Isaro aposta em minimalismo, quantidades limitadas e propósito

Foco no menos é mais e na atenção ao trabalho manual e materiais naturais diferenciam a marca
Por Anita Porfirio (@nitafp)

isaro
Les Invisibles, coleção da Isaro (Foto: Divulgação)

Existem várias formas de ser sustentável, mas o importante é começar por algum lugar. Uma maneira é consumir menos roupas, tendo um closet que preza por peças duráveis, feitas em ateliês justos com materiais naturais. Se a marca, além de tudo isso, ainda tiver propósitos nobres – como a diversidade -, ganha muitos pontos.

Entra em cena a Isaro. Criada em 2016 por Bel Rott e inspirada em valores escandinavos, a marca tem como lema o genderless, o atemporal e o “minimalismo na pele”. “O minimalismo não é só no corte, mas também no fato de não precisar de muitas peças no armário, pois as que temos são versáteis”, diz, e ainda acrescenta que “roupa não precisa ter gênero, e sim, identidade.”

dark_flow_dress_-_r465
Peças são feitas em pequena escala (Foto: Divulgação)

Para chegar ao padrão de atenção aos detalhes desejado, Bel optou por desenvolver a mais recente coleção da marca no Fix Atelier, ateliê de costura em pequena escala que trabalha com uma equipe de menos de 10 funcionários, prezando pelo bem-estar e pelo acabamento primoroso. “Eu queria um local que atendesse às nossas demandas e que se tivesse valores parecidos com a marca”, diz a designer, “o fato de ser um ateliê menor e que presta atenção nos detalhes pesou nessa escolha.” Na luta contra a produção em massa e o desperdício, entra também a escolha de fibras naturais. “O material usado na confecção é essencial, pois a marca quer fugir do atual fast-fashion. Sendo assim, valorizamos o algodão, a seda e o linho, materiais que, se bem escolhidos, abraçam nosso corpo.”

grey_leather_shirt_-_r350
Coleção levanta a bandeira das minorias (Foto: Divulgação)

Além da atenção à mão-de-obra e à matéria-prima, a Isaro também busca levantar, a cada coleção, bandeiras sociais pertinentes. Com a Les Invisibles, que chega às lojas em novembro, a marca coloca o holofote sobre minorias e militâncias pela igualdade de gêneros e pela diversidade e inclusão de pessoas “invisíveis” ao status quo.

Reforçando o conceito do lançamento, uma exposição em conjunto com Kaju será armada entre os dias 02 e 04.11 na galeria Na Fresta, em Pinheiros. Durante os dias, a artista irá customizar peças que serão colocadas à venda e terão parte da renda revertida para o Coletivo Trans Sol, cujo propósito é a inclusão de pessoas trans no mercado de trabalho por meio da costura. “As travestis e transexuais são o maior alvo de homicídios no Brasil”, diz Bel, “sendo assim, achamos que fez sentido escolher o Coletivo, que reflete bem o que queremos representar com a coleção Les Invisibles.”

Na Fresta
R. Fradique Coutinho, 1390, Pinheiros, São Paulo.

Pelos caminhos do design

Aristeu Pires comenta sua trajetória e as particularidades de sua produção

Sem título
O sofá de dois lugares Beatriz Foto: Estúdio Aristeu Pires

Muitas foram as razões que levaram o designer brasileiro Aristeu Pires a abandonar uma sólida carreira na área de ciências da computação para se dedicar ao desenho de móveis e objetos. Tarefa à qual ele vem se exercitando, com prazer, há quase duas décadas. “Primeiro, senti a necessidade de me dedicar a um trabalho que não me afastasse tanto do convívio familiar. Depois, bateu uma vontade de desenvolver uma atividade mais criativa, coisa que eu não fazia”, conta o designer autodidata, que, após um ano de trabalho nos Estados Unidos – que lhe rendeu, inclusive, uma loja em Chicago –, lançou sua primeira coleção de móveis no início de 2016, juntamente com a inauguração de seu showroom na cidade de Canela, na Serra Gaúcha. “Nunca me arrependi de ter trocado a computação pelo design. Os sistemas ficam obsoletos. Já os móveis viram ‘vintage’”, conforme ele afirmou nesta entrevista ao Casa. [Marcelo Lima]

