Eloisa Fontes in Chanel Special for Harper’s Bazaar Czech by Andreas Ortner

Sem título.jpgPhotography: Andreas Ortner at SCHIERKE Artists. Model: Eloisa Fontes at Munich Models.

Hermès mistura referências náuticas e selaria em seu verão 2019

Marca levou fashionistas ao hipódromo renovado de Longchamp, em Paris

1538427994460
A passarela montada no hipódromo de Longchamp tinha um imenso espelho inclinado que refletia o céu de Paris Foto: Valerio Mezzanotti/The New York Times

A Hermès, a casa de moda batizada com o nome do veloz deus grego mensageiro, há muito é associada às corridas de cavalos. Ela reforçou sua herança ao lançar uma competição de saltos em 2009, a Saut Hermès. Sinônimo de luxo, a marca abraçou novamente este legado ao levar seu desfile na Semana de Moda de Paris para um renovado hipódromo Longchamp, na noite de sábado, 29.

Os convidados que se preparavam para um estilo que falasse de cavalos foram de certa forma desapontados pelas poucas referências equestres óbvias. Uma que se encaixava nessa ficha era um vestido branco com ilhóses, inspirado nos aventais dos preparadores de cavalos. Ainda havia detalhes de construções vindos da selaria e um perfume náutico nesta coleção da marca.

Sem título.jpg
Detalhe de um dos looks da coleção, com blusa em couro e uma joia: design e acabamentos preciosos Foto: Bertrand GUAY/AFP

Mas os 47 looks da estilista Nadege Vanhee-Cybulski alinhados à tendência de cores neutras eram superlativos por várias outras razões. Pelos materiais e acabamentos primorosos. E também pelo estilo minimalista esportivo assinatura de designer, pelas silhuetas limpas e pelas formas simples geométricas, assim como pelas proporções ajustadas e pelos acessórios desejo. //Com informações da AP

1538427994459
Looks do verão 2019 da Hermès, que nessa coleção mistura referências náuticas e equestres Foto: Bertrand GUAY/AFP
1538427994481
Um top esportivo usado com calça de couro perfurada da Hermès Foto: Bertrand GUAY/AFP

Plissados e brilhos dão o tom ao desfile da Givenchy

Vestidos fluidos foram outro destaque da apresentação da marca comandada por Clare Waight Keller

1538427244200
O plissado foi um dos destaques do desfile da Givenchy Foto: Alain JOCARD / AFP

Alfaiataria sofisticada, vestidos plissados e roupas de noite brilhantes foram destaque no desfile da Givenchy durante a Semana de Moda de Paris no domingo, 30. As linhas simples por quais Clare Waight Keller ficou conhecida, também estavam na coleção primavera/verão 2019, em roupas assimétricas, decotes profundos e uma série de roupas em dois tons.

Calças de cintura alta vieram com um toque militar. Jaquetas acinturadas (para eles e elas) tinham camadas sutis enquanto plissados decoravam vestidos fluidos e coloridos. Na cartela de cores, foi predominante o camelo e o azul-marinho, que criaram contraste com o prateado cintilante das franjas dos looks de noite. [Reuters]

1538427244222
O prata foi a aposta de Clare Waight Keller para os looks de noite Foto: EFE/EPA/ETIENNE LAURENT

Descubra os looks certos para fazer bonito em casamentos no campo, na praia ou na cidade

Sem título.jpg
Danilo Fonseca usa blazer e calça, ambos Richards, camisa Reserva, gravata Zara e aliança Talento. Scarllath usa vestido Carol Hungria, colar Carla Amorim, brincos HStern, pulseira de pérolas Swarovski e pulseira Tiffany & Co.

O casamento de dia permite produções divertidas com cores e estampas mais alegres. A dica para acertar no look é apostar em tons claros!


