Ações da Tesla caem 7% com problemas de entrega e corte de preços

Movimentos da empresa foram mal vistos pelos investidores; para analista, montadora dificilmente vai operar no azul em 2019
Por Agências – Reuters

Elon Musk acumula os cargos de presidente das três companhias que criou: Tesla, SpaceX e The Boring Company

A montadora de carros elétricos Tesla vive nesta quarta-feira, 2, mais um dia de cão na bolsa de valores Nasdaq, com queda de cerca de 7% no preço de suas ações. O desânimo dos investidores acontece depois que a empresa decidiu reduzir US$ 2 mil nos preços de seus veículos a partir de 1º de janeiro de 2019 – o corte acontece como resposta à redução de uma política econômica de incentivo aos carros elétricos, aprovada pelo Congresso americano em 2017. De quebra, a empresa voltou a ter problemas com as entregas do Model 3, seu modelo mais popular até aqui, visto por analistas como essencial para o futuro da companhia a médio prazo.

Aprovada em 2017, a política de incentivo aos carros elétricos permitia que cidadãos americanos tivessem retorno de até US$ 7,5 mil em impostos ao adquirir um veículo deste tipo, enquanto as montadoras não vendessem 200 mil automóveis. A partir de 1º de janeiro de 2019, esse valor caiu para US$ 3,75 mil, uma vez que a Tesla conseguiu atingir a marca estabelecida pela lei. Para não perder consumidores, a empresa decidiu cortar US$ 2 mil dos preços de todos os seus produtos. 

A medida pegou mal no mercado. Para John Murphy, analista do Bank of America, o corte traz uma questão. “Se a demanda pelos Tesla segue tão alta quanto antes, por que houve um desconto?”, escreveu ele, em nota a clientes. “Para nós, esse movimento pode sugerir que a Tesla é menos robusta do que imaginamos”. 

No período entre julho e setembro de 2018, a empresa conseguiu lucrar apenas pela terceira vez em quinze anos de história, mas ainda segue no vermelho para o período fiscal de 2018 – a montadora ainda não divulgou números para o último trimestre do ano passado. Para analistas, a política de incentivos americana foi o que ajudou a empresa a ficar no azul. Agora, porém, com sua redução, há o risco da Tesla não manter o mesmo desempenho. “Ao cortar preços, a Tesla deixou claro que o fim dos subsídios é um problema”, concordou Craig Irwin, analista da Roth Capital Partners. 

Entregas. Presidente executivo da Tesla, Elon Musk, porém, segue sob pressão para realizar sua promessa de estabilizar a produção do Model 3. Em ocasiões anteriores, Musk foi incapaz de cumprir suas metas de produção e entrega. 

Agora, a empresa voltou a ter problemas com a entrega de veículos. Em comunicado emitido nesta quarta-feira, 2, a companhia disse que está conseguindo entregar cerca de mil veículos por dia – um número em linha com as promessas de Musk, mas abaixo da expectativa de Wall Street. “As entregas estão abaixo das nossas estimativas e da previsão consensual no mercado. Não espero que a Tesla opere no azul em 2019”, disse Frank Schwope, analista da NORD/LB.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.