1539286856140
Aristeu Pires Foto: Estúdio Aristeu Pires

Qual sua formação na área de design? 
Não tive nenhum aprendizado propriamente formal, apenas li muitas coisas, e, principalmente, procurei me cercar de profissionais experientes, alguns que vinham de gerações de marceneiros. Também aprendi muito em conversas e em encontros importantes ao longo da vida, em especial com grandes mestres do design que tive a felicidade de conhecer, como Sérgio Rodrigues e Fernando Mendes.

O que te levou a abandonar a computação para se dedicar ao desenho de móveis?
Antes de mais nada, eu adorava o que fazia, principalmente porque trabalhava na área de desenvolvimento e, nos últimos anos, de soluções. O que me atraía no design era o processo criativo. Mas devo admitir que o que pesou na decisão foi a qualidade de vida. O meu trabalho demandava muitas viagens e isso começou a limitar meu convívio familiar.

Seus móveis são famosos pela qualidade de fabricação que incluem técnicas de marcenaria e acabamentos artesanais. No que eles diferem da produção convencional?
Na parte de usinagem da madeira, que representa apenas 5% do trabalho, empregamos tecnologia de ponta, o que gera uma precisão muito maior e, acima de tudo, o risco de acidentes fica bastante minimizado. Já os outros 95% do trabalho são totalmente feitos à mão. Fazendo um paralelo, seria como comer uma pizza artesanal em uma pizzaria de primeira linha e comprar uma congelada no supermercado e depois esquentar em casa.

Você concorda que a cadeira é o móvel mais complexo para se desenhar? Por falar nisso, por que todas as que você projeta são batizadas com nomes de mulheres?
Sim, com toda certeza. A cadeira, além das características estéticas, requer atenção especial em função de sua ergonomia muito particular, que exige uma estrutura forte, mas que, no entanto, não deve pesar visualmente. Além disso, uma cadeira acaba sempre sendo transportada de um lugar para outro, sem falar que muitas pessoas se movimentam muito. Quanto aos nomes, além de ter algumas mulheres em especial para homenagear, tenho 6 filhas, 5 netas e 5 irmãs. A cadeira te acolhe, te abraça, te envolve. Já uma mesa é totalmente previsível. Só precisa ter a altura certa e permanecer estável.

Novas luminárias investem em formatos e materiais inusitados

Participar ativamente da decoração: esse parece ser o objetivo primordial da nova safra de luminárias decorativas

1539285595098.jpg
Na coleção de Cristiana Bertolucci, e Sérgio Cabral, as bolhas no interior da massa de vidro são formadas pelo calor ao qual o produto fica exposto durante sua confecção Foto: Cristiana Bertolucci Estúdio

Participar ativamente da decoração. Esse parece ser o objetivo primordial da nova safra de luminárias decorativas que acaba de chegar ao mercado ostentando assinaturas de peso. Diferentes em suas propostas, materiais e técnicas, elas só falam a mesma língua quando surgem iluminando os mais diversos ambientes. A partir daí, é impossível, a qualquer uma delas, passar desapercebida. No caso do arquiteto goiano Leo Romano a inspiração para compor a linha Ball Up, da Klaxon, veio da infância. Especificamente do movimento dos balões a gás que tocam o teto após se soltarem das mãos das crianças.

