Zara coloca modelo com sardas em campanha – e os chineses não gostam

Marca sofreu críticas por trazer modelo com pele sem retoques em campanha de maquiagem
Por Guilherme Dearo

A modelo Jing Wen em campanha para a Zara na China: polêmica sobre sardas (Weibo/Zara/Reprodução)

São Paulo – A gigante da moda espanhola Zara enfrenta uma crise na China por um motivo bem peculiar: sardas. A polêmica começou após uma campanha com a top model chinesa Li Jingwen, uma das mais famosas no país.

Li Jingwen, que usa o nome Jing Wen nas passarelas, posou para uma campanha de maquiagem. Nas fotos, não há retoques e Jing aparece com sardas no rosto.  Foi o suficiente para atrair a ira de muitos chineses.

Após a marca postar a campanha na plataforma Weibo (espécie de Twitter chinês), ela passou a receber críticas agressivas. Para os chineses, uma pele branca, pálida e totalmente lisa, sem sardas, é considerada o padrão de beleza ideal para as mulheres. No país, são comuns os produtos para “embranquecer” a pele e cremes para “remover sardas”.

Muitas das críticas diziam que a Zara estava desrespeitando e discriminando os chineses ao oferecer uma imagem da mulher chinesa que não é elogiosa nem real. Outros usuários comentaram que as mulheres chinesas simplesmente não tinham sardas e que a Zara devia ter “se esforçado muito” para encontrar Jing.

Alguns usuários, contudo, saíram em defesa da marca e da modelo, elogiando o fato da marca usar uma foto sem muitos retoques e trazendo uma estética mais realista.

A polêmica viralizou no Weibo, gerando mais de 55 mil posts e 500 milhões de cliques.

Post da Zara no site Weibo: campanha na China gerou polêmica sobre saradas (Weibo/Zara/Reprodução)

A mídia estatal chinesa saiu em campanha a favor da Zara. Em editorial, o jornal China Daily disse que as críticas mostravam “falta de confiança cultural” e dizia aos leitores para não serem “tão sensíveis”.

Já o China Youth Daily disse que, no Ocidente, era normal na estética mainstream que houvesse um “número apropriado de sardas”.

Um representante da Zara disse à imprensa chinesa que a foto mostrava o rosto natural de Jing e que não havia retoques. A própria modelo, no passado, já falara sobre suas sardas e disse que, no ensino médio, fazia de tudo para cobri-las. Demorou para que ela abraçasse suas sardas e não as escondesse.

Jing já trabalhou com muitas marcas ocidentais, como Prada, Calvin Klein e Tommy Hilfiger.

Ator Jussie Smollett de ‘Empire’ é preso em Chicago por falsa denúncia

Ator de ‘Empire’ é acusado de encenar ataque sofrido em janeiro

Jussie Smollett, ator de ‘Empire’

O ator Jussie Smollett foi preso pela polícia de Chicago, nesta quinta-feira, 21, sob a acusação de falsa denúncia às autoridades. Em janeiro, o ator de Empirefoi hospitalizado após sofrer um ataque racista e homofóbico. No decorrer das investigações, a polícia levantou a suspeita de que Smollett teria contratado os agressores para encenar a agressão, porque estava sendo cotado para deixar a série.

A informação da prisão foi dada pelo porta-voz da polícia de Chicago, Anthony Guglielmi, no Twitter.

Na noite de quarta-feira, 20, Guglielmi já havia reportado as acusações criminais contra o ator, apontado como principal suspeito na investigação. A princípio, a polícia tratava Ola e Abel Osundairo como os culpados pelo crime, mas descobriram relações entre os irmãos e o ator, o que levantou à suspeita de um ataque orquestrado.

Apesar das incertezas envolvendo os novos episódios de Empire, a Fox negou que Smollett irá deixar a série. Em nota publicada pelo Deadline, a emissora disse que “Jussie Smollett permanece sendo um profissional consumado no set e não será afastado da série”.

‘Meca’ de fotógrafos e jornalistas, Half King fecha suas portas

O bar, criado para reunir profissionais que cobriam guerras, não sobreviveu ao aumento dos aluguéis causado pelo parque High Line, em Manhattan
Derek M. Norman, The New York Times

Os donos do Half King, a partir da esquerda, Sebastian Junger, Nanette Bursten, Scott Anderson e Jerome O’Connor Foto: Caitlin Ochs para The New York Times

Em abril de 2011, foi noticiado que dois fotógrafos haviam sido mortos pela explosão de um morteiro na cidade sitiada de Misurata, um dos últimos redutos rebeldes contrários a Kadafi na guerra civil líbia.

