Barbara Fialho – True Love Baby (Official Lyric Video) ft. Stephen Marley

Barbara Fialho’s Official Lyric Video for ‘True Love Baby’.

Realização: Easy Booze
Produção musical: Duani Martins
Videomaker: Guilherme Nunes
Edição e Finalização: Vitor Chuo
Produção Executiva: Gustavo Sabó
Estudio Boop
Beleza: Renato Oliveira
Vestidos: Caroline Carvalho
Estilo: Raphael Mendonca

AccessMidia – Boutique M Unique – Cross Networking

Serkan Emiroglu for Maksu latest Campaign with Stina Rapp and Oriana Gil

Campaign: MAKSU FW2019. Photography: Serkan Emiroglu. Stylist: Kübra Konca. Hair: Ismail Inan. Makeup: Ciğdem Yartaşı. Sylist Assistant: Melike Karabulut. Production: Subbstudio. Models: Stina Rapp and Oriana Gil.

Dorit Revelis – The Great Escape – PorterEdit November 29th, 2019 By David Luraschi

The Great Escape   —   PorterEdit November 29th, 2019   —   www.net-a-porter.com
Photography: David Luraschi Model: Dorit Revelis
Styling: Helen Broadfoot Hair: Naoki Komiya Make-Up: Jenny Coombs
Production: Rachel Evans Art Direction: Chiara Mestre

Além da rasteirinha: 6 modelos de sandálias para investir no verão

Os modelos mais fresquinhos, descolados e versáteis para apostar na temporada mais quente do ano
SOFIA STIPKOVIC

Sandália fresca para o verão. (Foto: Instagram)

Trocar sapatos fechados, como scarpins e botas, por calçados abertos é essencial no verão. Com as temperaturas altas, é preciso buscar opções descoladas, que vão além das rasteirinhas, e estamos de olho em 6 modelos de sandálias para investir no verão, que combinam muito bem conforto e estilo.

1. Salto diferentão

Sandália com salto diferente. (Foto: Instagram)

Os saltos diferentões, em formatos que fogem ao tradicional, ganharam bastante espaço no verão internacional e chegam com força total por aqui. É uma excelente opção para quem gosta dos modelos básicos, mas quer um algo a mais.

2. Amarração

Sandália de amarração em look fresco. (Foto: Instagram)

A sandália de amarração está em alta desde a temporada passada e deve permanecer entre as queridinhas nesse verão. Se você não é muito fã do modelo, experimente versões com tiras mais finas e delicadas, talvez o sapato finalmente caia no seu gosto!

3. Strass + plumas

Sandália com strass e plumas. (Foto: Instagram)

O brilho veio forte no inverno e já se consagra como tendência absoluta no verão também. De carona nesse momento maximalista, as plumas saem das roupas e descem para os pés, e, juntos, as duas trends transformam qualquer modelo em hit.

4. Bico quadrado

Sandália de bico quadrado em look cool. (Foto: Instagram)

O acabamento frontal quadrado, que foi tendência nos anos 90, está bombando de novo! Esse bico diferente dá um quê clássico aos modelos neutros e é uma aposta boa para esse verão.

5. Vinil transparente

Sandália com detalhe transparente. (Foto: Instagram)

Outra moda que entrou no túnel do tempo, direto dos anos 90 e 2000, é o vinil transparente. O material plástico promete ser febre em sandálias que deixam o pé bem à mostra nessa estação e tem perfume nostálgico.

6. Estilo chinelo

Sandália estilo chinelo com salto bloco. (Foto: Instagram)

Se os mules vêm dominando as últimas temporadas com folga, agora eles são ameaçados pelos chinelos. Além do clássico modelo flat, a versão com salto bloco e feita em tecidos finos ganha status de tendência e já está rodando nos pés mais fashionistas.

Os Simpsons: produtor nega fim da série após declaração de compositor

‘Estamos produzindo a 32ª temporada no próximo ano e não temos planos de parar’, afirmou Al Jean

Com 662 episódios em 30 anos, ‘Os Simpsons’ é a série mais longeva da TV atualmente Foto: 20th Century Fox

Os Simpsons vai chegar ao fim? Al Jean, produtor da série, negou a possibilidade em entrevista ao site britânico Metro nesta sexta-feira, 29.