Com aparência de ‘água endurecida’ a não menos impactante coleção Sólido Etéreo, dos designers Cristiana Bertolucci e Sérgio Cabral, traz peças únicas, desenvolvidas a partir de vidro soprado combinado a outros materiais. Por fim, a Labluz convidou o designer Paulo Alves para assinar sua primeira coleção autoral e o resultado não poderia ser outro: um delicado trabalho de marcenaria e encaixes, na melhor tradição do móvel modernista brasileiro. [Marcelo Lima]

1539285355111.jpg
Na coleção de Leo Romano, as cúpulas parecem estar ‘beijando’ o teto, enquanto que as hastes, logo abaixo, remetem aos cordões que ligam às crianças aos seus balões Foto: Klaxon

Gigi Hadid tem uma nova versão para a icônica camiseta de turnê

Top usa moletom de marca israelense que transforma a camiseta de turnê em peça fashionista

gigi-hadid-out-in-new-york-city-10-05-2018-9_thumbnail (1)
Gigi Hadid (Foto: Getty Images)

Peça clássica do uniforme off-duty das modelos durante as semanas de moda, a camiseta de turnê acaba de ganhar uma nova versão, mais fashionista impossível, já aprovada por Gigi Hadid: o moletom Fashion Month Tour, lançado pela marca israelense Urban Sophistication, que já conquistou com suas peças bem-humoradas tops como Kendall Jenner.

A peça, de silhueta oversized, adesivo removível e gola personalizável (fazendo referência aos cartões de looks de modelos que vão cruzar as passarelas), é estampada com as datas da última temporada de desfiles de verão 2019, começando em Nova York e terminando em Paris, e em pouco tempo já virou queridinha de modelos como Mariana Zaragoza, Fran Summers e até Lil Miquela.

Quem quer garantir o seu, porém, deve ter paciência: o moletom já está esgotado no e-commerce oficial da marca, que promete reposição em breve. Dedo no mouse!

Bambi Northwood-Blyth for Grazia Australia by Ben Watts

Bambi-Northwood-Blyth-for-Grazia-Australia-Ben-Watts-1Photography: Ben Watts. Styling: Aileen Marr. Makeup: Stephanie Peterson. Model: Bambi Northwood-Blyth.Bambi-Northwood-Blyth-for-Grazia-Australia-Ben-Watts-6Bambi-Northwood-Blyth-for-Grazia-Australia-Ben-Watts-5Bambi-Northwood-Blyth-for-Grazia-Australia-Ben-Watts-1-2Bambi-Northwood-Blyth-for-Grazia-Australia-Ben-Watts-2Bambi-Northwood-Blyth-for-Grazia-Australia-Ben-Watts-4

Alias | Jennifer Garner afirma que reboot está em desenvolvimento

Atriz se despediu de Sydney Bristow há mais de dez anos

alias2.jpg
Jennifer Garner em Alias

De volta à TV com a comédia Camping, a atriz Jennifer Garner revelou ao Hollywood Reporter que um reboot de Alias: Codinome Perigo pode estar em desenvolvimento.

“Ouvi dizer que estão fazendo um reboot de Alias, mas ninguém conversou comigo a respeito. Quer dizer, seria completamente diferente. Mas se eles não me chamarem como convidada, vou ficar muito, muito irritada. Mas não acredito que seja tão sério ainda, porque não ouvi nada sobre o projeto.”

Criada por J.J. AbramsAlias: Codinome Perigo acompanhava Sydney Bristow, uma espiã internacional de um departamento secreto da CIA. Garner interpretava a protagonista, mas o elenco ainda contava com Bradley CooperRon RifkinCarl LumblyVictor Garber e Michael Vartan. [Mariana Canhisares]

High Life | Robert Pattinson está no espaço no primeiro trailer

Foi divulgado o primeiro trailer de High Life, ficção científica dirigida por Claire Denis.

Na trama, Monte (Robert Pattinson) faz parte de uma equipe de criminosos mandada ao espaço para descobrir segredos sobre o buraco negro mais perto da Terra. Na nave, ele precisa cuidar de Willow, sua filha que nasceu por inseminação artificial. Juliette Binoche e Mia Goth também estão no elenco.

O filme passou por vários festivais, incluindo Toronto e Nova York. O lançamento na França está marcado para 7 de novembro. [Camila Sousa]

Hana Jirickova for Costume Magazine by Olivia Frolich

Sem título.jpgPublication: Costume Magazine. Photography: Olivia Frolich at One Represents. Styling: Camilla Larsson. Hair: Lasse Pedersen. Makeup: Marie Thomsen. Model: Hana Jirickova.