L’Officiel Singapura Junho 2018 Indiah Lavers by Chris Milo

Sem título.jpgPhotographer: Chris Milo. Stylist: Donatella Pia. Hair & Makeup: Nina Tatavitto. Set designer: Stella Kay. Model: Indiah Lavers at Monster Milan.

10 looks vintages para tirar o look de brechó do armário

Veludo, tule, seda e vestidos florais: como não se encantar?

Sem título.jpgSabemos que usar uma peça antiga, delicada e que parece não cair perfeitamente bem não é fácil. Mas tudo isso que faz a ida ao brechó parecer uma caça aos problemas é também a maior fonte de estilo dessas roupas — afinal, quando dá certo, fica único.

Pensando nisso (e na crescente importância ecológica de valorizar as roupas que já existem aqui), montamos essa lista de 10 looks de street style que nos inspiram a colocar aquele vestido antigo no look da semana. Confira:

Bilheteria EUA: Oito Mulheres e Um Segredo, Han Solo – Uma História Star Wars, Deadpool 2, Hereditário, Vingadores: Guerra Infinita

oceans_8_2018
Oito Mulheres e um Segredo (Ocean’s Eight) (Foto: Reprodução)

Oito Mulheres e Um Segredo superou as expectativas do estúdio e somou US$ 41,5 milhões no seu fim de semana de estreia nos EUA. A cifra representa um recorde de abertura para a franquia, que anteriormente pertencia a 12 Homens e Um Segredo com US$ 39,1 milhões.

No filme, Debbie Ocean (Sandra Bullock), a irmã de Danny Ocean (George Clooney), sai da prisão e precisa recrutar um time de especialistas para roubar um colar avaliado em 150 milhões durante o Met Gala, baile anual oferecido pela editora da Vogue Anna Wintour no Metropolitan Museum of Art, em Nova York. O filme já está em cartaz no Brasil.

Com uma queda de 48,5% na arrecadação, Han Solo – Uma História Star Wars ficou com a segunda posição. O filme somou mais US$ 15,15 milhões e soma US$ 176 milhões até agora nos EUA.

Com direção de Ron Howard, o derivado acompanha a juventude de Han Solo (Alden Ehrenreich), originalmente interpretado por Harrison Ford na franquia Star Wars. O elenco ainda conta com Donald Glover (AtlantaCommunity), Woody Harrelson (Zumbilândia), Paul Bettany (Vingadores: Guerra Infinita) e Emilia Clarke (Game of Thrones).

O terceiro lugar da semana ficou com Deadpool 2. O longa da Fox arrecadou US$ 13,65 milhões e soma US$ 278,66 milhões nos EUA.

Segundo a sinopse, quando um supersoldado chega em missão assassina, Deadpool (Ryan Reynolds) é forçado a pensar em amizade, família e o que realmente significa ser um herói – tudo isso enquanto chuta 50 tons de bundas porque, às vezes, para fazer a coisa certa, você precisa lutar sujo. Zazie Beetz interpreta a mutante Dominó, Josh Brolin é o Cable e Morena Baccarin, que esteve no Brasil para divulgar o longa, volta ao papel de Vanessa.

A quarta posição ficou com Hereditário, terror estrelado por Toni Collete e produzido pelaA24 (A Bruxa) que vem circulando como um dos filmes mais assustadores dos últimos tempos. Foram US$ 13,03 milhões arrecadados no fim de semana de estreia. Hereditário deve chegar ao Brasil em 21 de junho.

Vingadores: Guerra Infinita se manteve no pódio em sua sétima semana nos cinemas. A produção da Marvel arrecadou US$ 6,83 milhões no fim de semana e soma US$ 654,73 nos EUA, chegando a um total mundial de US$ 1.998 bilhão. A expectativa é que a marca dos US$ 2 bilhõesseja alcançada nos próximos dias.

Na história, Thanos chega à Terra, disposto a reunir as Joias do Infinito. Para enfrentá-lo, os Vingadores precisam unir forças com os Guardiões da Galáxia. O filme está em cartaz no Brasil e Vingadores 4 está marcado para 2 de maio de 2019.

 

Morre o ator e músico Jackson Odell, de ‘Modern Family’ e ‘The Goldbergs’, aos 20 anos

Jovem havia se internado recentemente em uma clínica de reabilitação para cuidar do vício de drogas

001002c6-500
O ator Jackson Odell posa para foto durante evento no hotel The London West Hollywood, na Califórnia – 16/01/2018 (Alberto E. Rodriguez/Getty Images)

Ator, cantor e compositor de 20 anos,  Jackson Odell morreu aos 20 anos, informou o site TMZ e, posteriormente, confirmou a família.

O corpo do rapaz foi encontrado na casa dele, em San Fernando Valley, na Califórnia, nos Estados Unidos, na últma sexta-feira, 20. A causa da morte ainda não foi revelada, mas, de acordo com as primeiras avaliações, não há sinal de violência.

