Jeneil Williams I Les Echos Setembro 2018

Sem título.jpgModel(s): Jeneil
Photographer: Matthew Brookes
Stylist: Serge Girardi

Amazon renova linha de dispositivos e lança até micro-ondas conectado

Vendido por US$ 60 a partir do fim do ano, aparelho pode ouvir comando de voz e preparar comida

1537484218896
Aparelho será vendido nos EUA por US$ 60 e pode se conectar via Bluetooth com caixas de som conectadas

“Alexa, pode preparar a pipoca?”. A partir de ontem, essa frase está perto de se tornar realidade, com o lançamento de um micro-ondas “inteligente” feito pela Amazon. Com preço de US$ 60, ele é capaz de se conectar às caixas de som conectadas da empresa, as Amazon Echo, e receber comandos de voz de qualquer usuário.

Infelizmente, para a tristeza dos preguiçosos de plantão, ele só não é capaz de colocar o pacote de pipoca dentro do eletrodoméstico, sendo ainda necessário andar até o micro-ondas.

O micro-ondas, previsto para chegar ao mercado até o fim do ano, foi um dos muitos anúncios feito pela Amazon em um evento surpresa, realizado ontem em sua sede em Seattle, para renovar sua linha de dispositivos. Outro foi um relógio de parede, que também funciona conectado via Bluetooth às caixas de som e pode registrar horários de alarmes e timers. Ao todo, foram 12 dispositivos.

“Serão aparelhos mais capazes de conversar, e não apenas de realizar pedidos”, prometeu David Limp, vice-presidente de dispositivos e serviços da varejista americana, no evento.

Além de expandir sua linha de caixas de som, com versões do Echo Dot (reduzido, vendido a US$ 50), Echo Plus (versão de luxo, por US$ 150) e Echo Sub (com reforço nas frequências graves, por US$ 120), a empresa também lançou novidades para que o usuário possa adaptar produtos que já têm à casa conectada.

É o caso do Smart Plug – um adaptador de tomada que, quando conectado à rede Wi-Fi, pode conversar com as caixas de som da empresa. Assim, será possível, por exemplo, desligar aquele abajur ou cafeteira velha apenas com a voz. Há ainda o Echo Input, que pode ser ligado às caixas de som que o usuário possui – ele cabe na palma da mão e contém apenas um microfone e uma parte de processamento.

A empresa também está de olho nos carros, com o Echo Auto. Trata-se de um aparelho que se conecta com a assistente virtual Alexa pelo telefone do usuário e pode receber ordens por meio dos altos-falantes do veículo. Com ele, é possível pedir dicas de navegação, da mesma forma que se faz hoje com o Waze, mas sem a necessidade de olhar para a tela a cada instante. O aparelho custará US$ 50 no mercado americano.

Mídia. Outro destaque da apresentação foi o Fire TV Recast, um aparelho capaz de não só centralizar os sistemas de televisão de uma casa, seja via TV aberta ou paga, mas também de gravar para o usuário o que ele desejar em sua memória. Será possível ainda assistir a um programa e gravar outro simultaneamente. O aparelho custará US$ 230 e terá armazenamento de 500 GB – o que dá espaço para várias temporadas de séries.

Com os lançamentos, a Amazon diversifica sua aposta nas caixas de som conectadas, um setor em que tem visto a concorrência chegar – com lançamentos de Google, Apple e Samsung recentes. Nos EUA, no segundo trimestre, o Google liderou as vendas do setor pela primeira vez, com o Google Home Mini.

Google defende compartilhamento de dados do Gmail com terceiros

Empresa não respondeu ao pedido dos legisladores americanos para dizer quantos desenvolvedores terceiros foram flagrados violando as políticas da empresa
Por Agências – Reuters

gmail-icone-email-google
Serviço tem 1,4 bilhão de usuários no mundo

O Google forneceu detalhes sobre suas políticas para extensões de terceiros no Gmail, mas se esquivou das perguntas dos senadores dos Estados Unidos sobre desenvolvedores que violaram as regras da empresa para monitoramento dos e-mails.

