Arquiteta e designer, Fernanda Marques apresenta a linha de cubas Infinit, desenhada por ela para a Roca

Arquiteta Fernanda Marques Foto: Drauzio Tuzzolo

Desenhar uma cuba para banheiros e lavabos não é dos projetos mais comuns no portfólio dos designers. Até porque envolve diversas limitações técnicas, nem sempre aparentes, mas que podem acabar por limitar sensivelmente o raio de ação do profissional. No caso da arquiteta Fernanda Marques, porém, o convite para criar uma linha delas para a espanhola Roca foi mais do que bem-vindo. “Gosto de desafios e o que poderia ser uma limitação acabou se revelando o maior trunfo do objeto”, conta ela, se referindo à determinação, por parte da marca produtora, de que ela trabalhasse como paredes cerâmicas externas muito finas na criação do objeto. “Isto posto, fomos buscar um desenho universal. Uma cuba leve, que pudesse ser usada no lavabo e em todos os demais banheiros da casa, de acordo com cada necessidade”, conta Fernanda, que acaba de lançar a linha de cubas Infinity, durante a última Expo Revestir, no mês passado, em São Paulo, de onde ela falou com exclusividade ao Casa. [Marc elo Lima]

Como surgiu o convite da Roca?
Minha relação com eles teve início em 2014 com o projeto Impressões, no qual fui convidada para efetuar uma intervenção em uma cuba da marca. De lá para cá nossas relações se estreitaram e recebi o convite para projetar o Roca Gallery, um novo conceito de show room ainda inédito no Brasil, onde os produtos são desvendados, mais do que apresentados, e que deve ficar pronto nos próximos anos. Isso tudo acabou me levando a me envolver cada vez mais com os produtos da marca, até que surgiu o convite.

Qual o maior desafio que você encontrou no projeto e sob quais aspectos ele inova?
Acredito que a escala, muito menor do que estou acostumada a trabalhar, foi o mais complicado. Depois, encontrar a proporção mais adequada, de maneira a manter a leveza que exercito em meus projetos. Neste sentido, a tecnologia ultraleve oferecida pela Roca foi fundamental. Ao mesmo tempo em que permite a construção de peças mais robustas, de bordas arredondadas, possibilita a obtenção de objetos mais leves, logo mais sustentáveis.

Como você trata do espaço banheiro em seus projetos de interiores, tanto em termos funcionais, quanto estéticos?
Sem dúvida com o mesmo rigor que imprimo ao tratamento das áreas sociais. Afinal, é preciso considerar que trata-se do espaço onde iniciamos e encerramos nosso dia. No mais, como em todos os ambientes e objetos que desenho, tento esticar ao máximo a linha tênue que se coloca entre funcionalidade e estética.

Modelo da linha Infinity de cubas de sobrepor, com superfície interna colorida, e previsao de chegada ao mercado para o segundo semestre Foto: Juan Guerra
Peça com duas cubas e saboneteira ao meio em formato de grelha Foto: Vivi Spaco
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.