Cannes Lions: Spotify é eleita Media Brand do ano

Categoria substitui a antiga Media Person, que premiava líderes de empresas

unnamed (1)O conceituado Cannes Lions  já anunciou o Spotify como Media Brand do ano. A revelação marca a mudança do prêmio Media Person para o Media Brand, o que significa que agora a premiação foca na empresa e não mais em profissionais.

Na última década, o Cannes Liones homenageou os líderes de empresas, como Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (2010) e Salar Kamangar, CEO doYoutube (2013). O último vencedor na categoria, no ano passado, foi Lucian Grainge, CEO do Grupo Universal Music.

Mesmo com a mudança, a premiação continuará a ser entregue a uma persona, No caso, Daniel Ek, CEO do Spotify, que receberá o prêmio em nome da empresa no próximo dia 20 de junho. “Estamos onde estamos hoje, graças aos nossos funcionários, passados ​​e presentes, que foram a parte mais integrante de nossa história de 10 anos”, disse o CEO em um comunicado.

Segundo Philip Thomas, CEO da Ascential Events e presidente eleito do Cannes Lions, o Spotify “transformou a maneira como nos envolvemos com a música. Nos 10 anos desde que Daniel e sua equipe lançaram o serviço, ele passou a reformular o futuro da mídia e a transformar a maneira como artistas e marcas se comunicam com seu público”, disse Philip Thomas,

A plataforma conta hoje com mais de 170 milhões de usuários em todo o mundo sendo o maior serviço de streaming de música. [Soraia Alves]

Serena Williams – Harper’s Bazaar UK July 2018 by Richard Phibbs

MTU1OTYxNjA5MDE2MDU5NjMyQueen Serena   —   Harper’s Bazaar UK July 2018   —   www.harpersbazaar.com/uk
Photography: Richard Phibbs
Model: Serena Williams
Styling: Miranda Almond
Hair: Angela Meadows
Make-Up: Natasha Gross

Bilhete de despedida Kate Spade é de cortar o coração

A estilista cometeu suicídio na manhã desta terça-feira, 05

Sem títuloAos 55 anos, a estilista  Kate Spade tirou a própria vida na manhã desta terça-feira, 05, em Nova York. No bilhete de despedida deixado pela norte-americana, ela dá um recado para a filha e mostra que a razão do suicídio pode ter a ver com o marido, Andy Spade.

“Bea – eu sempre te amei. Isto não é sua culpa. Pergunte ao sei pai!”, diz. Kate era casada com o empresário desde 1994; juntos, eles fundaram a grife Kate Spade New York.

As informações são do TMZ.

ELLE Brasil Junho 2018 Amanda Wellsh by Will Vendramini

Sem título.jpgPhotography: Will Vendramini. Styled by: Juliana Gimenez. Hair: Marty Harper. Makeup Cover: Misha Shahzada. Makeup Editorial: Tracy Alfajora. Art Direction: Luciano Schmitz. Model: Amanda Wellsh.

O que significa a mala transparente de Virgil Abloh com a Rimowa?

A parceria entre a Rimowa e o designer, focada na transparência, nos permite vislumbrar os verdadeiros códigos do streetwear e sua invasão no mundo do luxo.
Por Julia Mello

clear-550x337
 (Rimowa/Divulgação)

Você deve ter notado que a marca de malas de viagem Rimowa mudou bastante ultimamente, não é mesmo? Ela fez um duo inesquecível com a Supreme, e agora lança uma peça transparente com a assinatura de ninguém menos que Virgil Abloh, um dos mais proeminentes estilistas do cenário de streetwear mundial.

Isso tudo aconteceu com o aval e a supervisão de Alexandre Arnault, co-chefe executivo da marca, que decidiu colocar seu filho, Bernard Arnault, para levar a marca a novos territórios. Não à toa, Virgil é também o diretor criativo da linha masculina da Louis Vuitton, comandada pelo grupo. De fato, a LVMH está enxergando a potência das mudanças de códigos que o streetwear está levando ao mundo do luxo.

tumblr_p9u9w88PLq1tiejlho1_500.jpg
 (Rimowa/Divulgação)

Dito e feito: ano passado, para inaugurar as novas empreitadas da Rimowa, foram escolhidas parcerias com a Fendi e com a Anti Social Social Club. Mas o estouro da marca aconteceu com o encontro com a Supreme. Virgil Abloh, no entanto, faz o patamar ir um pouco além. Ele é relevante no streetwear, mas não só isso. Ele tem uma linha de criação única e sabe que o desejo na atualidade é por itens que criam impacto não por seu preço, mas por sua identidade. E isso que acabou por levar sua label Off-White à status de cult no mercado.

“Na LVMH, dizemos que gostamos de estar entre a tradição e a modernidade. A Rimowa é uma marca de 120 anos e o que estamos fazendo com Virgil é um grande exemplo de modernidade”, explicou Arnault ao Business of Fashion. Ele exibiu detalhes da colaboração Instagram lá em setembro de 2017. As novas malas são duas peças transparentes, feitas de policarbonato, e estarão disponíveis a partir de 20 de junho, data que a Off-White desfila em Paris.