A polêmica começou após uma entrevista do compositor da música de abertura da série, Danny Elfman ao site Joe

“Bom, pelo que eu ouvi, está chegando ao fim. […] Eu não sei de fato, mas ouvi dizer que [Os Simpsons] está em seu último ano”, afirmou no último dia 23.

“Com todo respeito ao sr. Elfman, mas nós estamos produzindo a 32ª temporada [de Os Simpsons] no próximo ano e não temos planos de parar depois dela”, esclareceu Al Jean.

Em seu Twitter, o produtor ainda ressaltou: “Os Simpsons continua sem ser cancelada. Novo episódio neste domingo”.

Arquiteta Mariam Kamara desenvolve centro cultural em Níger em parceria com o renomado arquiteto David Adjaye

Projeto foi criado a partir da iniciativa filantrópica Mentor & Protégé, da marca Rolex
ANA LUIZA CARDOSO, DE LONDRES (FOTOS: ROLEX/THOMÁS CHÉNÉ E ROLEX/ATELIERMASOMI)

David Adjaye, mentor, with Mariam Kamara, prot (Foto: ©Rolex/Thomas Chéné)

Um centro cultural em Niamey, no Níger, munido de biblioteca, espaço para performances, café e exposição, pronto para abrigar uma cidade em transformação. Esse foi o resultado de dois anos de estudos e visitas realizadas pela arquiteta nascida na capital do estado africano Mariam Kamara, do Atelier Masōmī, que teve o seu trabalho acompanhado pelo renomado arquiteto britânico-ganês David Adjaye.

Eles fazem parte da iniciativa Mentor & Protégé, da marca suíça Rolex, voltada para a perpetuação do conhecimento nas artes e a transmissão de conhecimento de geração para geração.

Além de auxílio financeiro, a empresa une por um determinado período de tempo jovens talentosos e profissionais renomados em diferentes campos como música, cinema, dança e literatura. Lançado em 2002, o programa já atraiu nomes de peso como o artista David Hockney, o cineasta Martin Scorsese e o cantor Gilberto Gil. 

Os resultados para os participantes variam: um novo romance, uma nova produção teatral, uma carreira dançando com a empresa do mentor ou uma obra de arte colaborativa.

Arquiteta Mariam Kamara desenvolve centro cultural em Níger em parceria com o renomado arquiteto David Adjaye (Foto: Rolex/ateliermasomi)

No caso de Mariam, não apenas o centro cultural em sua cidade natal, mas uma oportunidade de dar um rumo e entender melhor o seu próprio trabalho, como ela explicou em uma entrevista coletiva realizada no escritório de Adjaye. 

“É o projeto mais ousado que todos que eu já fiz”, disse. “Eu queria firmar a minha voz, tinha uma necessidade de criar uma identidade e não sabia como. Eu sinto que agora estou chegando a uma resposta. E isso é maravilhoso”. 

Durante entrevista com cidadãos locais, ela registrou a necessidade de existirem lugares de acesso público, onde todos poderiam se reunir e, ainda assim, que esse ambiente respeitasse a cultura local. 

Ela optou, portanto, por uma arquitetura que possibilitasse boa ventilação e ainda uma cor em harmonia com a região desértica.

O centro cultural, que deverá ser chamado de Centro Cultural Boubou Hama e começará a ser construído no próximo ano. Ele foi apresentado pela primeira vez ao público em cerimônia realizada na segunda-feira (25), em um auditório, na Royal Academy of Arts, em Londres, com a presença de Adjaye e do arquiteto David Chipperfield (mentor do programa de arquitetura de 2017). 

Questionado sobre quem seriam os seus “mentores”, Adjaye citou como referência Chipperfield e Oscar Niemeyer.

Arquiteta Mariam Kamara desenvolve centro cultural em Níger em parceria com o renomado arquiteto David Adjaye (Foto: Rolex/ateliermasomi)
David Adjaye, mentor, with Mariam Kamara, prot (Foto: ©Rolex/Thomas Chéné)
Arquiteta Mariam Kamara desenvolve centro cultural em Níger em parceria com o renomado arquiteto David Adjaye (Foto: Rolex/ateliermasomi)

Grandes marcas copiam o trabalho de artesãos mexicanos que lutam por crédito

A iconografia distintiva usada pelo povo indígena Otomí atraiu atenção não solicitada de lojas de moda, que incorporaram imagens semelhantes em seus designs, muitas vezes sem crédito
Elisabeth Malkin, The New York Times

Os padrões variados dos têxteis desta região agora aparecem por toda parte, de bonés a tênis e canecas de café. Foto: Celia Talbot Tobin para The New York Times

SAN NICOLÁS, MÉXICO – Há um mistério por trás da origem das figuras pintadas no elaborado bordado de San Nicolas, uma aldeia no altiplano central do México. Mas para Glafira Candelaria José, que bordou essas imagens durante toda a sua vida, só pode haver uma fonte, “Diosito”, afirmou, usando a forma carinhosa de Deus em espanhol.

