Alemã Ursula von der Leyen é a 1ª mulher à frente de Comissão Europeia; Lagarde chefiará BCE

O atual presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, comemorou “um perfeito equilíbrio dos sexos” com dois homens e duas mulheres no Conselho
Por AFP

No comando: Christine Lagarde (à esquerda), atual diretora-gerente do FMI, e Ursula von der Leyen, atual ministra da Defesa da Alemanha, vão chefiar, respectivamente, o Banco Central Europeu e a Comissão Europeia (Montagem com fotos de Chris Ratcliffe e Krisztian Bocsi/Bloomberg)

Os líderes europeus conseguiram superar nesta terça-feira (2) suas divisões e designar a alemã Ursula von der Leyen como a próxima presidente da Comissão Europeia, ao final de uma intensa cúpula sobre altos cargos no bloco que durou três dias.

Além dela, os líderes nomearam o liberal belga Charles Michel como o próximo presidente do Conselho, o social-democrata espanhol Josep Borrell como chefe da diplomacia europeia, e a francesa Christine Lagarde à frente do Banco Central Europeu (BCE).

Von der Leyen, atual ministra alemã da Defesa, “ocupará o novo cargo com muita prudência e compromisso”, avaliou a chanceler alemã, a conservadora Angela Merkel, em alusão àquela que será a primeira mulher à frente do Executivo do bloco.

O atual presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, comemorou “um perfeito equilíbrio dos sexos” com dois homens e duas mulheres. Lagarde, atual diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), também se tornará a primeira mulher à frente da instituição monetária europeia.

“É uma grande notícia para todos os que acreditamos na igualdade de gênero”, comemorou em coletiva de imprensa o presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, para quem”a Espanha voltou com força” com o atual chanceler espanhol à frente da política externa e de defesa da UE.

Desta forma, os dirigentes dão luz verde ao último acordo que tinham nas mãos, depois de terem fracassado na véspera em outra distribuição de cargos, que deu a presidência da Comissão ao social-democrata Frans Timmermans, que continuará como primeiro vice-presidente da Comissão Europeia.

À espera da Eurocâmara

O presidente francês, o liberal Emmanuel Macron, foi quem fechou a questão, defendendo Von der Leyen, de 60 anos, na Comissão, uma jogada que lhe permitiu obter o BCE para Lagarde.

A Eurocâmara deve agora confirmar a nomeação da política alemã que, no entanto, não foi cabeça de chapa de uma das famílias políticas nas eleições à Eurocâmara (Spitzenkandidat), uma exigência que os eurodeputados tinham feito aos líderes.

“Esta proposta nos decepciona muito”, advertiu Iratxe García, chefe do grupo social-democrata no Parlamento Europeu, o segundo em importância depois do Partido Popular Europeu (PPE, direita), a quem pertence Von der Leyen.

A advertência não é insignificante. Para se tornar, a partir de 1º de novembro, titular da Comissão, a alemã, médica de formação, deve reunir uma maioria na Eurocâmara e atualmente todas as forças pró-europeias devem estar unidas para alcançá-la.

Os mandatários queriam conseguir um acordo antes de a Eurocâmara escolher seu presidente. Após se constituir nesta terça-feira, os eurodeputados têm previsto designar seu líder na quarta-feira, e para o posto soa o nome do social-democrata búlgaro Serguei Stanishev.

Embora não seja uma prerrogativa dos líderes, o cargo de presidente da Eurocâmara conta com uma distribuição do restante dos cargos com base em equilíbrios geográficos, de gênero e políticos. Stanishev cumpriria a cota de países do leste, já que o restante dos cargos são da Europa ocidental ou central.

Nada muda no Brexit

Embora a Alemanha tenha levado a joia da coroa, Merkel foi ofuscada na cúpula, pois precisou se abster da votação final por não ter o aval de seus parceiros de governo social-democratas e, além disso, enfrentou a pressão do restante do PPE pelo anterior acordo frustrado.

Por sua vez, os mandatários do Grupo de Visegrado (Hungria, Eslováquia, República Tcheca e Polônia), em sua maioria populistas conservadores, conseguiram bloquear o primeiro candidato do PPE à Comissão, o alemão Manfred Weber, e Timmermans, acertando um duro golpe de passagem ao sistema do “Spitzenkandidat”.

As negociações dos altos cargos, iniciadas no domingo, refletiram as divisões patentes dentro de um bloco que, em nível interno, deve resolver ainda o Brexit e, no plano internacional, enfrenta China, Rússia e os Estados Unidos. “Estou absolutamente certo de que os novos líderes (…) serão tão coerentes como somos hoje no que diz respeito ao acordo de retirada e à nossa disposição de discutir nossa futura relação com o Reino Unido”, advertiu Tusk.

