Mãe de Meghan Markle vira um dos símbolos do casamento real – saiba por quê

Doria Ragland não conseguiu segurar as lágrimas de felicidade durante cerimônia religiosa

5f996600942b8c07
Doria Ragland e Meghan Markle (Foto: Getty Images)

Desde a noite de sexta (18.05), véspera do casamento do Príncipe Harry com Meghan MarkleDoria Ragland já atraía as atenções do público ao acompanhar a filha – no caso, a noiva -, ao hotel Cliveden House. No dia seguinte, a jovem seria o objeto de escrutínio de bilhões de pessoas e, sua mãe – que não tentaria conter o choro em momento algum da cerimônia -, o símbolo inesperado da união.

whatsapp_image_2018-05-19_at_17.10.52
Doria Ragland se emociona durante casamento real (Foto: Getty Images)

Em uma semana marcada por dezenas de especulações sobre quem levaria a atriz ao altar depois da internação de seu pai, a serenidade de Doria trouxe ao evento faraônico a tranquilidade e o conforto maternos buscados por todas as noivas. Bem, por todo mundo. Talvez seja por esse motivo que, quando chegou à capela de São Jorge ao lado da filha, a americana tenha quebrado a internet.

gettyimages-960072294 (1).jpg
Doria Ragland em look Oscar de la Renta feito especialmente para ela (Foto: Getty Images)

Negra, divorciada, com os cabelos presos em dreads e piercing no nariz, a instrutora de ioga e assistente social representou uma virada não só na família real, como em toda a sociedade britânica. Em meio às negociações do Brexit e de conflitos xenofóbicos e raciais, a imagem torna-se infinitas vezes mais forte: o zoom nas lágrimas, reproduzido por todos os continentes e replicado nas redes sociais, mostrou que a realeza era, afinal, humana.

gettyimages-960071266 (1).jpg
Doria Ragland, Príncipe Charles e Camilla Parker Bowles (Foto: Getty Images)

Meghan Markle escolhe vestido Stella McCartney para a festa de casamento

O segundo look usado pela noiva do Príncipe Harry é um modelo frente única preso ao pescoço.

prince-harry-meghan-markle-royal-wedding-4-rt-jt-180519_hpEmbed_19x14_608
 (Getty Images/Getty Images)

Depois de brilhar com um vestido extraordinário da Givenchy — marca francesa dirigida pela estilista britânica Clare Waight Keller — na Abadia de Westminster, a noiva do dia Meghan Markle elegeu um modelo Stella McCartney para receber os convidados da festa que está começando agora em Londres. Trata-se de uma peça frente única, sem decote, preso ao pescoço que deixa os ombros à mostra.

A criação da filha do icônico rockstar Paul McCartney segue a linha minimal que tem marcado o estilo da duquesa de Sussex desde quando ela passou a fazer parte da nobreza inglesa. Aliás, não foi só a atriz que trocou de roupa: olha só o Príncipe Harry de smoking no lugar da farda que usava na Igreja.

Lembrando que ao invés de presentes, o casal fez uma lista de instituições de caridade que precisam de doações e pediram para seus convidados ajudarem. As ONGs lutam por causas distintas: desde preservação ambiental, até direitos das mulheres passando pela prevenção contra o HIV. Celebrando o amor em todas as formas!

ELLE Finlândia Junho 2018 Mariina Keskitalo by Carlos Teixeira

Sem título.jpgPhotography: Carlos Teixeira. Styling: Sara Soares. Hair: Alfredo Miranda. Makeup: Xana Lopes. Model: Mariina Keskitalo.

Casamento real: Meghan Markle usa diamante de 1893 em tiara

Atriz americana se casou com o príncipe Harry, do Reino Unido, na manhã deste sábado

sem-tc3adtulo13-e1526728426267 (1).png
Meghan Markle se casa com príncipe Harry na capela de São Jorge, em Windsor (//Reprodução)

O segredo sobre a tiara de Meghan Markle para o seu casamento com o príncipe Harry, do Reino Unido, foi revelado. A atriz americana chegou à Capela de São Jorge do Castelo de Windsor, na Inglaterra, com um adereço feito para a rainha Mary em 1932. O diamante central do acessório foi dado à monarca em 1893.

A tiara foi dada para a rainha Elizabeth II em 1953. O adereço foi apenas emprestado para Meghan para a cerimônia. De acordo com informações divulgadas pelo Palácio de Kensigton, ela é feita de platina e possui diamantes de diferentes tamanhos cravejados.

A tiara foi feita especialmente para acomodar a pedra central, que foi dada para a então princesa Mary como presente no seu casamento com o príncipe George, em 1953.

