Yoko Ono teria ‘contratado’ amante para John Lennon, de acordo com livro inédito

Relacionamento entre o ex-Beatle e a artista plástica escondeu série de segredos inusitados

yoko john17
Yoko Ono e John Lennon 

Nada aconteceu como a maioria sempre imaginou. Por trás do (aparente) relacionamento harmônico entre John Lennon e Yoko Ono, uma trama frágil escondia segredos inimagináveis. Na nova edição do livro “Being John Lennon” (ainda sem data de lançamento no Brasil), o jornalista Ray Connolly descontrói o mito de amor perfeito normalmente associado ao casal que se tornou uma marca no fim da década de 1960. De acordo com o autor, episódios de adultério — em algumas vezes, com o consentimento de Yoko — marcaram, com regularidade, a relação conturbada entre as duas figuras do universo pop.

Em relato publicado neste sábado no tabloide britânico “Daily Mail”, Connolly repassa uma série de situações acompanhadas de perto ao lado do ícone musical. O repórter esteve pela primeira vez com John Lennon em 1967, para escrever uma reportagem sobre os bastidores do filme “Magical mystery tour”. A partir dali, o trabalho pontual se desdobrou em outros momentos importantes diante do músico, com quem passou a cultivar intensa proximidade. Agora, a imagem idealizada do homem que se firmou como ativista da paz adquire novos contornos e passa a ser relativizada.

“Um dia, estava hospedado com Yoko e John no Hotel St. Regis (em Nova York). Quando conversava com John, que usava um paletó, Yoko apareceu vestida num short de estampa floral e numa blusa com os primeiros três botões abertos”, relembrou o jornalista: “John explodiu. Com o temperamento fora de qualquer proporção, ele gritou que ela parecia uma vadia safada. Sem pronunciar uma palavra, ou mesmo sem alterar qualquer expressão no rosto, Yoko voltou ao quarto e depois retornou vestida numa longa saia”.

A cena, rememorada com minúcias, traça um perfil serenamente conformista para a personalidade tranquila de Yoko. Numa das festas em que Connolly esteve ao lado do casal, também em Nova York, Lennon se trancou com uma mulher num dos quartos da residência depois de beber além da conta. “Infelizmente, os casacos de todos os convidados estavam guardados sobre a cama daquele quarto. As pessoas, portanto, não conseguiam ir embora, e todo mundo ali, inclusive a própria Yoko, percebeu o que estava acontecendo”, narrou o jornalista, acrescentando: “Se ela estava com raiva? Impossível saber. Quando sondei uma opinião sobre as infidelidades cometidas por John, tudo o que ela me disse foi: ‘Pode ser bem difícil viver com John às vezes'”.

Amante de John Lennon trabalhava no apartamento onde o músico morava
Alguns anos mais tarde, o improvável ganharia corpo entre os dois. Com dificuldade de gerenciar o casamento, Yoko sugeriu que Lennon procurasse outra mulher para se relacionar, como conta o escritor. Isso não significaria um divórcio, porém. À época, ambos moravam no prestigado edifício Dakota, em Nova York, mas passavam os dias separados, sem trocar tantas palavras. Segundo a descrição de Connolly, o músico gastava horas dormindo ou assistindo à TV com o som desligado. A artista plástica, por sua vez, demonstrava uma progressiva perda de interesse pelos projetos profissionais que desenvolvia.

A solução para a crise se materializou em May Pang, “uma bela jovem que trabalhava para o casal em seu apartamento”. Com apenas 22 anos, ela costumava vestir jeans e camisetas, além de usar grandes óculos redondos. “Estava sempre ocupada, alegre, eficiente e disposta”, recordou o jornalista. Animado com a ideia, John autorizou a mulher a apresentar a proposta para a empregada. A conversa entre as duas, segundo as palavras do autor, poderia fazer parte de uma cena de filme.

“‘Escute May’, disse Yoko, ‘John e eu não estamos nos dando bem. Ele provavelmente começará a sair com outras pessoas. Quem sabe com quem? Eu só sei que ele gosta muito de você. Então…'”, recompôs o repórter.