O que estamos vendo também é o interesse de marcas de luxo em se manter relevantes, em alimentar o desejo por novidades que tenham um caráter diferente, o que causa necessidade imediata. “Uma colaboração única não ajuda nas vendas, mas o valor delas nas mídias sociais é extremamente importante para criar interesse e desejo”, contou Arnault. O próximo passo da label continua nessa direção, e a marca está amarrando a próxima parceria com outra label de streetwear, a NasaSeasons. Como não dá para fazer parcerias sempre, já que elas são caras, o grupo está investindo em nomes que sedimentem a relevância de seu nome na cabeça dos consumidores.

De acordo com Virgil, as transparências permitem que os consumidores tenham participação ativa no design final do produto. Afinal, o que você coloca ali dentro fica visível, então sua criatividade conta muito. E, de fato, é o momento das transparências: lembram das sacolas de plástico valorizadas pelas grandes marcas? Esse é um grande exemplo da mudança dos códigos e de sua validade no mundo da moda. Se antes era incrível apenas o que poderiam fazer para você, hoje sua participação naquela criação, seu estilo pessoal, sua relevância, também conta. Mais millennial e preocupado com a individualidade impossível.

“Ter essa mala carrega um componente emocional, você se torna uma performance de arte só de usá-la. É como colocar seus itens à mostra e repensar a premissa do produto”, finalizou o designer.

Meghan Markle e Harry poderão ser os anfitriões do próximo Gala do Met

prince-harry-meghan-markle-royal-wedding-4-rt-jt-180519_hpEmbed_19x14_608
Príncipe Harry e Meghan Markle (Foto: Getty Images)

O Gala do Met, um dos eventos mais concorridos entre fashionistas e celebs, planeja uma pitada de sangue azul para sua próxima edição. Ninguém menos que Meghan Markle e o príncipe Harry estão sendo considerados por Anna Wintour para serem co-hosts do evento em 2019. Nenhum convite oficial foi feito ainda, mas emissários da editrix já andaram sondando os assessores palacianos do casal real para saber se a ideia é viável. A resposta? Um bem-vindo e até meio inesperado “maybe”, suficiente para acelerar corações nos dois lados do Atlântico. Aliás, Amal Clooney, co-host desse ano junto com o maridão George Clooney e atual bff de Meghan, é uma das mais empolgadas com essa possibilidade.

Se vingar, o plano de ter a duquesa e o duque de Sussex recebendo os convidados para o evento beneficente organizado pelo Costume Center do Metropolitan Museum of Art de NY promete ser lucrativo para ambas as partes: Meghan e Harry teriam a chance de dar um “up” na popularidade, que já anda nas alturas. Já Wintour, que cogita se aposentar em no máximo um ou dois anos, poderia sair de cena em grande estilo.

Resta saber o que pensa a rainha Elizabeth II, que é quem determina o que os Windsors podem ou não fazer. Mas a monarca tem dado claros sinais de que está mais moderninha, tanto que até fez sua estreia na Semana de Moda de Londres em fevereiro para conferir a nova coleção do estilista britânico Richard Quinn. Como bem nos disse na época o expert em “royals” Joe Little, ela se preocupa muito em demonstrar que a monarquia britânica ainda é relevante em pleno século 21. Quer dizer… [Anderson Antunes]

Skincare verde: ferramenta te ajuda a entender as fórmulas dos cosméticos

Conheça a CosDNA, plataforma on-line de consulta de fórmulas cosméticas, que sinaliza através de cores e números o grau de segurança de cada composto químico.
Por Sofia Ferreira (@SOFIACSF)

a-hora-da-estrela-zee-nunes-2.jpg
Green skincare: ferramenta online te ajuda a entender as fórmulas de seus cosméticos (Foto: Zee Nunes / Arquivo Vogue)

Conhecer os ingredientes que fazem parte das fórmulas de seus cosméticos favoritos é parte essencial de uma boa rotina de skincare. Mesmo com as particularidades cutâneas de cada um, ativos como parabenos, petrolatos, fragrâncias e silicones, por exemplo, são conhecidos por suas características irritantes à pele e propriedades comendogênicas – produtos que causam o entupimento dos poros.

Para te ajudar na contra substâncias químicas, a CosDNA.com, plataforma on-line de consulta de fórmulas cosméticas, analisa os componentes de um vasto catálogo de produtos para skincare, corpo e maquiagem e sinaliza, através de cores e números, o grau de periculosidade de cada ativo em uma escala de 1-9 (sendo 1, o mais indicado, e o 9, o menos). De maneira didática, especifica as funções de cada ingrediente em sua fórmula e disponibiliza reviews de outros usuários a respeito da eficácia do produto.