Além da coroa, Meghan usou brincos e um bracelete da marca francesa Cartier.

Meghan Markle foca na imagem da princesa politicamente correta

Com vestido Givenchy, a noiva feminista que defende causas nobres ousa sem desafiar as convenções da realeza
Maria Rita Alonso e Anna Rombino – O Estado De S.Paulo

GettyImages-960063226.jpg
Meghan Markle e príncipe Harry (Foto: Getty Images)

Na bolsa de apostas sobre a escolha do vestido de noiva de Meghan Markle, ninguém ousou colocar as fichas na Givenchy, uma das principais marcas francesas. Prestigiar o país vizinho nessa ocasião seria praticamente uma afronta à indústria da moda britânica, não fosse um detalhe: a Givenchy agora é comandada por uma estilista inglesa, a Clare Waight Keller, que em 2017 tornou-se a primeira mulher a ocupar o cargo de diretora artística da marca. Bingo! Quem mais poderia fazer um vestido assim, tão elegante e ao mesmo tempo simples, ajudando a noiva, de quebra, a bater na tecla da sororidade, sem ferir o brio nacional?

Em crepe de seda pura, com corte primoroso, o modelo trouxe um decote canoa aberto, mangas três quartos e silhueta esculpida por seis costuras verticais – elementos bem característicos da marca fundada em 1952 pelo aristocrata Hubert de Givenchy. A saia levemente rodada contou com três camadas de organza de seda. Um vestido, enfim, charmoso, fino, comedidamente sexy – perfeito para ela, que está amando ser vista como um sopro de modernidade, mas não pretende desacatar as convenções que determinam o lifestyle do marido.

Meghan sabe o que é chique, o que é apropriado e o que pode reforçar sua imagem feminista e politicamente correta. Não há espontaneidade em seu guarda-roupa. É tudo calculado. O véu que usou, por exemplo, fez referências à organização intergovernamental Commonwealth, composta por países que integravam o Império Britânico, novo foco do trabalho voluntário dos noivos. Por isso, a estilista Clare estudou a flora nativa dos 53 países dessa comunidade e criou, à partir de diferentes tipos de flores, bordados em fios de seda e organza para enfeitar todo o barrado do véu.

O buquê e a tiara também vieram repletos de simbologias. No buquê, a florista Philippa Craddock homenageou Lady Di, usando suas flores favoritas, conhecidas como não-me-esqueças. As murtas, uma tradição da família real desde 1858, também estavam ali. Já a tiara de diamantes da rainha Mary, avó de Elizabeth II, faz parte da coleção de joias da Coroa.

Em termos de estilo e personalidade, Meghan é, na verdade, uma bênção para a família real, que vê neste casamento uma oportunidade de se mostrar mais aberta e sintonizada com o mundo de hoje.

Filha de Doria Ragland, uma professora de yoga afro-americana, que na cerimônia manteve os dreads presos por um chapéu discreto, Meghan assume o papel de humanitária e ativista sem deixar o guarda-roupa sofisticado de lado. Faz um tipo parecido com o da advogada Amal Clooney, que está sempre impecável e ontem foi a convidada mais chique, de amarelo. Enquanto a cunhada Kate Middleton prefere o estilo gente como a gente (no casamento ela usou pela terceira vez um vestido de Alexander McQueen), Meghan parece focada na imagem das atuais princesas da Disney, cheias de propósito, causas nobres e looks de sonhos.

Como princesa Diana, Meghan Markle omite ‘obediência’ de votos de casamento

Ela parou em ‘amar e cuidar’ e não pronunciou a palavra ‘obedecer’.

526x297-2qD
Meghan Markle no altar com o príncipe Harry em cerimônia de 19 de maio de 2018 (Foto: Reprodução/TV Globo)

Meghan Markle decidiu não pronunciar a palavra “obediência” dos tradicionais votos de casamento na cerimônia com o príncipe Harry neste sábado (19). Com isso, ela segue os passos da tradição deflagrada pela princesa Diana — que também foi seguida por Kate Middleton em seu casamento com o príncipe William em 2011.

Em inglês, os votos tradicionais para a mulher costumam citar “love, cherish and obey” (amar, cuidar e obedecer em português). Meghan, no entanto, omitiu a palavra obedecer dos votos e parou em “love and cherish” (amar e cuidar).

Feminista, Meghan defende a igualdade de direitos entre homens e mulheres e é representante da ONU Mulheres, braço da Organização das Nações Unidas para a promoção da igualdade de gênero.

Meghan é formada em comunicação pela universidade americana de Northwestern, em Illinois. Ela também manteve por três anos um blog de estilo de vida chamado “The Tig”, dedicado a assuntos femininos, e se engajou em campanhas por igualdade de gênero.

