Twin Peaks | David Lynch abre possibilidade para novos episódios

Terceira temporada foi ao ar no ano passado

davidDavid Lynch pode fazer mais episódios de Twin Peaks. Segundo o diretor, ele tem interesse em continuar a história de Carrie Page (via NME).

O programa retornou para a terceira temporada ano passado – 26 anos após o episódio final do segundo ano. Não foram divulgados planos oficiais para novos capítulos, mas durante uma sessão de autógrafos realizada nos EUA o cineasta falou sobre a possibilidade em uma conversa com um fã:

Fã: “Onde está Carrie Page?”

Lynch“Não sei”

Fã: “Ela está esperando você voltar a falar com ela?”

Lynch: “Há um chamado… mas o sinal está com interferência”.

A terceira temporada de Twin Peaks foi ao ar em 2017, com transmissão no Brasil pela Netflix.

Melania Trump marca gol contra si mesma e atualiza status de vítima da moda

Escrito ‘eu realmente não me importo, você sim?’ é prova de que ninguém ‘usa qualquer coisa’

576d6415-d44f-4168-922f-2c378cc69336-getty-980585888.jpg
Melania Trump logo após viagem à fronteira do Texas com o México, onde visitou crianças encarceradas pela política de tolerância zero do marido. Em sua jaqueta, da marca Zara, lê-se “Eu realmente não me importo, você sim?”. Chip Somodevilla/Getty Images/AFP – AFP

É comum ouvir alguém dizer que não está nem aí para a moda, mas, queira ela ou não, diariamente essa pessoa fará escolhas fashion que revelam muito sobre o que pensa ou quer projetar para os outros.

jaqueta da primeira-dama americana Melania Trump é um manual de como marcar um gol contra movendo apenas um cabide do armário e a prova de que ninguém simplesmente “usa qualquer coisa”, mantra de quem se diz antimoda sem se dar conta de que seu look casual é tão planejado quanto o de quem passa horas em frente ao espelho.

Quando subiu no avião que a levaria ao Texas, onde crianças imigrantes estão detidas sem os pais a mando de seu marido, e depois de ter ganhado alguma simpatia do público defendendo via Twitter o “uso do coração” nessa tragédia humanitária, ela apareceu em um casaco verde-militar da Zara onde se lê “eu não me importo, você sim?”

520535-995x637
A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, fez uma visita surpresa a um dos abrigos que recebem crianças imigrantes ilegais que foram separadas dos seus pais KEVIN LAMARQUE/REUTERS

Comecemos do princípio. A primeira-dama já deixou claro gostar do luxo, com um guarda-roupa milionário de Dolce & Gabbana a Gucci, e não dá ponto sem nó nas escolhas em eventos oficiais, porque sabe que sua imagem correrá o mundo.

Juntar o nome Zara, a rede de fast-fashion campeã de acusações por submeter imigrantes a trabalho escravo, a um escrito debochado como esse denota ou um nível raro de incompetência visual visto em figuras públicas, ou uma tentativa de desabafo subliminar.

Há motivos para defender a segunda opção e como o tiro saiu pela culatra. Por mais que a Casa Branca tente colar a tese “é apenas um casaco”, como a assessora de Melania divulgou após a visita, e que a mensagem dizia respeito à “desonestidade” da imprensa, como Donald Trump tuitou horas depois da celeuma se instalar, o passado recente prova o contrário.

Ela já imitou Jackie O. em uma versão Ralph Lauren de um dos trajes da ex-primeira dama, quis se aproximar da imagem de Hillary Clinton com seu look branco de alfaiataria no baile da posse de Trump e é vista usando símbolos da cultura americana, como o chapéu tipo caubói e os detalhes da indumentária western intrincados em peças como as da Calvin Klein.

Suas mensagens são tão claras quanto as cores que costuma usar. A dúvida de que o discurso poderia ser direcionado aos seus detratores vai de encontro à passividade com a qual ela lidou até agora com as críticas de que é um boneco de Washington.

Melania não fala, age pouco e, quando o faz, como o episódio do encarceramento infantil expôs, é para defender as opiniões do marido, mesmo quando não concorda com o resultado prático de suas ações.

Com igual desinteresse mostrado no auxílio aos atingidos pelo furacão Harvey, em Houston, no ano passado, quando calçou saltos ManoloBlahnik para pisar em terra arrasada, a primeira-dama dos EUA reafirmou, sem querer querendo, a intolerância de sua família. De quebra, atualizou o status de vítima da moda. [Pedro Diniz]

Mel tira a blusa e posa só de calcinha e salto alto

ml.jpgMel Lisboa deixou seus fãs eufóricos no Instagram, na noite de sexta-feira (22), quando divulgou uma foto de um ensaio antigo, feito por volta de 2012. Na imagem, Mel aparece de calcinha de renda e salto alto, exibindo a boa forma e algumas de suas tatuagens.