Depois de muita persitência, May acabou levando Lennon para a sua casa, com quem logo assumiu um romance às escondidas. Do público. Com afeição, Yoko tinha pleno conhecimento do caso. Ela, aliás, ficou tão feliz com a notícia que, quando precisou viajar para Chicago por alguns adias — para participar de uma convenção sobre feminismo —, sugeriu que May se mudasse para o seu apartamento enquanto estivesse fora. Como ressalta Connolly, para a artista, tudo fazia enorme sentido. “No Japão, o país onde nasceu, algumas mulheres de classe alta recebiam amantes em casa. Yoko podia ser feminista, mas seguia também uma longa tradição”, explicou.

A situação se estendeu por 18 meses, e fez John se sentir novamente um adolescente. Ainda assim, o astro do rock mantinha paralelamente casos esporádicos com outras mulheres, o que deixava May abalada. “De acordo com May, Yoko sugeriu o divórcio, e John teria aceitado. Mas naquele momento ela estava muito ligada à astrologia, e decidiu que as estrelas não estavam certas nesse assunto”, afirma.

A reaproximação gradual entre Yoko e Lennon se deu quando a primeira apresentou ao companheiro uma técnica de hipnose para abandonar o vício em cigarro. A partir de então, ambos voltariam a se apresentar como uma dupla intensamente apaixonada, segundo Connolly. Ainda assim, Lennon manteria visitas esparsas à residência de May.

Mas por que, afinal, John voltou tão rapidamente para Yoko? “A razão é que ela o fazia se achar inteligente. John também sentia que precisava de alguém com uma postura de ferro, mais linha dura, ao seu lado. Yoko poderia ser difícil, mas, desde que ele não questionasse seu imenso ego e desejo por fama, ela era capaz de cuidar de tudo”, responde o autor.

4 dicas de alimentação para deixar a pele perfeita

Não é só com cremes e cuidados externos que se cuida da pele. A dermatologista Ana Carolina Sumam tem dicas de alimentação saudável para cuidar do corpo.
Por Isabel Rocha com Julyana Oliveira

alimentos-que-ajudam-a-pele
(Foto Thinkstock)

Cremes hidratantes, esfoliação, maquiagem… Existem muitas formas de deixar o rosto com um “aspecto mais lisinho” e ainda mais bonito. Apesar da rotina de cuidados com a pele ser essencial para ter esse resultado, é preciso saber uma alimentação saudável é essencial. Segundo a Dra. Ana Carolina Sumam, especialista em dermatologia, existem algumas vitaminas e minerais em alimentos que são fundamentais para ter a pele perfeita. Veja algumas dicas:

1 Aposte nas Vitaminas A, B, C, D e E 
Todas as vitaminas são essenciais para o cuidado com a pele. Elas estímulam a produção de colágeno, reparam o DNA celular e protegem contra os danos causados pela radiação ultravioleta. Para que o corpo receba a quantidade adequada de cada uma delas é preciso ingerir frutas, legumes e verduras. Confira onde encontrar cada uma delas:
Vitamina A: Fígado, gema de ovo, óleos de peixes, cenoura, espinafre, manga e mamão.
Vitamina B: Bife, fígado, salmão, atum, peito de peru, ovos, banana, batata, abacate, feijão, espinafre, amêndoas e leite.
Vitamina C: Pimentão amarelo, suco de laranja, morango fresco, mamão papaia, kiwi, goiaba vermelha, melão-cantalupo, suco de tomate, manga, laranja, brócolis.
Vitamina D: Carnes, peixes, salmão, sardinha, mariscos, ovo, leite, fígado, queijos e cogumelos.
Vitamina E: Sementes de girassol, avelãs, castanhas, salmão, bacalhau e ovo cozido.

2 Coma alimentos antioxidantes
Eles são muito importantes para combater o dano causado pela radiação ultravioleta e pela poluição, que provocam o envelhecimento precoce ou até mesmo a formação de um câncer de pele. Você pode apostar em frutas vermelhas, frutas cítricas, aveia, açafrão, linhaça, mamão, abacaxi e melão.

