8 marcas e truques de styling plus size que vale ter no radar

Quais são as marcas que estão abocanhando esta fatia do mercado e como apostar nelas
SOFIA STIPKOVIC

Carla Ortiz, influenciadora e referência plus size (Foto: Instagram)

Já não dá para começar este texto reduzindo o mercado plus size a um nicho apenas. Só em 2018, em meio a crise, esse setor cresceu 8% e a previsão para 2019 é que essa porcentagem bata pelo menos os 10%, segundo dados da Abravest (Associação Brasileira do Vestuário). E muito menos dá para falar do plus size como tendência, porque ele não é. Ele é a representatividade de uma parcela significativa da população, que consome e precisa ser atendida de maneira honesta e igual, para dizer o mínimo. Então, por que ainda ignoram essa fatia do mercado? Porque, afinal, se empatia não instiga, lucro, geralmente sim.

VISIBILIDADE GORDA

A desculpa na maioria das vezes é escalabilidade ou a “saída” dos produtos, o que não dá para aceitar. Durante as pesquisas para a escrita desse texto, me deparei com a revolução exemplo da Aro Swimwear. “A dominância do P e do M é uma ilusão“, revela Danielle Cavalher, fundadora da marca de beachwear, “A realidade é que grande parte das mulheres usam tamanhos além dessa grade. Fomos uma das primeiras marcas a ter GG e, recentemente, o depoimento de uma cliente, que não comprou porque sentia que não tinha liberdade de escolha e a marca não queria que ela vestisse determinado maiô, me sensibilizou e fez mudar a nova coleção, pois ser excludente nunca foi nosso objetivo.” Hoje, a Aro vai até o XGG e dá a opção de navegação no site de acordo com o tamanho da consumidora, para que ela possa se identificar genuinamente na jornada de compra.

Aliás, esse é outro ponto delicado, de acordo com Carla Ortiz, influenciadora e referência no universo plus size. “Ainda tenho dificuldade para me vestir, apesar de usar 48/50, um tamanho mais acessível”, explica, “Encontro com mais facilidade em fast fashions, o que é uma pena porque eu quero uma roupa de qualidade, que dure e tenha informação de moda. Não quero uma roupa para me servir, quero uma roupa para me vestir e me sentir bem.”

O leque de marcas que conseguem equilibrar uma modelagem inteligente com qualidade e espírito fashion ainda deixa a desejar, segundo a influenciadora, mas elas já existem. Driblando as adversidades, contamos com a expertise da Carla para chegar a uma lista de 8 marcas para ficar no radar e truques de styling para experimentar.

ARO SWIMWEAR

A marca de beachwear tinha grade até o GG, que serve 46/48 normalmente, e com o novo lançamento, expandiu até o XGG. “Foi desafiador pensar os tamanhos porque não é uma questão de escalar, como ampliar uma imagem. Tem a ver com volume de corpo. É preciso fazer modificações para tornar o produto confortável, até o design é preciso ser pensado a partir dos diferentes tipos de corpos”, comenta Danielle.

Pelo conforto da lycra e do desenho inteligente da Aro, seus biquínis e maiôs são excelentes opções para além da praia e piscina. Vale apostar em produções que misturem itens urbanos com beachwear, especialmente nos dias quentes!

Aro Swimwear (Foto: Reprodução)

SHOULDER

Indicação da Carla, a Shoulder é uma marca não nichada que apresenta tamanhos até o 48 e, entre os looks da marca mais usados pela influenciadora, estão os terninhos, um desafio para mulheres gordas segundo ela. “Alfaiataria é uma das coisas mais difíceis de encontrar em tamanho grande e que fique de fato com um caimento bom”, aponta.

Os conjuntinhos – inclusive os de alfaiataria – são pedida certa para compor um visual rápido e sofisticado sempre. Até quando tem uma pegada mais casual, as peças combinadas dão um charme a mais.

Carla Ortiz, influenciadora e referência plus size (Foto: Instagram)

IZZAT JEANS

Com conhecimento de causa, Carla se envolveu na criação da Izzat, “uma marca all sizes”, como ela diz. Focada no universo denim, a empresa contempla do P ao GG e também do 44 ao 56, na sua linha Curve.

Os truques de styling, quando falamos em jeans, são infinitos, mas podemos destacar dois infalíveis: o mix de duas lavagens para compor o famoso look “all denim” e a junção da peça clássica com um item chique, para contrapor a casualidade do denim. Não tem erro!

