Vogue envia a modelo Naomi Campbell para entrevistar o diretor de design da Apple, Jony Ive

vogue-apple-for-online-630x477
A modelo Naomi Campbell e o diretor de design da Apple, Jony Ive

Todo ano costumam rolar várias entrevistas com o diretor de design da Apple, Jony Ive — e em 2018 não seria diferente. Desta vez, Vogue enviou a modelo Naomi Campbell até o Apple Park para conversar com Ive sobre seu trabalho, o legado deixado por Steve Jobs, assim como sua vida pessoal e também para falar sobre uma exposição patrocinada por ele.

Afirmando que Ive é “um dos homens mais influentes do mundo”, mas também “um dos mais humildes”, a modelo iniciou perguntando sobre o que ele queria ser quando crescesse, e Ive afirmou que gostava de desenhar coisas para um propósito específico; posteriormente, descobriu que isso se chamava “design”.

Desde sempre, ele tinha um ótimo exemplo dentro de casa: Ive contou que seu pai era um ourives com habilidades muito boas de artesanato. Por isso, ele cresceu “entendendo como as coisas eram feitas” e com uma “apreciação pela natureza dos objetos”, fatores que o influenciaram bastante.

É claro que um papo com o chefão de design da Apple não poderiam faltar algumas palavras sobre o falecido cofundador da empresa, Steve Jobs. A modelo afirmou que a relação deles normalmente era tida como “a melhor parceria criativa”; então, ela perguntou sobre quando se conheceram e o que os dois tinham em comum. Ive foi taxativo:

Nós olhamos para o mundo da mesma maneira: nos esforçávamos para perceber as coisas, argumentávamos em nossas próprias cabeças, e estávamos muito conscientes das conclusões às quais chegamos. Começamos a trabalhar juntos em 1997, e ele era simplesmente extraordinário. Conforme o tempo passa, eu o valorizo mais e sinto mais a falta dele; o quão extraordinário ele era se torna cada vez mais claro. Steve entendeu o processo criativo de uma forma extremamente rara, mas ele também entendeu como você cria uma empresa com muitas pessoas.

Em termos de aprendizado, Ive diz que Jobs tinha uma “liberdade incrível na maneira como pensava”; isto é, ele “não obedecia a regras que eram consideradas como sabedoria”. Jobs também tinha bastante otimismo e entusiasmo, era inquisitivo e o apoiava muito.

Os produtos da Apple são bastante elogiados pela forma como entregam uma experiência interessante para o usuário, tanto em relação ao hardware quanto ao software. E nós, que vemos o produto final, não temos noção do trabalho que dá até que ele chegue às nossas mãos. Sobre isso, Campbell perguntou a Ive o quão envolvido ele fica durante o processo de manufatura, já que foram ventilados rumores de que “ele teria dormido no chão da fábrica” quando eles estavam criando o primeiro iPhone.

Uma das principais características de como trabalhamos é que estamos muito envolvidos em como se faz algo: você não pode simplesmente criar o design em resumo e depois dizer a outra pessoa para criar. Você sabe a partir dos designers de moda cujo trabalho você ama: eles estão lá a cada etapa. Eu fiquei por meses em lugares onde fabricamos produtos. Eu não sei como você pode ser um designer eficaz e não fazer isso.

Por mais que hoje em dia seja extremamente difícil manter o controle de vazamentos uma vez que novos dispositivos entrem em produção de massa, a empresa tenta fazer de tudo um pouco para amenizar isso. A modelo, então, lhe perguntou se é difícil não falar sobre o assunto, já que “tudo o que vocês [na Apple] fazem é super-secreto”.

Ive explicou que, na verdade, não se trata sobre ser “segredo”, mas sim pelo fato de o produto não estar terminado — e ele não quer mostrar para alguém algo que não está completo ainda. O designer ainda completou dizendo que as ideias são “frágeis”; isto é, se você não tiver certeza se algo funcionará ou não, “a ideia é vulnerável” e parte de protegê-la é “ter cuidado para quem você a mostra”, já que uma “crítica prematura pode fazer você desistir de algo que talvez mereça mais uma chance”.

O chefão de design da Apple irá patrocinar uma exposição que acontecerá de maio a outubro, no London’s Design Museum, local que já recebeu um iPad Pro e acessórios de couro desenhados pelo próprio Ive em 2016. Essa nova exposição com seu patrocínio terá trabalhos do ex-designer de moda tunisiano premiado, Azzedine Alaïa — a quem Campbell chama de “papa”. A modelo questionou, portanto, o que chamou a atenção em seus trabalhos, e Ive o elogiou:

Ele era o artesão consumado. Eu amava o estúdio físico onde ele trabalhava, eu amava o jeito, e como diretamente, ele trabalhava — seu processo. Eu estava totalmente impressionado em vê-lo trabalhando, e amei que ele me deixasse assistir. Eu achei isso tão generoso. Foi incrível ver a maneira como ele entendia o material e a maneira como ele ficava frustrado com o material e criava novos. E então essas belas formas surgiam.

Na entrevista, Ive conversou ainda sobre alguns aspectos pessoais, entre outras coisas. Você pode conferi-la na íntegra, em inglês, no site da Vogue. [ – MacMagazine]

VIA 9TO5MAC

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s