Apple vai lançar cartão de crédito com o banco Goldman Sachs, diz ‘The Wall Street Journal’

Reportagem do The Wall Street Journal diz que novo cartão deve chegar ao mercado no início do ano; parceria ajudará empresa a divulgar Apple Pay

apple fba1d98688ca5d04a0940229d553d7a6A Apple vai lançar um cartão de crédito em parceria com o banco de investimentos Goldman Sachs, segundo informou o jornal The Wall Street Journal.  O novo cartão de crédito está previsto para ser lançado no próximo ano e marca o fim da parceria da Apple com o Barclays.

A novidade é apresentada meses depois que a Goldman Sachs comprou a startup de cartão de crédito Final. À época, a aquisição foi vista pelo mercado como um sinal de que o banco estava se preparando para entrar de vez na indústria de cartões de crédito.

Além da startup, a Goldman Sachs tem um parceria com a American Express para oferecer uma variação premium do cartão de crédito Platinum há anos. O novo acordo com a fabricante do iPhone, no entanto, marca a primeira iniciativa do banco em oferecer cartões de crédito para consumidores que estão além de sua base de clientes.

Já a Apple deve ganhar principalmente com a divulgação e maior adoção do seu sistema de pagamentos por aproximação, o Apple Pay. A empresa ainda não divulgou como funcionará o seu cartão de créditos ou quais benefícios oferecerá para seus usuários.

A empresa de tecnologia tem investido em serviços que vão além da fabricação e venda de iPhones. Entre os novos negócios estão a Apple Music, Apple Store, o serviço de armazenamento em nuvem iCloud e o Apple Pay.

No último relatório financeiro da empresa, divulgado no mês passado, mostrou que o negócio de serviços da fabricante fechou o primeiro trimestre do ano com o faturamento de US$ 9,1 bilhões, valor superior ao esperado pelo mercado.

Estilista da grife Marchesa Georgina Chapman, ex de Harvey Weinstein, fala sobre escândalo

Estilista da grife Marchesa diz nunca ter desconfiado do comportamento do marido, acusado de assédio sexual por mais de 50 mulheres

gc-vogue-june-2018.jpg
“Eu tenho momentos de raiva, de confusão, de incredulidade!” diz Chapman.
Photographed by Annie Leibovitz, Vogue, June 2018

No baile do MET 2018, que aconteceu na última segunda-feira, 7, a atriz Scarlett Johansson esteve no centro de uma controvérsia ao usar um vestido da grife Marchesa. Isso porque a co-fundadora da marca, Georgina Chapman, é ex-mulher de Harvey Weinstein, executivo de Hollywood acusado de assédio sexual por mais de 50 mulheres. Scarlett é a primeira celebridade de grande porte a vestir a marca desde que as denúncias contra o produtor vieram à tona em outubro de 2017. Chapman, que pediu o divórcio do produtor em janeiro deste ano, ainda não havia dado entrevistas após o escândalo – até agora.

À revista Vogue, a estilista britânica disse jamais ter desconfiado do comportamento abusivo do marido, com quem se casou em 2007 e tem dois filhos (India, de sete anos, e Dashiell, de cinco). “Uma parte de mim foi terrivelmente ingênua – claramente ingênua demais. Eu tenho momentos de raiva, de confusão, de incredulidade”, desabafou.

A primeira denúncia ao produtor, publicada pelo The New York Times, foi o estopim para uma série de outras acusações a nomes de peso da indústria cinematográfica, levando a movimentos como o Time’s Up e o Me Too, que defendem a igualdade de gênero e lutam pelo fim do assédio sexual em Hollywood. O caso afetou também os negócios de Chapman. Sua marca, conhecida pelos vestidos de festa com estilo romântico, era sucesso entre as atrizes nas grandes premiações – em 2016, foi a grife mais usada em tapetes vermelhos. Já na temporada de prêmios deste ano, nenhuma atriz optou pelas criações da etiqueta.