Carla Ortiz, influenciadora e referência plus size (Foto: Instagram)

MARCIA MORAIS

Marcia Morais é uma das marcas mineiras que valem o destaque, segundo a Carla. “Acho que vale destacar a moda plus size de Belo Horizonte, sejam marcas não nichadas ou especializadas. Eles estão muito à frente de São Paulo”, conta, “O problema é que são difíceis de encontrar porque os revendedores não compram tamanhos grandes ainda.”

Quando usa os looks da Marcia Morais, a paulista coloca à prova peças de modelagem mais clássica e que não necessariamente precisam ter um efeito sóbrio. A saia midi, por exemplo, ganha graça e jovialidade em tons marcantes, que são mais do que bem-vindos ao look no verão.

Carla Ortiz, influenciadora e referência plus size (Foto: Instagram)

ALMARIA PLUS

A Almaria é especializada no público plus e é uma multimarcas com uma curadoria incrível, segunda a própria Carla que nos indicou o e-commerce. Sua grande vantagem, inclusive, é o fato de enviar para todo o país e ter uma moda mais jovem, mais antenada às últimas tendências.

A dica de estilo que podemos tomar emprestada da Almaria é um visual da Carla mix n’match, provando que a mistura de estampas dá bossa ao visual e o faz crescer, parecer um look digno de fashionista. O truque para não errar: procure mesclar prints que tenham cores parecidas entre si e será sucesso na certa!

Carla Ortiz, influenciadora e referência plus size (Foto: Instagram)

FELINE

Especializada em moda casual e praia, a Feline tem em seu DNA, cores, mix de texturas e estamparia exclusiva. Não é uma marca com foco em plus size, mas lançou recentemente uma coleção de beachwear com a cantora Preta Gil e levou sua grade até o XLL, que veste 52/54.

É uma boa dica para o verão e como seus maiôs e saídas são mais elaborados, se tornam opções versáteis a ponto de funcionarem muito bem em produções elegantes de festa para o dia. Use, por exemplo, o maiô com uma saia midi, salto alto e acessórios marcantes!

Carla Ortiz, influenciadora e referência plus size (Foto: Instagram)

ZINZANE

A marca carioca foi criada em 2002 e tem a malemolência colorida e leve do Rio de Janeiro nas suas criações, quase sempre estampadas e vibrantes. Também não é uma marca especializada em plus, mas atende com uma grade de tamanhos que vai até o GG.

Com preços acessíveis e tecidos gostoso de usar, a Zinzane é uma boa dica para quem ama vestidos – afinal, há uma categoria especial no site só para a peça. E o truque de styling que tomamos da Carla desfilando a marca é perder o medo de usar listras e não cair em regras bobas de sentido da estampa. Se jogue e vá de vertical, horizontal e por aí vai!

Carla Ortiz, influenciadora e referência plus size (Foto: Instagram)

PADRONAGEM

Também de Belo Horizonte, a Padronagem tem 30 anos de mercado e é uma marca focada na venda em atacado – e vende para todo o Brasil. Não é uma marca exclusivamente plus size, mas tem uma grade ampla e modelos super descolados.

Carla Ortiz, influenciadora e referência plus size (Foto: Instagram)

Zôdio anuncia fechamento no Brasil e faz bota-fora com até 80% de desconto

A unidade em São Paulo da rede francesa de produtos decorativos fechará as portas em dezembro
FOTOS REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Dois anos depois de iniciar operações no Brasil, a loja de produtos decorativos Zôdio encerrará suas atividades. É o que confirma o grupo francês Adeo, detentor da marca. A assessoria de imprensa confirmou que a loja, situada no mesmo terreno da Leroy Merlin da Marginal Tietê, estará em funcionamento até o dia 31 de dezembro. 

No perfil da Zôdio no Instagram foi anunciado um bota-fora que promete descontos de até 80%. Há anúncios de gaveteiros, organização feminina, produtos para pets, maquiagens e aventais com até 50%, enquanto utensílios de cozinha, produtos alimentícios e de bricolagem chegam a apenas 30%. 

