Cake Magazine Janeiro 2018 Maggie Jablonski by Tiago Chediak

Cake-Magazine-January-2018-Maggie-Jablonski-Tiago-Chediak-6
Maggie Jablonski by Tiago Chediak

Photography: Tiago Chediak. Styled by: Davis Carrasquillo and Jessica Marin. Hair: Menelaos Alevras at See Management. Makeup: Mary Irvin. Retouching: Marcio Dalmaso. Model: Maggie Jablonski at Marilyn NY.

Angels Candice Swanepoel e Doutzen Kroes comparam marquinhas do biquíni na Bahia

Candice Swanepoel e Doutzen Kroes na melhor foto do dia

26335074_101332364009727_4602440706185756672_n
Candice Swanepoel e Doutzen Kroes em foto no Instagram (Foto: Reprodução/Instagram)

O calor de Trancoso, na Bahia, deixou marcas em Candice Swanepoel e Doutzen Kroes nesta quarta-feira (10). Em foto publicada na conta do fotógrafo Jerome Duran no Instagram, as angels apareceram fazendo uma “competição de marquinha”. Quem ganha é o público.

“Comparando as marquinhas de biquíni. Essa não é uma competição”, escreveu o profissional na legenda da foto. Pelo visto, os dias de férias da dupla da Victoria’s Secret têm rendido muito bem….

Sem título.jpg
Candice Swanepoel e Doutzen Kroes em foto no Instagram (Foto: Reprodução/Instagram)

Veja os melhores smartphones e computadores lançados na CES 2018

1515618660415.jpg
Huawei Mate 10 Pro

Durante a Consumer Electronics Show, em Las Vegas, a chinesa Huawei anunciou a chegada do seu aparelho premium Mate 10 Pro ao mercado norte-americano. Com tela quase sem bordas de seis polegadas QHD + OLED, o celular impressiona por seu design. Em termos técnicos, o smartphone também se destaca, com bateria de 4.000 mAh, processador com inteligência artificial embutida e câmera traseira dupla com 20 e 12 megapixels. Nos EUA, o dispositivo vai custar a partir de US$ 799 e sua pré-venda começa no dia 4 de fevereiro. Foto:David Becker/Getty Images/AFP


1515618662221
Vivo X20

Já a chinesa Vivo foi a primeira fabricante a apresentar um smartphone com sensor biométrico embutido na tela OLED. O dispositivo, que ainda é um protótipo, tem tela infinita e nenhum botão na parte frontal: para desbloqueá-lo basta encostar um dedo sobre a tela e aguardar menos de 1 segundo. Em um teste, o jornal americano The Verge diz que o tempo de resposta do sensor é um pouco mais lento que o dos botões convencionais, mas que a ferramenta ainda é impressionante. Foto:Vivo


1515618718185
Xperia XA2, XA2 Ultra e L2

Durante o evento, a Sony também aproveitou para lançar a sua nova geração de smartphones intermediários e de entrada. Na linha XA, a empresa apresentou o Xperia XA2 e XA2 Ultra, que, diferentemente de suas versões anteriores, possuem tela Full HD e processador processadores Snapdragon 630. A principal diferença entre os novos dispositivos é que o Ultra tem uma tela de 6 polegadas (contra 5,2 do XA2) e mais memória RAM e armazenamento do que o seu irmão menor. A empresa também apresentou o L2, smartphone de entrada que possui tela de 5,5 polegadas de resolução HD, 3GB de memória e 32 GB de armazenamento e processador da MediaTek. Foto:Sony


1515618662020
Dell XPS 15

Na CES, a fabricante Dell apresentou seu novo notebook premium Dell XPS 15. O dispositivo é conversível, tem tela sensível ao toque e vem com uma caneta para facilitar o uso. O teclado do aparelho usa uma nova tecnologia de levitação magnética para dar uma resposta tátil para o usuário quando ele pressiona as teclas. Em termos de design, o aparelho não inova muito em relação a versão Dell XPS 13 lançada no ano passado, mas tem um hardware inovador. O computador é um dos primeiros do mercado vir com a plataforma da Intel que combina processadores Core i5 e i7 de oitava geração com unidades de processamento gráfico da AMD. Foto:Dell


1515618690035
HP ENVY x2

Durante a apresentação da HP, o produto que mais chamou a atenção foi o notebook 2 em 1 ENVY x2, que possui tela destacável. Com tela de 12,3 polegadas e câmera frontal de 5 megapixels e traseira de 13 MP, o dispositivo age como um tablet quando desconectado. Seu processador é o Intel Core Y de sétima geração, sua unidade de armazenamento é um SSD de 256 GB e a bateria consegue ficar até 15 horas longe da tomada. Foto:HP