Depois de alguns telefonemas, houve uma troca de mensagens. Amigos e colegas dos fotógrafos Tim Hetherington e Chris Hondros estavam reunidos em um bar chamado Half King em Manhattan. “Parecia que havia centenas de pessoas lá dentro, sem exagero”, disse Timothy Fadek, um fotojornalista muito amigo de Hondros.

“Todos nós estávamos muito emocionados. A cena mostrava o que era realmente o Half King – como ele evoluiu organicamente para um lugar frequentado por fotógrafos da guerra e fotojornalistas”, afirmou. Uma foto de Hetherington com a sua câmera diante dos rebeldes líbios estava pendurada na parede.

Durante grande parte dos últimos 20 anos, o Half King foi um bar de escritores, fotógrafos e cineastas. Em qualquer dia, no happy hour, fotógrafos especializados em combates reuniam-se ali, contando histórias de lugares distantes, tomando os seus chopes de US$ 5.

Mas o Half King, com suas tardes de leitura e mostras de fotografia, fechou no dia 26 de janeiro. O aluguel havia praticamente triplicado desde a inauguração, há quase 20 anos, e o bar tornara-se insustentável dependência ponto de vista financeiro.

“Nos últimos anos, a única razão de existir deste local era porque o amávamos”, disse Sabastian Junger, um dos proprietários, que foi por muito tempo jornalista de guerra e é autor do livro The Perfect Storm.

Junger, que também dirigiu o documentário de guerra Restrepo com o seu amigo Hetherington, abriu o Half King em 2000, com Scott Anderson, escritor e jornalista que cobriu algumas guerras, e a esposa de Anderson, Nanette Burstein, cineasta. Um quarto sócio, Jerome O’Connor, anteriormente havia sido dono de um bar.

Um retrato do fotojornalista Tim Hetherington, morto na Líbia, pendurado no Half King. O bar fechou em janeiro Foto: Caitlin Ochs para The New York Times

A localização do bar, no West Side de Manhattan, era uma área muito abandonada na virada do século, mas, apesar disso, era muito frequentado. Anderson estava em Darfur trabalhando para “The Times Magazine” quando teve a ideia. “Conheci um fotojornalista holandês, e quando descansávamos, costumávamos conversar. Contei que tinha um bar em Nova York e falei do Half King. Ele disse, ‘Conheço o Half King’. Este lugar se tornou uma espécie de Meca.”

O Half King foi um dos primeiros bares abertos depois dos ataques terroristas do 11 de Setembro. Mas foi o High Line que mudou o destino do bar. Depois da abertura do parque para pedestres criado nos trilhos do elevado em 2009, os preços dos imóveis subiram vertiginosamente. Os turistas começaram a procurar a área, e os moradores se mudaram.

Depois de 19 anos, o Half King está fechando.CreditCaitlin Ochs for The New York Times

O bar funcionava como uma ponte entre os nova-iorquinos e as terras estranhas que visitavam (o nome vem de um chefe da nação seneca do século 17, que foi porta-voz honorário entre as tribos e os exércitos estrangeiros).

“Eu tinha muitos amigos que, no começo, nunca havia visto fora de uma zona de guerra”, disse Michael Kamber, fotógrafo de conflitos do The Times“. “Só nos encontrávamos no Iraque, Afeganistão, Somália e outros lugares, mas podíamos ir ao Half King, e eles estavam lá.”

Free People Bottoms Up the Spring Edit is here by Stevie Dance

As meninas do Free People exibem nossos novos estilos favoritos, estrelando os fundos perfeitos da temporada. Os clientes podem esperar ver clarões na cintura, conjuntos melhores juntos, corredores esportivos, saias fluidas, jeans clássicos e muito mais. Cada fundo é emparelhado perfeitamente com os neutros da terra, detalhes femme e tops smocked. Se você está planejando suas próximas férias ou precisando de um upgrade de guarda-roupa para a primavera, procure por todos.

Photography: Stevie Dance. Models: Ruby Campbell, Hailey Clauson, Ali Tate, Tia Jonsson and Marloes Horst.

Confira o primeiro trailer oficial de ‘Rocketman’, cinebiografia de Elton John

Vídeo mostra os primeiros passos do músico para se transformar em uma estrela internacional

Rocketman (Foto: Reprodução)

O primeiro trailer oficial de Rocketman, cinebiografia de Elton John, foi divulgado pela Paramount na manhã desta quinta-feira (21). O vídeo mostra os primeiros passos do músico com seu piano e a jornada de transformação para o tímido Reginald Dwight se tornar uma estrela internacional. 