Há uma semana, a marca destacou em suas redes sociais alguns dos descontos atrativos, como pratos e copos para festas infantis que saiam de R$ 19,90 por R$ 1,99 cada e uma chaleira de R$ 84,90 por R$ 49,90 cada. Os produtos estão sendo repostos na unidade enquanto houver estoque. 

O grupo Adeo não divulgou os motivos do fechamento das operações no Brasil. No país, também operam a rede Leroy Merlin, que deve absorver alguns dos funcionários da unidade aberta em 2017. 

Lady Gaga renega álbum ‘ARTPOP’ e revolta fãs

Lady Gaga Artpop Cd Jeff Koons Photoshoot With Lady Gaga

Ela é brincalhona assim mesmo, a Stefani! No dia em que “ARTPOP”, um dos trabalhos mais icônicos da carreira de Lady Gaga, completa 6 anos de existência, a mother monster fez questão de ir ao Twitter e fazer um comentário a respeito do projeto.

Em apenas uma frase, Gaga disse que não se lembrava do disco, que traz entre outras faixas “Aura”, “Venus”, “Donatella” e “Applause”.

“Não me lembro de Artpop”

Muita gente se indignou com a postagem e foi questionar, sem obter resposta. O fato é que “ARTPOP”, apesar de ser um dos projetos mais ambiciosos da artista, foi bastante criticado à época de seu lançamento por jornais e revistas, especialmente por trazer uma proposta sonora bem diferente de seus trabalhos anteriores.

A época em que as canções foram lançadas não foi muito boa também, já que se trata de uma fase sombria na carreira de Gaga, muito em virtude de problemas de saúde física, mental e o uso de drogas.

Só anos depois e em um momento ótimo na carreira ela conseguiria falar a respeito, revelando o quanto pessoas como Elton John e Tony Bennett foram fundamentais em seu recomeço. Ainda bem, né? Mais recentemente o disco foi alvo de uma outra polêmica, desta vez indireta, com a retirada da faixa “Do What U Want”.

Uma parceria com o rapper R. Kelly, a canção foi deletada tanto das plataformas digitais, quanto de lançamentos físicos a partir de novas tiragens após o cantor ter sido alvo de uma série de acusações de assédio e abuso sexual.

Entre tantos altos e baixos, fala sério, “ARTPOP” é um vitorioso! [PapelPop]

Um tour pelo novo escritório da Red Bull em Praga

A Red Bull, uma empresa global de bebidas que fabrica a bebida energética mais popular do mundo, contratou recentemente a empresa de arquitetura e design de interiores Atelier Kunc Architects para redesenhar seu escritório em Praga, República Tcheca.

redbull-prague-office-5
Lobby

“Funky, industrial e amigável
Este título caracteriza precisamente o projeto de redesenho dos escritórios da Red Bull. Já projetamos o interior original dos escritórios da Red Bull há 8 anos e ficamos muito satisfeitos por sermos convidados a inová-lo. Oito anos é muito tempo e, desde então, o estilo dos escritórios mudou muito e surgiram novas demandas. Atualmente, os escritórios são mais sobre compartilhamento, criação, design informal e inspirador. A linha entre “em casa” e “no escritório” está mais desfocada do que nunca. Nosso novo espaço múltiplo para a Red Bull reflete essas novas tendências completamente.

Funky
A Red Bull tem sua própria cultura característica, eles criam todo o estilo de vida para uma ampla gama de pessoas provavelmente sábias, orientadas para o esporte e positivas. Gostamos dessa atmosfera e usamos artefatos e design que refletem essa mentalidade. Juntamente com os colegas da Red Bull, procuramos as melhores peças de design para alcançar esse clima criativo e descolado. O resultado é um novo HUB criativo cheio de energia e idéias.

Industrial
A Red Bull tem os escritórios no funcionalismo original da vila em Praga, Baba, que ocupava todos os centímetros do interior. Mas precisávamos de espaço. Muito disso. Então, a gente decidiu demolir – ao concreto, ao tijolo. Nós olhamos para o espaço e nós, naturalmente, acabou com o conceito de interior luz industrial. A construção original e de ótima qualidade foi preservada e foi misturada à superfície bruta e ao design de interiores moderno.

