Tendência: Tons terrosos no look

Sem título.jpg
Moda Tons Terrosos – Chemise Pair, R$ 848. Calça Cris Barros, R$ 1.098. Botas Lojas Pompeia, R$ 199 (Foto: Bruna Castanheira (GroupArt))

Principal tendência da temporada, a alfaiataria em bege, caramelo e marrom vai bem com camisas e acessórios brancos ou verde militar

Styling André Puertas / Produção-executiva Vandeca Zimmermann / Modelo Ana Arantes (Way Model) / Beleza Liége Wisniewski (GroupArt) com produtos NYX e Inoar / Assistentes de fotografia Fernando Bentes, João Pedro Castanheira e Naelson de Castro / Assistente de beleza Joana Wèrica / Tratamento de imagem Helena Colliny

Entenda por que Meghan Markle usa sapatos maiores que o número dela

É possível perceber um espaço entre o calcanhar da Duquesa de Sussex e a parte de trás do calçado

meghan-markle1
 (Pool / WPA Pool/Getty Images)

Antes mesmo de entrar para a Família Real, Meghan Markle já era um exemplo de estilo. Por mais que agora ela faça parte da família e mantenha roupas impecáveis, seus sapatos – um pouco maiores que seus pés – chamam muito a atenção do público.

Mesmo que seus sapatos sejam de grifes super conhecidas e tenham sido combinados com visuais sofisticados, é possível perceber um espaço entre o calcanhar da Duquesa de Sussex e a parte de trás do calçado.

Harriet Davey, um especialista em estilo, contou ao The Sun o motivo para esse tamanho um pouco maior. Segundo ele, as celebridades que costumam ficar muito tempo de salto usam esse “método” – de escolher um número maior que o normal – em nome do mais simples conforto.

“Não há nada pior do que sapatos desconfortáveis, e quando as celebridades como Meghan estão usando saltos por um longo período de tempo, seus pés muitas vezes podem inchar”, diz Davey.

Além desses motivos, a Duquesa também usa os números maiores para evitar as famosas bolhas: “O inchaço pode causar bolhas e, a longo prazo, os joanetes”, adiciona o especialista.

Davey também resolveu o mistério sobre como as celebridades usam desse truque sem acabarem perdendo os sapatos no meio das festas e dos compromissos. “O truque é encher o dedo do pé com estofamento como tecido ou lã de algodão, e isso pode ser retirado uma vez que eles sintam que precisam de um pouco mais de espaço em seus sapatos”, explica.

The Duchess Of Sussex Undertakes Her First Official Engagement With  Queen Elizabeth II
 (Anthony Devlin/Getty Images)

Netflix divulga vídeo com atores negros intitulado ‘Um Grande Dia em Hollywood’

Ação vem dias após a empresa demitir um de seus executivos por usar um termo racista

1529965484541.jpg
Netflix lança ação ‘Um Grande Dia em Hollywood’ para valorizar produções com atores negros.  Foto: Cortesia da Netflix

No último domingo, 24, ocorreu o BET Awards, premiação focada em artistas negros do cinema e da TV americana. Durante o evento, a Netflix divulgou um vídeo com a presença de todos os atores negros que participam de suas produções.

A ação vem logo após a empresa demitir Jonathan Friedland, executivo chefe da comunicação, por usar um termo racista. Ele usou as palavras em reuniões com sua equipe de relações públicas. A demissão foi anunciada pelo próprio Friedland em seu Twitter.

O vídeo divulgado pela Netflix tem como título Um Grande Dia em Hollywood e foi inspirada por uma foto icônica feita em 1958, intitulada Um Grande Dia em Harlem, em que figuravam 57 grandes cantores de jazz, como Charles Mingus e Count Basie. No vídeo, aparecem 47 escritores, produtores, atores e produtores, todos negros.

Há alguns meses, a empresa tem focado em produzir conteúdos feitos por e para negros, sendo alguns dos exemplos as séries Dear White People Luke Cage. Lacey Duke, um dos diretores da Netflix, disse à Variety que fazer o vídeo foi “mágico”, e que gostou muito de juntar “todas essas pessoas incrivelmente talentosas e lindas em um espaço se apoiando e brilhando juntas”.

No vídeo e na foto, aparecem artistas como Antoinette Robertson, Ashley Blaine Featherson, DeRon Horton e Justin Simien, de Dear White People; Caleb McLaughlin (que faz a narração) e Priah Fergusonde Stranger Things; Antonique Smith, Gabrielle Dennis, Mike Colter, Mustafa Shakir e Cheo Hodari Coker de Luke Cage; Lena Waithe, de Master of None, entre outros.

Assista ao vídeo abaixo:

ELLE Vietnã Julho 2018 Laura Sanchez by Olga Rubio Dalmau

Sem título.jpgPhotographer: Olga Rubio Dalmau. Style: Laia Gomez. Hair & Makeup: Gloria Peñaranda. Model: Laura Sanchez.

Segundo a ONU, nenhuma nação conseguiu eliminar a discriminação contra mulheres

Conclusão foi feita por especialistas das Nações Unidas em relatório feito em Genebra, na Suíça

B88211661Z.1_20180531140644_000_GV66TUT4.3-0_Super_Portrait.jpg
Na Irlanda do Norte, mulheres protestam a favor da liberação da pílula abortiva (Foto: Charles McQuillan/Getty Images)

Há exatamente 25 anos atrás, no dia 25 de junho de 1993, a ONU criou a Declaração e Programa de Ação de Viena. Nela, destacam-se os direitos das mulheres como “uma parte indivisível dos direitos humanos”. Mas será que isso foi cumprido. A resposta é não.

Os especialistas das Nações Unidas Alda Facio, da Costa Rica, Meskerem Geset Techane, da Etiópia, Melissa Upreti, do Nepal e dos EUA, Ivana Radacic, da Croácia, e Elizabeth Broderick, da Austrália, em relatório feito em Genebra, na Suíça, disseram que nenhum país eliminou com sucesso a discriminação contra a mulher ou alcançou a plena igualdade de gêneros. Para eles, a poligamia, o casamento infantil, a mutilação genital feminina, os crimes de honra e a criminalização das mulheres por comportamento sexual e reprodutivo são problemas graves ainda não solucionados. O documento mostra, ainda, que houve um aumento do autoritarismo, de crises econômicas e da desigualdade que colocaram desafios consideráveis para alcançar e consolidar os direitos femininos.

Entre os avanços dos últimos anos, o grupo cita os “passos importantes” dados em diferentes regiões em prol dos direitos femininos. Os mais recentes são esforços alcançados por meio do voto popular e de ações legislativas e judiciais, em especial para garantir direitos reprodutivos. Mas considera lentos os progressos quanto aos direitos das mulheres e à plena igualdade, e que as realizações até agora conquistadas correm o risco de serem revertidas. [Marie Claire]

O sapato social que dá para usar com tudo

Conforto e estilo, o escarpim de salto médio é o melhor amigo do dia a dia.

Sem título.jpg
 (WGSN/WGSN)

Houve uma época em que a opção mais pedida para trabalhos em ambientes formais era o escarpim clássico de bico fino e salto alto. Hoje, os modelos baixos são tão bem aceitos quanto eles, mas em algumas produções sabemos que ganhar um pouco de altura pode dar aquele toque final que faz a diferença. Nesses momentos, é claro que não queremos deixar o conforto de lado, e a volta do escarpim de salto médio blocado à moda é perfeita para eles.

Para as básicas, um modelo marrom, preto ou branco resolve qualquer visual, complementando bem vestidos e saias mídis ou deixando a calça jeans mais interessante. Para as mais ousadas, não se deixe enganar pelo formato clássico do sapatos, acabamentos metalizados, fivelas ou tiras dão conta do recado.

Veja algumas inspirações abaixo:

Kanye West temeu que Kim Kardashian pedisse divórcio após polêmica com escravidão

Rapper contou que a mulher ficou furiosa com os seus comentários feitos durante entrevista para o TMZ

Kim Kardashian and Kanye West have a dinner date to kick off the weekend
Kim Kardashian and Kanye West 

O rapper Kanye West disse que a repercussão negativa de sua entrevista para o TMZ, na qual ele falou que “a escravidão soa como uma escolha”, foi tão grande que ele temeu que a mulher Kim Kardashian se separasse dele.

“Houve um momento depois da entrevista no TMZ, mais ou menos uma semana depois, em que senti as energias muito baixas. Eu liguei para vários membros da família para perguntar se Kim me deixaria”, contou Kanye ao New York Times.

Ele fala sobre o episódio na música Wouldn’t Leave: “Agora estou em 50 blogs, recebendo 50 ligações. Minha mulher está gritando no telefone ‘Vamos perder tudo!’. Tive que acalmá-la porque ela não conseguia respirar. Eu disse que ela podia me deixar, mas ela não me deixou”.

A socialite não se divorciou dele e foi muito importante para sua recuperação meses antes, quando chegou a ser internado em um hospital por exaustão. Ela contratou um guia motivacional para ajudá-lo a superar a crise: “Ele me olhou e, não sei por que, mencionou suicídio”.

Kanye disse que pensa constantemente em tirar a própria vida, embora nunca tenha colocado a ideia em prática. “Eu estou falando sobre isso agora porque não cheguei a fazer realmente, mas eu já cheguei a pensar sobre todos os passos. Se eu não tivesse pensado em tudo, então seria mais provável que eu tivesse feito”, explicou.

Após quase dois meses de sua polêmica frase sobre a escravidão, o rapper disse que se sente como uma pessoa em um tribunal se defendendo da acusação de um crime que não cometeu. Para ele, o que aconteceu na entrevista ao TMZ foi uma falha de comunicação.

“Eu disse que a ideia de permanecer em algo por 400 anos soa, disse soa, como uma escolha, nunca disse que é, mesmo, uma escolha. Nunca falei que a escravidão em si, como ficar acorrentado, é uma escolha”, explicou.

Apesar da repercussão subsequente à sua fala, ele nega que se manterá afastado de polêmicas: “Nós [artistas] precisamos ser capazes de estar em situações onde possamos ser irresponsáveis. Esse é um dos grandes privilégios de ser artista. Um artista deveria ser irresponsável como uma criança de três anos de idade”.

Janelle Monaé celebra orgulho LGBT no tapete vermelho do BET Awards

O vestido da cantora remontava a bandeira de arco-íris do movimento.

a7a9058b-c9ee-43be-80d1-16f6f5733009-getty-983141814.jpg
Janelle Monae vestiu Nicolas Jebran na premiação Foto: Leon Bennett/Getty Images/AFP

Quando se fala de tapete vermelho, Janelle Monaé não economiza. Não é de hoje que os looks da cantora, rapper e compositora surpreendem a todos. Sempre bastante ornamentais, os visuais também vêm cheios de conceito: em geral, algo amarrado a seu trabalho mais recente. No BET Awards 2018 — prêmio que celebra o trabalho de artistas negros na música e no cinema –, ela decidiu levantar a bandeira do movimento LGBT com seu vestido.

Desenhado pelo libanês Nicolas Jebran, o modelo ajustado na cintura explode em uma saia multicolorida em comemoração ao “Pride Month” — mês dedicado a visibilidade da população que foge à regra heteronormativa, assim como Monaé. Ainda neste ano, em entrevista à Rolling Stone estadunidense, ela revelou ser pansexual e o seu último (e extraordinário) disco — Dirty Computer — fala exatamente sobre sair do armário, reconhecer a sua sexualidade, abraçar seu próprio corpo e lutar pelos seus direitos.