Os looks da Céline Dion para os desfiles da alta-costura são perfeitos

Céline Dion (Photo by Pierre Suu/Getty Images) (Foto: Getty Images)

Após 16 anos de residência em Las Vegas, nos Estados Unidos, Céline Dion está aproveitando os dias de folga para prestigiar a Semana de Alta-Costura em Paris, antes de começar a sua turnê mundial (please, come to Brazil!). A presença da cantora por si só já é demais, se não fossem os looks ma-ra-vi-lho-sos que ela tem escolhido para circular pela cidade.

Apesar de ficarmos preocupadas com a magreza excessiva, o que dizer do vestido abaixo que é metade blazer, metade tutu? E os sapatos que são cada um de uma cor? Queremos! A verdade é que de onde veio inspiração para esse visual, tem muito mais.

Veja abaixo os momentos que a canadense parou os fotógrafos!

Confira:

Céline Dion (Foto: ACAU / BACKGRID)
Céline Dion (Foto: GC Images)
Céline Dion (Photo by Jacopo Raule/Getty Images) 
Céline Dion (Foto: Getty Images)
Céline Dion (Foto: ACAU / BACKGRID)
Céline Dion (Foto: Getty Images)

Japonesas se rebelam contra ‘ditadura’ dos saltos altos

Milhares de mulheres apoiaram a hashtag #KuToo, um trocadilho baseado nas palavras em japonês para ‘sapato’ e ‘dor’
Hisako Ueno e Daniel Victor, The New York Times

Yumi Ishikawa, 32, criou um movimento e apresentou uma petição para acabar com a norma que exige que mulheres usem sapatos de salto alto no trabalho

TÓQUIO – O Japão é o mais recente campo de batalha das mulheres, revoltadas contra a tirania – e a dor – dos saltos altos. Milhares de partidárias do movimento solidarizaram-se no hashtag #KuToo – um trocadilho com as palavras japonesas sapato (kutsu) e dor (kutsuu). A idealizadora foi Yumi Ishikawa, de 32 anos, que precisou mudar de carreira por ter dificuldade de usar sapato de salto alto durante oito horas seguidas quando treinava para obter um emprego.

No inicio de junho, ela enviou uma petição ao Ministério do Trabalho assinado por cerca de 30 mil pessoas, solicitando uma lei que impedisse que as empresas obrigassem as mulheres a usar saltos altos.

Yumi disse que sua iniciativa foi recebida com ceticismo pelas autoridades, que afirmaram que seria difícil legislar sobre a matéria se o mundo do trabalho não mudasse sua cultura.

“Acho que o governo e as empresas não querem assumir o risco de mudar a sociedade”, disse.

O Japão é um país onde imperam rígidas regras de gênero, e os saltos altos são considerados um elemento atrativo, que dá prestígio, e por isso valeriam todo o desconforto. Mas também podem limitar as opções de carreira para uma mulher: as que não conseguem suportar o sofrimento dos saltos precisam evitar os setores em que o calçado é obrigatório.

Shino Naito, pesquisadora do Japan Institute for Labor Policy and Training de Tóquio, afirmou que a exigência do salto alto pode ser considerada um modo de assédio ao gênero.

“A questão aqui se resume em adotar ou impor um padrão feminino no local de trabalho”, afirmou.

Nos últimos anos, as mulheres de outros países receberam apoio dos respectivos governos a esse respeito. Em 2017, as Filipinas e a Colúmbia Britânica aprovaram leis que impedem que as empresas forcem as mulheres a usar saltos altos no trabalho.

As críticas aos saltos têm sido frequentes em toda a história moderna. O jornal The New York Times noticiou a primeira reclamação em 1873 – por parte dos homens. O uso obrigatório de botas de salto alto para os soldados causou “muitas bolhas nos pés” e “uma postura desajeitada”, dificultando a marcha. Mas as atenções logo se voltaram para as mulheres. 

Em 1911, médicos franceses alertaram que as mulheres que trocavam os sapatos de salto por um par de chinelas rasteiras ao voltar para casa poderiam causar mais mal do que bem aos pés. Segundo os médicos afirmaram ao Times, a prática “faz o pé passaar de um extremo ao outro, o que, no final, produzirá um sofrimento persistente”.

O primeiro tuíte de Yumi sobre o assunto, em janeiro, foi compartilhado cerca de 30 mil vezes, sugerindo que ela tinha inúmeras simpatizantes. Mas as empresas não se mostraram igualmente entusiastas. Uma agência de publicidade avisou Yumi que, se reclamasse, criaria uma “posição difícil” para si própria.

