Sebastian Hilgetag for ELLE Bulgaria with Nina Hnizdo

Photography & Retouch: Sebastian Hilgetag. Styling: Natalie Lola Akinola. Hair & Makeup: Julia Firefly. Model: Nina Hnizdo at IZAIO.

Snapchat ganha 7 milhões de usuários no 3º tri, mas ações caem 5%

Ao todo, o Snapchat tem 210 milhões de usuários ativos diariamente no mundo; previsão de receitas abaixo do esperado desanimou investidores, porém
Por Agências – Reuters

Snap lançou nova ferramenta publicitária 

A rede social de mensagens efêmeras Snapchat ganhou 7 milhões de usuários ao longo do terceiro trimestre de 2019, revelou nesta terça-feira, 22, a Snap, dona da plataforma. Os números fazem parte dos resultados financeiros da companhia para o período. 

Ao todo, o Snapchat tem 210 milhões de usuários ativos diariamente no mundo. Há um ano, a empresa tinha 186 milhões, comprovando sua retomada de popularidade em 2019.

Apesar dos números positivos, a empresa viu suas ações caírem cerca de 5% após o fechamento do mercado. Os investidores ficaram desanimados com a previsão de receitas abaixo do esperado para o quarto trimestre, na casa de US$ 540 milhões – a expectativa era de US$ 555 milhões. 

No terceiro trimestre, a empresa faturou US$ 446 milhões, alta de 50% ante o mesmo período de 2018. Mesmo assim, ficou no vermelho, com prejuízo de US$ 227 milhões entre julho e setembro.

Trailer final de ‘Star Wars: A Ascensão Skywalker’ é divulgado

Filme encerra a saga Skywalker em ‘Guerra nas Estrelas’; pré-venda de ingressos foi aberta na segunda-feira, 21
Rayssa Motta – O Estado De S.Paulo

Chewbacca (Joonas Suotamo), Poe Dameron (Oscar Isacc), Finn (John Boyega) and Rey (Daisy Ridley) are ready for revolution.
© Lucasfilm Ltd.

O trailer final do nono episódio da saga Star Wars: A Ascensão Skywalker foi divulgado nesta terça-feira, 22.

“A saga chegará ao fim, a história vive para sempre”, diz o anúncio. O teaser mostra Poe Dameron (Oscar Isaac) tentando reunir a Resistência após as baixas sofridas em Os Últimos Jedi.

Com muita ação, o trailer não entrega muita coisa, mas é possível adiantar que a rivalidade entre Rey (Daisy Ridley) e Kylo Ren (Adam Driver) voltará a ser explorada em A Ascensão Skywalker. Os dois chegam a aparecer lutando no teaser. “As pessoas dizem que me conhecem. Ninguém me conhece”, diz Rey. “Mas eu conheço”, rebate Kylo.

O Imperador Palpatine retorna com destaque maior que nos outros trailers anteriores. Uma cena mostra seu trono, enquanto sua voz diz: “Eu esperei por muito tempo. E agora a união de vocês será sua destruição”. 

Carrie Fisher, que morreu em 2016, também estará na produção com cenas gravadas originalmente para O Despertar da Força. Outra novidade dos filmes clássicos é o retorno de Billy Dee Williams como Lando Calrissian, que aparece no trailer entre os militantes da Resistência. 

Em uma cena que mexeu com os fãs, C-3PO parece se despedir, dizendo que queria “dar uma última olhada” em seus amigos. 

 O filme, que estreia nos cinemas brasileiros em 19 de dezembro, encerra a saga iniciada por George Lucas em 1977. Quem quiser garantir um lugar nas sessões já pode comprar os ingressos: a pré-venda foi aberta na noite de segunda-feira, 21.

Lovefoxxx dá tempo na vida pacata para bater cabelo na volta do Cansei de Ser Sexy

Liv Brandão – UOL

Lovefoxxx, do Cansei de Ser Sexy Imagem: Reprodução/Instagram

Luísa “Lovefoxxx” Matsushita, o furacão espevitado à frente do Cansei de Ser Sexy, não é mais a mesma menina que ganhou o mundo com sua banda. Aos 35 anos, trocou o fervo de São Paulo pela tranquilidade de Garopaba, em Santa Catarina, isso depois de um retiro na Amazônia.

No lugar dos palcos, uma vida ao ar livre: no quintal de casa, ela mesma planta os vegetais que consome e, nas horas vagas, pega a prancha de bodyboard para surfar. O mais perto de que chegou da música desde 2014, quando o grupo de hits como Alala e Superafim tocou pela última vez, em Hong Kong, foi por playlists randômicas do streaming (“não canto nem no chuveiro”).

