Emily Ratajkowski diz que pensavam que ela era brasileira: “Um grande elogio”

Atriz recebeu Marie Claire em Los Angeles para uma conversa sobre beleza, sensualidade, feminismo e casamento
Por Roberta Malta
Emily Ratajkowski
Emily Ratajkowski (Foto: Reprodução/Instagram)

Ela nasceu em Londres, na Inglaterra, mas vive na Califórnia desde os cinco anos. Filha de uma professora de literatura e de um artista de pintura abstrata, aprendeu cedo a ser questionadora.

Emily Ratajkowski, que tem 27 anos e mais de 19 milhões de seguidores no Instagram, ficou conhecida em 2013, quando atuava como modelo e mostrou sua cara ao mundo no clipe Blurred Lines, de Robin Thicke – que rapidamente virou hit e, em seguida, fez ainda mais barulho ao ser acusado de machista.

Com inteligência e determinação, a modelo aproveitou o sucesso sem vincular sua figura à misoginia do filme. Pelo contrário. Passou a defender publicamente o feminismo e conectou sua imagem à de mulheres independentes, que se recusam a seguir padrões e sabem exatamente o que querem.

Famosa pelos cliques sensuais e dona de uma beleza estonteante, o primeiro rosto global da Kérastase recebeu Marie Claire para uma entrevista exclusiva no lendário hotel Chateau Marmont, em Los Angeles, com look de alfaiataria P&B longe do corpo, tênis branco e seios quase à mostra. “Quando era menor, muita gente achava que eu era brasileira”, disse à reportagem. “Para mim, um grande elogio.”

emily_ratajkowski_-_jonas_bresnan
Emily Ratajkowski (Foto: Jonas Bresnan)

Marie Claire Você disse à Marie Claire US que está se acostumando a ser famosa. É difícil receber tanta atenção e julgamento?
Emily Ratajkowski Sim, mas não é muito diferente de como todos se sentem, só que em uma escala maior. Quando penso na minha vida antes da fama, vejo que já era preocupada com o julgamento. De alguma forma, lidar com essa exposição tem servido de lição para mim. Aprendi que as coisas externas não são importantes e sim o que sou.

MC Você é extremamente ousada nas redes sociais. Explora seu corpo sexy, fala sobre política, ativismo e Donald Trump. Sempre foi assim?
ER Sempre, sou irritante desde o primeiro dia de vida (risos). Cresci como filha única e, desde pequena, durante os jantares de família, fazíamos um exercício de cada um falar de si e confrontávamos nossas opiniões.

MC O que feminismo significa para você em 2018?
ER Para mim, é sobre o poder de escolha das mulheres. Cabe a elas decidir o tipo de vida que querem ter e a mulher que querem ser.

MC Você pensou que faria tanto barulho se casando [com o ator Sebastian Bear-McClard, em fevereiro] com calça e blazer da Zara?
ER A intenção não era essa. Quando me arrumo para um tapete vermelho, sei que os olhos do mundo estarão voltados para mim. Mas era o meu casamento. Escolhi o que achei que ia me deixar bonita. Estava feliz, confortável. A opinião alheia, nesse caso, realmente não me importou.

MC Está em cartaz com I Feel Pretty, filme que explora as inseguranças das mulheres. Até você, um modelo de beleza, se sente insegura?
ER Toda mulher se sente. A questão aqui é de atitude. Cada um tem um corpo e pode escolher amá-lo ou lutar contra ele. Não que seja fácil, mas é importante fazer o exercício diário de se olhar de maneira amorosa.

MC Como é estar conectada ao ideal de mulher sexy?
ER Me sinto lisonjeada, mas isso fala muito mais sobre empoderamento feminino. É uma escolha ser o que quero, da maneira que desejo. Toda mulher é sensual, mas é muito importante se sentir bem, confiante.

MC O que a faz se sentir poderosa?
ER Difícil… Passei a me sentir poderosa quando percebi que minha opinião e minha perspectiva sobre determinado assunto servem para alguém ou alguma coisa. Mas o que me faz sentir empoderada de verdade é quando vejo que isso é importante para as pessoas que eu amo.

er1.jpg
Emily Ratajkowski (Foto: Reprodução)

MC Como se sente inspirando outras mulheres?
ER Quando alguma delas me elogia na rua, me sinto confiante, bonita, sexy. O que quero fazê-las entender é o quão importante é cada um se sentir confortável em sua própria pele.

MC Já fez mudanças radicais em seu cabelo? É aventureira ou conservadora nesse quesito?
ER Em eventos, onde todos estarão olhando para mim, vez ou outra gosto de usar um penteado diferente ou uma peruca escandalosa. Mas, no dia a dia, sou bem natural. Nunca usei tinta nem outras químicas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s