Facebook rebate acusações de compartilhamento indevido de dados de usuários

Rede social disse que todos as parcerias feitas com mais de 150 empresas se basearam em consentimento dos usuários e ressaltou que práticas não ferem acordo com autoridade regulatória dos EUA
Por Agências – Reuters

Facebook, rede social de Mark Zuckerberg, se envolve em novo escândalo

O Facebook rebateu, na manhã desta quarta-feira, 19, uma matéria do New York Times, afirmando que não cedeu acesso a dados pessoais sem permissão dos usuários a empresas parceiras. Em sua edição desta quarta-feira, o jornal americano relatou que a rede social concedeu informações a grupos como Microsoft, Amazon, Yahoo e Netflix entre 2010 e 2017 – em troca, a empresa conseguiu atrair novos usuários para si e aumentar seu faturamento a partir do modelo de negócios de anúncios publicitários. 

Citando documentos de 2017, o jornal disse que o Facebook permitiu ao mecanismo de busca Bing, da Microsoft, ver os nomes de praticamente todos os amigos de usuários na rede social sem o seu consentimento.

“Nenhuma dessas parcerias ou recursos concedeu às empresas acesso a informações sem a permissão dos usuários, nem violaram nosso acordo de 2012 com a Comissão Federal do Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês)”, disse Konstantinos Papamiltiadis, diretor de plataformas de desenvolvedores e programas do Facebook, no site da empresa.

Segundo o New York Times, o Facebook também deu a empresas como Netflix e Spotify a capacidade de ler mensagens privadas dos usuários e permitiu que a Amazon acessasse nomes e informações de contato de usuários através de seus amigos.

O Facebook afirmou que o que fez foi ajudar os usuários a acessarem suas contas no Facebook ou recursos específicos em dispositivos e plataformas desenvolvidos por outras empresas como Apple, Amazon, Blackberry e Yahoo, conhecidos como parceiros de integração.

Segundo a empresa, esses parceiros têm acesso a mensagens, mas os usuários “tiveram que fazer login explicitamente no Facebook primeiro” antes de usar o recurso de mensagens de um parceiro.

O Facebook afirmou que encerou quase todas essas parcerias nos últimos meses, exceto Apple e Amazon – as duas foram mantidas pela empresa “porque muita gente ainda as acha úteis”, disse Papamiltiadis. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s