Amigáveis
O espaço foi projetado principalmente para a geração do milênio. Focamos no ambiente de trabalho refrigerado, onde você pode tomar uma ótima xícara de café ou uma lata de Red Bull com seus amigos. Esse interior é de cerca de uma enorme comunidade de pessoas que compartilham a mesma paixão e estilo de vida. É uma amizade ”, diz Atelier Kunc Architects

  • Location: Prague, Czech Republic
  • Date completed: 2019
  • Size: 26,909 square feet
  • Design: Atelier Kunc Architects

  • Photos: Josef Kubicek
redbull-prague-office-4
Collaborative space
redbull-prague-office-3
Meeting room
redbull-prague-office-6
Meeting room
redbull-prague-office-7
Phone booth
redbull-prague-office-8
Kitchen
redbull-prague-office-9
Collaborative space
redbull-prague-office-13
Breakout space
redbull-prague-office-10
Workspaces
redbull-prague-office-11
Workspaces
redbull-prague-office-12
Executive office
redbull-prague-office-1
Stairway
redbull-prague-office-2
Bathroom

 Tweet

Executivos discutem futuro do jornalismo mundial e como atrair leitores

Pela primeira vez no Brasil, evento debate mídia e faz homenagem ao ministro Celso de Mello por defesa da liberdade de imprensa
Júlia Barbon

Digital Media LATAM 2019 | ANER

RIO DE JANEIRO – Em quais histórias vale a pena investir? Foi a pergunta (sem resposta) que fez Josh Schwartz, chefe de dados da Chartbeat, empresa que analisa o comportamento de leitores em site de notícias.

Ele tentava explicar à plateia, composta de executivos de empresas de mídia de ao menos 22 países, principalmente da América Latina, o que vem mudando em termos de consumo de jornalismo no mundo.

É para responder a perguntas como essa que eles se reúnem nesta semana no Hotel Grand Hyatt, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, em dois dias e meio de palestras, desta segunda (11) até quarta-feira (13).

O evento, chamado Digital Media Latam, é promovido anualmente desde 2013 e acontece no Brasil pela primeira vez neste ano. Ele é organizado pela Associação Mundial de Editores de Notícias (WAN-IFRA, na sigla em inglês).

Os mais de 350 empresários de mais de 80 empresas discutem nesses dias como atrair e fidelizar leitores, quais modelos de assinatura e negócio podem dar certo e quais tipos de narrativa funcionam.

Josh Schwartz, da Chartbeat, bateu na tecla do “mobile”, que deve ser prioridade dos editores. Ele citou que a participação dos celulares nas buscas do Google, por exemplo, passou de 50% para 80% em apenas três anos, enquanto o uso do computador vem caindo continuamente.
 
Por outro lado, o leitor do desktop tem sido mais leal: quase nenhum dos usuários que leem no celular estão logados (registrados) nos sites midiáticos analisados pela plataforma.

O “lugar” de onde o leitor vem também faz diferença. Quem chega até a notícia por newsletters (emails com as principais novidades) e por mensagens no WhatsApp ou Instagram têm mais chances de fazer um cadastro e mais tarde adquirir uma assinatura no veículo.

Analisar a última história que o usuário leu antes de decidir realizar essa assinatura também pode ser uma boa forma de entender o próprio público, mas não há uma resposta mágica sobre como lidar com a audiência, lamenta ele.

A editora de digital e audiência da Folha, Camila Marques, participa de dois painéis da conferência, ao lado de veículos nacionais e internacionais: um sobre como os grandes veículos do Brasil têm feito a transição para o digital e o outro sobre os desafios de implantar uma estratégia de receita com assinantes na América Latina.

Em abril deste ano, por exemplo, o magistrado anulou decisões da Justiça do Paraná que determinaram que a rádio Jovem Pan removesse de seu site um vídeo em que o jornalista Marco Antonio Villa fala sobre os salários do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Também são homenageados os jornalistas Ricardo Boechat, que trabalhava na Band, e Clóvis Rossi, decano da Redação da Folha, que morreram neste ano.

Katelijne Verbruggen for Marie Claire Netherlands with Noortje Haak

Photography: Katelijne Verbruggen. Styling: Anouk Van Griensven at Ncl-representation. Hair & Makeup: Magdalena Loza at Ncl-representation. Model: Noortje Haak at Micha Models.

