As Filhas do Fogo | Road Movie erótico argentino ganha trailer

As Filhas do Fogo, road movie erótico argentino dirigido por Albertina Carri, teve seu primeiro trailer revelado.

O longa, que se passa na Patagônia argentina, explora uma jornada poliamorosa iniciada por três mulheres. Uma delas é uma cineasta, cujas anotações narram essas aventuras e investigam as histórias das personagens. Ao longo do caminho elas encontram outras companheiras e experimentam, juntas, novas possibilidades de relacionamento.

O longa estreia dia 14 de março.

Samsung vai abrir três lojas focadas em experiências nos EUA

Fabricante anunciou abertura de lojas em Los Angeles, Nova York e Houston no mesmo dia de lançamento de Galaxy S10, quarta-feira, 20

Lojas da Samsung terão característica semelhante as da Apple

A Samsung está abrindo três lojas nos Estados Unidos dias antes do lançamento do Samsung Galaxy S10, segundo notou o site americano Engadget. As novas lojas de experiência da fabricante serão locadas em Los Angeles, Nova York e Houston e além de vender aparelhos, vai oferecer serviços de reparos.

De acordo com a fabricante, as novas lojas serão lançadas em resposta a uma demanda de consumidores que pediam uma melhor experiência dos produtos. Isso pode ser especialmente importante para a companhia que pretende lançar um modelo de celular de tela dobrável, que deve fazer uma nova aparição durante o lançamento do Galaxy S10 no evento de quarta-feira, 20, na próxima semana.

Além de ajeitar os aparelhos, as novas lojas devem ter experiências diferenciadas como uma área para jogos de 4K e para os óculos de realidade virtual da companhia. A loja deve vender também smartphones, vestíveis, tablets, TVs e aparelhos de smart home.

Com as novidades, a fabricante coreana dá indícios de que vai adotar ao estilo de lojas da concorrente americana Apple. Até o momento, a Samsung tem apostado em vender principalmente seus produtos no varejo e lançar lojas temporárias focando na venda do produto recém-lançado.

Nova coleção-cápsula de Ipanema é das mulheres!

Olha o chinelo da Langai com a Ipanema – a marca de moda surfe pra mulheres fez um modelo clarinho e bem tropical.

Ipanema entra em 2019 com uma proposta bem legal pra sua nova coleção-cápsula! A marca de chinelo convidou as marcas cariocas de mulheres LangaiCosmo SwimVerkkoThaissa BechoAfrobeach e Croma pra participarem da sua nova coleção “Ser Movimento“. As estilistas desenvolveram estampas inspiradas do clima carioca: solverãopraia e tropicalismos. O lançamento da coleção acontece na próxima terça, 19/02, na Casa Ipanema no Rio e o preço de cada par varia entre R$ 44,90 e R$ 49,99. Você confere o resultado de cada uma abaixo!

Casa Ipanema: r. Garcia d’Avila, 77, Ipanema, Rio 

Grafismo e geometria da Verkko
Na Cosmo Swim, uva e laranja!
Cores fortes na da Afrobeach
A da Thaissa Becho é bem oitentista e combina com suas criações de moda praia!
O manchadinho tie-dye da Croma – legal, não é? Os preços dos chinelos ficam entre R$ 44,90 e R$ 49,99

Gucci anuncia iniciativas para aumentar a diversidade e inclusão na marca

A maison criou um plano de longo prazo para mudar a sua relação com a cultura e a diversidade em toda a organização.




Gucci Spring 2019 Collection (Foto: Instagram)

O momento é de mudança e a Gucci decidiu não ficar para trás em mudar o seu posicionamento. A marca anunciou na última sexta-feira (15) ações para aumentar a conscientização e a inclusão da diversidade dentro da organização. 

A ideia vem após a própria label ser centro de uma polêmica: um de seus macacões foi comparado à blackface – nome dado ao ato de uma pessoa branca tentar se fazer passar por uma pessoa negra, pintando o rosto ou usando uma máscara – e gerou uma série de críticas online. 

“Nós aceitamos a responsabilidade por esse incidente, que demonstra deficiências na nossa estratégia de incorporar a inclusão nas nossas atividades e na nossa organização”, diz Marco Bizzarri, presidente e CEO da Gucci. “Nos últimos dias, nós revimos as circunstâncias que nos trouxeram até aqui e envolvemos também os nossos acionistas, mas especialmente os nossos funcionários e líderes da nossa comunidade na África do Sul, para determinar ações imediatas que vão trazer mais diversidade para funções-chave nos nossos escritórios, além de uma grande consciência cultural em nossa organização global, para evitar que situações imilares aconteçam no futuro”. 