“#FBF [flashback friday] há uns 6 anos… castanha e com uma panturrilha ainda não rabiscada (e sensualizani). Foto: Jairo Goldflus“, legendou Mel, hoje com 36 anos de idade.

Nos comentários, a atriz, que estourou na televisão quando estrelou a minissérie Presença de Anita, em 2001, recebeu uma enxurrada de elogios. [Léo Gregório]

Madonna dá alfinetada em Beyoncé e Jay-Z, e dá o que falar nas redes sociais…

Sem título.jpg
madonna Learning …………..lol. #art #equals#freedom 

Recalque? Brincadeirinha? Ninguém jamais saberá, mas o post que Madonna subiu em seu Instagram há poucas horas causou polêmica. Na foto, Beyoncé e Jay-Z aparecem olhando para uma enorme parede com vários quadros que mostram diferentes fases da carreira da “material girl”. A legenda? “Learning…” (“aprendendo”, em português).

A mensagem foi clara: a dupla estaria ali apenas como aprendiz do sucesso da veterana. Quem viu o comentadíssimo clipe de “Apeshit”, em que o poderoso casal faz sua performance no Museu do Louvre, tendo como pano de fundo algumas das obras de arte mais importantes do planeta, logo percebeu a “alfinetada”.

Apesar do diz que diz, Madonna não está nem aí. Nesses dias, uma equipe comandada por Giovanni Bianco está em Lisboa para ensaio para a Vogue Itália, com cliques da dupla Mert Alas & Marcus Piggott. Entre uma foto e outra, a cantora ataca de anfitriã e aproveita para apresentar para os amigos seus spots favoritos na capital portuguesa.

Sem título.jpg
madonna It was a long day……………♥️💙♥️💙 #lisbon #italianvogue 🇵🇹🇮🇹

O Facebook quer usar machine learning para barrar fake news

Por: 

gywpi94equcuvbps87fwAs fake news são um dos mais graves problemas do Facebook. A rede social anunciou uma série de novas medidas para tentar reduzir esse problema.

Os detalhes dos esforços estão em um post escrito pela gerente de produto Tessa Lyons. São novas parcerias e iniciativas de checagem de fatos, incluindo fotos e imagens virais, e uso de aprendizagem de máquina para parar a distribuição de notícias falsas.

De acordo com o texto de Lyons, os novos recursos são os seguintes:

Hoje estamos anunciando diversas atualizações como parte deste trabalho:
– Expandindo nosso programa de verificação de fatos para novos países
– Expandindo nosso teste para verificar o conteúdo de fotos e vídeos
– Aumentando o impacto da verificação de fatos usando novas técnicas, incluindo a identificação de conteúdos duplicados
– Tomando medidas contra Páginas e domínios que disseminam notícias falsas além de suas fronteiras
– Melhorando a mensuração do nosso trabalho e a transparência por meio de parcerias com acadêmicos

A gerente explica que os algoritmos detectam e sinalizam páginas com comportamento suspeito ou indesejado — texto plagiado, anúncios ofensivos, direcionamento para usuários de outros países, entre outros.

Depois de desmascarar uma notícia falsa, o Facebook vai usar aprendizagem de máquina para sinalizar duplicatas daquela matéria. Publicar um mesmo contudo em vários sites é uma prática comum entre produtores de boatos e notícias falsas. Por isso, a rede social vai tentar identificar materiais desse tipo, mesmo que eles estejam reproduzidos em vários domínios e páginas.

“Usando aprendizagem de máquina, conseguimos identificar e rebaixar cópias de artigos classificados como falsos pela checagem de fatos”, diz Lyons ao BuzzFeed. “Essas páginas geralmente copiam e colam conteúdo [de outras fontes]. Outro sinal é que os sites são cobertos de propagandas de baixa qualidade. Nós também vemos um padrão comum nos administradores páginas que estão estabelecidas em um país, mas direcionando seu conteúdo para pessoas de outros lugares. Essas pessoas frequentemente têm contas suspeitas. Não são fakes, mas identificadas em nosso sistema pela atividade suspeita.”

O que é curioso é que a sinalização por conteúdo falso não leva necessariamente ao banimento. O Facebook diz que planeja alertar e remover de programas de monetização as páginas que violarem as regras. Entretanto, pode reabilitá-las caso parem de compartilhar fake news.

“Existe a possibilidade de meio que reabilitar [sua página]”, diz Lyons.

Plataformas como Facebook e YouTube vislumbram há certo tempo a possibilidade de usar inteligência artificial e aprendizagem de máquina para moderar conteúdo. Isso poderia servir para detectar terrorismo, notícias falsas, pornografia infantil e discurso de ódio.