E engana-se quem pensa que produtos com esses ingredientes são minoria no mercado. No caso dos parabenos, ativo vilão conhecido por ser um disruptor hormonal, os mais conhecidos são propylparaben, butylparaben e isopropylparaben, e estão presentes em inúmeras fórmulas, graças a sua função como conservante e antibacteriano. Já os petrolatos, responsáveis por dar emoliencia – superficial – à pele, podem ser facilmente encontrados nas composições em formas como parafina líquida ou óleo mineral. Um ótimo momento para analisar as fórmulas de seus produtos favoritos e optar por produtos mais naturais e com menos ativos químicos. Go green!

Kate Spade, estilista americana, morre aos 55 anos em Nova York

Ela foi jornalista de moda e criou a grife de bolsas, joias e roupas com seu nome. Polícia trabalha com a hipótese de suicídio.

P13KDNU7PPJV5apGkTGGBIXXXL4j3HpexhjNOf_P3YmryPKwJ94QGRtDb3Sbc6KY
Foto tirada em 13 de maio de 2004 mostra a designer Kate Spade posando com bolsas e sapatos da sua coleção (Foto: Bebeto Matthews/AP Photo/Arquivo)

A estilista americana Kate Spade morreu aos 55 anos, segundo a polícia de Nova York. Ela foi encontrada morta em seu apartamento e a polícia trabalha com a hipótese de suicídio.

Kate e seu marido Andy lançaram a famosa linha de bolsas com o nome da estilista em 1993. No ano seguinte, a grife começou também a produzir joias, roupas e outros acessórios. A ideia dos dois era fazer bolsas fashion, mas ainda assim práticas.

O corpo da estilista foi encontrado pela sua faxineira na manhã desta terça-feira (5) no apartamento em que ela morava na Park Avenue, em Nova York. Segundo a polícia, ela teria deixado um bilhete.

A empresa foi vendida em 2007, quando ela deu uma pausa na carreira para cuidar da família. Segundo fontes da International Business Times, a venda foi por quase US$ 60 milhões.

As bolsas ficaram famosas por serem simples, funcionais, com cores vivas e formatos mais quadrados. Viraram um ícone principalmente na segunda metade dos anos 90.

Em 2016, ela retornou ao mundo da moda com uma marca chamada Frances Valentine, nome de sua filha, hoje com 13 anos.

Começo no jornalismo de moda

Katherine Noel Brosnahan nasceu em 24 de dezembro de 1962 em Kansas City, nos Estados Unidos.

Ela era formada em jornalismo e começou a carreira escrevendo para a revista “Mademoiselle”. Foi repórter e editora de acessórios na publicação até 1991, quando saiu para ser estilista em tempo integral.

Hoje, a loja da marca Kate Spade tem mais de 140 lojas nos Estados Unidos e outras 175 pelo mundo.

Kate é tia da atriz Rachel Brosnahan, das séries “House of Cards” e “Marvilhosa Sra. Maisel”. Andy Spade, marido e sócio de Kate, é irmão do ator e comediante David Spade.

“Compartilhamos o mesmo senso estético e gostamos das mesmas coisas”, disse ele sobre trabalhar com a esposa. “Ela é muito mais detalhista e acho que eu penso mais nos conceitos”. A família ainda não comentou a morte de Kate.

Sinal do tempos: Miss América extingue o desfile de biquíni

Não vamos mais julgar as nossas candidatas pela aparência física’, afirmou a presidente Gretchen Carlson

Sem títuloO concurso de beleza Miss América anunciou nesta terça-feira que a prova do desfile de biquíni não fará mais parte da competição. “Nós não chamaremos mais de concurso e sim de competição. Não vamos mais julgar as nossas candidatas pela aparência física. Isso é algo grande”, afirmou a presidente da organização, Gretchen Carlson, durante o programa de televisão americano Good Morning America, exibido nesta terça-feira.

O desfile em roupas de banho acontece desde 1921, o primeiro ano do concurso de beleza, que premia as suas vencedoras com bolsas de estudo. “Nós estamos tirando a roupa de banho e indo para uma nova era”, diz um anúncio na conta oficial da competição no Twitter, acompanhado pela hashtag “byebyebikini” (adeus, biquíni, em tradução livre).

“Não vamos julgar mais a roupa, não importa o que elas usem. É o que sairá da boca delas que importa, quando falarem sobre os suas ações sociais”, complementou Gretchen. “As pessoas realmente estão interessadas na parte de talentos da competição. Esse é um novo começo. Estamos evoluindo junto com essa revolução cultural. Agora, nós somos abertos, inclusivos e transparentes.”

A nova decisão acompanha as mudanças da competição para se adequar ao movimento #MeToo, que tem levado diversas mulheres de Hollywood a falar sobre casos de assédio e abuso sexual, além da desigualdade de gênero dentro do ambiente de trabalho.

Em janeiro deste ano, foi anunciado que a apresentadora americana e miss América de 1989, Gretchen Carlson, presidiria a organização. Ela passou a ser uma grande voz na luta pelos direitos da mulher nos Estados Unidos, depois de denunciar casos de assédio contra o CEO da Fox News Roger Ailes, canal onde trabalhou entre 2005 e 2016.