A estilista, contudo, garante que a ausência nos red carpets foi uma escolha pessoal: “Nós não achamos que seria apropriado devido à situação. Todas as mulheres que foram machucadas merecem dignidade e respeito, então quis dar o tempo que achei que deveria”, explicou. “É uma época de luto”. Georgina Chapman e Keren Craig, sua parceira no trabalho, também decidiram cancelar sua apresentação na última semana de moda de Nova York, que aconteceu em fevereiro de 2018.

Quando o escândalo explodiu, Chapman disse ter ficado em choque: “Perdi cerca de cinco quilos em cinco dias”. “Foi difícil porque o primeiro artigo era sobre uma época em que eu ainda nem o conhecia, então por um minuto eu não consegui tomar uma decisão. Mas as histórias aumentaram e eu entendi que não era um caso isolado. Foi quando eu percebi que precisava me afastar e tirar as crianças dali”, concluiu.

CINEMA | Estreias da Semana: Desejo de Matar, A Noite do Jogo, Acertando o Passo, À Sombra de Duas Mulheres, Réquiem para Sra. J

Confira agora os filmes que chegam às telas em 03 de maio

_Q3A0901.CR2
Bruce Willis em cena de Desejo de Matar

Desejo de Matar
Um pai pacífico vira uma máquina de matar após sua família ser destruída por um ato violento.

Acão, Drama, Crime – (Death Wish) EUA, 2017. Direção: Eli Roth. Elenco: Bruce Willis, Vincent D’Onofrio, Dean Norris. Duração: 108 min. Classificação: 18 anos.

A Noite do Jogo
Um grupo de amigos que se encontra regularmente para noites de jogo vê-se obrigado a resolver um mistério de assassinato.

Ação, Comédia, Crime – (Game Night) EUA, 2017. Direção: John Francis Daley, Jonathan Goldstein. Elenco: Rachel McAdams, Jason Bateman, Kyle Chandler. Duração: 144 min. Classificação: 14 anos.

Acertando o Passo
Casada há 40 anos, Lady Sandra Abbott descobre que seu marido tem tido um caso amoroso com sua melhor amiga. Ela decide começar a fazer aulas de dança e acaba descobrindo um novo sopro de diversão e romance em sua vida.

Comédia – (Finding Your Feet) Reino Unido, 2017. Direção: Richard Loncraine. Elenco: Imelda Staunton, Timothy Spall, Celia Imrie. Duração: 111 min. Classificação: 14 anos.

À Sombra de Duas Mulheres
Pierre e Manon são um casal de documentaristas e, apesar de estar apaixonado por Manon, Pierre acaba conhecendo Elizabeth e deseja manter o relacionamento com as duas, mas as coisas não sairão como ele espera.

Drama – (L’ombre Des Femmes) França, Suíça, 2015. Direção: Philippe Garrel. Elenco: Clotilde Courau, Stanislas Merhar, Léna Paugam. Duração: 73 min. Classificação: 12 anos.

Réquiem para Sra. J
Jelena é viúva e se sente cansada e solitária, apesar de suas duas filhas e sua sogra viverem em seu apartamento. Ela decidiu que no aniversário da morte do marido, que morreu há um ano, se suicidará.

Drama – (Rekvijem za gospodju J.) Sérvia, Bulgária, Macedônia, Rússia, França, 2017. Direção: Bojan Vuletić. Elenco: Mirjana Karanović, Jovana Gavrilović, Danica Nedeljković. Duração: 94 min. Classificação: 14 anos.

Esplendor
Misako é uma escritora apaixonada por versões cinematográficas para deficientes visuais. Em uma exibição ela conhece Masaya, um fotógrafo que está perdendo sua visão e que tem um acervo de fotografias que fará com que Misako volte a seu passado.

Drama – (Hikari) Japão, França, 2017. Direção: Naomi Kawase. Elenco: Masatoshi Nagase, Ayame Misaki, Tatsuya Fuji. Duração: 102 min. Classificação: 10 anos.

Para Ter Onde Ir
Três mulheres com diferentes visões sobre a vida seguem juntas em uma viagem. No caminho, os acontecimentos vividos, separadamente, pelas três revelam as incertezas e os diferentes sentidos daquela viagem para cada uma delas.​

Drama – Brasil, 2015. Direção: Jorane Castro. Elenco: Ane Oliveira, Keila Gentil, Lorena Lobato. Duração: 105 min. Classificação: 12 anos.