1515618660887
Project Linda

A Razer mostrou na CES o “Project Linda”, que é um notebook híbrido com tela de 13 polegadas. No lugar em que geralmente fica o touchpad, há um espaço para encaixar o smartphone da companhia, que, com seu processador Snapdragon 835 e 8 GB de RAM, transforma o computador em um notebook com Android. A tela do smartphone pode ser usada como mouse ou como uma segunda tela, onde o usuário pode abrir aplicativos e ferramentas. Foto:Razer


1515618690388
Samsung Notebook 9 Pen

Na coletiva da sul-coreana Samsung, um produto que chamou a atenção foi o Samsung Notebook 9 Pen, um notebook conversível, capaz de ser transformado em tablet. Com pouco mais de um quilo e design arrojado, o aparelho também vem com a S Pen e pode fazer a alegria de quem gosta de fazer anotações na tela do computador. Além dele, a empresa lançou o Notebook 9 com as mesmas especificações, mas sem a tela touch e o Notebook 7 Spin, que tem tela que gira 360º e processador Intel Core i5 de quatro núcleos. Foto:SAMSUNG

Rihanna coloca casa de Hollywood à venda por US$ 2,85 milhões; veja as fotos

Confira o endereço que a cantora colocou no mercado

rihanna-casa-2
Rihanna: casa à venda em Hollywood (Foto: Divulgação)

Rihanna é proprietária de uma bela casa com pegada de Villa espanhola localizada na zona oeste de Hollywood, na Califórnia. A cantora agora quer se desfazer da propriedade e acaba de colocá-la à venda no site especializado no comércio de endereços de luxo chamado Trulia.

A casa foi construída em 1926, tem quatro suítes e preço de mercado de US$ 2,85 milhões – cerca de R$ 3,2 milhões. O espaço tem 246 mil metros quadrados, incluindo um belo jardim com piscina, edícula de dois andares e deck.

Confira alguns cômodos e a piscina da casa ao longo desta página, e já prepare sua oferta!

Ashley Graham fala sobre assédio sexual no início da carreira

Modelo e ativista também conta como a união entre mulheres pode criar forças contra situações de abuso.

ash2
Ashley Graham, top plus size mais famosa do mundo

Além de ser uma das tops mais influentes da atualidade, Ashley Graham tem sido uma voz importante no mundo da moda: ela fala sobre questões de auto-estima, sobre pressões sociais e também sobre representatividade na indústria. Dessa vez, enquanto era entrevistada no programa The View, da BBC, a modelo compartilhou uma memória dolorida de sua adolescência, e também falou sobre como compartilhar nossas experiências pode nos fortalecer contra assédios e imposições.

Ela descreveu a situação com um assistente de fotografia, em um trabalho como modelo, aos 17 anos. “Ele me atraiu até a entrada do lugar, e me empurrou em um closet. Ele se exibiu pra mim e disse: ‘olha o que você fez comigo o dia inteiro. Agora toque-o.’”

Ela conta que, felizmente, conseguiu escapar do lugar — mas que não teve clareza para fazer uma reclamação formal para ninguém sobre o incidente. “Se eu soubesse o que eu sei agora, e vendo todas as mulheres enfrentando isso e dizendo ‘eu também’, eu teria acabado com aquele cara.” E finalizou: “eu provavelmente teria gritado, ou chamado minha agência.”

O compartilhamento dessa experiência traumática faz parte de um momento muito importante para a indústria da moda, a indústria cinematográfica e também para outras mulheres com outras vivências. No Golden Globes, as atrizes vestiram-se de preto contra as recentes denúncias que inundaram Hollywood — e a decisão foi parte tanto do projeto #Time’sUp, que declara que já chegou a hora de dar fim aos assédios, quanto do projeto #MeToo, que afirma que compartilhar esses momentos faz com que as pessoas ao redor entendam que esse tipo de situação não é rara. Através dessa consciência, e da conexão entre mulheres, o cenário descrito por Ashley pode mudar.

Depois de vencer Globo de Ouro, James Franco protagoniza escândalo sexual e é dispensado pelo “NY Times”

James Franco GettyImages-902342840-480-720
James Franco – 75th annual Golden Globe Awards | The Kansas City Star

Vencedor do prêmio de melhor ator em filme de comédia ou musical no Globo de Ouro do último domingo, James Franco mal teve tempo de comemorar a honraria, já que está sob fogo cruzado nas redes sociais desde que a atriz Violet Paley o acusou no Twitter de tentar violentá-la anos atrás. “Broche fofo do #TimesIsUp, James Franco. Lembra da vez em que você abaixou a minha cabeça no carro em direção ao seu pênis exposto e da outra vez em que você chamou uma amiga minha para ir para o hotel quando ela tinha 17 anos? Depois que você já tinha sido pego fazendo isso com outra garota de 17 anos de idade?”, Violet postou.