O desenho vívido dos artesãos da comunidade indígena Otomi desta área se inspira na flora e na fauna locais: veados, aves, leões da montanha e raposas. Nas últimas décadas, os artesãos de San Nicolás e de outras aldeias ao redor da cidade principal da região, Tenango de Doria, no estado de Hidalgo, transformaram uma habilidade que eles exerciam para sobreviver, em uma indústria caseira.

Os tenangos, como as peças bordadas são chamadas, chegaram ao mercado mundial. Nos últimos meses, as marcas internacionais andaram divulgando produtos decorados com a iconografia dos Otomis, sem mencionar a sua origem. Para alguns, trata-se de apropriação cultural, os aldeões a chamam plágio. Agora, as cópias internacionais resultaram em cartas duras do ministro da Cultura do México e renovadas discussões sobre a necessidade de proteger a propriedade intelectual das comunidades indígenas.

Vários artesãos tenangos começaram a registrar os seus desenhos de acordo com a legislação de direitos autorais do México. Entre eles, Adalberto Flores, que há três anos processou a Nestlé pela venda de uma caneca de cerâmica com imagens semelhantes às suas. A companhia negou ter cometido um crime, e o caso continua sem solução.

Ao mesmo tempo, este ano, a Nestlé ganhou uma decisão do tribunal invalidando o registro de direitos autorais de Adalberto. A Benetton usou o que parecia uma estampa tenango em um maiô de verão. A companhia disse que o design era “o resultado de pesquisa online”, e que o seu “departamento de produtos não tinha conhecimento dos trabalhos tradicionais desta comunidade”.

Já Alma Yuridia Santos Modesto, que faz parte de um coletivo de artesãos na aldeia próxima de El Dequeña, admite que a visibilidade proporcionada pelas marcas globais “dá um grande impulso ao nosso artesanato. Seria bom se eles levassem em conta a gente. Pelo menos dando um pouco de trabalho para nós”.

O seu coletivo bordou bolsas para a Carolina Herrera, anos atrás. Mais recentemente, a casa de moda usou a iconografia tenango em suas coleções para resorts sem dar-lhe o crédito. Depois de uma queixa do ministro da Cultura, a companhia disse que o seu criador “queria mostrar seu profundo respeito “para o “artesanato mexicano”.

tradição dos tenangos é nova pelos padrões mexicanos, e os Otomis, ou hñãhñu, como eles se denominam, criaram a sua iconografia peculiar na década de 1960. Para a maioria dos artesãos, a ligação com a moda internacional constitui uma distração das preocupações do ganha-pão.

Quem faz o trabalho de agulha ganha menos de US$ 10 para bordar um quadrado do tamanho de uma pequena almofada. Alguns artesãos, conhecidos como “dibujantes”, transferem os desenhos para o tecido, e ganham mais. Alguns, cujos desenhos se tornaram muito conhecidos, sonham em exibir seu trabalho para um público global.

Ezequiel Vicente José, um dos dibujantes mais conhecidos da aldeia, acha que o artesanato poderia gerar o ganha-pão para mais pessoas se os artesãos concordassem com os preços e em “aprimorar os desenhos”. Em Tenango de Doria, não há um banco. A estrada para San Nicolás é pavimentada, mas a maioria das outras aldeias fica no final de estradas de terra. Consequentemente, muitos artesãos não têm outra escolha senão vender seus trabalhos aos intermediários, que estabelecem os preços.

“Nós competimos entre nós e isto contribui para baixar os preços,” disse Rebeca López Patiño abrindo uma toalha de mesa que,segundo ela, deveria custar cerca de US$250. Mas um eventual comprador ofereceria apenas US$ 150, prosseguiu. Entretanto, a maior preocupação na aldeia é talvez com quem, na próxima geração, seguirá o caminho dos pais. Faustina José, 43, disse que somente um dos seus quatro filhos desenha e borda como ela; os outros três estão nos Estados Unidos.