3 Beba bastante água
Pode parecer óbvio, mas um corpo bem hidratado resulta em uma pele bem hidratada, até porque as nossas células são também compostas de água. Veja algumas dicas para conseguir tomar a quantidade correta para a hidratação do seu corpo clicando aqui.

4 Cuidado com os carboidratos em excesso e proteínas em excesso
O que não faz bem para pele é aquilo que também não faz bem ao nosso corpo, ou seja, a gordura ruim, uma alimentação com excesso de carboidratos. O excesso de proteína também causa acne, então é recomendado um equilíbrio na alimentação.

Harper’s Bazaar Czech October 2018 Linda Vojtova by Andreas Ortner

Sem título.jpgPhotography: Andreas Ortner at SCHIERKE Artists. Styling: Maria Kohutik. Hair: Martin Tyl. Makeup: Ivana Tokarska. Model: Linda Vojtova.

Múltiplas influências

Conheça o designer catarinense Giácomo Tomazzi, formado em Arquitetura e Design de Produtos

1537550215134
O designer e arquiteto catarinense Giácomo Tomazzi  Foto: Estúdio Giácomo Tomazzi

Ao designer catarinense Giácomo Tomazzi agrada transitar entre dois mundos: o da produção em grande escala e o da confecção de pequenas séries em ateliê. Formado em Arquitetura e Urbanismo, ele também estudou Design de Produto, porém não chegou a concluir o curso. Até por isso, todos os aspectos construtivos do móvel lhe interessam em igual medida: encaixes, detalhes, mistura de materiais, tudo colaborando para um resultado equilibrado. “Seja na grande, ou na pequena escala, o que busco é exercitar minha criatividade”, conforme ele afirma nesta entrevista ao Casa. [Marcelo Lima]

Você é arquiteto e já atuou na área. O que a sua formação veio agregar ao seu trabalho como designer? 
Acredito que como arquiteto tenho uma visão mais ampla do projeto, pois não penso o móvel em si, mas como ele será inserido e usado no espaço. Penso também nas novas formas de morar e assim fica mais fácil decodificar as necessidades do usuário e da indústria.

A influência dos modernistas brasileiros é nítida em designers da sua geração. Como ela se manifesta em seu trabalho?
De fato. No ano passado, eu participei da feira MADE (Mercado, Arte e Design) e apresentei a coleção Modernista, trabalhando com pedras brasileiras e fazendo uma referência direta à arquitetura brasileira, expressa no uso de matéria-prima nacional e em formas que remetem aos jardins do Burle Marx e outras obras de arquitetos modernos. Outro ponto que considero importante e faz referência ao movimento, é deixar a estrutura do móvel aparente, fazendo parte do desenho da peça.

Sem título.jpg
Cadeira projetada pelo arquiteto e designer catarinense Giácomo Tomazzi Foto: Estúdio Giácomo Tomazzi

Como designer, quais as vantagens e desvantagens de se editar móveis por conta própria, em um ateliê, e de ser editado por um grande fabricante?
Me agrada trabalhar nestas duas frentes justamente por terem abordagens muito diferentes. Com a indústria você ganha volume e otimização de processos, dando mais agilidade a fabricação e o produto atinge um maior número de pessoas. A fabricação independente é um processo mais lento, personalizado, feito à mão muitas vezes e com custo maior, porém existe a possibilidade de brincar mais com os aspectos simbólicos e estéticos de cada peça e carregar mais no conceito. Nos dois casos, a receptividade de meus produtos tem sido boa e acho que estou conseguindo imprimir minha linguagem a estes dois universos.

Alta-costura: vestidos feitos à mão fazem retorno ao universo pop

Os desfiles de haute-couture voltam a emocionar e reafirmam a imponência
da moda como forma de arte
Por Ucha Meirelles

20180808-3916
Ucha usa Christian Dior e joias portuguesas do século 18 (Foto: João Bertholini)

O termo já é pomposo: haute couture. Só de ler em voz alta já somos transportados para a corte, os bailes reais e as semanas de moda em Paris. A bem da verdade, a alta-costura não fica longe desse imaginário dos contos de fadas. As peças são fruto de um trabalho artesanal em que até o avesso deve ser tão perfeito quanto o lado de fora da roupa.