A forma como os dados de usuários fluem entre grandes plataformas de tecnologia e seus parceiros tem enfrentado escrutínio em todo o mundo este ano, desde que o Facebook revelou que havia feito pouco para monitorar tais relacionamentos.

O Google disse em uma carta aos senadores norte-americanos divulgada nesta quinta-feira, 20, que se baseia em varreduras automatizadas e relatórios de pesquisadores de segurança para monitorar extensões após seu lançamento, mas não respondeu ao pedido dos legisladores para dizer quantos foram flagrados violando as políticas da empresa.

Os senadores podem cobrar maior clareza sobre as operações do Gmail em uma audiência da Comissão de Comércio sobre as práticas de privacidade das empresas de tecnologia marcada para 26 de setembro com funcionários do Google, Apple, AT&T e Twitter.

O Google não respondeu imediatamente aos pedidos de comentário.

Os usuários do Gmail devem dar seu consentimento para ativar extensões, que podem ajudar a enviar emails com atraso, obter descontos com varejistas e remover listas de discussão indesejadas. De acordo com as políticas do Google, as empresas de software que criam essas extensões devem informar os usuários sobre como coletam e compartilham dados do Gmail.

O inquérito dos legisladores veio depois que o Wall Street Journal publicou em julho que alguns desenvolvedores não deixaram claro para os usuários que seus funcionários poderiam revisar as mensagens do Gmail e que seus dados poderiam ser compartilhados com terceiros. Especialistas em software disseram à Reuters em março que a auditoria de aplicativos que interagem com o Gmail, o Facebook e outros serviços é negligente.

O Google disse aos senadores que suspendeu extensões em razão da “falta de transparência para os usuários”, sem identificar os infratores ou quando as ações de fiscalização ocorreram.

Estrelas de Suspira na última edição de AnOther

downmagaz.com
Photographer – Willy Vanderperre | Stylist – Olivier Rizzo | Model – Tilda Swinton

Algo de perverso vem com a homenagem da Another Magazine ao clássico de terror de Luca Guadagnino, Suspiria. Longe de seu coven de bruxas, as estrelas Tilda SwintonDakota JohnsonMia Goth e Chloe Grace Moretz  são clicadas pelas lentes da elite da fotografia. O tremendo legado de Yohji Yamamoto também é explorado e filmado por David Sims, com novas caras como Martina Boaretto Giuliano, Lila Grace Moss, e Rebecca Leigh Longendyke misturadas com a criação de Mame Thiane CamaraHana Jirickova e Luna Bijl. []

Prada aciona sexo, decotes e transparências em Milão

Subvertendo códigos conservadores, Miuccia desenha coleção inesperadamente sexy
Sergio Amaral – O Estado De S.Paulo

1537477223263
O sexy do verão 2019 da Prada, desfilado no prédio de sua Fundação dedicada a arte Foto: Antonio Calanni/AP Photo

Comportado (só que não), suavemente pervertido e bastante sexy – de um jeitinho incomum que só Miuccia Prada sabe fazer. Foi assim o desfile do verão 2019 que a estilista acaba de apresentar num dos espaços da Fondazione Prada, em Milão. “Joguei com as regras do clássico, com todos os clichês de conservadorismo que você pode ter”, declarou a estilista ao fim da apresentação.

Com looks aparentemente inocentes, as meninas da Prada caminham ao som de um techno industrial. Vestem roupas e sapatos decorados com lacinhos, bermudas ajustadas com tops acetinados, óculos enormes, futuristas. Nos pés, sandálias-meia que evocam pantufas de lã e dão um toque esportivo ao visual.