Foto: João Arraes | Styling: Natalia Conti | Edição de moda: Patricia Tremblais | Beleza: Nathalie Billio | Assistentes de fotografia: Gabryel Matos e Felipe Luz. Assistente de beleza: Gutemberg Cardoso e Stephanie Farah. Produção executiva: Eduardo de Mauro. Assistente de produção: Matheus Martins.Tratamento de imagem: Victor Wagner. Decoração e design floral: Renata Paraíso. Espaço : Lago Buriti.

Paris moderniza guarda-roupa clássico sem apelar para a naftalina

Na coleção primavera-verão 2019, liberdade é a palavra da vez

300918-valentino-desfile01-400x600
Coleção primavera-verão 2019 da Valentino Christophe Ena/AP

PARIS – Para algumas grifes, Paris já mostrou nas passarelas de verão 2019, liberdade significa não temer sair na rua com o corpo exposto. Outras, porém, versam sobre essa palavra que define as principais coleções da temporada com um estudo complexo sobre o guarda-roupa clássico.

De maneiras similares, Hermès, Valentino e Balenciaga, três guardiãs da boa costura, reestruturaram padrões simples, jogando com volumes e tecidos de forma que as peças emulassem a tal liberdade.

Na tarde do domingo (30), a Valentino do estilista Pierpaolo Piccioli olhou para os padrões da moda helênica, repleta de peças plissadas e silhueta solta, para cortar um trabalho de forma.

Tafetá, couro e seda são as bases das peças que parecem desabrochar dos colos como copas de flores, um estudo já empreendido por Piccioli na temporada passada, mas que nesta é menos estruturada e mais leve. Ele transforma as linhas sinuosas dos arabescos em estampas pontuais.

Os desenhos, no entanto, são menores nesta coleção, essencialmente monocromática em vermelhos, cor principal da Valentino, rosa, preto e tons de ocre, como se pedisse à plateia para olhar sua técnica, não o que está aparente e pronto para as redes sociais.

Volumes que variam de complexos casulos plissados a levíssimos xales cortados pela metade, caídos nos ombros, são exemplos da tesoura experiente que Piccioli aplica nessa alta-costura transformada em prêt-à-porter (pronto para vestir).

Uma alta-costura tão técnica e livre quanto a de Nadège Vanhee-Cybulski, estilista francesa que elevou o padrão das coleções da Hermès a um nível de detalhismo poucas vezes valorizado pelas marcas de luxo, hoje mais atentas ao furor imagético proporcionado pela noite.

Ensolarada, a coleção desfilada no sábado (29) é um meio entre a estética do mar e a da selaria, um tratado de elegância atemporal transformado em esportivo nobre, cortado em couro e cashmere dublado.

Nadège retirou cordas e redes da imagem “navy” para transformá-los, respectivamente, em aviamentos e tecidos vazados. Do universo equestre, pincelou as formas da sela, para criar camisas e vestidos envelopados e com linhas sinuosas.

Os arreios viraram alças e acabamentos para acessórios, e o couro, matéria-prima pela qual a Hermès é reconhecida, foi usado como base de jaquetas corta vento, peça que apareceu em vários desfiles, e saias vazadas como redes de pesca.

À sempre sóbria cartela da grife, uma bem amarrada mistura de off-white, beges e o laranja-Hermès, Nadège adicionou olivas e vinhos, só que em tom envelhecido, como se oxidados pela maresia.

Esse efeito da ação do tempo, próprio a uma marca famosa pelas peças que viram heranças de família, foi usado em botões desenhados pelo artista plástico Laurence Owen.

O ponto que permite a essas marcas criar uma moda clássica sem apelar para a naftalina é o contraste de volumes, tingidos por cores iluminadas e cortes tradicionais com proporções revistas.

Fórmula que a Balenciaga, dirigida pelo georgiano Demna Gvasalia, domina como poucos. Na passarela do domingo, ele deformou a alfaiataria clássica com ombreiras, camisas de golas enormes e mangas flácidas usadas em vestidos de corpo ajustado.

Bem mais noturno que seus colegas, ele tinge seu estudo sobre o corpo com o azul do jeans, o rosa choque e o verde limão, combinando-os ao preto básico das roupas de gala.