“Começa a se perder”, ela disse referindo-se à arte que a ajudou a sair da pobreza. “Os jovens não querem fazer isto. Eles preferem trabalhar, ou estudar”. Os desenhos bordados com linhas coloridas pelos indígenas Otomi do México também são usados em muitas outras coisas, como bonés e tênis ou canecas de café. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Kevin Feige, presidente dos estúdios Marvel, vem ao Brasil participar da CCXP 2019

Responsável pelos filmes e diretor criativo da editora participa de evento, que acontece entre os dias 5 e 8 em São Paulo.

Kevin Feige vai aos prêmio Saturn, nos Estados Unidos, em 2018 — Foto: Jordan Strauss/Invision/AP

A Comic Con Experience 2019 anunciou nesta sexta-feira (29) que o presidente dos estúdios Marvel, Kevin Feige, vem ao Brasil. Ele vai participar do evento, que acontece entre os dias 5 e 8 em São Paulo.

Feige é o grande responsável pelo universo cinematográfico da editora, cujos 23 filmes já somam mais de US$ 22 bilhões em bilheterias no mundo. O produtor também se tornou recentemente o diretor criativo da Marvel Entertainment, que cuida dos quadrinhos da empresa.

Ele se junta a outros convidados da Disney. O estúdio já anunciou a presença do diretor e dos protagonistas de “Star Wars: A ascensão Skywalker”, da presidente da Lucasfilm, Kathleen Kennedy, e de diretores e produtores de animações.

Além deles, também participarão de painéis da empresa os atores Ryan Reynolds (“Deadpool”), Joe Keery (“Stranger things”) e o diretor Shawn Levy (“Uma noite no museu”).

CCXP 2019

Outras estrelas já confirmaram presença na CCXP 2019. Ruth Wilson, Dafne Keen e Clarke Peters, do elenco da série “His Dark Materials”, já anunciaram a vinda.

As atrizes Gal Gadot, que interpreta a Mulher-Maravilha, e Margot Robbie, que interpreta a Arlequina, também estão confirmadas para o evento, assim como o elenco de “La casa de papel”.

O evento está com todos os ingressos esgotados.

Startup francesa BlaBlaCar completa quatro anos de Brasil com 30 milhões de caronas

A expectativa para 2020 é dobrar o número de caronas e aumentar a presença em cidades do interior

Ricardo Leite, diretor geral da BlaBlaCar no Brasil

A startup francesa BlaBlaCar, que organiza caronas intermunicipais entre pessoas que não se conhecem, completa nesta semana quatro anos de operação no Brasil, seu terceiro maior mercado no mundo hoje. Desde 2015, a empresa já ofereceu 30 milhões de caronas no País. A BlaBlaCar anunciou nesta sexta-feira, 29, que a expectativa para 2020 é dobrar o número de caronas e aumentar a presença em cidades do interior – hoje a startup está presente em 2,7 mil cidades brasileiras.  

As caronas cresceram consideravelmente no último ano: cerca de 8 milhões de viajantes usaram a plataforma apenas em 2019. Segundo a BlaBlaClar, só no estado de São Paulo neste ano houve um aumento de 162% no número de caronas em comparação com o mesmo período de 2018.

Nos últimos anos, o trajeto que registrou o maior número de viagens foi o da cidade de São Paulo até Campinas.

De acordo com dados da empresa, cerca de 62% dos usuários brasileiros que usam a plataforma são menores que 35 anos. 

“Em 2020, com uma expansão para cidades cada vez menores – onde as opções de transporte são limitadas – queremos que mais brasileiros fora dos grandes centros possam visitar mais a quem amam”, afirmou Ricardo Leite, diretor geral da BlaBlaCar no Brasil, em comunicado. 

Passagens de ônibus

Um dos principais planos da BlaBlaCar para o ano que vem é integrar passagens de ônibus à plataforma. Em troca, a empresa receberá uma comissão das empresas brasileiras de transporte de passageiros, com quem a francesa fará parcerias. 

Segundo a BlaBlaCar, hoje há muito mais passageiros procurando por um assento vazio do que motoristas oferecendo carona – a integração com passagens de ônibus é uma forma de atender a essa demanda.