O jovem começou a carreira aos 12 anos e, além de ser cantor e compositor, ficou conhecido por participar de séries como Modern FamilyThe Goldbergs e de iCarly.

Recentemente, Odell havia se internado em uma clínica de reabilitação para se livrar do vício de drogas.

No iníco da tarde deste domingo, a família de Jackson divulgou um comunicado:

“A família Odell perdeu seu filho e irmão Jackson Odell. Ele sempre será uma alma talentosa, amorosa e reluzente. Ele tinha muito mais para compartilhar. Nossa família sempre irá levar a verdade dele adiante. Nosso desejo é que o resto do mundo faça o mesmo. Nós, agoa, vamos tentar encontrar sentido dentro dessa imensa perda em privacidade.”

Cinco mudanças para deixar o seu guarda-roupa mais sustentável

A relação que temos com as nossas roupas nem sempre são as mais saudáveis. Vale repensar essa conexão com estas dicas!

20a1933-psd.jpg
Giovanna Nader e Raquel Vitti Lino, do Projeto Gaveta. (Projeto Gaveta/Divulgação)

Na semana do Dia Mundial do Meio Ambiente, convidamos a consultora em moda e sustentabilidade Giovanna Nader a listar algumas mudanças que podem ser feitas em nossos armários. Apesar de projetos de leis serem iniciativas muito importantes, como aqueles que recentemente têm desencorajado o uso de canudos plásticos em diversas cidades do mundo, mudanças em nossos hábitos e em nossas formas de consumo podem ser fortes aliados na preservação ambiental.

Criado do Projeto Gaveta, evento que organiza a troca de roupas entre pessoas (o próximo ocorre neste fim de semana, dia 10.6, no Rio de Janeiro) Giovanna explica que muitos tecidos, peças e acessórios que usamos no dia a dia são prejudiciais. Abaixo, ela aponta cinco ações fáceis para adotar:

Fuja dos tecidos sintéticos

Sabe aquela etiqueta que tem do lado de dentro da roupa que a gente nunca olha? Lá estão as informações de todos os materiais usados naquela peça (além das instruções de uso e lavagem que fazem a peça durar mais). Alguns materiais demoram milhões de anos para se decompor, como o Poliéster e Poliamida, tecidos sintéticos que contêm plástico em sua composição. Esses tecidos, além de não deixarem sua pele respirar, provocam mau cheiro quando você fica muito tempo exposta ao sol e são altamente poluentes ao meio ambiente.

Evite ao máximo comprar um jeans novo

O jeans é um dos principais poluentes da indústria da moda devido ao seu processo de tingimento químico. Para se fabricar uma única calça jeans gasta-se cerca de 3 480 litros de água, o equivalente a 53 chuveiradas de sete minutos. Em vez de comprar um jeans novo, vale garimpar peças já existentes em brechós, bazares ou usar a criatividade para customizar o que já tem em casa.

Upcycling é o hit do momento

Upcycling é o processo de criar algo novo e melhor a partir de itens já existentes no mercado. Um exemplo é você pegar aquela sua saia que não está sendo mais usada e, a partir dela, criar uma nova peça como, por exemplo, um vestido; ou fazer aquela calça antiga virar shorts, camisa virar saia e por aí vai. Aqui as possibilidades são infinitas, basta colocar a mão na massa e a criatividade no ar. Mas se você não está a fim de fazer trabalhos manuais no momento, já existem diversas marcas lançando mão desse conceito, como o Re-roupa, Mig Jeans e Comas.

Leve a sério a questão da boa qualidade

Prefira qualidade a quantidade. Com o dinheiro que você gasta comprando cinco calças que ficarão largas com o tecido gasto em algumas lavagens, invista em uma peça boa que durará por muitos anos.

Mas cuidado porque peças de marcas famosas não necessariamente significam boa qualidade. Muitas apenas te enganam, pois possuem valor de marca, mas a qualidade é de fast fashion. Boa qualidade normalmente é vista quando a peça continua com aspecto de nova mesmo após algumas lavagens, quando não desbota e nem a costura sai do lugar. Fique de olho na composição da peça. Prefira peças sem mistura de tecidos e com fibras naturais como 100% algodão ou linho. Além da qualidade, invista em peças atemporais. Ao fazer a compra, pergunte se você a usará pelos próximos 10 anos. Se a resposta for sim e ela combinar com seu estilo pessoal e personalidade, então compre.