Dirigido por Dexter Fletcher (Voando Alto), o longa é protagoinzado por Taron Egerton. O elenco também conta com Jamie Bell, interpretando Bernie Taupin, compositor parceiro de longa data de Elton John, Richard Madden, como o primeiro empresário do músico, John Reid, e Bryce Dallas Howard, como a mãe de Elton, Sheila Farebrother

O filme deve chegar aos cinemas no dia 30 de maio. Assista ao trailer:

Fernanda Montenegro está internada no Rio de Janeiro

Atriz teve quadro de desidratação e seu quadro é estável

Fernanda Montenegro – Reprodução

A atriz Fernanda Montenegro, 89, esta internada desde a madrugada de quarta (20) no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, após ter tido uma queda de pressão.

Segundo boletim médico, ela teve um quadro de desidratação e seu estado clínico é estável.

Fernanda estava em Jaguari, na região central do Rio Grande do Sul, gravando cenas da próxima novela das 9, “A Dona do Pedaço”, de Walcyr Carrasco, que vai que substituir “O Sétimo Guardião”. 

Ela foi encaminhada primeiramente para o Hospital Caridade, na cidade gaúcha, por volta das 13h de terça. Depois, a atriz voltou ao hotel, para então pegar um voo para a capital fluminense. 

Apple lançará novo iPod e monitor 6K em 2019, diz analista Ming-Chi Kuo da KGI Securities

Novidades incrementais devem mudar catálogo da Apple neste ano, segundo relatório vazado de Ming-Chi Kuo, analista da KGI Securities
Por Lucas Agrela

 (Justin Sullivan/ Getty Images/Getty Images)

São Paulo – Um documento obtido pelo site 9to5Mac indica que a Apple lançará um novo iPod e um monitor com resolução 6k. O relatório seria de autoria de Ming-Chi Kuo, analista da KGI Securities e conhecido por fazer previsões acerca da Apple.

O novo iPod chegaria com um novo processador para substituir o modelo existente, já com configuração aquém dos iPhones. Já o monitor teria tamanho de 31,6 polegadas e utilizaria tecnologia Mini-LED, que consiste em pequenas luzes que compõem os pixels de modo que cada um tenha luz própria, sem a necessidade de retroiluminação – algo comum em painéis LED convencionais.

iPhones, Macs, Apple Watch e AirPods

O relatório também menciona outros produtos da Apple que estariam planejados para este ano. O novo iPad deve aumentar de tamanho de tela, passando de 9,7 polegadas para 10,2 polegadas, com redução de bordas. Já o iPad Mini também deve ganhar um novo processador.

Sobre os MacBooks Pro, Kuo diz, no documento, que a tela aumentará para algo entre 16 e 16,5 polegadas e que os produtos terão novo design. O Mac Pro também deve ser renovado e pode chegar com a possibilidade de fazer melhorias nas configurações.

O próximo Apple Watch, que, no ano passado, chamou a atenção com um recurso de eletrocardiograma, deve levar a funcionalidade de saúde a mais países.

Os iPhones têm pouco espaço na previsão de Kuo. As informações do relatório são sobre os iPhones Xs e Xs mantendo seus atuais tamanhos de tela, bem como a conexão Lightning, desse modo, não seguindo o movimento do iPad Pro, que trocou o Lightning pelo USB Type-C, usado em smartphones com sistema Android e em notebooks. Por fim, os fones de ouvido sem fio AirPods devem ganhar uma segunda versão e teriam como novidade compatibilidade com carregamento sem fio.

As 50 empresas mais inovadoras do mundo — com a startup brasileira Nubank na lista

Ranking da revista Fast Company deste ano é marcado pela ascensão das gigantes chinesas e pela presença da startup brasileira Nubank
Por Mariana Fonseca

Nubank: fintech se tornou o maior banco digital fora da Ásia (Nubank/Divulgação)

Segundo o horóscopo chinês, estamos no “ano do porco”, que traz sorte nos investimentos. Superstição ou não, as gigantes chinesas estão na crista da onda quando se fala em transformar setores. É o que mostra a revista Fast Company, em seu ranking anual sobre as 50 empresas mais inovadoras do mundo.

A primeira posição da lista está com a Meituan Dianping, que atua em setores tão diversos quanto reservas de hotéis e entrega de comida. A principal razão para sua coroação são seus resultados gigantes. A chinesa mediou 27,7 bilhões de transações, no valor de 33,8 bilhões de dólares, para mais de 350 milhões de pessoas em 2.800 cidades. Isso é o equivalente a 1.738 serviços mediados pela Meituan por segundo, com cada usuário utilizando o super aplicativo três vezes por dia, em média.

A empresa de mobilidade urbana Grab, de Singapura, ficou com a medalha de prata. A revista ressalta que o negócio expandiu para verticais como delivery de comida, reservas de hotéis, serviços financeiros. Em breve, incluirá serviços de saúde. Os esforços fizeram a Grab alcançar uma receita de 1 bilhão de dólares em 2018, atraindo 7,3 bilhões de dólares em investimentos ao longo de sua história.

