Prada: cruise 2018 da grife chega às lojas com ilustrações de James Jean

Esta é a segunda vez que o artista colabora com a label italiana
Por Camila Garcia e Julia Diniz
arte-a-bordo-3
A primeira coleção cruise da Prada ganhou estampas lúdicas do artista taiwanês James Jean. Ao lado, bolsa (R$ 13.150) (Foto: Divulgação)

Foi num domingo no início de maio passado, que a Prada apresentou, pela primeira vez, a coleção cruise separada do desfile masculino. Diferentemente de grandes maisons de luxo francesas, como a Louis Vuitton e a Dior, que escolhem lugares distantes para mostrar as coleções intermediárias, Miuccia Prada preferiu ficar “em casa” nesta estreia.

Mais especificamente no Osservatorio da Fondazione Prada, inaugurado no fim do ano passado na galeria Vittorio Emanuele II, em Milão, local onde foi aberta a primeira loja da Prada em 1913, ainda sob o nome de Fratelli Prada.

arte-a-bordo-1
A primeira coleção cruise da Prada ganhou estampas lúdicas do artista taiwanês James Jean (Foto: Divulgação)

“Escolhi o lugar por causa da história e também porque queria fazer uma coleção mais moderna nesta estação. Parei de olhar para o passado, mas, aparentemente, o que é moderno também é um pouco antigo. Além disso, quando crio as peças, sempre penso no ambiente em que elas serão apresentadas, e aqui tem a luz ideal para revelar as transparências dos looks”, disse Miuccia após a apresentação, numa rara conversa com a imprensa.

“Não gosto da palavra cruise, para mim um desfile é um desfile. Não sei se seguiremos nesse formato. Às vezes, faço coisas que não gosto tanto, mas deste show, particularmente, gosto bastante.” Na coleção, que chega às lojas brasileiras este mês, as transparências estão presentes em saias, tops e vestidos, pontuados por brilhos, plumas e rendas. “É tudo sobre um corpo nu complementado com elementos esportivos, como meias 3/4”, explica a diretora criativa.

Outro destaque do desfile foram as ilustrações feitas pelo artista taiwanês James Jean, radicado em Los Angeles, que aparecem tanto nos acessórios quanto nas roupas. “Nesta coleção, eles me pediram para ter em mente o coelho. Então pensamos em um mundo mágico e nos elementos relacionados a ele. A Miuccia me sugeriu que incluísse uma flor (um copo-de-leite), que é superfeminina e interage muito bem com a forma do animal”, explica o artista, que faz a segunda colaboração com a casa italiana (a primeira foi há dez anos).

“Incorporei o novo logo da marca, que é mais gráfico e mais moderno, desenhado manualmente. E procurei integrar as formas comas letras. Durante o processo de criação, eles não memostram as roupas, de forma alguma! Mando apenas um pequeno desenho chapado numa tela, que é transformado em estampas incríveis, tudo ganha vida e fica lindo.”

arte-a-bordo-2
A primeira coleção cruise da Prada ganhou estampas lúdicas do artista taiwanês James Jean (Foto: Divulgação)

Pela forte ligação de Miuccia com a arte, os convites para que artistas estampem paredes, bolsas, sapatos e roupas da Prada são bastante frequentes. A primeira investida em James veio em 2007, por meio do diretor de design Fabio Zambernardi. O job: criar um painel para a icônica loja da marca no SoHo, em Nova York.

Logo depois, ele foi chamado para desenhar nas paredes da sala do desfile do verão 2008, em Milão. As estampas foram parar nos tecidos – e ele amou, claro. “Tudo aconteceu de forma muito orgânica e no último minuto. Quando me dei conta, estava em Milão assistindo ao desfile e conheci a Miuccia. Chegando lá, vi que o que tinha sido feito com o meu trabalho era impressionante. Eles conseguiram colocar todos os elementos em perfeita harmonia: as roupas, os desenhos, as paredes”, lembra.