O Renascimento do Parto 2
O documentário discute a realidade da obstetrícia no Brasil, onde partos por cesariana são muito mais frequentes do que seria recomendado.

Documentário – Brasil, 2015. Direção: Eduardo Chauvet. Duração: 91 min. Classificação: 12 anos.

Hare Krishna! – O Mantra, o Movimento e o Swami que Começou Tudo
O documentário mostra a história do fundador do movimento espiritual Hare Krishna, Srila Prabhupada.

Documentário – (Hare Krishna! – The mantra, the movement and the Swami who started it all) EUA, 2017. Direção: John Griesser. Duração: 92 min. Classificação: 10 anos.

Todos os Paulos do Mundo
O documentário é uma homenagem aos 60 anos de carreira do ator Paulo José, completados em 2017.

Documentário – Brasil, 2018. Direção: Gustavo Ribeiro, Rodrigo de Oliveira. Duração: 80 min. Classificação: 14 anos.

Chega de Fiu Fiu
O dia a dia de três mulheres é retratado através de imagens coletadas por câmeras escondidas, mostrando como a violência de gênero é constantemente praticada no espaço público.

Documentário – Brasil, 2018. Direção: Amanda Kamanchek, Fernanda Frazão. Duração: 73 min. Classificação: a definir.

Assista ao novo trailer de ‘Han Solo’, com foco em Chewbacca

Filme, spin-off de ‘Star Wars’, estreia no Brasil no dia 24 de maio

han-solo-movie-emilia-clarke-1043267
Elenco de ‘Han Solo: Uma História Star Wars’. Foto: Walt Disney Studios

Na noite da última quarta-feira, 9, um novo trailer de Han Solo: Uma História Star Wars foi divulgado, para a alegria dos fãs que aguaram ansiosamente pelo filme que estreia no dia 24 de maio.

No novo vídeo, o foco é em Chewbacca se irritando enquanto joga de hologramas com Beckett, vivido por Woody Harrelson.

“Chewie, relaxa, tente se recompor. Você tem que pensar e antecipar seu oponente”, adverte Beckett quando Chewbacca se irrita e tenta bater nas criaturas holográficas.

Assista abaixo:

Marion Cotillard usa macacão justo com animal print da coleção Pre Fall 2018 da Koché em Cannes

Atriz desafiou o dress code formal da Chopard Gentlemen’s Evening

w2000-121.jpg
 (Pascal Le Segretain/Getty Images)

Em meio a looks formais na Gentlemen’s Evening, evento da joalheria Chopard durante o Festival de Cannes, Marion Cotillard ignorou o dress code e mostrou toda sua ousadia.

A atriz usou um macacão vermelho justíssimo com decote ombro a ombro e animal print, da coleção Pre Fall 2018 da Koché, e completou o look com uma bolsa em formato de Mickey. Para a beleza, apostou em um topete alto, que realçou o contraste entre as raízes escuras e pontas platinadas dos cabelos.

Pantera Negra | Ryan Coogler diz que “seria incrível” ter uma sequência só com mulheres

Diretor está no Festival de Cannes

843wp957300-25840395.jpg
As mulheres de Wakanda: Letitia Wright como Shuri, Lupita Nyong’o como Nakia, Angela Bassett como Ramonda e Danai Gurira como Okoye

Durante sua passagem pelo Festival de Cannes, o diretor Ryan Coogler falou sobre a possibilidade de Pantera Negra ganhar uma sequência protagonizada por mulheres (via HH).

“Ryan Coogler sobre fazer uma sequência de Pantera Negra só com mulheres: ‘isso seria incrível se a oportunidade surgisse'”, escreveu Ramin Setoodeh, da Variety.