O nascimento deste segmento da moda é atribuído ao inglês Charles Frederick Worth (1825-1895), que abriu sua primeira maison em Paris em 1858. Foi ele o responsável por vestir a Princesa Eugênia, esposa de Napoleão III, em festas e bailes luxuosos. Além disso, Worth foi o primeiro a realizar um desfile de moda com modelos em vez de cabides, como era de costume.

gettyimages-991710466
Ucha Meirelles Alta-Costura (Valentino Couture / Outono-Inverno 2018) (Foto: Getty Images)
gettyimages-2636057_nath
Ucha Meirelles Alta-Costura – (Christian Dior em seu ateliê em 1952) (Foto: Getty Images)
tumblr_p8e9btr1cm1v65bbmo1_r1_1280.jpg
Ucha Meirelles Alta-Costura (Valentino Couture / Outono-Inverno 2018) (Foto: Divulgação)
gettyimages-989078932 (1)
Ucha Meirelles Alta-Costura – (Givenchy Couture/ Outono-Inverno 2018) (Foto: Getty Images)

Hoje em dia, as ocasiões para vestir-se com alta-costura são poucas e para poucos. Mesmo assim, todo ano esperamos ansiosamente para ver o que as grandes marcas irão apresentar. Apesar de muitos acharem que esse trabalho especial esteja com seus dias contados, devido à produção em massa de roupas e ao fast fashion, sou daquelas que crê no contrário: é uma arte que vai continuar encantando e influenciando a moda como um todo por muito tempo.

gettyimages-989759918
Ucha Meirelles Alta-Costura – (Dior Couture/ Outono-Inverno 2018) (Foto: Getty Images)
gettyimages-958402478
Ucha Meirelles Alta-Costura – (Anne Hathaway e Frances McDormand no baile do Met Gala em 2018) (Foto: Getty Images)

O vestido que escolhi para a foto desta edição, um Dior da coleção primavera-verão 2018 de prêt-a-porter, é um ótimo exemplo. Inteiramente bordado, é uma peça rica, cheia de história e desfilado fora das passarelas de alta-costura. E nem por isso deixa de ser algo tão precioso quanto.

eliesaabworld_1
Ucha Meirelles Alta-Costura – (Ellie Saab Couture / Outono-Inverno 2018) (Foto: Divulgação)
hubert-de-givenchy-debut-collection-february-1952_nath (1).jpg
Ucha Meirelles Alta-Costura – (Ellie Saab Couture / Outono-Inverno 2018) (Foto: Divulgação)
viktor-e-rolf-hc-rf18-0162.jpg
Ucha Meirelles Alta-Costura (O branco de Viktor & Rolf) (Foto: Imaxtree)

Voltando à couture de fato, este ano tivemos duas marcas que fizeram um tributo ao tema: Givenchy e Viktor & Rolf. A primeira, com a diretora criativa Clare Waight Keller, desenvolveu uma coleção minimalista e em homenagem ao trabalho de Hubert de Givenchy, falecido em março deste ano. Já a dupla Viktor & Rolf apresentou “The Immaculate Collection”, onde celebrou os 25 anos da marca. Os looks, todos em branco, recuperavam ícones da casa. O desfile de Pierpaolo Piccioli para Valentino também foi encantador, com suas criações pensadas individualmente e repletas de volumes e cores.

valentino (1)
Ucha Meirelles Alta-Costura (Valentino Couture / Outono-Inverno 2018) (Foto: Divulgação)
gettyimages-989078242
Ucha Meirelles Alta-Costura – (A noiva da temporada Outono-Inverno 2018 Givenchy) (Foto: Getty Images)
gettyimages-956424320
Ucha Meirelles Alta-Costura – (Anne Hathaway e Frances McDormand no baile do Met Gala em 2018) (Foto: Getty Images)
gettyimages-991739720
Ucha Meirelles Alta-Costura (Valentino Couture / Outono-Inverno 2018) (Foto: Getty Images)

Provando que os tempos modernos podem, sim, andar lado a lado com a couture, a diva Beyoncé usou, em seu show no Stade de France em Saint-Denis, Paris, o vestido tangerina da Valentino apenas uma semana após ele ter sido desfilado! É a couture invadindo o pop (e vice-versa).