Parte do relato de Violet tem a ver com o escândalo protagonizado pelo astro de “Artista do Desastre” em 2014, quando ele já havia sido acusado de tentar seduzir uma adolescente “de quase” 18 anos em uma troca de mensagens no Instagram. Na época, Franco admitiu que manteve contato com a garota, declarou-se “envergonhado”, justificou o comportamento dizendo que “as redes sociais são complicadas”, e em seguida deletou sua conta no aplicativo de fotos.

Já a atriz Sarah Tither-Kaplan aproveitou o bafafá para contar que recentemente foi “obrigada” pelo ator a ficar completamente nua durante a gravação de cenas em dois dos filmes que ele está produzindo. Nesse caso, Franco teria alegado que o nu total estava no roteiro de ambas as produções e também constava no contrato de trabalho que Sarah assinou, com salário de US$ 100 (R$ 324,80) por dia. “Agora que você tem um Globo de Ouro, por que não dá papéis que tenham falas e não tenham nudez nos seus próximos filmes para dezenas de mulheres que fizeram nudez total e cenas de sexo nos seus filmes indie e projetos de arte?”, ela postou no Twitter.

Também no microblog, a atriz Ally Sheedy – que foi dirigida por Franco em 2014 na peça “The Long Shrift”, do circuito off Broadway – comentou a vitória dele na premiação do fim de semana de maneira irônica. “James Franco acaba de ganhar. Por favor, nunca me perguntem por que eu deixei a indústria de cinema/TV”, ela escreveu, para em seguida colocar ainda mais lenha na fogueira. “Ok, espera. Tchau. Christian Slater e James numa mesa no #GlobodeOuro. #MeToo. Por que um homem está apresentando [a cerimônia]? Por o James Franco foi autorizado a entrar? Já falei demais. Boa noite, amo vocês”. Ally apagou as postagens pouco tempo depois.

Na noite dessa terça-feira, em entrevista ao programa “Late Show”, Franco falou pela primeira vez sobre as acusações feitas contra ele classificando-as de “incorretas”. “As coisas que ouvi falar, que estão no Twitter, não condizem com a verdade”, disse, antes de se declarar a favor de que denúncias desse tipo sejam feitas. “Apoio completamente pessoas a exporem isso e terem a possibilidade de ter voz, afinal, elas não tiveram por tanto tempo”.

Por via das dúvidas, no entanto, o “The New York Times” preferiu cancelar um evento que aconteceria nesta quarta-feira e que teria Franco como principal atração falando do filme sobre o cineasta Tommy Wiseau que dirigiu e estrelou, alegando desconforto com a polêmica na qual ele se meteu. “Em razão da controvérsia gerada por alegações recentes, não nos sentimos mais confortáveis para receber James Franco e discutir sua participação em ‘Artista do Desastre’”, explicaram em nota os editores do jornal. [Anderson Antunes]

Maria Grazia Chiuri apoia os movimentos Time’s Up e Me Too

Ela também falou sobre a moda não ser frívola e sobre a importância das atrizes fazerem escolhas diferentes nos tapetes vermelhos.

2c84cc6fa8a9ba29f7bac951d0058b94--retail-news-lvmh
Estilista da Dior Maria Grazia Chiuri

Até mesmo Maria Grazia Chiuri ficou impactada com o discurso de Oprah Winfrey no Golden Globes. Mesmo trabalhando a todo vapor em suas coleções para a a Dior (alta-costura na primavera, e inverno no ready-to-wear) ela viu a premiação e refletiu sobre as palavras da atriz e apresentadora. “Ela foi incrível, o momento também, e ver o movimento #Metoo e Time’s Up foi incrível”, declarou.

Cinco atrizes vestiram modelos customizados da Dior, assinados por ela: Elisabeth Moss, Jessica Biel, Natalie Portman, Michelle Pfeiffer e Sally Hawkins. Ela contou como ficou feliz em, de certa forma, participar do protesto que as mulheres fizeram no evento — que envolvia usar preto para pedir o fim do assédio na indústria cinematográfica. “Eu acredito que dentro de um contexto no qual as atrizes são julgadas e fazem um ranking de acordo com o que elas estão usando, o fato de todas vestirem preto é uma crítica dessa prática. É algo ótimo.”