Abra seu coração para peças de segunda mão

Sou apaixonada por peças de segunda mão e essa paixão foi crescendo ao longo do tempo. É um hábito checar se as peças que quero estão disponíveis em segunda mão e aprendi com a prática a arte do garimpo. Além de você encontrar peças únicas e exclusivas, elas têm tecidos bons, pesados, e, claro, são mais baratas. Abuse dos brechós, projetos de troca de roupa, como o Projeto Gaveta, e marcas de upcycling. É uma ótima maneira de ter roupa “nova” no armário e sem causar impacto negativo adicional ao meio ambiente, uma vez que a peça já foi produzida. [ELLE]

Cinco vezes em que a cultura LGBTQ foi celebrada nas passarelas

Do último desfile da Burberry de Christopher Bailey à alta-costura da Chanel, relembre momentos marcantes.

gettyimages-56779670
A icônica Amanda Lepore, um marco dentro da cultura queer, entrou no desfile inverno 2006 da Heatherette com uma placa que dizia “Sonhos se realizam”. A marca ainda usou como trilha New York, New York na versão de Liza Minelli, representando a noite da cidade, cena que tanto inspirou a marca entre 1999 e 2008. (Mark Mainz//Getty Images)

O mundo da moda está intrinsecamente conectado à comunidade LGBT. Além de icônicos estilistas (pense em Yves Saint Laurent, Karl Lagerfeld e Marc Jacobs, por exemplo), a própria natureza da moda — uma forma de libertação, celebração, mas também escapismo e protesto — é extremamente relacionada. Neste mês de junho, em que o Pride Month é comemorado, relembramos cinco vezes em que as passarelas falaram alto e homenagearam a cultura queer.

ELLE Austrália Junho 2018 Aleyna FitzGerald & Ondria Hardin by Hannah Scott-Stevenson

Sem título.jpgPhotography: Hannah Scott-Stevenson. Styled by: Sara Smith. Hair: Alan White. Makeup: Kellie Stratton. Models: Aleyna FitzGerald & Ondria Hardin.

Claire Foy comprova a força do minimalismo no tapete vermelho

Atriz fugiu de brilhos e joias em longo branco Rosetta Getty
Por Mariana Inbar

tumblr_p8oztyeuvV1r3mx79o2_400.jpg
Claire Foy no TV BAFTA Awards (Foto: Getty Images)

Mal nos recuperamos do Met Gala, que levou ao tapete vermelho uma longa lista de celebridades que capricharam no dress code temático da noite na última segunda-feira, 07/05, e logo em seguida começamos a acompanhar todo o glamour do Festival de Cinema de Cannes.

Com tanto glamour dominando o tapete vermelho, Claire Foy preferiu seguir na direção oposta para o TV BAFTA Television Awards, ontem à noite, 13/05, em Londres.
A atriz, que estava concorrendo ao prêmio de melhor atriz por sua atuação em “The Crown”, apostou no minimalismo em um longo branco Rosetta Getty, combinado com uma clutch discreta, maquiagem leve e neutra e nenhuma joia além de uma argola discreta na cartilagem da orelha direita e um broche do movimento Time’s Up, provando que às vezes o menos pode ser um bom refresco para o mais é mais.

MCB abre exposição inspirada na obra de Le Corbusier

‘Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo’ reúne experiências de diversos artistas com a obra do arquiteto
Por Giovanna Maradei I Fotos: Reprodução

id_visual_expoFocando no pensamento de Le Corbusier para além da arquitetura, o Museu da Casa Brasileira inaugura no próximo dia 16 de junho a exposição ‘Experimentando Le Corbusier – Interpretações contemporâneas do modernismo’. A mostra reúne profissionais que revivem o pensamento revolucionário do arquiteto franco-suíço e, com curadoria de Pierre Colnet e Hadrien Lelong, da Cremme – Editora de Mobiliário, apresenta uma reflexão sobre o modernismo no Brasil.

Dispostos a manter vivo o pensamento moderno e revolucionário de Le Corbusier, os artistas e designers se inspiraram nas mais diferentes fontes. Uma conversa entre Paulo Mendes da Rocha e Catherine Otondo foi o ponto de partida das ilustrações de Alexandre Benoit, por exemplo. Já as Peças da Oficina de Marcenaria, elaboradas em parceria com o Instituto Leo, trazem uma releitura do modernismo por meio da concepção de móveis. E os Irmãos Campana marcam presença ocupando o jardim do Museu com a instalação Taquara.

Os arquitetos, por sua vez, traçam uma reflexão sobre a atual repercussão do processo modernista no território nacional, tomando como base o artigo do filósofo francês Mickaël Labbé, desenvolvido especialmente para a mostra no MCB.

“Nos trabalhos expostos, temos um desafio: as várias disciplinas que se entrecruzam nos campos do design e da arquitetura, permeados pela experimentação técnico-artística. Uma oportunidade para observar a diluição de suas fronteiras, cada vez mais tênues, na contramão do mundo das especializações”, comenta Giancarlo Latorraca, diretor técnico do MCB.

O Museu da Casa Brasileira fica aberta de terça a domingo, das 10h às 18h e o ingresso sai por R$10.