Em um comunicado liberado à imprensa, a marca explica que percebeu dois pontos que precisam de ação imediata: o primeiro, a contratação de talentos para funções-chave e de líderença que representem essa diversidade, especificamente para o escritório de design. O segundo, a necessidade de um investimento em educação para todos os 18 mil funcionários da Gucci, ao redor do mundo. 

O plano educacional será implementado entre maio e junho deste ano e tem como objetivo conscientizar todos na empresa sobre a diversidade cultural e a necessidade de inclusão. Um programa de intercâmbio também faz parte do projeto, de forma que funcionários de outros lugares do mundo possam ir à central da marca, na Itália, para desenvolver as suas habilidades. 

A casa ainda desenvolveu um projeto de bolsa de estudos multi-cultural de 12 meses, em parceria com escolas de moda, para oferecer oportunidades de crescimento profissional para talentos pouco representados hoje no mercado de trabalho. 

“A minha vida toda foi dedicada a lutar pra dar a mim mesmo e a qualquer outro a possibilidade de ser diferente e de se expressar livremente. Eu estou animado para receber novas perspectivas no meu time e, juntos, trabalhar ainda mais para que a Gucci represente uma voz de inclusão”, disse Alessandro Michele, diretor criativo da marca. 

Ayobami Okekunle, Elibeidy Dani Martinez, Huan Zhou & Yoonmi Sun – WSJ. Magazine March 2019 By Nadine Ijewere

Spring Dress   —   WSJ. Magazine March 2019   —   www.wsj.com
Photography: Nadine Ijewere Model: Ayobami Okekunle, Elibeidy Dani Martinez, Huan Zhou & Yoonmi Sun  Styling: Coquito Cassibba Hair: Junya Nakashima Make-Up: Grace Ahn Manicure: Honey
Set Design: Jesse Kaufmann

‘Quero que isso não seja notícia daqui a um tempo’, diz Maju sobre ser 1ª negra no ‘Jornal Nacional’

Maju Coutinho estreará na bancada do telejornal neste sábado, 16

A jornalista Maju Coutinho falou sobre o fato de ser a primeira mulher negra a apresentar o Jornal Nacional, o que ocorrerá na edição deste sábado, 16, em entrevista ao Gshow.

Maju Coutinho no ‘Jornal Nacional’. Foto: Reprodução de ‘Jornal Nacional’ 

“Eu quero que isso não seja notícia daqui a um tempo. É um simbolismo grande, estou muito feliz, mas espero que esse simbolismo gere uma prática, e que elimine qualquer manchete”, afirmou Maju sobre o fato de ser a primeira mulher negra a apresentar o telejornal.

A jornalista ainda revelou que sua família se reunirá para assistir ao programa e falou sobre sua expectativa: “Estou muito feliz. Não dormi muito bem, fiz até uma meditação. É uma conquista de muita trajetória”.

Maju trabalha diversas vezes no telejornal, mas na previsão do tempo. Desde 2017, ela também passou a apresentar o Jornal Hoje.

O anúncio de que Maju Coutinho integrará a escala da bancada do Jornal Nacional também rendeu elogios feitos por William Bonner. “Enfim, uma notícia pra alegrar todo mundo. História de talento, de dedicação, de conquista. História. A equipe e a bancada do JN dão as boas-vindas à Maju”, escreveu.

Billy Ray Cyrus presenteia a mulher com buquê de flores de Cannabis

Cantor, que vive na Califórnia onde o uso recreativo da Cannabis é permitido, ainda falou sobre ser um ‘fumante no armário por 40 anos’

Trish Cyrus (Foto: Instagram/ Reprodução)

Billy Ray Cyrus, famoso cantor country e pai da popstar Miley Cyrus, achou um jeito inusitado de presentear a mulher, Trish Cyrus, com quem está casado há muitos anos. Via Twitter, o artista compartilhou o mimo escolhido: um buquê de flores de Cannabis, que foi recebido com muito carinho pela amada.

Billy, cantor do hit Achy Breaky Heart, revelou que fuma o cigarro de maconha há 40 anos e que já precisou dar um carro para Trish, para evitar que ela sentisse o cheiro nele. “Fiquei no armário por 40 anos”, afirmou.