Ela ainda contou sobre como é seu método de produção de uma peça para um momento tão importante. “Eu sempre prefiro perguntar para as atrizes o que elas querem vestir, ao invés de impor um look para elas. Neste ano, eu acho que elas mostraram sua indisposição em ser passivas; elas escolheram um papel muito mais ativo em suas aparências.” Maria já falou abertamente sobre a era feminista da Dior: vale lembrar que ela colocou na passarela camisetas com os famosos dizeres de Chimamanda Ngozi Adichie, “todos deveríamos ser feministas.” Nesse contexto, nada mais justo do que as mulheres terem voz ativa na hora de escolher o que vestir, sempre.

Apesar disso, a designer também fez uma crítica sobre a forma que encaramos a moda — já que, no evento, algumas pessoas escolheram não falar sobre o que estavam vestindo. “A moda não é frívola. Falar sobre isso no tapete vermelho não seria tão terrível, e talvez tivesse exibido a importância desse trabalho — que, afinal, é sobre e para mulheres.”

A designer, que continua traçando seu caminho, fazendo suas criações com base feminista e criando oportunidades em programas de mentoria para que mulheres tenham sucesso nessa indústria, sempre dominada por homens, reitera que é preciso apoio para que as coisas mudem. “Precisamos promover designers, costureiras, modelos, todas as mulheres que trabalham conosco. Para mim, o Golden Globes foi importante porque mostrou um grande grupo de mulheres se apoiando Na moda e em qualquer indústria, pode ser muito difícil encontrar isso.”

Ela finalizou com uma reflexão válida: “Temos que lembrar que é preciso que trabalhar nisso todos os dias. Grandes momentos como o Globes são importantes porque muitas pessoas ouvem a mensagem, mas ao mesmo tempo, se não buscarmos mudanças todos os dias, entre os tapetes vermelhos e entre as coleções, não é suficiente.” [ELLE]

Millie Bobby Brown interpretará irmã mais nova de Sherlock Holmes

Atriz viverá a protagonista Enola Holmes e será também uma das produtoras do longa

millie-bobby-brown-getty-a.jpg
Millie Bobby Brown com um look Calvin Klein – 75th annual Golden Globe Awards 2018

A atriz Millie Bobby Brown, de Stranger Things, foi escalada para interpretar Enola Holmes, a irmã mais nova  e tão competente quanto o detetive Sherlock Holmes. O filme será baseado nos livros da autora americana Nancy Springer. Além de atuar, ela também irá produzir o longa.

As obras narram as histórias de suspense e investigação vividas pela caçula Holmes. A primeira publicação, de um total de seis,  foi The Case of the Missing Marquess(O Caso do Desaparecimento do Marquês, em tradução livre), lançada em 2006.

Na equipe de produção estão a própria atriz, Alex Garcia, diretor-executivo de Godzilla (2014), e Ali Mendes, que trabalhou no longa Cisne Negro (2010).

Millie começou a fazer sucesso como Eleven, da série Stranger Things, produção da Netflix. A atriz, de 13 anos, chegou a ser indicada ao Emmy de melhor atriz coadjuvante em série dramática.  A produtora Legendary a contratou para um novo filme da série Godzilla, previsto para 2019, além das gravações com Enola Holmes.

Chloé divulga primeira campanha de Natacha Ramsay-Levi

Vídeo foi assinado por Steven Meisel com beleza de Pat McGrath e Guido Palau

master_chloe_ss18_fashion1_1920x1080_6WCGSic
A campanha da Chloé (Foto: Divulgação)

Na manhã de quarta-feira (10), a Chloé divulgou sua campanha de verão 2018, primeira assinada por Natacha Ramsay-Levi, que assumiu a direção criativa da grife em março do ano passado.

Com foco em vídeo e não em fotos, a campanha foi capturada por Steven Meisel e tem beleza de Pat McGrath e Guido Palau – um dream team que reforça a imagem da mulher de Natacha. “Mulheres têm um passado, emoções, rachaduras – e a mulher Chloé não é um fantasma”, disse a estilista à Vogue britânica, “ela tem algo muito real. Aqui quis levar essa realidade a um novo nível e senti que, com um shooting tradicional, não conseguiríamos essa profundidade”.

master_chloe_ss18_fashion3_1920x1080.jpg
A campanha da Chloé (Foto: Divulgação)

Ainda sobre a narrativa e estética do vídeo, Natacha revela que a ideia era mostrar o ponto de vista de alguém que observa uma mulher na rua, “tentando descobrir quem ela é”. Sobre trabalhar com Meisel, ela acrescentou: “Eu queria trabalhar com alguém que tem uma visão, mas que também trabalha com a personalidade de uma mulher. Ela é muito real, ela está na rua, ela não está em um mundo de fantasia.”