Com novo Glass, Google quer popularizar realidade aumentada no trabalho

Companhia renovou seu foco em empresas com o Glass Enterprise Edition 2; Gadget traz processador mais rápido e câmera melhorada
Matthew Finnegan, Computerworld (EUA)

Foto: Shutterstock

Google atualizou esta semana seu headset de realidade aumentada (AR, na sigla em inglês) com foco no ambiente de trabalho, oferecendo um processador mais potente e uma câmera melhorada. Trata-se de uma “melhoria significativa” em relação ao seu antecessor, segundo Anshel Sag, analista da Moor Insights & Strategy.

A gigante de companhia revelou a versão para o consumidor do Glass em 2013 com muito alarde, mas com pouco sucesso comercial. Ele foi relançado como Glass Enterprise Edition há dois anos, depois que o Google decidiu que o headset era mais adequado para os trabalhadores que precisam de computação em voz – como na manufatura, logística e saúde. O desenvolvimento também foi transferido para a divisão da Alphabet conhecida como X “moonshot”.

Um reforço de processador e bateria

Embora não haja um desvio significativo do design original, o novo dispositivo baseado em Android dispõe de uma variedade de melhorias em hardware, incluindo o novo chip Qualcomm Snapdragon XR1. O Google disse que o processador suporta algoritmos de aprendizado de máquina no dispositivo para melhorar a visão computacional.

Uma bateria de 820 mAh deve prolongar o uso por cerca de oito horas, disse o Google, enquanto uma conexão USB-C suporta carregamento rápido. O Glass 2 também inclui uma câmera de 8 MP projetada para fornecer melhor streaming de vídeo em primeira pessoa; um monitor de 640 x 360 pixels e três microfones.

A empresa também disse que tornou mais fácil para os administradores de TI gerenciar e implantar dispositivos com suporte para o Android Enterprise Mobile Device Management.

Uma lista completa de especificações para o Glass Enterprise Edition 2 está disponível on-line. Os dispositivos e o software associado custam US$ 999 e são vendidos por meio de parceiros; o preço varia, no entanto, dependendo dos requisitos de personalização e suporte.

“Acredito que esta é uma atualização significativa em relação ao Glass Enterprise Edition original”, disse Sag. Ele disse que a versão anterior era “lamentavelmente fraca e muito quente”.

Embora o Glass original tenha confiado em hardware obsoleto, usando um sistema de chip de smartphone de 2011 (SoC) para seu lançamento em 2013, Sag argumentou que o Google aprendeu com os erros do passado. “O novo XR1 dentro do Glass 2 foi anunciado no ano passado para dispositivos de lançamento este ano, então parece que o Google está dando mais atenção ao hardware desta vez”, disse Sag.

“O Glass foi uma das incursões anteriores em hardware e acredito que a Glass 2 mostra o quanto eles aprenderam como empresa no projeto e na construção de hardware”.

Adoção mais promissora para empresas que para consumidores

Enquanto os dispositivos de AR têm lutado nos mercados de consumo, as empresas começaram a testar casos de uso para eles em torno de treinamento, assistência remota e colaboração.

Isso levou a um interesse crescente dos fornecedores. O Glass concorre com uma crescente gama de dispositivos de realidade mista e AR voltados para a empresa. Os rivais incluem headsets maiores, como o HoloLens 2, da Microsoft, e o recém-lançado ThinkReality, da Lenovo, além de “óculos inteligentes” mais parecidos com o Google, como o M400 da Vuzix, que usa hardware semelhante.

Entre as grandes organizações que implantaram o Google Glass Enterprise Edition estão a empresa de logística DHL e os fabricantes AGCO e H.B. Fuller.

“Com a segunda geração do Glass Enterprise Edition, agora podemos oferecer a nossos clientes e funcionários óculos inteligentes ainda mais potentes e tecnicamente otimizados”, disse Markus Voss, COO e CIO da DHL Supply Chain, disse em uma declaração. “A possibilidade de reconhecimento de objetos também é particularmente promissora para nós em aplicações industriais. Com o software correspondente, não é mais possível ler códigos de barras, localizar produtos e exibir o compartimento de armazenamento correspondente; no futuro, objetos complexos podem ser identificados com os óculos inteligentes”.

O Glass Enterprise Edition 2 renovado poderia impulsionar a adoção do hardware do Google, que até agora tem sido amplamente limitado a implantações menores.

“Para ser honesto, eu não tenho visto muita tração para o Google com o Glass Enterprise Edition original até hoje”, disse Sag. “Acredito que ele sofreu fundamentalmente de hardware inferior e uma reputação bastante negativa de seu lançamento, que eu diria que foi mal executado”.

Em contraste, ele espera que o Glass 2 seja “bem recebido”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.