A liga americana de basquete NBA ganhou o terceiro lugar, subindo sete posições. A Fast Company elogiou sua entrada nos esportes eletrônicos e em serviços de streaming, como a plataforma Twitch. Mesmo com o investimento digital, a liga de basquete quebrou seu recorde de frequentadores pela quarta temporada seguida. A receita total da NBA cresceu 25% em 2018.

Tanto a Meituan Dianping quanto a Grab não estavam presentes no ranking do ano passado. A lista é muito diferente da vista em 2018, que trazia as americanas Apple, Netflix e Square no pódio.

Outro ponto de atenção é a presença de um negócio brasileiro na lista. A fintech Nubank, mais conhecida por seu cartão de crédito sem anualidade e gestão completamente online, ficou na 36ª posição.

O ranking destaca como o Nubank se tornou o maior banco digital fora do continente asiático, com 5 milhões de usuários, e a ampliação para serviços como conta salário e saque em caixas eletrônicos. Recentemente, a startup também anunciou que fará empréstimos pessoais. A Fast Company analisa 35 indústrias a nível global para montar seu ranking.

Veja, abaixo, as 50 empresas mais inovadoras do mundo:

Posição Empresa
1 Meituan Dianping
2 Grab
3 NBA
4 The Walt Disney Company
5 Stitch Fix
6 Sweetgreen
7 Apeel Sciences
8 Square
9 Oatly
10 Twitch
11 Target
12 Shopify
13 AnchorFree
14 Peloton
15 Alibaba Group
16 Truepic
17 Apple
18 Unity Technologies
19 Domino’s
20 Plaid
21 Universal Music Group
22 Airtable
23 Lineage Logistics
24 Kano
25 Winc
26 Zola
27 LanzaTech
28 JioSaavn
29 Jumio
30 Foundation Medicine
31 Arterys
32 Alnylam Pharmaceuticals
33 Beautycounter
34 Sonder
35 Indigo Ag
36 Nubank
37 GOAT
38 Snøhetta
39 African Leadership University
40 Fanatics
41 Unmade
42 Modern Fertility
43 Rocket Lab
44 A24
45 Teachers Pay Teachers
46 Ammunition
47 Sesame Workshop
48 Acorns
49 Mozilla
50 Punch Bowl Social

Dona do Fortnite deixa de anunciar no YouTube após polêmica com comentários pedófilos

Além da Epic Games, outras empresas que têm anúncios aparecendo em vídeos envolvidos na polêmica falaram com o YouTube pedindo explicações sobre a situação

Além da Epic Games, outras empresas pediram explicações ao YouTube

A Epic Games, criadora do jogo Fortnite, deixou de veicular anúncios em vídeos do YouTube, depois que descobriu que as propagandas do jogo estavam passando em vídeos que movimentavam uma rede de pedófilos na plataforma. A informação é da revista Wired, que afirmou que grande parte desse conteúdo têm centenas de milhares de visualizações. 

Os vídeos são aparentemente inocentes e não contém pornografia – trata-se de material que pode ter sido postado pelas próprias crianças, ou por seus pais, em atividades normais, mas que podem mostrar acidentalmente alguma parte de seus corpos. Por exemplo, uma criança dançando cuja camiseta se movimenta demais, expondo os mamilos. Segundo a reportagem, porém, esse conteúdo está atraindo centenas de milhares de comentários sexuais.   

Um porta-voz da Epic Games afirmou que a equipe de publicidade da empresa entrou em contato com o Google e o YouTube para saber que ações serão tomadas para eliminar esse tipo de conteúdo da plataforma. 

Além da Epic Games, outras empresas que têm anúncios aparecendo nesse tipo de vídeos falaram com o YouTube pedindo explicações sobre a situação. 

De acordo com uma investigação do Wired, os algoritmos do YouTube recomendam para usuários vídeos populares que contêm comentários pedófilos. Os algoritmos também facilitam que pedófilos conversem entre si e troquem informações. 

Em resposta ao Estado, um porta-voz do YouTube disse que a empresa desabilitou dezenas de milhões de comentários pedófilios da plataforma e cancelou cerca de 400 canais que faziam esse tipo de comentário. Além disso, o YouTube disse que removeu vídeos, inicialmente inocentes, que pudessem colocar em risco menores de idade e revisou comentários em diversos vídeos de crianças. A empresa afirma que tem políticas que proíbem contéudos que ponham em risco menores de idade. “Ainda há mais a ser feito e continuamos a trabalhar para melhorar e identificar abusos mais rapidamente”, disse.