Além de ser divertida, a experiência de ver suas criações em outros “suportes” lhe abriu muitas portas. “Amo ver muitas pessoas vestindo e interpretando de diferentes maneiras a minha arte, em muitos ambientes. Por causa da moda, este ano eu fiz pôsteres de filmes para Darren Aronofsky (Mother), Denis Villeneuve (Blade Runner 2049) e Guillermo del Toro (Shape of Water), os três melhores diretores do ano. Eu me sinto um privilegiado”, finaliza.

arte-a-bordo-4
Da esquerda para a direita: Inverno 2016, Verão 2014, Inverno 2017 e Verão 2018 (Foto: Divulgação)

PRADA OU NADA! 
O mundo das artes é uma das principais referências da marca italiana. Veja algumas das colaborações mais importantes de sua trajetória

PIERRE MORNET 
O francês criou ilustrações gigantes de mulheres para a cenografia do desfile.

CHRISTOPHE CHEMIN 
O artista, também francês, desenhou estampas que ilustram momentos e elementos importantes da história, mixando o passado com o presente.

JEANNE DETALLANTE 
As impressões florais da ilustradora francesa ganharam acessórios e roupas. Ela já tinha colaborado com a marca em 2014.

COMICBOOK WOMEN
O cenário e muitos looks trazem estampas de mulheres em quadrinhos feitas por oito artistas mulheres, é claro.

Elle Sérvia Fevereiro 2018 Cover

Sem título.png4.jpg
Elle Serbia February 2018 Cover

All people in this magazine cover: Greg Swales – Photographer, Arnold Milfort – Fashion Editor/Stylist, Victor Noble  – Makeup Artist, Luma Grothe – Model

Tá quente, tá frio: sauna de infravermelho x crioterapia

Duas terapias estéticas que estão virando moda lá fora para ficar de olho
Por Laura Stabile, Luiza Souza, Olga Penteado e Vitória Moura Guimarães

Sem título
Beleza: daqui para frente (Foto: Kinya, Bruna Castanheira / Arquivo Glamour, Gil Inoue, James Macari e Rafael Pavarotti / Arquivo Vogue, Imaxtree, Thinkstock e Divulgação)

Até então usada apenas por atletas para a recuperação muscular, a crioterapia, espécie de sauna a -110 °C, começa a se popularizar lá fora graças ao efeito de bem-estar, à renovação celular e ao estímulo da produção de colágeno promovidos pelas baixas temperaturas.

Onde experimentar? No spa Thermes Marins Monte-Carlo, em Mônaco, pioneiro em oferecer o tratamento.

No outro extremo, a sauna de infravermelho emite calor que promete acelerar o metabolismo e tem tudo para virar hit – Gwyneth Paltrow é fã. Em Nova York, está disponível no centro de bem-estar Gravity East Village.

Morre aos 91 anos o chef Paul Bocuse, o “papa da gastronomia francesa”

Bocuse reinterpretou a culinária francesa tradicional com menos manteiga e creme e com foco em ingredientes frescos e apresentação elegante

paul.jpg
O chef Paul Bocuse (Foto: Getty Images)

O chef francês Paul Bocuse, um dos maiores nomes da gastronomia mundial, morreu neste sábado, aos 91 anos. A informação foi divulgado pelo ministro francês do interior, Gerard Collomb, em uma publicação no Twitter.

“Monsieur Paul era a França. O papa da gastronomia nos deixou”, escreveu  Collomb.

Bocuse foi uma dos personagem proeminentes da “nouvelle cuisine”, que reinterpretou a cozinha francesa tradicional com menos manteiga e creme e com foco em ingredientes frescos e apresentação elegante.

Nascido em 11 de Fevereiro de 1926, em uma família de cozinheiros em uma cidade próxima de Lyon, Bocuse, começou a sua formação gastronômica aos 16 anos. Depois da Segunda Guerra Mundial, prosseguiu os estudos com Eugénie Brazier, a primeira mulher a conquistar três estrelas Michelin. Aos 32 anos, em 1958, o chef conquistou sua primeira estrela Michelin. [GQ]

Como usar camisas sociais no dia a dia

Com calça jeans, saia, por baixo da camiseta… Confira 22 opções diferentes para se inspirar!

Camisas não são uma tendência — são um estilo de vida! Qualquer pessoa interessada em praticidade e moda pode concordar com essa frase. Afinal, poucos elementos deixam um closet tão versátil quanto as camisas.

