Dê um upgrade no seu rabo de cavalo com o acessório capilar da vez

Os lenços de seda prometem invadir a sua penteadeira de beauté e elevar seu rabo de cavalo tradicional à décima potencia
JESSICA CHIA

A partir da esquerda, vestido Gucci. Brincos Kenneth Jay Lane. Vestido Kwaidan Editions. Brincos Versace. Lenços Charvet e Versace (Foto: Hasse Nielsen)

Do que depende seu novo look capilar? De um – dois ou sete – lenços de seda. Aqui, um editorial para você se inspirar e dar um upgrade no seu rabo de cavalo. Confira: 

Vestido Kwaidan Editions. Brincos Versace e lenço Charvet. (Foto: Hasse Nielsen)
Top Chloé. Brinco Chloé e lenço Charvet (Foto: Hasse Nielsen)
A partir da esquerda, vestido Versace. Brincos Kenneth Jay Lane. Vestido Snow Xue Gao. Brincos Simone Rocha. Lenços Versace e Charvet (Foto: Hasse Nielsen)

Stylist: Jaime Kay Waxman
Cabelo: Nai’vasha
Maquiagem: Romy Soleimani

Apple diz que pagamento de € 13 bi à UE ‘desafia a realidade e o bom senso’

Uma ordem da Comissão Europeia estabelece que a empresa pague impostos atrasados na Irlanda
Por Agências – Reuters

Comissão Europeia quer pagamento de € 13 bilhões da Apple em impostos 

A Apple afirmou que a ordem da Comissão Europeia que prevê que a empresa pague € 13 bilhões em impostos atrasados ​​à Irlanda “desafia a realidade e o bom senso”. ​​ A fabricante do iPhone está apelando para o segundo mais alto tribunal da Europa para anular a decisão da autoridade europeia, e os dois lados estão debatendo o caso, que marca campanha da UE para combater evasão fiscal de multinacionais. 

A Apple também acusou a Comissão de usar seus poderes para efetivamente mudar o sistema tributário internacional e, no processo, criar incerteza jurídica para as empresas. A Irlanda, cuja economia se beneficiou do investimento de empresas multinacionais atraídas por baixas taxas de impostos, também está contestando a decisão da UE e acusou a Comissão de exceder seus poderes e interferir na soberania nacional dos membros da UE sobre questões fiscais. O braço executivo da UE rejeitou os argumentos.

O caso em questão teve início em agosto de 2016, quando a Comissão afirmou que as decisões fiscais da Irlanda em 1991 e em 2007 reduziram artificialmente a carga tributária da Apple por mais de duas décadas, criando efetivamente um auxílio estatal ilegal.

O espisódio pode ajudar ou interromper a campanha da comissária europeia de Concorrência, Margrethe Vestager, que também entrou com uma ação contra o Starbucks, a Fiat, a Engie, a Amazon e outras.

O vice-presidente financeiro da Apple, Luca Maestri, lidera uma delegação de seis membros no tribunal, onde um painel de cinco juízes ouvirá argumentos durante dois dias.

“A Comissão alega que essencialmente todos os lucros da Apple com todas as suas vendas fora das Américas devem ser atribuídos a duas filiais na Irlanda”, disse o advogado da Apple, Daniel Beard, ao tribunal. Ele disse também que os principais produtos e serviços da Apple foram desenvolvidos nos Estados Unidos, e não na Irlanda, mostrando as falhas no caso da Comissão. “As atividades das filiais não envolveram a criação, desenvolvimento ou gerenciamento desses direitos. Com base nos fatos deste caso, a linha principal desafia a realidade e o bom senso”, afirmou Beard.

O advogado da Comissão, Richard Lyal, disse que o argumento da Apple de que todas as suas atividades relacionadas à propriedade intelectual ocorrem nos Estados Unidos é inconsequente, e disse que a Irlanda não examinou as funções desempenhadas pelas unidades irlandesas da Apple.

A Irlanda afirmou ter sido alvo de críticas totalmente injustificadas e  disse que o caso tributário da Apple se deve a uma incompatibilidade entre os sistemas tributários irlandês e norte-americano.

Pagando uma taxa tributária global média de 26%, a Apple afirma que é o maior contribuinte do mundo e agora está pagando cerca de € 20 bilhões em impostos nos EUA com os mesmos lucros que a Comissão disse que deveriam ter sido tributados na Irlanda. Em seu atual trimestre financeiro, a Apple espera uma receita de US$ 61 bilhões a US$ 64 bilhões e uma margem bruta de 37,5% a 38,5%.

Espera-se que o tribunal decida sobre o caso nos próximos meses. Entretanto, a parte que perder deve provavelmente recorrer ao Tribunal de Justiça da UE. Desta forma, um julgamento final pode levar vários anos.

Taylor Swift anuncia show em São Paulo em julho de 2020

Cantora americana só esteve no Brasil em pocket show fechado em 2012. ‘Eu quero ir a alguns lugares onde nunca estive antes e tocar em festivais’, escreveu, ao comentar turnê.

Taylor Swift 

Taylor Swift virá pela primeira vez ao Brasil em uma turnê. A cantora americana anunciou show no Allianz Parque, em São Paulo, no dia 18 de julho de 2020.

Ela só esteve no Brasil em pocket show fechado em 2012, quando se apresentou ao lado de Paula Fernandes.

Desta vez, Taylor vai passar pelo Brasil com a turnê do álbum “Lover”, lançado neste ano.

“Eu quero tocar de uma forma autêntica. Eu quero ir a alguns lugares onde nunca estive antes e tocar em festivais. Onde não existirem festivais, nós criaremos algum”, escreveu a cantora em suas redes sociais.

Ainda não há informações sobre ingressos, mas eles serão vendidos pelo site Tickets for Fun.

Álbuns recentes

“Lover”, sétimo álbum da cantora, parece concebido para ser vários recomeços em um só disco. É uma volta ao country, ao falatório recalcado e às letras descritivas.

Após trabalhar com um time de produtores suecos liderados por Max Martin (Britney Spears, Backstreet Boys), ela está ainda mais alinhada ao produtor Jack Antonoff. O ex-membro da banda Fun tem currículo mais alternativo (Lorde, Lana Del Rey).

A discografia recente de Taylor tem ainda o soturno “Reputation”, de arranjos mais sujos. Era como uma ida ao bar para reclamar da vida.

Muito mais leve, “1989” é o álbum mais assumidamente pop dançante da carreira e falava sobre o amor nos tempos do Tinder.