Só que agora ela está de figurino pronto para encarar a volta do CSS ao lado das antigas companheiras Luiza Sá, Ana Rezende e Carolina Parra, substituindo a banda americana Beirut como atração do festival Popload, que acontece em São Paulo, em 15 de novembro.

O UOL conversou com Luísa, que, ao som de passarinhos, confessou estar morrendo de saudades de “bater o cabelo” e contou o que andou fazendo nesse meio tempo. Retorno aos palcos “O Cansei de Ser Sexy nunca acabou, sempre falamos que era uma pausa. Estávamos com o carro parado na garagem e agora estamos correndo para colocar gasolina”, justifica Lovefoxxx, sempre rindo.

“A gente já estava a fim de fazer uns shows, mas a logística estava difícil. As meninas (Luiza Sá, Ana Rezende e Carolina Parra, companheiras de banda) moram em Los Angeles e eu em Garopaba. Quero que todo mundo se divirta como a gente sempre se divertiu no palco, quero chegar lá em cima e olhar todo mundo no olho, curtir o momento”, diz ela, pedindo para reforçar que esse será o único show do CSS em 2019.

Projetos durante o hiato “Já naquela época eu tinha um desejo muito grande de explorar outras coisas”, diz ela, que se envolveu com projetos de agrofloresta e que também dá expediente como artista plástica, tendo exposto em galerias da Califórnia e do Amazonas.

Dos 19 aos 30 anos eu fiquei muito focada na banda que, apesar de todo o sucesso, foi algo que eu nunca levei muito a sério. Daí resolvi fazer coisas sérias, como plantar, mas tudo ficou muito sério e agora quero bater cabelo.

“Eu falo sempre com as meninas, elas se veem muito em Los Angeles, e eu já encontrei com elas por lá. A Carol é chef de cozinha. A Luiza faz som direto para audiovisual, já trabalhou com o Mike Mills (lendário baixista do R.E.M, diretor de Toda Forma de Amor, de 2010), e a Ana produz shows e eventos, que é algo que ela sempre fez na banda”, conta Luísa.

“Já eu comecei a estudar questões de casa auto-sustentável, permacultura, estudo agroflorestas e trabalho com a multiplicação de sementes crioulas”, diz a cantora, que planta – atenção para a lista! – banana, inhame, cúrcuma, abacate, limão, flores, melancia, milho, cana, mamona, ora pro nobis, bucha, peixinho, girassol, tomate, aveia, abóbora, gengibre, feijão, mandioca, isso sem falar nas hortaliças, ufa!

Bafão com Adriano

Cintra Luísa fala de boas sobre Adriano, principal compositor do CSS, com quem o restante da banda teve um arranca-rabo que respingou para as redes sociais em 2011. Pouco tempo depois, eles se acertaram, os insultos foram apagados e a vida seguiu. Adriano atualmente vive em Portugal.

“Não guardo rancor. A gente se fala por mensagem do Instagram, mas não temos mais um relacionamento. Somos amistosos, e mesmo depois de todo o bafão que aconteceu não guardo rancor. Ele até comentou a nossa volta com um coraçãozinho vermelho”.

Fotolog x Instagram

O Cansei de Ser Sexy nasceu de uma conta no Fotolog e o substituto contemporâneo do álbum de fotos online também tem sua importância para o retorno da banda.

Nossos fãs no Instagram são umas bicha muito engraçada, é uma galera muito incrível. Deu saudade. Inclusive, nosso setlist do Popload foi decidido por meio de uma pesquisa no Instagram, um método muito científico.

O show no Popload

Falando em setlist? quem espera músicas inéditas, pode esperar sentado.

Acho um saco quando o artista volta e em vez de tocar o que os fãs querem ouvir tocam música que ninguém conhece. Nossos shows sempre foram meio básicos, com direção de arte de festa de criança, uma coisa meio tosca. O que a gente está trabalhando de mais especial são uns vídeos para os telões e só.

“Vai ser um show para agradar os fãs, porque a gente já está muito feliz de se reunir. A última vez que a gente tocou em São Paulo foi no Clash, em 2011!”, relembra. “Tem a coisa da moda? a real é que as únicas que ligavam para moda na banda éramos eu e a Ira (Iracema Trevisan, baixista, que deixou o grupo em 2008).

“Eu passei duas semanas costurando um figurino, quero só terminar de acrescentar uns detalhes, vai ser um look bem color-blocking. Já as meninas ficam ‘sei lá, vai estar quente, vou levar uma camiseta'”, conta.

Vão rolar mais shows?