Já na segunda foto, Trish aparece em frente a uma despensa cheia de cannabis – vale lembrar que o casal vive na Califórnia, nos Estados Unidos, onde o uso recreativo da maconha é permitido. “Foi como eu disse para Trish, meu Deus, como os tempos estão mudando. Mamãe Louca”, escreveu.

Trish Cyrus (Foto: Instagram/ Reprodução)

Hi-tech retrô na campanha da Balenciaga

desfile de primavera-verão 2019 da Balenciaga na Semana de Moda de Paris foi uma viagem pro futuro com direito a túnel tecnológico e tudo mais (clica aqui pra ver!). A superprodução do desfile ficou por conta do artista digital canadense Jon Rafman e agora ele se une ao estilista Demna Gvasalia pra produção do vídeo da campanha da mesma coleção!

Gvasalia comentou após o seu desfile que sua intenção era transportar as pessoas pra outra realidade. O vídeo segue a mesma ideia, com tom de nostalgia em referências como o filme “Matrix“, o Y2Y ou o bug do milênio, os CDs (lembra quando CD-Rom era o auge da modernidade?) e os videogames dos anos 90. A alfaiataria e os pequenos óculos de sol acompanham os efeitos especiais hi-tech – ou seria lo-tech, hoje em dia? [Lilian Pacce]

Maximalismo ou minimalismo: Costanza Pascolato comenta o embate fashion da vez

Em polos opostos, o maximalismo e o minimalismo vivem um “embate fashion” pacífico, que sintetiza a confusão entre ser e parecer, um dos dilemas recorrentes da vida real na era da estética digital
COSTANZA PASCOLATO

Da esquerda para a direita: o maximalismo opulento de Dolce & Gabbana e Gucci. (Foto: Imax Tree, Divulgação)

Em plena sintonia com a consciência do momento e o espírito do tempo, a moda experimenta agora uma polarização inédita. Maximalismo versus minimalismo, o novo embate se materializa como consequência, na vida real, do excesso de imagens, originais ou forjadas, da estética digital. E dá a medida exata da confusão estabelecida entre ser e parecer. A boa notícia é que, neste caso, esses “polos” tão opostos não só coexistem como convivem de maneira surpreendentemente pacífica, segundo observo em coleções atuais e sobretudo no visual das pessoas que gravitam no circuito fashion europeu.

Como na sedução mais barroca, que precisa do olhar para existir, a excentricidade, o hiperbólico e o excesso passam a ser o “novo normal” graças ao consumo de imagens nas redes sociais, que fortalecem o more is more. É uma espécie de falsa opulência, que confronta o estilo e a cultura pop alimentados e impulsionados por novos aplicativos. Esta é, por exemplo, a fórmula da Gucci. O diretor criativo Alessandro Michele faz o passado viver no presente. Atualizadas a cada look com uma fantasia meio desvairada, suas formas vintage contam uma história em total descompromisso com a realidade. Entretanto, cada uma das peças, laboriosamente trabalhada, tem vida própria, e pode facilmente ser reinterpretada à maneira de cada um. O luxo de raízes sicilianas de Dolce & Gabbana tem a qualidade de fazer as mulheres se sentirem bem e o mérito do entendimento do gosto imoderado do momento.

Em oposição, o mood minimal de Max Mara e Tibi (Foto: Imax Tree, Divulgação)

De Ludwig Mies van der Rohe, que defende a simplicidade no design, a expressão less is more sempre definiu o minimalismo. E o estilo é o mais defendido agora por muitos fashionistas e profissionais da moda e do design. Ainda que isso pareça um clichê, quando bem executado, ele é superpotente, cheio de classe e elegância com sua discreta suntuosidade. Nada fácil de conseguir, portanto. Ao expor o que é essencial, as roupas têm que se superar em qualidade. É o que faz a Max Mara. Conhecida por sua impecável alfaiataria, a marca italiana explora e atualiza sutilmente todos os arquétipos de peças básicas e práticas. Minimal radical. Da norte-americana Amy Smilovic, a Tibi é para mulheres que trabalham sem deixar de lado a atualidade e o glamour. O guarda-roupa masculino clássico sempre foi referência para ela, que o interpreta lindamente para “ladies” contemporâneas. Não importa se minimal ou over, ser e/ou parecer se sobrepõem numa dinâmica que tem, sim, tudo a ver com aparência, mas também com essência.