Tatler Rússia Fevereiro 2018 Alesya Kafelnikova by David Cohen de Lara

171215_Tattler_RU_Alesya_07_061_R2.jpg
Alesya Kafelnikova by David Cohen de Lara

Photography: David Cohen de Lara. Styled by: Renata Kharkova. Hair: Adam Garland. Makeup: Giorgia Pambianchi. Model: Alesya Kafelnikova.

Stalker que ameaçava Bella Hadid é preso nos EUA

Polícia foi atrás do homem após ele postar uma foto do apartamento da modelo

bellaA modelo Bella Hadid pôde ficar um pouco mais tranquila após a prisão de um stalker que vinha fazendo ameaças a ela.

De acordo com o site TMZ, o homem de 37 anos de idade foi preso por volta das 21h30 da última quinta-feira, 8, depois que a modelo percebeu que ele havia postado uma foto do apartamento em que ela morava. Acredita-se que ele enviava mensagens ameaçando-a pela internet desde outubro do ano passado.

O suspeito foi fichado por assédio e ‘stalking’, o equivalente a ‘perseguição’.

Diretora de marketing Lorenza Lutti anuncia as novidades da Kartell para o Salão do Móvel

Lorenza Lutti antecipa novidades da marca para próxima edição do Salão do Móvel de Milão

small
Executiva Lorenza Luti da Kartell comentou as novidades da marca no próximo Salão do Móvel de Milão Foto: KATELL

Com cinco lojas oficiais no Brasil, a Kartell é a principal marca de design italiano em atividade no País, reinando soberana no setor dos móveis de plástico. Seus lançamentos durante o Salão do Móvel de Milão estão entre os mais aguardados. Lorenza Luti, diretora de marketing da empresa, recebeu o Casa esta semana em Milão para comentar as novidades da próxima edição do Salão do Móvel, em abril.

A cada edição do Salão, a Kartell elege um tema que funciona como fio condutor de toda coleção. Já decidiram qual será o deste ano?
Sério, serei absolutamente sincera: ainda não nos decidimos (risos). Esse é um assunto que tratamos com a maior seriedade porque acaba por se converter quase em um manifesto da nossa empresa. O que posso te adiantar é que vamos falar de estilos de vida. Ou de como nossos móveis conseguem se adaptar aos mais diversos ambientes. Também pretendemos dar uma atenção extra a dois setores da nossa produção que vêm ganhando cada vez mais espaço na nossa agenda: o de iluminação decorativa e o de utilitários domésticos.

A pesquisa tecnológica em torno do plástico tem direcionado, ao longo dos anos, toda a produção da Kartell. Depois de tantas inovações, qual será a próxima fronteira a ser transposta?
Sim, de fato, a inovação é um elemento determinante na nossa história. Depois de décadas, nas quais a cor, apesar de sua cartela limitada, era o elemento chave de nossas coleções, a partir do início deste século, a transparência, associada ou não a ela, se tornou o motor propulsor. Hoje, acredito, nossa produção caminha em direção a uma maior variedade de texturas que produzam novas sensações de toque, para além do liso. E, ainda, a um olhar renovado sobre a cor.

Poderia antecipar alguns dos lançamentos ?
Sim, claro. Comecemos pelMatrix Chair, projetada por Tokujin Yoshiokacom sua superfície 3D que dá à cadeira um visual hi-tech. Já de Philippe Starckvamos apresentar nada menos que três novos móveis: Veneza, uma poltrona baixa, de estilo discreto. Outro projeto dele, a Catwalk é dedicada ao mundo da alta moda e indicada para uso interno e externo. Por fim, Cara é a pura expressão do conceito de ‘menos é mais’. Ela é a demonstração prática de quanto menor for, melhor poderá ser. [Marcelo Lima]

Jóhann Jóhannsson, compositor de A Chegada e Sicário, morre aos 48 anos de idade

Causa de morte é desconhecida até o momento

105820.30316048_620X620
Jóhann Jóhannsson

Jóhann Johánnsson, premiado compositor de trilha sonoras para filmes, morreu na última sexta-feira (09). Ele tinha 48 anos de idade e a causa da morte é desconhecida até o momento. A informação foi publicada pelo Hollywood Reporter.

Nascido da Islândia em 1969, Johánnsson marcou presença no cinema de Hollywood, sendo responsável pela trilha sonora de filmes como A Teoria de Tudo (2014),  Sicário (2015) e AChegada (2016). Recentemente, também colaborou no design de som de Mãe! (2017), do diretor Darren Aronofsky.