No entanto, tirando casos extremos e bastante flagrantes, a tecnologia simplesmente não dá contada quantidade enorme de conteúdo nas plataformas. Além disso, entregar tanto poder para a automação ainda levanta preocupações e dúvidas. E se alguma notícia verdadeira for incorretamente marcada como falsa?

Na verdade, erros assim já acontecem. Esta semana, o Facebook rejeitou o anúncio de uma matéria sobre os centros de detenção infantil por causa de seu conteúdo “político”. O resultado disso foi uma reação contundente, além de acusações de parcialidade. As eleições parlamentares norte-americanas (o chamado midterm) e o pleito majoritário no Brasil vão acontecer ainda este ano. A rede social pode esperar mais críticas às suas iniciativas de moderação de conteúdo, sejam elas automatizadas ou não. [] [BuzzfeedImagem do topo: AP

Diversidade entre diretores de cinema continua baixa, diz estudo da Directors Guild of America

Pesquisa analisou filmes lançados em 2017 a fim de verificar a presença de diretoras mulheres e negros, mas não foi constatada melhora

jakob-owens-199505.jpg
Diversidade entre diretores de cinema não melhorou em 2017, aponta relatório da DGA. Foto: Pixabay

Nos últimos anos, a indústria do cinema tem dado destaque ao debate sobre a inclusão de mais mulheres e negros em papéis de destaque e posições importantes. Entretanto, na prática, a teoria é outra: de acordo com uma pesquisa divulgada recentemente, os filmes lançados em 2017 tiveram, em sua maioria, homens brancos como diretores.

estudo da Directors Guild of America (DGA) analisou filmes que lucraram ao menos US$ 250 mil com as bilheterias, e constatou que apenas 12% dos diretores desses filmes eram mulheres e apenas 10% eram negros ou pardos.

Os dados não diferiram dos anos anteriores. Em um comunicado, a DGA disse que os responsáveis pela falta de progresso na diversidade são todos os estúdios, produtores, ditribuidores, agentes e financiadores.

“É ultrajante vermos, mais uma vez, tal falta de oportunidade para mulheres e negros para dirigirem filmes de destaque. Nosso novo estudo mostra que as práticas discriminatórias ainda estão ocorrendo em todos os setores da indústria do cinema. Esses números mostram como as fichas são apostadas contra mulheres e negros”, disse o presidente da DGA, Thomas Schlamme.

“A inclusão é uma luta e nós estamos lutando contra a indústria há quatro décadas, e tem sido uma batalha difícil conseguir com que ela mude suas práticas de contratação. Em nossas duas últimas negociações, nós pressionamos a indústria a adotar a Rooney Rule [regra de inclusão da Liga de Futebol Americano] em seus processos de contratação, mas eles não cederam. Nós também não vamos ceder – estamos compromissados em manter essa pressão enquanto for necessário”, falou Schlamme.

A Rooney Rule é uma regra da National Football League (NFL) que indica que candidatos de minorias sejam entrevistados para certas posições de liderança e destaque no futebol. A regra não estabelece cotas, mas garante que todos tenham acesso ao processo seletivo.

No estudo da DGA, foram analisados 175 filmes americanos lançados em 2016, para verificar a diversidade de gênero, e 141 analisados para verificar a diversidade étnica. Documentários, animações e remakes não foram considerados. Outra análise do relatório incluiu filmes de pequenos orçamentos, considerando 651 longas, e, ainda assim, apenas 16% dos diretores eram mulheres. Não foram divulgados dados sobre diversidade étnica nesse grupo.

“Há esse conceito errado de que as coisas são melhores no mundo dos filmes independentes, mas não é verdade. Do financiamento a contratação, da distribuição até a representação dos agentes, todos os aspectos do sistema dão desvantagens para mulheres e negros”, disse o presidente do DGA.

Pai de Kate Spade morre horas antes do funeral da filha

Estilista foi encontrada morta no início do mês em Nova York
Agência Ansa – Ansa

kate spade
A estilista Kate Spade  Foto: Marilynn K. Yee/The New York Times

O pai da estilista norte-americana Kate Spade, encontrada morta em seu apartamento em 5 de junho, faleceu nesta quinta-feira (21), horas antes do funeral da filha. De acordo com a família, Earl F. Brosnahan Jr. tinha problemas de saúde. “Nos entristece profundamente anunciar que o pai de Kathy, Earl F. Brosnahan Jr., faleceu aos 89 anos”, informaram seus familiares.

“Ele vinha enfrentando alguns problemas de saúde e ficou de coração partido após a morte de sua querida filha”, acrescentaram. Brosnahan teve seis filhos, dentre eles a designer de moda. Ele era casado com Sandy Brosnahan, tinha três irmãos e oito netos.