Lá pelas tantas, os gemidos de Jane Birkin e Serge Gainsbourg em Je T’Aime Moi Non Plus ressoam nos alto-falantes. Na passarela entram em cena suéteres e camisas com recortes no colo e nas costas, vestidos evasê curtinhos e decotados que deixam a pele e o corpo à mostra. O mesmo fundamento está nos maiôs com grafismos vindos dos anos 60 e nas muitas transparências dessa coleção – um recurso pouco comum ao léxico de Miuccia – aplicada, por exemplo, num vestido preto careta e fechadão, não fosse o fato de ser de tule.

Ainda na coleção, saias e vestidos com efeito tie-dye, alguns decorados com grandes flores bordadas com cristais – outro elemento exógeno da Prada – vestidos com maxipaetês, e os acessórios de uma nova série de produtos em náilon do projeto Prada Invites, a segunda, agora com um trio de arquitetas como cocriadoras.

A italiana Cini Boeri, que chegou a lecionar numa escola de arquitetura do Rio de Janeiro, fez uma bolsa carteiro, enquanto a norte-americana Elizabeth Diller assina uma espécie de colete que pode ser carregado enrolado. O produto desenvolvido pela japonesa Kazuyo Sejima é o mais estranho (e, nesse sentido, o mais Prada deles): uma bolsa de forma orgânica, que lembra um travesseiro de pescoço, com alças acolchoadas e bolsinhas menores em cores vibrantes penduradas.

Peças utilitárias, esportes, fauna e flora inspiram verão da Fendi

Na contramão do mercado de luxo, grife romana é uma das que ainda faz uso de peles em suas coleções

1537458667262
A entrada final do desfile da Fendi, que desfilou na manhã desta quinta em Milão Foto: Andreas SOLARO / AFP

Com forte influência de roupas utilitárias e uma pitada de esportividade, a Fendi desfilou seu verão 2019 na manhã desta quinta, 20, em Milão. “Uma floresta urbana em que pragmático e exótico caminham juntos”, define na marca nas suas redes sociais.

Nessa temporada, a grife romana cuja criação é capitaneada por Karl Lagerfeld e Silvia Fendi aposta em vestidos fluidos e esvoaçantes de seda estampada com motivos florais e aves, e em peças superluxuosas em couro, como um trench pistache com máxibolsos e mangas em couro  perfurado ou um top-corset com nervuras marcando a cintura usado com saia na altura do joelho no mesmo material.

1537459957878
A modelo Kaia Gerber, filha de Cindy Crawford, veste trench em couro com máxibolsos utiltários Foto: Matteo Bazzi/EFE

Na contramão da tendência de marcas de luxo, como Gucci, Givenchy, Versace, Chanel e Prada, que vem abolindo o uso de peles de animais em suas criações, a grife especializada no material ainda faz uso dele. Na passarela, apareceram aqui e ali em jaquetas tipo bomber recortadas por zíperes, ou forrando os bolsos de algumas roupas.

1537458667212
Um dos vestidos com bordados florais e de pássaros da nova coleção da Fendi Foto: Andreas SOLARO/AFP

O aspecto utilitário e funcional deste elemento é uma chave da coleção, sendo destaque em casacos, vestidos e nos acessórios, especialmente nas bolsas e numa série de cintos com compartimentos de tamanhos variados.

1537458667120
A top Gigi Hadid no desfile da coleção do verão 2019 da Fendi Foto: Matteo Bazzi/EFE

Kennah Lau for V Magazine by Eric T. White

Sem título.jpgPhotographer: Eric T. White at See Management. Fashion Stylist: Stella Evans. Hair Stylist: Jerome Cultrera. Makeup Artist: Cheyenne Timperio. Model: Kennah Lau.

Samsung lança nova versão do Galaxy A7 com câmera de três lentes

Até agora, somente um celular da fabricante Huawei usava essa tecnologia de câmera; ainda não há previsão de data de lançamento e preço no Brasil.