Beleza: Ale Fagundes (Capa MGT) com produtos Dior e L’oreal Profissionnel

Unilever une suas marcas em campanha de sustentabilidade

Projetos de Omo, Dove, Knnor e Kibon são citados

Sem título
Unilever une marcas em campanha (Unilever/Reprodução)

Unilever lançou a campanha publicitária “Cada U Faz o Bem” para reforçar seus investimentos em negócios sustentáveis e a missão de conscientizar e engajar seus consumidores, em todo o mundo, de que a sustentabilidade  é uma escolha que começa na gôndola.

A linguagem jovem e dinâmica da campanha pretende mostrar o compromisso das marcas em reduzir o impacto de suas atividades e promover melhorias socioambientais a partir do seu plano de sustentabilidade.

Durante a campanha, os projetos da companhia são apresentados, como OMO – que incentiva o brincar ao livre – e Dove – que ensina meninas sobre autoestima. Já Knorr apoia o cultivo sustentável e Kibon visa a geração de empregos.

Todas as propostas foram reunidas no site da companhia.

Publicitária Amanda Santos larga emprego chato por seu negócio dos sonhos: babá de gatos

Amanda Santos estava infeliz com a carreira que escolheu. O hábito de resgatar gatos foi o começo de uma empresa que já é seu novo sustento
Por Mariana Fonseca

cattitude03
Amanda Santos, do Cattitude: em feriados, os dias mais disputados, o negócio chega a realizar oito visitas no dia (Cattitude/Divulgação)

São Paulo – Passar manhãs, tardes e noites ao lado de gatinhos parece um hobby para solteirões e solteironas – mas, para Amanda Santos, o hábito virou negócio.

empreendedora aproveitou bem o fato de os donos dos mais de 130 milhões de animais de estimação no Brasil estarem mais exigentes na hora de cuidar de seu bichinho, unindo a demanda à sua experiência com gatos e ao poder de viralização da rede social Instagram.

A mistura desses fatores originou a Cattitude, um serviço de cat sitter, ou babá de gatos. O caso de Santos mostra que, sim, influenciadores podem ganhar dinheiro com a estratégia certa: ela já consegue viver apenas da Cattitude, sem planos de voltar para sua carreira original.

De publicitária a babá de gatos
Santos conciliava seu trabalho em uma agência publicitária com o resgate de gatos abandonados, sendo voluntária de uma ONG desde 2011. Colegas da publicitária sabiam de sua paixão por gatos e a procuravam antes de viagens para cuidar dos pets que não poderiam acompanhá-los no passeio.

Ela ficava com os gatos por hobby – mas sua desmotivação com a carreira de publicitária lhe rendeu uma demissão na véspera de Natal e a decisão por fazer um teste de mercado. Na virada de 2017 para 2018, Santos encarou como profissão o cuidado com os pets e conseguiu mais de 30 clientes pagantes, que viajariam e não tinham quem cuidasse de seus gatos. Esse experimento se tornaria o Cattitude.

cattitude01
Amanda Santos, do Cattitude (Cattitude/Divulgação)

Santos realiza uma pré-visita na residência do interessado, para preencher dados cadastrais e se familiarizar com o pet. No dia agendado, ela vai até a casa do proprietário e toma conta de seu gatinho: brincar, trocar a areia, dar comida e água, cortar a unhas e, se necessário, fazer procedimentos de primeiros socorros. Ter feito um intensivo de dois meses e meio de auxiliar veterinária há alguns anos, quando ainda era apenas voluntária da ONG que resgata gatos abandonados, foi fundamental para que o Cattitude ganhasse mais credibilidade, conta Santos.

A empreendedora cobra de 70 a 85 reais por hora, a depender da localização do cliente. Durante viagens, há tanto clientes que contratam visitas todos os dias quanto dias alternados, já que gatos não precisam de atenção constante. Esse serviço de sitter faz mais sentido para gatos do que para cachorros, já que eles são “territorialistas” e “odeiam sair de casa”, explica Santos, que também atende alguns cães e os leva para passear.