Pantera Negra foi lançado dia 8 na cópia digital e sairá no dia 15 de maio em Blu-ray. [Camila Sousa]

Estava cansado de ler HQs com heróis brancos, diz diretor de ‘Pantera Negra’

Em Cannes, Ryan Coogler também cita filmes marcantes de sua vida, como ‘Cidade de Deus’

Sem título
O diretor Ryan Coogler posa para fotógrafos no Festival de Cannes – Loic Venance/AFP

CANNES (FRANÇA) – Diretor do maior sucesso do ano, “Pantera Negra” (por enquanto), o cineasta Ryan Coogler fez uma palestra para uma sessão lotada durante o Festival de Cannes, na qual disse que o longa brasileiro “Cidade de Deus” abriu sua mente e afirmou que conheceu o super-herói da Marvel porque estava cansado de só ler HQs com personagens brancos.

“Quando comecei a fazer o filme, voltei à loja de quadrinhos da minha infância”, disse o diretor nascido em Oakland, na Califórnia. “Ela ficava entre a escola e a quadra de basquete em que eu jogava. Uma vez, disse ao vendedor que estava cansado de ler HQs sobra brancos. E ele me mostrou ‘Pantera Negra’.”

Quando respondeu sobre os filmes que o marcaram, citou o brasileiro “Cidade de Deus” como um dos títulos que abriram sua mente. “Foi o primeiro filme estrangeiro que assisti”, lembra.

“Diziam que era um épico de gângsteres feito no Brasil, e aquilo abriu minha mente. Me fez viajar para outro país”, disse ele, elogiando o longa de Fernando Meirelles e Kátia Lund.

Coogler, 31, também contou de outros filmes marcantes em sua trajetória: “Os Donos da Rua”, de John Singleton, “O Poderoso Chefão”, de Francis Ford Coppola, “Amores Brutos”, de Alejandro Iñarrítu  González,  “E Sua Mãe Também”, de Alfonso Cuarón, e filmes de gângsteres. Contou também ter visto “Malcolm X”, de Spike Lee, aos seis anos. [Guilherme Genestreti]

O jornalista se hospeda a convite do festival

Kris Jenner hackeou o Instagram da Kylie Cosmetics!

Sem títuloPara muita gente, ter seu perfil no Instagram hackeado pela própria mãe pode parecer um pesadelo total. No entanto, para Kylie Jenner, isso significa dinheiro. No dia das mães, sua marca de maquiagem vai lançar uma coleção temática com o estilo de Kris Jenner, a “momager” do clã Kardashian. Por isso, durante essa semana, quem procurar pelo @kyliecosmetics vai encontrar, na verdade, o @kriscosmetics.

Desde a mudança, os posts da página estão 100% focados da divulgação da nova leva de produtos que estarão à venda a partir do dia 13 de maio: um estojo com 8 mini batons, uma paleta de sombrascom 12 cores (com opções metálicas e matte) e outra paleta com 4 tons de iluminadores e blushes.

Conhecendo o estilo feroz de Kris Jenner, já imaginamos os visuais poderosos que podem sair desse combo. A embalagem também chama atenção: tudo com a assinatura à mão da matriarca e empresária e versões em desenhos 2D do seu próprio rosto. Diversão à toda prova! [ELLE]

A Glossier acaba de lançar sua primeira máscara de cílios

Nesta quarta-feira (9.5), a marca lança a Lash Slick com promessas de alongar os fios e durar o dia inteiro.

carousel-5-1A Glossier dispensa apresentações! Usada em red carpets por famosas como Beyoncé e Tracee Ellis Ross, seus produtos conquistaram o mercado da beleza e viraram um hit nos Estados Unidos. Nesta quarta-feira (9.5), ela reafirma seu sucesso lançando sua aguardada primeira máscara de cílios, a Lash Slick. 

De acordo com o site da marca, a ideia é que essa máscara realce seus cílios sem grudar um no outro e deixar um aspecto “pesado” no olhar. Tudo leve, como bem pede o DNA da Glossier Com fórmula livre de parabenos e cruelty free, a descrição do produto afirma que foram criadas 248 fórmulas até chegar no resultado final.

A Glossier quer que suas clientes tenham o efeito “cílios postiços” sem estar usando um, tudo pelo preço de US$ 16. A parte triste é que a marca ainda não vende no Brasil e quem se interessar pela Lash Slick precisará comprar lá fora.