Ele retornaria à trabalhar com o diretor Denis Villeneuve para a música de Blade Runner 2049, mas deixou o projeto por diferenças criativas. Seu trabalho lhe rendeu duas indicações ao Oscar e também uma vitória no Globo de Ouro, por A Teoria de Tudo em 2015.

Johánnsson deixa uma filha. [Arthur Eloi]

Kim Cattrall rejeita condolências de Sarah Jessica Parker após morte de irmão

Atrizes de ‘Sex and the City’ têm se desentendido publicamente desde que série era gravada

kim catrall
Cattrall publicou uma imagem na rede social neste sábado (10) afirmando não precisar do amor e do apoio de Sarah Jessica Parker

Kim Cattrall, 61, rejeitou as condolências de Sarah Jessica Parker, 52, após a morte de seu irmão, Christopher Cattrall.

A atriz foi ao Instagram anunciar o desaparecimento de seu irmão. Um dia depois, no domingo (4), Catrall disse que o irmão havia sido encontrado morto.

A briga entre as atrizes de “Sex and the City”, que têm se desentendido publicamente desde que a série era gravada, parecia ter chegado a um fim quando Parker deixou um comentário na publicação.

“Querida Kim, meu amor e minhas condolências para você e sua família. Que Deus esteja com seu amado irmão”, escreveu Parker.

Contudo, Cattrall publicou uma imagem na rede social neste sábado (10) afirmando não precisar do amor e do apoio de Parker. Na legenda, a atriz disse que sua mãe lhe perguntou quando “a hipócrita Sarah Jessica Parker” lhe deixaria em paz.

“Seu contato contínuo é um doloroso lembrete do quanto você realmente é cruel, antes e agora. Deixe-me esclarecer uma coisa. Você não é minha família. Você não é minha amiga. Pare de explorar nossa tragédia para restaurar sua fama de ‘boa menina'”, escreveu Cattrall.

A atriz, que havia agradecido o apoio de seus fãs e dos colegas de “Sex and the City”, incluiu ainda um link para uma reportagem sobre as brigas entre as atrizes na legenda da publicação. A matéria do “New York Post” afirma que Cattrall era tratada mal e deixada de lado pelas atrizes da série por conta dos ciúmes de Parker.

hbo-series-sex-city-640x418
Cynthia Nixon, Kristin Davis, Kim Cattrall e Sarah Jessica Parker em cena da série ‘Sex and the City’ – Associated Press/HBO

Sex and The City 3
Sarah Jessica Parker, protagonista de “Sex and the City”, confirmou que o terceiro filme da franquia não irá mais acontecer.

O anúncio foi feito horas após o site “DailyMail” divulgar que a produção foi cancelada devido as demandas feitas pela atriz Kim Cattrall, que reprisaria seu papel como Samantha Jones.

Contudo, Cattrall chamou de “ridículos” os rumores de que suas exigências fizeram com que a Warner Bros. cancelasse a produção do filme.

“Eu jamais pedi por dinheiro algum”, contou ela. “Eu nunca pedi para fazer nenhum projeto e ser considerada um tipo de diva é absolutamente ridículo.”

Cattrall disse ainda que, se depender dela, não haverá um terceiro filme da saga.

“Isso foi parte de fazer 60 anos. Houve um momento claro em que refleti sobre quantos anos ainda me restam e o que quero fazer”, explicou. “Sinto que o programa esteve em sua melhor fase na TV e que os dois filmes foram um bônus.”

Ela explicou que a decisão não foi tomada pensando no dinheiro ou nas cenas que iria gravar, mas que se sentiu empoderada finalizando este capítulo de sua vida.

“Tenho 61 anos. É agora. As outras mulheres são dez anos mais novas do que eu. Isso foi uma escolha delas e eu as desejo tudo de bom”, finalizou.

Atriz Shay Mitchell corre apenas de calcinha pela rua para celebrar três milhões de assinantes no YouTube

Shay Mitchell cumpriu promessa feita quando deu início à sua vida de youtuber. Assista!

screen_shot_2018-02-10_at_09.32.18.png
A atriz Shay Mitchell no vídeo em que sai correndo apenas de calcinha por Hollywood (Foto: YouTube)

A atriz Shay Mitchell correu apenas de calcinha por Hollywood para celebrar ter chegado a três milhões de assinantes em seu canal no YouTube. A ex-estrela da série ‘Little Little Liars’ divulgou um vídeo mostrando sua celebração excêntrica nas redes sociais. “Eu corri pelada pelas ruas de Los Angeles!”, escreveu a celebridade de 30 anos na legenda do vídeo.

No vídeo, Mitchell conversa com uma amiga, lembrando sua promessa de que sairia correndo pelada na rua quando chegasse a três milhões de seguidores. Então ela sai correndo, remove a camisa, depois o sutiã e, em seguida, coloca uma máscara de unicórnio e vai para a rua. Assista ao vídeo:

Gigantes da tecnologia faturam o equivalente ao PIB da Suíça

​Apple, Amazon, Google, Microsoft e Facebook faturaram US$ 667,5 bi em 2017

apple fba1d98688ca5d04a0940229d553d7a6.jpg
Apple Store

As cinco maiores empresas de tecnologia do mundo, em 2017, faturaram juntas US$ 667,5 bilhões. Para se ter uma dimensão desse volume de recursos, o valor é superior ao PIB (Produto Interno Bruto) da Suíça, em 2016. A diferença, de quase US$ 8 bilhões, por sua vez, quase equivale ao PIB do Haiti.

De acordo com a Economática, fornecedora de dados financeiros, Apple, Amazon, GoogleMicrosoft e Facebook tiveram juntas uma receita 19,67% superior a registrada um ano antes.

Juntas, as companhias lucraram US$ 93,7 bilhões, sendo a Apple a responsável por mais da metade deste montante –a dona do iPhone lucrou US$ 50,5 bilhões no período.

Apenas a Alphabet, controladora do Google, e Microsoft tiveram queda de lucro de janeiro a dezembro, ainda que suas receitas tenham aumentado, assim como a das rivais.

No Google, o lucro foi de US$ 12,6 bilhões, uma queda foi de 35%. Pesou no resultado a multa, de 2,4 bilhões de euros, imposta pelas autoridades regulatórias europeias contra a empresa, sob a acusação de favorecer ilegalmente seu mecanismo de comparação de preços de produtos. A empresa ainda está recorrendo da ação.

Ainda que as vendas da Microsoft tenham sido alavancas pelos negócios na área de computação em nuvem, o resultado foi afetado pelo pagamento de US$ 13,8 bilhões em repatriação de ganhos fora dos Estados Unidos.

A regra faz parte da reforma tributária aprovada pelo presidente Donald Trump, em dezembro, para estimular a economia norte-americana. Entre as mudanças está a cobrança maior de impostos para companhias que tenham de repatriar lucros oriundos de multinacionais e afiliadas estrangeiras.

Por enquanto, entre as cinco gigantes de TI, apenas a empresa e Bill Gates foi afetada. No entanto, a Apple anunciou em janeiro que vai repatriar para os Estados Unidos parte dos US$ 252 bilhões que tem em reservas internacionais e pagar em torno de US$ 38 bilhões em impostos em 2018.

Mais Serviços
A dependência maior de serviços foi a regra das cinco companhias de setembro a dezembro. No intervalo, a Apple faturou US$ 88,3 bilhões, ainda que as vendas de iPhone tenham caído pela primeira vez. A contribuição maior veio do seu relógio inteligente, o Apple Watch, e da divisão de serviços, que inclui a App Store e a Apple Music.

No Google, contribuiu a maior demanda por publicidade on-line de empresas em seu buscador. Além das vendas da Alexa, sistema de inteligência artificial, a Amazon faturou mais com a oferta de computação em nuvem, a exemplo da Microsoft.

No Facebook, os usuários reduziram o tempo gasto na plataforma em mais de 50 milhões de horas. Ainda assim, a rede social foi a que apresentou maior incremento de receita e lucro entre as rivais. [Tatiana Vaz]

Rachel Weisz fala sobre possibilidade de agente 007 feminina

“Mulheres são fascinantes, interessantes e deveriam ter suas próprias histórias”, diz atriz

Rachel Weisz
Rachel Weisz

Prestes da estrear seu novo filme, The Mercy (sem previsão de lançamento para o Brasil), a atriz Rachel Weisz, 47 anos, fez uma simbólica declaração sobre a representatividade feminina no cinema mundial em entrevista publicada pelo The Telegraph neste sábado (10).

Além de assuntos em torno da divulgação de seu novo trabalho, foi questionado a Rachel a possibilidade de uma mulher interpretar o famoso agente 007. “[Ian Fleming, autor dos livros sobre James Bond] dedicou muito de seu tempo para criar um personagem que é particularmente masculino (…) Mulheres são fascinantes, interessantes e deveriam ter suas próprias histórias”, respondeu a estrela britânica que é casada com Daniel Craig, o atual intérprete do agente.

Na mesma entrevista, Rachel também foi perguntada sobre os recentes casos de assédio e violências sexuais relatados em Hollywood. “É engraçado, porque quando ao se tornar atriz, você é questionada sobre assuntos importantes da cultura contemporânea, como o fim do patriarcado. E eu tenho certeza de que há pessoas muito mais preparadas para falar sobre isso do que eu”, refletiu.

Contudo, a atriz concluiu que os recentes casos de abusos que vieram à tona trazem boas perspectivas para mudanças no cenário de violência. “O mundo ainda está estruturado em um modo patriarcal. Não há dúvidas. Mas eu acho que avançamos bastante em um curto espaço de tempo e podemos ser otimistas.”

Isaac Silva recupera raízes afro em sua moda

2018 é o ano do jovem estilista que abre nova loja e tem entre as suas clientes as mulheres mais importantes do movimento negro.

Sem título.jpg
Isaac Silva Casa de Criadores- Inverno 2017 Novembro / 2016 foto: Alexandre Schneider/

Para Isaac Silva, 2018 é um ano que promete. Ele dá o start no calendário ao inaugurar sua primeira loja física em janeiro, na Rua Jaguaribe, no bairro de Santa Cecília, em São Paulo. E se prepara para apresentar uma nova coleção em Angola, França e Senegal pela Black Fashion Week, organizada desde 2012 pela designer senegalesa Adama Paris. O evento tem como principal objetivo incentivar a produção de moda negra em todo o mundo.

Aos 28 anos, o estilista vem ganhando espaço na moda brasileira. Há quatro temporadas, mostra sua coleção na Casa de Criadores, desde que abriu a sua marca homônima, em 2015. Além disso, tem sido chamado para mostrar seu design em eventos de cultura afro-brasileira em diversos estados, alimentando discussões sobre a criação de moda no país com recorte racial. “São eventos poderosos, com muita gente envolvida. Pode ter certeza de que daqui a dez anos a moda brasileira não terá a cara que sempre teve”, ele profetiza, animado.

O início de carreira não foi fácil para Isaac. Nascido no interior da Bahia, quando criança passava as tardes na casa da única costureira do bairro, “dona Morena”. Aos 14 anos, foi para a capital, seguir o sonho de costurar, mesmo que sem nenhum apoio da família. “Minha mãe achava que era coisa de rico. Mas eu insisti e trabalhei na bilheteria de um teatro no Pelourinho só para pagar os meus estudos”, recorda.

Foi em Salvador que ele se formou em design de moda e teve o primeiro contato com o mercado, com o movimento negro e com a agitação underground local – na cidade do axé, Isaac participou da cena de rock e música eletrônica regional, ao lado de personalidades como Pitty e sua banda hardcore, Inkoma. “Nunca consegui estágio por lá. Salvador é majoritariamente negra, mas a elite, que comanda tudo, é branca”, diz. Aos 20 anos, se mudou para São Paulo, o que também não significou uma recepção fácil.

Ele escutou em entrevistas de emprego, para uma grande marca brasileira, comentários preconceituosos. “Me perguntavam: ‘Sério que em Salvador tem faculdade?’”, conta.
Por meio de uma ponte feita por um amigo, Isaac conheceu André Hidalgo, diretor da Casa de Criadores. André viu seu portfólio e pediu para que auxiliasse outros designers antes de começar a desfilar. Isaac trabalhou então para o próprio evento e com os estilistas Gustavo Silvestre e Weider Silveiro.

Foram seis anos até conseguir entrar para o line-up oficial e virar o estilista que sempre quis ser. Uma vez dentro, tudo decolou. “Em minha marca, eu faço uma pesquisa sobre o Brasil”, explica sobre o processo criativo. “Uso tecidos daqui ou de origem africana, como as capulanas senegalesas, com as quais trabalhei na última temporada.”

Além disso, busca referências em nomes históricos daqui, como Xica da Silva e Dandara. Isaac também veste Elza Soares e se tornou amigo da cantora, que foi eleita a voz do milênio. Apaixonado, mantém um retrato da musa em cima de sua máquina de costura.

Sua lista de clientes tem muitas outras mulheres poderosas, inteligentes e cheias de estilo. Entre elas estão a filósofa Djamila Ribeiro, a escritora e arquiteta Stephanie Ribeiro, a maquiadora Daniele Da Mata, a rapper Preta Rara e a influenciadora e youtuber Magá Moura, com a qual fez parcerias de sucesso, assinando bolsas e pochetes. “São pessoas incríveis, que estão movimentando o país com boas ideias”, conta. [Gabriel Monteiro]