Sem título.jpg11.jpgAntes de assinar o modelo sob medida, o estilista já tinha trabalhado com a popstar no clipe de “I Like That” — ele foi o responsável pelo vestido tipo camisa branca que ela usa na abertura do vídeo. Além disso, Jebran também colabora constantemente com outras celebridades igualmente poderosas: Gwen Stefani, Jennifer Lopez, Miley Cyrus e até Beyoncé fazem parte da lista de clientes VIP do designer. [ELLE]

Injeção para a papada, laser e preenchedor estão entre as novidades para a pele

Todos os anos, dermatologistas do mundo todo se reúnem nos EUA para o encontro anual da Academia Americana de Dermatologia. Selecionamos os procedimentos para a pele que impressionaram médicos brasileiros e desembarcam em breve no Brasil

Sem título.jpg
Injeção para a papada, novo laser e tratamento profundo estão entre as novidades para a pele reveladas em Congresso nos Estados Unidos (Foto: Cassia Tabatini/GroupArt)

Injeção para a papada
Kythera é o nome de uma droga que, depois de injetada, promete revolucionar o tratamento de papada e queixo duplo. Aprovada pela Anvisa, mas ainda sem previsão de lançamento no Brasil, ela é composta de ácido deoxicólico, enzima que imita uma molécula produzida pelo corpo que destrói depósitos de gordura. “O tratamento para o queixo duplo e a papada sempre foi cirúrgico”, disse Carla Vidal, dermatologista de São Paulo. “Agora, a ideia é associar o uso da substância com ponteiras do Cool­Sculpting e do Ulthera, aparelhos que também reduzem a gordura e a flacidez da região.” No tratamento, a paciente é submetida a três sessões (em média) de aplicações localizadas. Entre os efeitos colaterais, o tratamento pode deixar a pele avermelhada, dormente e inchada por alguns dias.

Rosto renovado em uma sessão
Conhecido como Hollywood Laser Peel, o novo protocolo do já consagrado Spectra – laser muito utilizado no tratamento de manchas, inclusive melasma– promete deixar a pele mais radiante e viçosaimediatamente após a primeira aplicação. Rápido e indolor, faz sucesso entre celebridades holywoodianas, como Angelina Jolie e Kim Kardashian, por não ter efeitos colaterais. O segredo é combinar uma loção de carbono (lama de rocha vulcânica com extratos vegetais) com o uso do Spectra XT. “A loção fotossensível precisa do aparelho para surtir efeito”, explica Christiane Gonzaga, dermatologista de São Paulo. Depois de repousar por 20 minutos, o laser é aplicado para aquecer o rosto e estimular o colágeno. “O carbono atua aumentando a penetração do raio e dando aparência imediata de pele renovada. Na acne, o ingrediente também atua nas glândulas sebáceas, diminuindo a atividade delas”, afirma. Preço médio: R$ 1.000 a sessão.

Tratamento profundo
Segundo o dermatologista Aldo Toschi, de São Paulo, as sessões de microagulhamento – técnica que faz, de forma mecânica, pequenas perfurações na epiderme para que os ativos de uso tópico sejam absorvidos mais profunda e rapidamente – podem ficar menos traumáticas com o uso de um laser ablativo. O tradicional Fotona apresentou a ponteira com Robotic Drug Delivery, ou RDD, que customiza orifícios de profundidade milimetricamente calculada para cada tipo de tratamento e pele. “Com ele é possível tratar cicatrizes de acne, estrias corporais e manchas de sol, chamadas melanoses”, diz o dermatologista. “Com o equipamento, geramos menos calor, o que vai deixar a pele menos machucada, além de reduzir a vermelhidão comum no tratamento.” Preço médio:
R$ 1.500 a sessão.

Novo preenchedor
De composição diferente do ácido hialurônico e da toxina botulínica, o preenchedor Ellansé, que acaba de chegar ao Brasil, tem a policaprolactona, um ativo químico biodegradável, como princípio ativo. Segundo Gabriel Aribi, dermatologista de São Paulo, ele sai na frente dos atuais volumizadores por sua capacidade de estimular o desenvolvimento do colágeno do tipo 1, o mais forte e denso produzido pelo corpo. Injetável, pode ser aplicado no rosto todo, especialmente para tratar rugas e linhas de expressão. “Ele tem quatro apresentações que podem durar entre um e quatro anos”, disse. “Além disso, a aplicação garante efeitos bastante naturais, porque é necessário usar menos quantidade do que a dos preenchedores tradicionais. O estímulo à produção natural se encarrega de completar o tratamento”, disse. Preço médio: R$ 2.500 a sessão. [Vânia Goy]