‘É bem mais importante do que apenas entretenimento’, diz atriz Madeline Brewer sobre ‘The Handmaid’s Tale’

Madeline Brewer interpreta Janine e esteve no Brasil para divulgar a 2ª temporada da série

1535654397092.jpg
Madeline Brewer intepreta a aia Janine em ‘The Handmaid’s Tale’. Foto: Vuê Fotografia / Bruno Darós

A atriz Madeline Brewer, que interpreta Janine em The Handmaid’s Tale – O Conto de Aia, esteve no Brasil para divulgar a estreia da segunda temporada da série, exibida com exclusividade no País pelo canal Paramount Channel. Na série, Janine (ou então Ofwarren) é uma aia, nome designado às escravas sexuais de Gilead, território comandado por um regime totalitário. A nova constituição é baseada em normas religiosas conservadoras, que reprimem as mulheres e as reduzem a meras subordinadas aos homens.

Em coletiva organizada à imprensa em São Paulo, Madeline Brewer disse que os fãs podem esperar cenas bem impactantes na segunda temporada da série, que já foi exibida nos Estados Unidos e chega ao Brasil no dia 2 de setembro. “Eu diria que a segunda temporada está muito mais sombria e difícil de assistir. Espero que as pessoas sintam, pensem e se questionem enquanto assistem. Todos os ataques contra as mulheres que acontecem na série, já ocorreram de verdade em algum lugar do mundo”, explica.

O enredo revela uma personagem com sérios problemas psicológicos causados por inúmeros motivos, como a relação com a sua filha Charlotte. Apesar da grande tensão nessas gravações, a atriz garante que foram suas favoritas: “Filmar a cena em que Janine dá à luz foi intenso e exaustivo, mas o amor e o apoio que eu senti no set fez ser muito melhor”. O desafio também está presente na caracterização da personagem: o olho de Janine, por exemplo, demora 45 minutos para ser feito.

1535654397093.jpg
Coletiva de imprensa com a atriz Madeline Brewer, de ‘The Handmaid’s Tale’. Foto: Vuê Fotografia / Bruno Darós

The Handmaid’s Tale é uma produção do serviço de streaming Hulu e foi baseada no livro homônimo de Margaret Atwood, escrito em 1985. No entanto, mesmo passados mais de 30 anos, o tema continua relevante. “Nós não chegamos a Gilead, mas não estamos à frente nem melhores do que eles”, acrescenta. A pegada feminista da série deixa assuntos como sororidade e direitos das mulheres em pauta. “Eu, particularmente, me identifico como feminista, então eu acho que a coisa mais especial que a série está fazendo é levar isso pra sua casa. É bem mais importante do que apenas entretenimento para a televisão”, completa.

O sucesso da série foi amplamente comprovado pela crítica. Em 2017, The Handmaid’s Tale levou oito prêmios no Emmy Awards, incluindo melhor série de drama e melhor atriz em série dramática, levado por Elisabeth Moss com o papel da protagonista June. Para a edição deste ano, Madeline mantém a confiança de que a série vai se destacar novamente, principalmente após as 20 indicações aos prêmios: “Eu estou muito esperançosa. Nós temos muita chance”, completa a atriz. [Bárbara Pereira*]

* Estagiária sob supervisão de Charlise Morais

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s