“As mulheres nem sequer se dão conta de que estão se arriscando, porque este estilo está profundamente enraizado na cultura do trabalho”, disse. “Devemos levar essa situação mais a sério”. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Abbey Lee Kershaw – Vogue China July 2019 By Emma Tempest

Hazy Summer   —   Vogue China July 2019   —   www.vogue.com.cn
Photography: Emma Tempest Model: Abbey Lee Kershaw Styling: Daniela Paudice Hair: Raphael Sally Make-Up: Georgina Graham Manicure: Ama Quashie

Huawei inaugura pontos de venda de celulares em shoppings de SP

Quiosques no Shopping Morumbi e no Eldorado já estão abertos; empresa voltou a vender celulares no Brasil em maio

O preço oficial do Huawei P30 Pro é R$ 5,5 mil

A fabricante chinesa Huawei inaugura esta semana quiosques de venda no Shopping Morumbi e no Eldorado, em São Paulo. Depois de quatro anos, a empresa voltou ao País no dia 17 de maio com celulares da linha P30, a partir de R$ 2,5 mil. Nos pontos de venda, a Huawei também venderá fones de ouvido e capinhas para o modelo P30 Lite.

Segundo apurou o Estado, no primeiro dia de vendas dos celulares P30 Pro e P30 Lite em maio no Brasil, os estoques de todas as lojas acabaram em duas horas. Parte disso se deve à estratégia da empresa: para o dia de lançamento, a Huawei ofereceu um desconto de R$ 2 mil para quem trocasse o atual smartphone pelo modelo topo de linha P30 Pro, cujo preço oficial é de R$ 5,5 mil. 

“A abertura dos quiosques é a ampliação dessa experiência da marca e visa atrair quem já conhece o produto, testou e aprovou  e a quem está curioso para ter uma experiência única com a Huawei”, disse Alessandra Ribeiro, gerente da área de vendas da Huawei no Brasil, em comunicado à imprensa. 

Nesta terça-feira, 2, dia de inauguração do quiosque no Shopping Eldorado, a Huawei também está oferecendo promoções especiais: a troca de um smartphone usado pode resultar em um desconto de até R$ 1 mil nos aparelhos.

Fernanda Vasconcellos sobre suas sobrancelhas marcantes: “Não faço nem a pau”

Atriz conta que sofre com melasma e diz que hoje talvez não colocasse silicone
RAQUEL PINHEIRO

Fernanda Vasconcellos (Foto: Reprodução Instagram)

Dona de olhos muito claros e sobrancelhas marcantes, emoldurando um rosto de traços delicados, Fernanda Vasconcellos acredita que beleza vai muito além do físico. “Eu me acho bonita quando eu estou de bem comigo. Tudo está ligado quando você trabalha a autoestima para poder falar as coisas que você pensa, por exemplo. Não adianta ser (um movimento) de fora para dentro”, ensina.

Na prática, nem sempre foi assim. Há muitos anos, Fernanda colocou silicone nos seios. “Estava nesse momento de fora para dentro, hoje talvez não fizesse”, diz a atriz de 34 anos. Hoje ela trabalha o interior e, na prática, recorre à sua dermatologista, Denise Barcellos, para cuidar da pele delicada.

Fernanda Vasconcellos (Foto: Reprodução Instagram)

“Ela cuida das minhas sardas e do melasma que eu tenho, para sempre, e que é um saco”, enfatiza. “Minha pele qualquer coisa mancha de sol. Teve uma viagem que eu e o Cássio (Reis, com que está desde 2013) fizemos que foi só praia. Aí voltei e tive que tratar do rosto”, conta a atriz.

Fernanda já fez laser e toma cuidado também com a luz dos estúdios. “É muito forte e queima. Tem que ficar olho porque se você não trata tem que colocar muita maquiagem para esconder aquela mancha”, diz ela, que nunca fez preenchimentos, usa vitamina C e, às vezes, faz uma esfoliação ou limpeza de pele.

Fernanda Vasconcellos (Foto: Reprodução Instagram)

Já os fios, que há alguns anos estão acima dos ombros, ganharam um novo corte com Neandro Ferreira, conhecido pela preferência por fios assimétricos, com um visual mais moderno. “No Rio corto com ele, que não conhecia até a última vez. Em São Paulo, vou na Gil Almeida”, conta Fernanda. Se hoje a cabeleira é toda sua, no passado ela recorreu a mega hair. “A vida inteiro usei muito mega, geralmente mais anelado, para não ter que ficar fritando o meu cabelo no baby-liss”, lembra. “Fiz várias produções com mega e ficava com a cabeça doendo”, diz.