“A gente tem vontade fazer mais shows, mas não estamos indo atrás. No Cansei de Ser Sexy tudo aconteceu naturalmente, sempre funcionou assim”, explica. “Mesmo quando morávamos mesma cidade, já trabalhávamos remotamente, pela internet. É uma coisa normal e estamos fazendo isso de novo. A Carol faz uns beats e me manda. A Luiza grava a guitarra, e eu mando só o vocal separado. É como a meninada faz música hoje em dia também”.

Já temos várias demos, mas não queremos a pressão de lançar nada, a gente está só escrevendo e gravando pela graça de fazer música. Tá, vai, a gente até tem uns planos, mas que são secretos.

“Nosso novo som está um pouco diferente, encontrei uma voz diferente, mais grave, mais parecida com o jeito que eu falo, estou explorando mais esse lado. Mas nesse meio tempo eu não cantei nem no chuveiro, eu não sou cantora, eu sou causadora!”

Vida de artista x “vida na roça”

Não sinto falta dos holofotes, acho isso bem chato. Para falar a verdade detestava dar entrevista para aquele bando de homem velho que ficava admirado de a gente postar nossas músicas na internet em 2003. Duh, sabe? Tenho é saudade dos rolês com as meninas. O que mais une nós quatro desde sempre é o nosso humor, a gente gosta de ver vídeo no YouTube e dar risada junta, gostamos da zoeira. Parece tão superficial, mas é super-importante.

Atualmente, Luísa mora “em um barraco” (palavras dela!) de madeira de 12 metros quadrados decorado com alguns móveis e suas obras. “Vim para Santa Catarina para ter mais qualidade de vida, ficar mais perto do mar, me preocupo muito com sustentabilidade e levo um estilo de vida muito barato. Gasto R$ 40 por mês de contas da casa, meu lazer é plantar e surfar”.

Nostalgia

De revelação da música ao baile da saudade: sim, com o revival dos anos 2000, o CSS já é tocado em muita festinha de nostalgia por aí. “É bem louco”, avalia Luísa. “Às vezes chegam uns velhos falando que ouviam a gente na adolescência. Mas o que importa é que estamos saudáveis e somos relevante para nós mesmas, não viramos personagens, não queremos ser o que éramos antes. Somos honestas e independentes. Acho muito triste quando uma banda dos anos 1980 volta e quer ser o que era naquela época, uma coisa meio vovô gatinho. A gente não é vovó gatinha, a gente é só gatinha!”.

Anitta

“Eu ouço música por streaming, quase não sei nome de artista nenhum, deixo tocando lá e só. Ouço música assim desde 2012 e o algoritmo já me conhece muito bem. Também não sou muito de música brasileira, mas tenho amado a Sara Hebe, uma argentina, ela faz uma cumbia nervosona. Ah, amei o disco da Letrux (Letrux em Noite de Climão, de 2017), acho ela divertida, fodona, sincera. Gostei muito de uma música que explica o conceito da chuva, que é linda? é do… deixa eu ver? Jaloo! Nem sei se as outras músicas dele são boas, mas essa, chamada Chuva, é demais. Também gosto da Dona Onete e do BaianaSystem, mas nunca vi show de nenhum dos dois”, diz ela, ao ser indagada se viu dois, diz ela, ao ser indagada se viu dois dos melhores shows ao vivo da atualidade no Brasil. Sobre Anitta, com quem o CSS teve uma divertida interação no Twitter anos atrás (a cantora respondeu um elogio da banda “cantando” a letra de Superafim), ela diz não acompanhar muito. “Mas acho incrível que a gente tenha uma diva, uma popstar que canta, dança, arrasa, que tá fazendo o que ela quer. Fico impressionada com o volume de trabalho que ela faz, ela é babado”.

POPLOAD FESTIVAL 2019
Com shows de Patti Smith, The Raconteurs, Hot Chip, Tove Lo, Cansei de Ser Sexy, Little Simz, Khruangbin, Boy Pablo, Luedji Luna e o bloco Ilê Aiyê
Quando: 15 de novembro
Onde: Memorial da América Latina (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda, São Paulo)
Horários: Abertura dos portões às 10h; início dos shows às 11h
Ingressos: pista R$ 580 (inteira), pista premium R$ 800 (inteira) Onde comprar: http://www.ticketload.com e bilheteria do Credicard Hall

Designer de iluminação Ingo Maurer morre aos 87 anos

Alemão fazia sucesso com criações desde os anos 60
FOTO GETTY IMAGES E DIVULGAÇÃO

Designer alemão Ingo Maurer

O designer alemão Ingo Maurer, famoso por suas lâmpadas e produção em iluminação, morreu aos 87 anos. A causa da morte não foi divulgada.

