A estilista Sophia Kokosalaki morre aos 47 anos

A estilista grega Sophia Kokosalaki – foto Reprodução

A estilista grega Sophia Kokosalaki morreu hoje aos 47 anos. Kokosalaki, formada pela Central Saint Martins de Londres no final dos anos 1990, se destacou com sua visão contemporânea dos clássicos drapeados gregos e das famosas esculturas de seu país. Foi ela, inclusive, quem desenhou todos os uniformes das Olimpíadas de Atenas em 2004.

Kokosalaki foi uma das sensações entre os jovens talentos da moda do começo do século 21. Foi contratada para reviver a marca Vionnet (2006/2007), fez colabs para a Top Shop (2001), vendeu sua marca em 2007 para o grupo Only the Brave, de Renzo Rosso, recomprou dois anos depois, e em 2012 lançou uma linha para noivas e tinha uma linha de jóias também.

Os drapeados de Kokosalaki

Ela estaria lutando contra um sério problema de saúde, não revelado até agora. Deixa o marido e uma filha. 

Booker Prize premia duas escritoras: Margaret Atwood e Bernardine Evaristo

Decisão rara de um dos prêmios literários mais importantes do mundo distinguiu a autora de ‘O Conta da Aia’ e fez de Evaristo a primeira mulher negra a vencê-lo
Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

Margaret Atwood e Bernardine Evaristo

Booker Prize — um dos prêmios literários mais importantes do mundo — escolheu duas escritoras como vencedoras da edição 2019: Margaret Atwood, por The Testaments, e Bernardine Evaristo, pelo livro Girl, Woman, Other

A decisão vai contra as regras do próprio prêmio, mas os juízes decidiram de última hora que não poderiam separar ou escolher apenas um trabalho para vencer a edição de 2019. A decisão de dividir ocorreu duas vezes na história, em 1974 e 1992, quando as regras foram alteradas. O nome do prêmio mudou em 2019 também (desde 2001 era conhecido por Man Booker Prize).

Aos 79 anos, Atwood se torna a pessoa mais velha a vencer o Booker Prize. Em The Testaments, Margaret retoma a história de O Conto de Aia, sobre um futuro totalitário no qual mulheres férteis são sujeitadas à servidão sexual para repovoar um mundo às voltas com um desastre ambiental, e que se tornou uma série de televisão popular.

Nascida em Londres em 1959, Evaristo é a primeira mulher negra a ser escolhida.

Booker Prize 2019
A escritora britânica Bernardine Evaristo com o livro ‘Girl, Woman, Other’, uma das vencedoras do Man Booker Prize 2019  Foto: Tolga AKMEN / AFP
Man Booker Prize 2019
A autora canadense Margaret Atwood, com o livro ‘The Testaments’  Foto: Tolga AKMEN / AFP

Zoe Kravitz será a Mulher-Gato em ‘Batman’ com Robert Pattinson

Atriz é conhecida por seu trabalho na série ‘Big Little Lies’

Zoe Kravitz Foto: Shannon Stapleton / Reuters

Zoe Kravitz é a atriz escolhida para viver o papel de Mulher-Gato no próximo filme Batman que será gravado pelo diretor Matt Reeves, e terá Robert Pattinson como protagonista, de acordo com informações da revista Variety nesta segunda-feira, 14.

Zoe Kravitz é conhecida principalmente por seu papel na série Big Little Lies, exibida pela HBO.

Ainda segundo a publicação, a ideia é que a pré-produção do novo filme de Batman tenha início ainda em 2019 ou no começo de 2020, e faça sua estreia em 25 de junho de 2021 nos Estados Unidos.

Antes de Zoe Kravitz, o papel de Mulher-Gato foi interpretado no cinema por atrizes como Anne HathawayMichelle Pfeiffer e Halle Berry.

SoftBank busca controlar WeWork por meio de pacote de financiamento, diz agência de notícias Reuters

No mês passado, a WeWork cancelou sua oferta pública inicial de ações
Por Agências – Reuters

SoftBank pode investir mais US$ 1 bi na WeWork

O grupo japonês SoftBank preparou um pacote de financiamento para a WeWork que lhe daria controle sobre a startup de escritórios compartilhados, disse uma pessoa familiarizada com o assunto. A medida aumentaria significamente a participação do SoftBank na empresa, que já é de um terço, e diluiria ainda mais a influência do cofundador Adam Neumann. No mês passado, a startup cancelou sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) e Neumann concordou em renunciar ao seu cargo de presidente-executivo.

Anteriormente, a agência de notícias Reuters disse que o SoftBank estava em negociações para fazer um investimento de US$ 1 bilhão para permitir que a WeWork passe por uma grande reestruturação.

Sem uma nova infusão de dinheiro, a WeWork corre o risco de ficar sem dinheiro já no final de dezembro, disse a fonte.

O WeWork está trabalhando com o JPMorgan Chase para negociar um acordo de dívida de US$ 3 bilhões após o cancelamento do IPO no mês passado. A empresa enfrenta preocupações com seus padrões de governança corporativa, bem como com a sustentabilidade de seu modelo de negócio 

“O WeWork conseguiu uma grande instituição financeira de Wall Street para organizar um financiamento”, disse uma porta-voz da empresa. “Aproximadamente 60 fontes de financiamento assinaram acordos de confidencialidade e estão se reunindo com a administração da empresa ao longo da semana passada e na próxima semana.”

O WeWork perdeu US$ 1,9 bilhão em 2018. Nos primeiros seis meses de 2019, o prejuízo da companhia somou US$ 904 milhões, aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado. 

Bec Parsons for Love Want Magazine with Aylah Peterson

Photography: Bec Parsons. Styling: Meg Gray. Hair: Rory Rice. Makeup: Nadine Monley. Model: Aylah Peterson.

Salma Hayek celebra 12 milhões de seguidores fazendo acupuntura

“Uma agulha representando cada um dos milhões”, disse a atriz

SALMA HAYEK (FOTO: INSTAGRAM/REPRODUÇÃO)

Salma Hayek celebrou a marca de 12 milhões de seguidores no Instagram e comemorou de uma maneira inusitada: fazendo acupuntura.

“Obrigada a todos vocês por seu carinho e apoio. Bravoooo! Já chegamos aos 12 milhões. Uma agulha de saúde e bem-estar representando cada um dos milhões”, disse na legenda, nesta segunda-feira (14).

Os fãs deixaram muitos comentários. “Agulhas sortudas”, disse um seguidor. “Me apaixonei outra vez”, disse outra. “Estou chateado que essa foto está cortada”, brincou mais um.

Queen Latifah será homenageada por contribuições para a cultura negra

Atriz foi reconhecida pela Universidade de Harvard e receberá a medalha WEB Du Bois
AGÊNCIA – AP

Queen Latifah no MTV Video Music Awards, em agosto de 2019, em Newark, nos Estados Unidos. Foto: Charles Sykes/Invision/AP

A atriz e cantora Queen Latifahque estará no musical para TV de A Pequena Sereia, foi reconhecida e será homenageada este ano pela Universidade de Harvard por suas contribuições para a história e cultura negra.

A instituição de ensino vai conceder a medalha WEB Du Bois para a artista e a outras seis pessoas no dia 22 de outubro, segundo o Hutchins Center for African & African American Research, um instituto de pesquisa científica em Cambridge, nos Estados Unidos.

Outros homenageados incluem a poeta e educadora Elizabeth Alexander, secretária da Smithsonian Institution Lonnie Bunch III, a poeta Rita Dove e Sheila Johnson, cofundadora da Black Entertainment Television.

Entre suas ações em prol na cultura negra, Queen Latifah se destacou no rap por abordar questões sofridas pelas mulheres negras. Ela também lançou, em 2006, uma linha de cosméticos destinada a esse público, criada em parceria com a marca CoverGirl.

O prêmio Du Bois recebeu esse nome em homenagem a um estudioso, escritor, editor e pioneiro em direitos civis que se tornou o primeiro estudante negro a obter um doutorado em Harvard em 1895.