Seja branca ou estampada, com calça jeans ou saia, elas são curinga para quem quer montar produções básicas (e que também transitam facilmente para o armário noturno e despojado). Se você quer se inspirar para criar looks mais elaborados com elas, confira abaixo as 22 opções repletas de estilo! [ELLE]

O plano do Spotify para enfrentar o rádio e (finalmente) lucrar

Embora tenha conseguido reverter o longo declínio da indústria da música, a companhia ainda não conseguiu lucrar devido ao alto custo dos direitos musicais.
Por Lucas Shaw, da Bloomberg

Spotify.png
Spotify

Spotify, o maior serviço pago de música do mundo, começará a oferecer notícias e cobertura política para atrair ouvintes e afastá-los do rádio e dos podcasts da rival Apple.

Oito empresas, incluindo BuzzFeed e Refinery29, concordaram em produzir programação para a nova iniciativa, chamada Spotlight. Um dos primeiros programas será um noticiário diário de quatro a sete minutos com reportagens de jornalistas da BuzzFeed do mundo inteiro. Inicialmente, o Spotlight só estará disponível para clientes nos EUA.

A programação de notícias pode ajudar o Spotify a capturar parte dos US$ 18 bilhões que são gastos em publicidade de rádio por ano e aumentar a lucratividade à medida que a empresa se prepara para ser negociada na Bolsa de Valores de Nova York. Embora tenha conseguido reverter o longo declínio da indústria discográfica praticamente sozinha, a companhia não conseguiu lucrar devido ao alto custo dos direitos musicais.

Os segmentos de notícias, cultura popular, esportes e política adicionam uma nova dimensão ao Spotify, que já vinha se diversificando ao oferecer vídeos e podcasts, além de música, para seus mais de 70 milhões de usuários. Essa programação pode ser mais rentável, mas também coloca o Spotify em concorrência mais direta com o YouTube e a Apple, dois rivais poderosos.

“Eu sei que as pessoas vêm ao Spotify primeiro para ouvir, mas estamos começando a construir algo novo”, disse Courtney Holt, diretor de estúdios e vídeos da empresa, em uma entrevista. “Quero criar conteúdo que possa ser visto e ouvido.”

Alguns dos programas serão versões de podcasts já disponíveis no serviço e, inicialmente, vão conter os mesmos anúncios. Outros programas não terão propagandas durante a fase de teste inicial. A maneira em que os podcasts são apresentados será aprimorada para que os ouvintes possam navegar mais facilmente entre diversas histórias e assuntos, disse Holt. Eles também incluirão imagens.

Planos de expansão
Novos programas serão lançados em fevereiro e a empresa planeja expandir o Spotlight para outros mercados em breve, de acordo com uma publicação no blog.

Holt entrou no Spotify no ano passado, depois de trabalhar em mídia musical e digital, com o objetivo de descobrir o que a empresa deveria fazer além de música. Ele descartou várias séries de vídeos originais, que os usuários tinham dificuldade de encontrar no serviço e que tiveram problemas para conquistar um público.

Em seu lugar, ele concebeu o Spotlight, que segue a linha dos vídeos mais bem-sucedidos do Spotify até o momento — vídeos de música e cenas dos bastidores apresentados nas listas RapCaviar e Viva Latino. Os usuários podem ouvir esses vídeos sem assistir, ou assistir para obter informações adicionais.

O programa do BuzzFeed dará prioridade ao áudio, mas inclui infográficos e outros elementos visuais, de acordo com Ben Smith, chefe de redação.

“O Spotify tem uma oportunidade real de competir com o rádio”, disse Smith. “Estas são atualizações de notícias para pessoas da nossa geração-alvo, de 18 a 35 anos de idade.”

Décor do dia: banheiro geométrico em rosa e preto

Linhas finas e poderosas se misturam em ambiente de impacto
Por Michell Lott I Foto Divulgação

50d396a5fbacdbcfa8f4016e100e38e2.jpg
Crosby Studios

A máxima “menos é mais” nunca fez tanto sentido quanto nesse banheiro criado pelo estúdio Crosby. Aqui, linhas geométricas que retomam o estilo art déco surgem minimalistas e simplificadas, ganhando impacto graças ao mix de preto e rosa. Destaque total para a luminária de teto e para a banheira, que foi escondida atrás de uma janela em abóbada. Onírico!

Nick Truelove – Tim Ashton – GQ Austrália – Fevereiro 2018

unnamed13.jpg
GQ Australia – February 2018

Nick Truelove estampa a última capa da GQ Austrália, photographed by Tim Ashton and styled by Olivia Harding with grooming by Joel Phillips.