Tradicionais, mas comprometidas com a modernidade, abraçando códigos da elegância do passado, porém livres das formas convencionais, as grifes querem reverenciar seus legados com a poeira devidamente espanada. [Pedro Diniz]

Balenciaga Summer 19

Balenciaga Summer 19 Video installation by Jon Rafman Music by BFRND

Valentino reforça o glitter como a maquiagem do verão em Paris

Pat McGrath assina a beleza do desfile de verão 2019 da grife, que propõe olhos gráficos coloridos e lábios cobertos por glitter
Por Vinícius Guidini

Sem título.jpg
Beleza do verão 2019 da Valentino (Foto: Gerson Lirio Paris/FashioToMax)

Em uma coleção que evoca liberdade, Pierpaolo Piccioli dá vida a este espírito com uma beleza de traços levemente fun no verão 2019 da Valentino, desfilada no domingo (30.09) em Paris. O conceito é – mais uma vez – assinado por Pat McGrath, parceira recorrente do diretor criativo. Os brilhos, marca registrada da makeup artist, aparecem nos olhos de algumas modelos em aplicações gráficas coloridas, e também sobre os lábios vermelhos vibrantes ao trazer à tona a cor que é tão característica da grife italiana.

O conceito brilhante se reafirma como tendência para a estação depois de uma bem sucedida temporada americana, no começo de setembro. De versões mais pé no chão, como a “pincelada” dourada de Kate Spade, às realmente conceituais, como as bocas folheadas a ouro de Jeremy Scott, há muitas opções para se inspirar na próxima night out – que, agora, ganha o aval da semana de moda francesa.

 

Claire Foy afirma que luta contra ansiedade, apesar do sucesso

‘O problema é que isso não está relacionado a nada que pareça lógico’, disse a atriz

the-crown-3558375-bu-1478474119588460
Claire Foy no papel da rainha Elizabeth na série ‘The Crown’, da Netflix 

Claire Foy contou para a revista Guardian Weekend que luta contra a ansiedade desde a infância, mas o problema “explodiu” quando começou a carreira de atriz. Segundo o relato, ela teve “muitos pensamentos sobre como eu sou uma m****” durante anos.

Aos 34 anos, a britânica já conquistou o Globo de Ouro e o Emmy de melhor atriz em série dramática por sua interpretação da monarca Elizabeth, na série The Crown, da Netflix. No entanto, ela contou que o sucesso no papel de uma rainha e ser aclamada pela crítica não mudou sua vida como ela esperava.

“Nós elogiamos muito o sucesso e achamos que, se você for bem-sucedido, você é especial. Talvez isso mude algumas pessoas. Mas o que eu achei realmente desconcertante foi que isso não me mudou nada. Por fim, a mesma velha porcaria está acontecendo.”

A atriz contou que com a ansiedade sua mente “trabalha a mil por segundo”. “O problema é que isso não está relacionado a nada que pareça lógico. É puramente sobre esse sentimento na boca do seu estômago, e a sensação de que você não pode, porque você é ‘isso’ ou você é ‘aquilo’.”

Serena Williams canta em campanha contra câncer de mama

Segurando os seios nus, a tenista entoa a música ‘I Touch Myself’ para conscientizar sobre o autoexame

A tenista Serena Williams surpreendeu seus seguidores no Instagram neste sábado, 29, ao publicar um vídeo em que aparece segurando os seios nus e cantando o hit dos anos noventa I Touch Myself, da banda The Divinyls. A gravação faz parte do mês de conscientização sobre câncer de mama, que ocorre em outubro, e pretende incentivar o autoexame.

“Sim, isso me tirou da minha zona de conforto, mas eu queria fazer isso porque é um problema que afeta todas as mulheres de todas as cores, em todo o mundo”, escreveu a atleta.

O vídeo integra o projeto I Touch Myself (Eu me toco) que foi criado em homenagem à Chrissy Amphlett, vocalista do grupo The Divinyls. A cantora morreu de câncer de mama em 2013.

Assista ao clipe original: