‘Meu trabalho não é fazer a imprensa feliz’, diz Campbell Brown, executiva do Facebook

Campbell Brown, executiva que cuida das parcerias da rede social com veículos de comunicação, rebateu críticas sobre redução do fluxo de notícias na linha do tempo de usuários

17094228.jpeg
Ex-âncora da CNN, Campbell Brown é chefe de parceria do Facebook com veículos de imprensa

A executiva por trás das parcerias do Facebook com veículos de imprensa, Campbell Brown, rebateu críticas sobre as mudanças anunciadas pela rede social em janeiro, que reduziram o alcance de notícias distribuídas na plataforma. Durante a conferência Code Media, que terminou ontem na Califórnia, a executiva afirmou que “seu trabalho é garantir que existam notícias de qualidade dentro do Facebook”. “Meu trabalho não é fazer a imprensa feliz”, enfatizou Campbell. “É garantir que os veículos que queiram estar dentro do Facebook produzindo notícias de boa qualidade tenham um modelo de negócios que funcione.”

Pela primeira vez, a executiva deu um recado claro às empresas que não concordam com as mudanças anunciadas pela rede social, que tenta reduzir o fenômeno das notícias falsas, mas acabou também por reduzir o alcance dos veículos de imprensa no site, em uma espécie de efeito colateral — a companhia vem sendo alvo de críticas das maiores publicações do mundo. “Se alguém acha que o Facebook não é a plataforma para ele, então não deveria estar no Facebook”, disse. “Não vejo o Facebook como a solução para esse problema.”

Durante o debate, o mediador Peter Kafka, editor do site de tecnologia Recode — organizador do evento –, reclamou que essa afirmação não era justa, uma vez que muitos veículos de imprensa dependem da rede social para atrair audiência. A chefe de parcerias do Facebook, então, abrandou o discurso: “Acho que não fizemos um bom trabalho no passado e precisamos pensar sobre isso de forma diferente no futuro”, afirmou. “Precisamos ser mais transparentes com os veículos de imprensa, que só devem entrar nessa com a gente se estiverem dispostos a um grande experimento, que pode não funcionar.”

Nicho. A executiva explicou, durante o evento, que o Facebook vai conhecer quais veículos de imprensa os usuários confiam por meio de uma espécie de pesquisa de opinião. Isso vai permitir que o algoritmo mostre conteúdo de sites confiáveis aos usuários, reduzindo o alcance de notícias falsas, de acordo com Campbell. Contudo, a executiva diz que a rede social ainda não conseguiu resolver um problema com as pesquisas de opinião, que é a falta de conhecimento dos usuários por veículos de imprensa muito relevantes, mas de nicho e, por isso, com alcance limitado.

“Grande parte do melhor jornalismo atualmente é feito por pequenos veículos, mais nichados, com jornalistas mais focados e que ainda não tem reconhecimento de marca”, disse ela. “Para mim, esse é o futuro do jornalismo. É onde os especialistas estarão.” Segundo ela, o Facebook está tentando achar uma forma melhor de mostrar o conteúdo desse tipo de veículo dentro da rede social, sem depender do conhecimento agregado por seus mais de 2 bilhões de usuários.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s