Facebook será investigado nos EUA por compra de Instagram e WhatsApp

A Comissão Federal do Comércio dos EUA investiga se a rede social comprou as duas empresas para evitar futuros concorrentes no mercado

Agência americana investigará compra de WhatsApp e Instagram pelo Facebook 

A Comissão Federal do Comércio dos EUA (FTC, na sigla em inglês) está investigando o Facebook por práticas anticompetitivas, de acordo com o Wall Street Journal, que conversou com fontes familiarizadas com o assunto. O objetivo principal da agência americana é analisar se as aquisições do Instagram e do WhatsApp foram uma estratégia da empresa para evitar futuros concorrentes no mercado.

Quando o Facebook comprou o Instagram por US$ 1 bilhão, em 2012, a rede social de fotos bonitas não era o sucesso que é hoje – a plataforma tinha apenas 30 milhões de usuários. Dois anos depois de comprar o Instagram, a empresa adquiriu o WhatsApp por US$ 19 bilhões.

Na semana passada, ao divulgar seu balanço financeiro, o Facebook reconheceu a investigação, mas não entrou em detalhes: disse apenas que a FTC estava investigando as áreas de redes sociais, publicidade digital e aplicativos móveis online.

A FTC e o Facebook não comentaram o assunto.

O Facebook está na mira da FTC. Na semana passada, a rede social foi multada em US$ 5 bilhões após uma longa investigação sobre o caso Cambridge Analytica, no qual a rede social compartilhou sem consentimento informações de 87 milhões de usuários com a firma de marketing político britânica. 

A agência americana afirmou que a empresa violou um acordo para proteger os dados dos usuários na rede social. A multa se refere a uma quebra de um pacto firmado pelo órgão americano com a rede social, que concordou, em 2011, em proteger os dados de seus usuários./  COM DOW JONES NEWSWIRES

Em expansão, Xiaomi promete nova loja no Brasil

Após sucesso de primeira unidade, marca chinesa anuncia expansão e mais produtos, entre eles celulares e linha de lâmpadas inteligentes
Por Giovanna Wolf – O Estado de S. Paulo

A Xiaomi inaugurou sua primeira loja física no Brasil em junho

Dois meses depois de abrir sua primeira loja física no Brasil – que recebeu 5 mil fãs durante a inauguração –, a fabricante chinesa de smartphones e eletrônicos Xiaomi segue com planos de expansão no País. A empresa aumentará o portfólio de produtos, promete uma nova loja até o fim do ano e cogita até mesmo abrir uma fábrica de smartphones nacional. 

Ainda não há data para a inauguração da nova loja, mas a empresa afirma que ela sairá do papel até o fim do ano. “Há intenção em expandir a operação de lojas físicas no Brasil e até o fim do ano teremos uma nova loja”, diz Luciano Barbosa, diretor de produtos da Xiaomi no Brasil, em entrevista ao Estado. 

Foi a primeira vez que o executivo falou sobre o assunto com a imprensa – ele não revelou onde o segundo ponto de venda será instalado. Pode, inclusive, ficar fora do Estado de São Paulo. “Existe demanda muito maior do que é suportado em uma loja. Temos intenção de aumentar ainda mais a quantidade de unidades.” 

Atualmente, a única loja física da Xiaomi no País fica no Shopping Ibirapuera, em São Paulo. Desde sua inauguração, em 1.º de junho, a movimentação de fãs, especialmente nos finais de semana, é alta. A administração do shopping exige que a marca organize filas para que os clientes da marca visitem o espaço. 

Para Carlos Rafael Neves, professor de tecnologia da ESPM, o boca a boca é responsável pelo grande movimento. “Esse tipo de loja vende mais que um produto: vende um conceito e atesta capacidade técnica”, afirma. 

Mais celulares

Antes de abrir a nova loja, porém, a Xiaomi aumentará o portfólio de produtos disponíveis para os consumidores do País. Neste mês, a fabricante vai trazer três novos smartphones ao País: o Mi 9T, o Mi A3, e também o Redmi 7A – modelo com custo menor, que deve agradar o brasileiro. Ainda em agosto está confirmada a chegada da pulseira inteligente Mi Band 4. 

Em setembro, a marca está programando lançar uma linha de lâmpadas inteligentes. O objetivo é ampliar o portfólio para 200 produtos até o fim do ano – a empresa chegou no Brasil com 100 modelos de aparelhos, e hoje já soma 170. Além de smartphones e lâmpadas, a marca vende patinetes elétricos, escovas de dentes inteligentes e outros itens tecnológicos. 

O plano é dar mais opções de celulares aos consumidores. “Nesses meses no Brasil percebemos que o brasileiro tem interesse por modelos variados”, afirmou Barbosa.

Fábrica

A expansão faz a marca pensar em abrir uma fábrica no País – atualmente, os produtos vendidos aqui são importados. “Estudaremos o projeto nos próximos meses”, diz ele. 

O plano pode ser positivo, segundo Neves. “Uma fábrica permite que a empresa faça adaptações no para o mercado nacional, como, por exemplo, diminuir a memória do celular para deixá-lo mais barato”, afirma.

Novo serviço da Amazon manda roupas todo mês para você

Usuário recebe todo mês em casa uma caixa com peças de roupa de acordo com seu estilo; é possível devolver os itens que não derem certo

As caixas da Amazon podem vir com até oito peças de roupa

Amazon lançou nesta quarta-feira, 31, um novo serviço de moda para seu programa de benefícios Prime, que já tem mais de 100 milhões de usuários no mundo todo. Trata-se de uma assinatura mensal de roupas, em que você recebe todo mês em casa uma caixa com peças de acordo com seu estilo. A informação é do site The Verge.

No momento do cadastro da assinatura, os usuários do Prime respondem a uma pesquisa sobre suas preferências de moda – a plataforma recolhe informações como estilos de estampas, medidas da roupa e limite de orçamento. Com esses dados em mãos, o time de estilistas da Amazon seleciona os itens e as marcas ideais para cada assinante – o usuário pode ver as peças selecionadas antes de recebê-las. 

Cada caixa da assinatura mensal vem com até oito peças de roupa. Entretanto, não é obrigatório ficar com todas as peças – o usuário tem sete dias para experimentar as roupas e devolver as que não deram certo. O serviço custa US$ 4,99 por mês e por enquanto só está disponível para as mulheres – em breve também deve chegar ao público masculino. 

A Amazon está olhando para um mercado aquecido: a empresa Stitch Fix, que oferece esse tipo de serviço, é avaliada hoje em US$ 2 bilhões. Mas o serviço que a Amazon está propondo é um pouco diferente: os assinantes da Stitch Fix pagam US$ 20 por cada caixa e não podem ver com antecedência as peças que foram selecionadas pelos estilistas. Mas, em outros pontos, a Stitch Fix está na frente da Amazon: ela já oferece o serviço para mulheres, homens e crianças, e tem mais opções de medidas. 

De olho no setor de moda, a Amazon lançou em junho deste ano uma ferramenta dotada de inteligência artificial para ajudar os clientes a encontrar roupas para comprar. Chamado de StyleSnap, a plataforma funciona de forma parecida com o Shazam, aplicativo usado para descobrir nomes de músicas que estão tocando no ambiente.

Facebook aborda Netflix e Disney para novo dispositivo de TV

Empresa deve lançar um dispositivo de videochamadas para TVs ainda este ano; serviços de streaming de HBO e Amazon também foram contatados
Por Agências – Reuters

O novo dispositivo do Facebook virá acompanhado de um controle remoto

O Facebook quer incluir os serviços de streaming da Netflix e da Disney em seu novo dispositivo que fará chamadas de vídeo em televisões. A informação é do site The Information, que disse que a rede social entrou em contato com as companhias para fazer a proposta –serviços de streaming de HBO, Amazon e Hulu também foram contatados pelo Facebook.

Segundo a reportagem, o Facebook pretende lançar o dispositivo de videochamadas para TVs ainda este ano. Ele usará a mesma tecnologia de videochamadas que o Portal, primeiro hardware com a marca da rede social, anunciado em outubro do ano passado, que conecta amigos e família, como se estivessem conversando no mesmo ambiente. 

O novo dispositivo virá acompanhado de um controle remoto e serviços de streaming de vídeo semelhantes a de outros aparelhos multimídia.

As empresas não responderam imediatamente a pedido de comentários da agência de notícias Reuters.

’13 Reasons Why’: Netflix divulga trailer e data de estreia da 3ª temporada

Série ainda deve ganhar mais uma 4ª e última temporada

Cena da 3ª temporada de ’13 Reasons Why’. Foto: Reprodução de ’13 Reasons Why’ (2019) / Netflix

Netflix divulgou o trailer da 3ª temporada de 13 Reasons Why nesta quinta-feira, 1º. A data de estreia da nova temporada da série está marcada para 23 de agosto, uma sexta-feira, na plataforma de streaming.

A divulgação da 3ª temporada de 13 Reasons Why foca em uma pergunta: “Quem matou Bryce Walker (Justin Prentice)?”. A Netflix chegou até mesmo a criar o site whokilledbrycewalker.com.

De acordo com o site The Hollywood Reporter, esta ainda não será o fim de 13 Reasons Why, que foi renovada para uma 4ª e última temporada, que já estaria inclusive sendo produzida.

Após diversas críticas, a Netflix divulgou um comunicado oficial no último mês de julho em que decidiu editar parte de uma cena de suicídio em 13 Reasons Why. No mês anterior, um estudo indicou que a quantidade de suicídios teria aumentado nos Estados Unidos após a estreia da série.

Assista abaixo ao trailer da 3ª temporada de 13 Reasons Why divulgado pela Netflix:

CINEMA I Estreias: A Última Loucura de Claire Darling, Abaixo a Gravidade, Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw, Os Dois Filhos de Joseph

Novo ‘Velozes e Furiosos’ e longa com Catherine Deneuve estão entre as estreias da semana

Abaixo a Gravidade
Brasil, 2017. Direção: Edgard Navarro. Com: Everaldo Pontes, Rita Carelli e Bertrand Duarte. 109 min. 16 anos.
Um homem leva uma vida solitária no interior e descobre que tem uma grave doença. Ele precisa decidir se vai para a cidade grande, em busca de tratamento, ou se espera pelo desenvolvimento natural da enfermidade. Exibido na 42ª Mostra. 

Os Dois Filhos de Joseph
Deux Fils. França/Bélgica, 2018. Direção: Félix Moati. Com: Vincent Lacoste, Benoît Poelvoorde e Mathieu Capella. 90 min. 12 anos.
Um pai e dois filhos sempre tiveram uma relação muito próxima. Mas quando o irmão mais velho começa a negligenciar a faculdade por causa de uma separação e o pai decide largar tudo para virar escritor, o mais novo passa a sentir raiva daqueles que antes eram seus modelos.

Meu Bebê
Mon Bébé. França/Bélgica, 2019. Direção: Lisa Azuelos. Com: Sandrine Kiberlain, Thaïs Alessandrin e Victor Belmondo. 87 min. 12 anos.
Mãe de três filhos, uma mulher está prestes a ver o último deles sair de casa para estudar no Canadá. Ela então percebe que cumpriu seu grande objetivo e precisa lidar com a distância dos herdeiros.

No Coração do Mundo
Brasil, 2019. Direção: Gabriel Martins e Maurílio Martins. Com: Grace Passô, Leo Pyrata e Kelly Crifer. 120 min. 16 anos.
Na periferia de Contagem, em Minas Gerais, um homem sobrevive cometendo pequenos delitos. Quando reencontra uma velha amiga, conclui que pode realizar um grande assalto, mas para isso precisa também da ajuda da namorada, que não está disposta a participar.

A Última Loucura de Claire Darling
La Dernière Folie de Claire Darling. França, 2018. Direção: Julie Bertuccelli. Com: Catherine Deneuve, Chiara Mastroianni e Alice Taglioni. 94 min. 12 anos.
Uma mulher acorda convencida de que aquele será seu último dia. Ela então decide vender todos os seus pertences, enquanto relembra momentos da vida —até que a filha que não vê há 20 anos retorna.

Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw
Fast & Furious Presents: Hobbs & Shaw. EUA/Reino Unido, 2019. Direção: David Leitch. Com: Dwayne Johnson, Jason Statham, Idris Elba e Vanessa Kirby. 136 min. 10 anos.
No filme que explora o universo da franquia “Velozes e Furiosos”, os agentes Luke Hobbs e Deckard Shaw precisam unir forças para combater um anarquista geneticamente modificado.