1537473108502.jpg
O novo Galaxy A7 estará disponível a partir de 11 de outubro em mercados selecionados da Europa e da Ásia

O primeiro celular da Samsung com câmera de três lentes chegou ao mercado. O novo Galaxy A7 foi anunciado nesta quinta-feira, 20, com um sensor de 24 MP (megapixels), responsável por dar nitidez às fotos, um de 5 megapixels que trabalha a profundidade e um de 8 megapixels com uma lente que captura um ângulo de 120 graus – a empresa diz que esse ângulo é equivalente à capacidade do olho humano.

Até agora, somente um celular da fabricante Huawei usava a tecnologia da câmera de três lentes. Rumores apontam que o Galaxy S10, possível sucessor do Galaxy S9 a ser lançado no ano que vem, deve seguir essa mesma tendência da câmera tripla.

O Galaxy A7 tem uma tela Full HD, Super AMOLED, de 6 polegadas. A bateria é de 3.300 mAh (miliAmpère), a memória RAM tem 6GB e o armazenamento tem capacidade de até 128GB. O celular roda o Android 8.0 Oreo.

O preço do Galaxy A7 ainda não foi divulgado. O celular estará disponível a partir de 11 de outubro em mercados selecionados da Europa e da Ásia. Só depois a Samsung vai lançar o aparelho para outros lugares. Ainda não há previsão de data de lançamento e preço no Brasil.

UE exige que redes sociais se adequem às suas regras

A Comissão Europeia afirmou que, caso empresas como Facebook e Twitter não cumpram as exigências, elas enfrentarão sanções; o órgão se preocupa com questões como privacidade e práticas anticompetitivas
Por Agência – Reuters

UE-da.jpg_640x640
A União Europeia já impôs regulamentações às redes sociais 

Nesta quinta-feira, 20, a União Europeia deixou claro um recado para redes sociais como Facebook e Twitter: se elas não cumprirem as regras europeias até o fim do ano, enfrentarão sanções. Devido à preocupação com privacidade, os reguladores europeus estão há um tempo exercendo pressão sobre gigantes de mídias sociais.

As plataformas online ficaram sob fogo na Europa por causa da dominância delas e por práticas de negócios anticompetitivas. O Google, por exemplo, já recebeu duas multas bilionárias da União Europeia por ferir práticas de antitruste.

Já se passaram sete meses desde que as empresas foram informadas que precisam alinhar os termos de usuários com os regulamentos da UE. Entretanto, a Comissão Europeia afirmou que Facebook e Twitter ainda precisam lidar completamente com todas as questões.

O Airbnb foi usado como exemplo pela comissária Europeia de Justiça, Vera Jourova. Segundo ela, a empresa fez as mudanças necessárias após ser informada sobre a necessidade de fazê-las há alguns meses. Mudanças nos termos de uso do Airbnb incluem mostrar o preço total de reservas e taxas extras, tanto se a oferta for feita por um anfitrião privado ou profissional, e que consumidores têm direito de tomar medidas legais.

“Se nós não virmos progresso, as sanções serão aplicadas”, disse Jourova em uma coletiva de imprensa. “Isso está claro. Nós não podemos negociar para sempre, nós precisamos ver os resultados.” Quaisquer sanções seriam impostas por órgãos nacionais de defesa do consumidor.

A Comissão disse anteriormente que estava preocupada sobre a responsabilidade das empresas e como usuários são informados sobre remoção de conteúdo ou fim de contratos.

Em resposta, o Facebook afirmou que já fez diversas mudanças e continuaria a cooperar com as autoridades.“Nós atualizamos os termos de serviço do Facebook em maio e incluímos a vasta maioria de mudanças que a Rede de Proteção ao Consumidor e a Comissão Europeia propuseram naquele momento”, disse a empresa em um comunicado. “Nossos termos agora estão muito mais claros sobre o que é e o que não é permitido no Facebook e as opções que as pessoas têm.”