do outro lado, Mark Millar é o quadrinista que mais olha para Hollywood como objetivo final. Seus quadrinhos são claramente criados como storyboards, que já vão direto para um dos públicos mais exigentes e, ao mesmo tempo, fanáticos pelo que passam em suas mãos”, diz Forlani.

Em relação ao rompimento da Disney, Forlani observa que a notícia pode ter pego alguns consumidores finais de surpresa, mas é um movimento natural que o mercado já previa. “Como produtora de conteúdo original de altíssimo nível e rentabilidade, era realmente uma questão de tempo. O ponto agora é se a nova plataforma de streaming vai servir como ‘janela de exibição’ e vai conseguir se manter de pé. Já temos assinaturas de Netflix, Amazon Prime e HBO Go disponíveis. Nossos bolsos vão aguentar esta nova opção?”, diz Forlani.

João Paulo Rego, professor especialista em marketing digital da FGV Rio, explica que Netflix tem se focado cada vez mais em produções próprias, principalmente com séries e que possuem roteiro original, porém resolveu seguir os passos do sucesso de grandes estúdios como Warner Bros e Disney que respectivamente adquiriram DC Comics e Marvel. “A Netflix nunca ficou parada com o movimento de mercado, fez diversos experimentos com o licenciamento de propriedades terceiras como as da Marvel com bons resultados em seu canal digital. Porém há de ressaltar que o licenciamento de conteúdo pode ter cláusulas leoninas não só condicionantes para uso de seus conteúdos, mais em alguns casos até interferência na liberdade artística da produção”, diz Rego. [Luiz Gustavo Pacete]