Em uma postagem no blog, Meghan chegou a escrever: “Nunca quis ser uma mulher que almoça; sempre quis ser uma mulher que trabalha”.

Como a top Emanuela de Paula cuida de sua pele?

A estrela da campanha de verão 2019 da marca de sapatos Bebecê contou seus segredos de beleza à ELLE.

Emanuela de Paula não é qualquer modelo. Ela já foi angel da Victoria’s Secret, estrelou campanhas de marcas incríveis como Diane von Furstenberg, Lacoste e Tommy Hilfiger e posou para as lentes de fotógrafos icônicos como Patrick Demarchelier e Craig McDean. Como a top mora em Nova York, aproveitamos a sua passagem pelo Brasil — ela acabou de clicar a campanha de verão 2019 da marca de sapatos Bebecê — para conversar com ela sobre skincare: uma vez que é nítido o seu glow natural, mesmo tendo uma rotina tão agitada com várias viagens ao redor do globo.

“Quando estou viajando muito e tenho trabalho cedinho, lavo meu rosto com chá de camomila frio“, dá a dica. “Acalma minha pele e serve como uma proteção antes de toda a maquiagem que vou usar no trabalho.” Segundo a modelo, que tem pele oleosa, a limpeza é sua parte preferida: “ou quando faço máscaras faciais, também”, diz. “Alimentação também é fundamental: se sentir bem, estar bem nutrida é garantia de uma pele radiante.”

No dia a dia, o controle da oleosidade vem através do uso de um sérum hidratante e preventivo anti-acne em sua rotina de beleza. Logo depois de lavar e tonificar o rosto, ela finaliza o processo com o produto em questão. “Sou ligada porque gosto de me cuidar, mas sem exagero. Sou disciplinada e consigo seguir uma rotina diária com facilidade. É muito fácil pular um dia ou outro pela preguiça ou falta de tempo, mas, com o passar dos anos, descobri como fazer o necessário para que eu me sinta bem.

David e Victoria Beckham escolheram roupas escuras para o casamento do príncipe Harry com Meghan Markle.

190518-casamento-real-04-462x600.jpg
Victoria Beckham combinou o vestido azul-marinho de sua marca, com super scarpin laranja. David usou Dior Homme, no comando do ex-Vuitton masculina Kim Jones

Por ser o sexto na linha de sucessão ao trono, o casamento de Príncipe Harry e Meghan Markle não precisou contar com muitos políticos na lista de convidados. Por sua vez, foram vários os nomes do entretenimento e do esporte que compareceram ao evento. Entre eles, David Beckham que possui uma medalha da Ordem do Império Britânico e a estilista Victoria Beckham que, inclusive, foi condecorada pelo Príncipe William pela sua carreira na moda.

Como era de se esperar, Victoria usou um look de sua marca, mas de uma cor escura, diferentemente da maioria das convidadas, que optaram por tons mais claros ou florais. O ex-jogador foi de Dior Homme, com terno completo, e as fotos dos dois, principalmente de David, chegando à Igreja definitivamente parecem ter saído de um editorial de moda. O que acharam dos looks? [ELLE]

Arquitetos japoneses usam cubo para juntar loja e casa

Chamada de Gré Square House, o imóvel comporta uma loja no térreo e uma residência no piso superior; veja fotos

square-house-suzuki-architecture-residential-japan-shops_dezeen_hero-1-852x479Arquitetos japoneses da Suzuki Architects criaram um projeto dois em um em Shizuoka. Trata-se da Gré Square House, um imóvel compacto que combina loja e residência.

Cheia de aberturas nas fachadas de metal corrugado, a propriedade – que tem um formato quadrado – conta com dois andares: no térreo, o cliente montou uma loja de roupas e outros produtos feitos de materiais naturais; no andar de cima, uma casa.

A Gré Square House tem uma área de estar em plano aberto, quarto, banheiro, cozinha e área de armazenamento. A propriedade foi feita em um cubóide e tem vista para o Monte Fuji.

“Nosso primeiro passo para assegurar uma coexistência suave entre a casa e seus arredores foi pensar em como as paredes poderiam ser usadas para fornecer uma sensação de separação da vizinhança e modular o nível de privacidade dos moradores”, disse o estúdio, em comunicado. “Em seguida, abrimos a casa em direções que trouxeram pontos de vista e uma sensação de profundidade.”

Segundo os arquitetos, o objetivo era permitir que os usuários de ambos espaços sentissem “a presença tranquilizadora um do outro”. O quarto foi separado da sala de estar por divisórias de madeiras deslizantes.