Suas criações foram baseadas nos conceitos de surpresa e desorientação. Em 1966, ele projetou o candeeiro de mesa Bulb, ainda produzido hoje. Alguns foram feitos com métodos artesanais, como “Zettel’z” (1997) e “MaMo Nouchies” (1998), parte de uma série de artigos japoneses. Muitos de seus sistemas de iluminação são exibidos no MoMa, Nova York, como o candeeiro de mesa Gulp (1969) e Porca Miseria! (1994), feito de peças de cerâmica quebradas.

Trajetória

Maurer nasceu na ilha de Reichenau (no Lago Constança) em 1932, filho de um inventor que patenteou uma máquina para defumar presuntos. Ele foi tipógrafo e, em seguida, designer gráfico na Suíça e Munique (1954-1958), onde em 1960 abriu uma pequena oficina de artesãos, Design M, agora uma empresa internacional chamada Ingo Maurer GmbH.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é bulb-alta.jpg
Bulb está entre as 5 luminárias mais ousadas de Ingo Maurer (Foto: Divulgação)

Depois de terminar seus estudos, Maurer fez uma viagem de três anos aos Estados Unidos, onde entrou pela primeira vez no mundo do design. Deslocando-se entre Nova York e São Francisco, trabalhou como designer independente em importantes projetos de design gráfico para empresas como a IBM.

Verdadeiro outsider autodidata, estreou oficialmente em 1966, quando projetou o candeeiro de mesa “Bulb”. A inovação tecnológica era vista como uma característica essencial a ser continuamente atualizada e como uma maneira de expressar a beleza contemporânea de uma luz capaz de mover o usuário, despertando memórias e sensações.

Concebido como uma lâmpada dentro de uma concha de vidro que imitava a forma da própria lâmpada, “Bulb” também é o produto fundador do sucesso de Maurer. O protótipo, fabricado em uma fundição de vidro em Murano, na Itália, foi apresentado no showroom da Herman Miller em Munique e fez enorme sucesso entre o público e os críticos, permitindo que o Design M iniciasse seus negócios.

Ru Ku Ku, umas das criações dele (Foto: Divulgação)

Ainda produzido hoje, “Bulb” é também a primeira das reflexões de Maurer sobre o reconhecimento do valor figurativo de fontes de luz comuns, transmitidas principalmente por sua produção durante a década de 1970, com projetos como “No Fuss”, “Pollux”, ” Thomas Alva Edison” e “Big M”.

Muitos dos trabalhos de Maurer são criados para serem produzidos em massa, enquanto outros são projetados como cópias únicas altamente variadas que levam o conceito de itens pontuais a seus limites, com base em elementos de surpresa e desorientação.

Décor do dia: rosa e roxo criam atmosfera acolhedora em quarto de casal

Formas arredondadas dão toque vintage ao ambiente
POR PAULA JACOB | FOTO DIVULGAÇÃO

Já pensou em viver em um ambiente com a cara dos filmes de Wes Anderson? Este quarto de casal em tons de rosa e roxo revisita a estética do diretor com a mistura de cores e formas instagramáveis. O ambiente faz parte do novo Palazzo Experimental, em Veneza, e mistura referências da dramaticidade da cidade com o estilo de vida cosmopolita. Por isso, a conversa entre passado e presente é tão marcante. Os arcos, elementos arquitetônicos que voltaram com tudo, invadem a decoração na cabeceira e no encosto estofado da cama. A meia parede é formada por dois tons de rosa, combinação em alta nas tendências de decoração para o ano. 

Prédio na Europa assinado pelo escritório Hamonic + Masson & Associés terá piscinas privativas nos apartamentos

O projeto, assinado pelo escritório Hamonic + Masson & Associés, reflete o estilo de vida mediterrâneo da cidade costeira de Limassol, no Chipre

Já imaginou ter uma piscina privativa no seu apartamento? Em Limassol, no Chipre, o escritório Hamonic + Masson & Associés idealizou um edifício residencial de luxo com piscinas nas varandas, que se conectam diretamente a cada uma das 19 unidades. 

O projeto, que reflete o estilo de vida mediterrâneo da cidade costeira, transforma cada apartamento em uma “ilha independente”. As varandas em formato de corola, que se assemelha ao conjunto de pétalas de uma flor, oferecem piscinas e áreas verdes independentes, integradas ao interior dos apartamentos.

As corolas também aparecem no térreo do edifício, onde as estruturas em meio a paisagem verde dão continuidade ao design da torre de 55 metros, que também tem uma piscina com borda infinita na cobertura. O complexo ainda possui academia, galeria de arte e spa de luxo, todos com acesso independente.

O sistema deslizante das portas de vidro é o único elemento que separa a área de estar da varanda, garantindo a continuação visual do projeto e a transparência da fachada, que permite vista constante do mar e cria a atmosfera de viver ao ar livre.