Fernanda ostenta as sobrancelhas cheias muito antes de elas voltarem à moda. Mas avisa: não mexe nos fios. “Detesto fazer a sobrancelha, não faço nem a pau”, avida a atriz de 34 anos. “Ninguém faz e na verdade nem eu faço. Ela vai crescendo e fica de qualquer jeito. Odeio fazer porque tenho muita dor no rosto. Eu ia sofrer se tivesse que afiná-la”, garante.

O look da atriz na vida real casou com com Lígia, sua personagem em Coisa Mais Linda, série da Netflix na qual ela vive uma jovem casada, que sonha com a vida de cantora. “Acabou dando certo”, brinca.

Fernanda Vasconcellos em Coisa Mais Linda (Foto: Reprodução Instagram)

Samsung anuncia evento de lançamento do celular Galaxy Note 10

O evento acontecerá dia 7 de agosto, em Nova York; rumores apontam que o Galaxy Note 10 terá quatro câmeras traseiras

O Galaxy Note 10 é o novo aparelho da linha Note da Samsung, que tem como marca registrada a caneta S Pen

O anúncio do próximo produto da Samsung já tem data marcada: dia 7 de agosto, em Nova York. Apesar de a marca não ter revelado o nome do aparelho, é possível afirmar com alguma certeza de que se trata do Galaxy Note 10 – no convite enviado à imprensa, aparece uma caneta, marca registrada da linha Note, e o que parece ser uma lente de câmera. 

Rumores apontam que, no Galaxy Note 10, a caneta S Pen terá uma câmera própria. Além disso, espera-se que o celular tenha quatro câmeras traseiras e uma câmera de selfie giratória, assim como o Galaxy A80. 

A Samsung deve anunciar dois aparelhos na ocasião: o Note 10, com tela de 6,3 polegadas e o Note 10 Plus, com tela de 6,8 polegadas. 

No modelo da linha Note lançado no ano passado, o Galaxy Note 9, a caneta S Pen ganhou novas funções, como o controle Bluetooth, que permite que você tire selfies à distância. O aparelho chegou ao Brasil por preços a partir de R$ 5,5 mil. 

MAM lança curso que discute moda e política

O estudo é comandado pelo pesquisador de filosofia Brunno Almeida Maia
JULIA CARNEIRO

Moda e política, o que uma coisa tem a ver com a outra? Opa! A conversa é tão longa que rende até curso de moda. Em ““Moda, Revolução e Política: O que será do amanhã?”, o pesquisador em filosofia pela Unifesp Brunno Almeida Maia investiga o guarda-roupa de filósofos, sociólogos, historiadores e escritores, como Walter Benjamin, Gilles Lipovetsky, Peter Stallybrass, Michel Pastoreau, Karl Marx, Hannah Arendt, Roland Barthes, Georg Simmel, Marcel Proust, Virginia Woolf, Marina Colasanti, Stefan Zweig, Norbert Elias, Zygmunt Bauman, e traça um paralelo com acontecimentos históricos sócio-políticos desde o séc XVIII até o XXI.

Os movimentos de arte como o dandismo, surrealismo e o futurismo italiano também entram na mesa para permear a discussão. Bem como as perspectivas da costureira Zuzu Angel e do estilista Yves Saint Laurent.

Se interessou? O curso acontecerá todas as quinta-feiras de 11 de julho a 1 de agosto, das 19h às 21h, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM). Informações e inscrições aqui. Professores, estudantes e aposentados possuem 10% de desconto no ato da inscrição.

CEO Ondrej Vlcek do Avast terá salário anual de 1 dólar

O Avast disse que a destinatária inicial dos honorários de Vlcek será a instituição de caridade britânica Demelza Hospice for Children
Por Reuters

Avast: Vlcek receberá ações anualmente, mas doará taxa de diretor do conselho de 100 mil dólares por ano para caridade (David W Cerny/Reuters)

São Paulo — A empresa de cibersegurança Avast divulgou nesta terça-feira (2), que seu novo presidente-executivo, Ondrej Vlcek, renunciará indefinidamente ao seu salário e bônus, e receberá 1 dólar como pagamento anual.

O Avast, que foi pioneiro no modelo “freemium” de software de segurança, distribuindo seu produto básico gratuitamente, disse que Vlcek receberá ações anualmente, mas doará a taxa de diretor do conselho de 100 mil dólares por ano para caridade.

O Avast disse que a destinatária inicial dos honorários de Vlcek será a instituição de caridade britânica Demelza Hospice for Children.

“O conselho… está convencido de que ele (Vlcek) continua a ser devidamente estimulado por meio de acordos de incentivo a longo prazo e através de sua participação de 2% no Avast”, disse o presidente do Comitê de Remuneração, Ulf Claesson, em comunicado.

Vlcek assumiu o cargo este ano sucedendo Vince Steckler, o antigo presidente-executivo de longa data do Avast, que ajudou a construir a empresa de segurança cibernética.