A Cattitude realiza de três a quatro visitas nos dias de semana, menos movimentados. Nos finais de semana, faz por volta de cinco visitas. Já em feriados, os dias mais disputados, o negócio chega a realizar oito visitas no dia. Em um mês, Santos fatura de cinco a seis mil reais – e consegue sobreviver apenas de seu antigo hobby. Ela não pretende voltar ao mercado de publicidade.

Estratégia de expansão
Santos diz que o primeiro salto para a Cattitude veio de forma orgânica: ela conhecia Amanda Nori e Stéfany Guimarães, as empreendedoras por trás da página de sucesso Cansei de Ser Gato. Ao cuidar do gatinho Chico, que possui quase 1,2 milhão de curtidas no Facebook e 364 mil seguidores no Instagram, o Cattitude cresceu pelo boca a boca virtual. Santos já cuidou pets de influenciadoras como JoutJout e Kéfera.

O principal canal de divulgação do Cattitude é o Instagram, especialmente com o recurso stories. Com vídeos de até um minuto, Santos grava alguns momentos de sua visita, com autorização prévia dos donos dos gatos. É uma forma não só de ele ver o cuidado com seu gato, complementado por conversas pelo WhatsApp, mas também de pessoas que ainda não contrataram o serviço o acharem mais profissional e seguro.

O Instagram possui 25 milhões de páginas empresariais, sendo que 50% dos negócios criaram pelo menos um stories no Instagram no último mês. Um terço dos stories mais vistos são de empresas e um em cada três stories resultam em uma mensagem direta.

Melissa Amorim, diretora de comunicações do Instagram na América Latina, afirma que o recurso pode ser usado para bastidores (como faz o Cattitude) ou para promoções e eventos pontuais, que perderão o sentido se ficarem para sempre no feed da empresa. Nos stories, o foco está menos em conteúdos super produzidos e mais em falar a linguagem certa para sua empresa e para seu público. “Se a Amanda [Santos] fizesse um vídeo super artístico dos gatos, perderia o interesse, que é conhecer seu cotidiano com ele. Tenha alguns padrões de linguagem visual, para que as pessoas percebem que não é algo aleatório, que sua marca é engraçada, incrível ou útil, por exemplo.”

Santos não investe em publicidade paga no Instagram, mas a estratégia consta nos planos. A empreendedora também recebe muitas dúvidas sobre cuidados com gatos e pretende montar um blog ou um canal no YouTube focado nesse tema.

O mercado para pets é cheio de concorrentes. A preocupação em achar o melhor para os bichinhos de estimação já gerou startups de sucesso especializadas em serviços de hospedagem e passeio. A principal é a DogHero, que acumulou 450 mil cães cadastrados em sua plataforma e ganhou um investimento de 8 milhões de reais para expandir ao México. Outra startup concorrente é a Pet Anjo, que oferece serviços para cães, gatos e até iguanas. Diante de players maiores, o grande trunfo de Santos é se aproximar mais dos clientes e de seus gatinhos a cada novo Stories. Em algo a experiência na publicidade acrescentou.

Décor do dia: varanda decorada com objetos de fibras naturais

Tons terrosos se mesclam com a natureza para uma tarde de puro aconchego
Por Paula Jacob I Fotos: WestWing/ Divulgação

decor-do-dia-21Tem uma varanda, mas não sabe como deixá-la receptiva e aconchegante? Este cantinho decorado pela Westwing é perfeito para tomar um café-da-manhã ou até mesmo aproveitar um jantar a luz de velas nas noites mais frescas. Os móveis e objetos de vime e fibras naturais formam uma composição despretensiosa e acolhedora.

decor-do-dia-21-09_5eMwtZrA daybed ainda recebeu uma composição de almofadas e mantas com tramas diferentes para deixar o momento ainda mais relaxante. Os cestos de vime, o tapete com desenhos astecas e os vasos com plantas variadas fazem desta varanda decorada um verdadeiro cenário de filme – Me Chame Pelo Seu Nome que se cuide!