‘Vivendo um milagre’, Selma Blair comemora dois anos de sobriedade

Atriz fez postagem comemorando a data em seu Instagram

selma.jpg
A atriz Selma Blair. Foto: Instagram / @selmablair

A atriz Selma Blair, conhecida por ter participado de produções como Legalmente LoiraHellboy e American Crime Story, fez uma publicação em seu Instagram comemorando sua sobriedade. No passado, a atriz já revelou ter sofrido com alcoolismo e outros problemas como ansiedade e depressão.

“Dois anos sóbria. Dois anos sentindo tudo e nada. Dois anos de extrema gratidão e humildade e bênção. Agradeço ao senhor e aos meus amigos. Obrigado pela semana de aniversário mais especial.”

Em seguida, concluiu: “Eu rezei por um milagre nos meus momentos mais difíceis. Eu estou vivendo um milagre. Obrigada. Obrigada”.

‘Fast-food’ da beleza: a nova onda de salões que oferecem serviços express

Escova, penteados e maquiagem rápidos a preços fixos são o atrativo dos ‘dry bars’

1529690543020
Bianca Latgé e Renata Merquior, sócias do Dry Club Foto: Angela Rezé/Divulgação

Entrar em um restaurante, olhar o cardápio, decidir o que quer e ser atendido em poucos minutos. A cena comum em restaurantes fast-food chega agora ao universo da beleza graças ao dry bars, salões que oferecem serviços rápidos a preços que prometem ser mais acessíveis do que nos espaços tradicionais. O formato, recente no Brasil, é recorrente em cidades como Nova York e Los Angeles, tendo a escova express como carro-chefe. Por aqui, o empreendimento passou por uma adaptação para agradar à clientela brasileira.

“Fizemos uma pesquisa bem completa e tropicalizamos, oferecendo também penteados e tipos de escova que a brasileira gostaria mais”, explica Renata Merquior, uma das sócias do Dry Club, pioneiro na categoria em solo nacional. Ao lado de Bianca Latgé, ela inaugurou a primeira unidade do salão em setembro de 2017 no bairro do Itaim Bibi, em São Paulo. Com decoração toda cor-de-rosa, o espaço recebe de 800 a mil clientes por mês. Agora, a dupla se prepara para abrir mais uma unidade nos Jardins e, até o fim deste ano, somar três franquias ao negócio.

1529690512954
A decoração do Dry Club, no Itaim, é toda em rosa millennial Foto: Angela Rezé/Divulgação

A cliente pode escolher entre cinco tipos de escova: liso clássico, liso escorrido, volume com “franjão”, textura com pontas retas e ondas com movimento, que, de acordo com a empresa, duram entre 45 e 80 minutos, todos por R$ 85. Além de uma linha própria de produtos para os fios, o Dry Club oferece também penteados e hidratação. “A especialização em escovas não existe no salão tradicional. Temos também uma transparência em relação aos preços, a cliente já entra sabendo o que vai pagar, sem surpresas no final”, garante Renata.

A eficiência do formato conversa diretamente com o público millennial, que frequenta menos – e por menor tempo – os salões de beleza convencionais. Para otimizar o processo por completo, o Dry Club desenvolveu um aplicativo para celular por onde são feitos os agendamentos e a consulta de valores. A tecnologia ajuda também quem tem dificuldade de explicar exatamente o que deseja ao cabeleireiro, já que os tipos de escova e penteado são pré-definidos.

1529690543098
O Make2Dry, nos Jardins, oferece também maquiagem Foto: Leandro Vendramini/Divulgação

Seguindo passos parecidos, o Make2Dry acaba de abrir suas portas na Avenida Paulista, incluindo a maquiagem em seu menu. O make completo sai por R$ 170, mas também é possível optar por versões mais rápidas (e baratas), focando em olhos, boca ou somente na preparação da pele e aplicação de cílios postiços. No endereço recém-inaugurado, também há diferentes alternativas para os penteados: os mais elaborados custam R$ 125, enquanto as opções express saem por R$ 40. “A ideia é que a cliente não passe mais de uma hora e meia no salão”, afirma Natacha Barbosa, uma das sócias. “É uma proposta extremamente democrática, que une tudo o que a gente precisa em um lugar só”, diz.

Também oferecendo escova, penteado e maquiagem, o Stylebar, inaugurado há menos de um mês nos Jardins, inseriu uma opção temática da Copa do Mundo entre seus serviços. O combo, intitulado “Pronta Para Torcer”, reúne maquiagem, penteado com adereços e esmaltação com as cores da bandeira brasileira, tudo a partir de R$ 188. O espaço conta ainda com uma carta de vinhos e espumantes para as frequentadoras que, definitivamente, não têm tempo a perder. [Natália Guadagnucci – O Estado De S.Paulo]