Uber expande programa de fidelidade para mais cinco capitais

Com o programa, chamado de Uber Rewards, passageiros podem ganhar descontos, corridas gratuitas e preferência por carros em aeroportos

O Uber anunciou também uma parceria com a plataforma digital de venda de vinhos Evino

O Uber anunciou nesta segunda-feira, 11, que está expandindo seu programa de fidelidade para as capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba. Chamado de Uber Rewards, a iniciativa é inspirada em programas de milhagem de companhias aéreas e permite que os passageiros ganhem descontos, corridas gratuitas e preferência por carros em aeroportos.  

Até então, o programa estava disponível apenas em Fortaleza, João Pessoa, Maceió, Natal, Brasília, Goiânia, Vitória, Santos, São José dos Campos e Florianópolis. 

Cada real gasto com Uber Eats, UberX, UberX VIP e Uber Juntos se converte em um ponto do programa. No Uber Select e no Uber Black, cada real se converte em dois pontos. Assim como ocorre com as companhias aéreas, o acumulo de pontos resulta na entrada em diferentes categorias do programa. Serão quatro:  Azul (até 400 pontos), Ouro (a partir de 400 pontos), Platina (a partir de 1.500) e Diamante (a partir de 4.000 pontos). Todos que se cadastrarem no programa já começam na categoria Azul e a participação é gratuita.  

O Uber anunciou também uma parceria com a plataforma digital de venda de vinhos Evino: quem juntar pontos no Uber Rewards receberá descontos no site. A empresa afirma que está negociando outras parcerias. 

Abaixo, confira os benefícios de cada categoria. 

Azul

Parabéns, você está acumulando pontos se está cadastrado. 

Ouro

Ao atingir 500 pontos, poderá pedir escolher entre um desconto de 10% em viagens da UberX durante três dias ou um desconto de 20% na seu próximo pedido no Uber Eats. Além disso, terá acesso aos motoristas parceiros mais bem avaliados no Uber e atendimento prioritário no suporte.

Platina

Além dos benefícios acima, terá direito a consistência de preço em sua rota favorita. Ou seja, você poderá escolher o caminho entre a sua casa e o trabalho, por exemplo, e o preço será menos variável, mesmo em momentos de demanda. A empresa explica que se a demanda estiver extremamente alta, e o preço se alterar muito, você ganhará 25% de desconto na corrida. Além disso, o platina dá prioridade de carros em aeroportos e uma entrega gratuita no Uber Eats no período de seis meses. 

Diamante

Todos os benefícios acima. Além disso terá upgrade de categoria. Ou seja, poderá viajar de Uber Black ou Uber Select pagando o preço de UberX. Você ganha também três entregas gratuitas do Uber Eats. 

Google Nest Mini chega ao Brasil por R$ 350; dispositivo é feito a partir de garrafas PET 100% recicladas

Dispositivo já estará no varejo a partir desta terça, 12
Por Bruno Romani – O Estado de S. Paulo

Google Nest chega ao Brasil por R$ 350

Menos de um mês após apresentar a segunda geração de sua caixa conectada, o Google anunciou nesta segunda, 11, a chegada ao País do Nest Mini (sucessor do Google Home). Ele estará à venda por R$ 350 a partir desta terça, 12, no varejo físico e online, incluindo nomes como Lojas Americanas, Casas Bahia e Fast Shop. O valor é o mesmo do principal concorrente do Nest no Brasil, o Amazon Dot, lançado por aqui no último mês de outubro. 

A novidade deve esquentar não apenas o mercado de caixas conectadas, mas também o de casas conectadas. A empresa falou de parcerias com diferentes fabricantes de eletrônicos para para produtos de casas conectadas, como Sony, Positivo, LG, JBL, TCL e Bose.

Além disso, o Google vê o Nest como mais uma peça na engrenagem para tornar o Google Assistant, o assistente digital da empresa, ainda mais presente na vida dos usuários. “O Nest complementa o ecossistema de Assistant no Brasil”, disse na Maia Mau, diretora de de marketing de hardware da empresa, na apresentação do produto. O dispositivo tem também parcerias digitais, como Spotify, Netflix e iFood. 

A principal novidade do Nest é que ele terá botões para ajuste de volume e pausa – essas opções de controle foram eliminadas da versão anterior porque o recurso acidentalmente gravava áudios. Ele terá alto-falantes 40% mais graves e a melhoria de 80% na velocidade do Google Assistente. O aparelho terá um suporte para ser fixado na parede. 

O dispositivo é feito a partir de garrafas PET 100% recicladas e terá duas cores no País: giz (cinza) e carvão (preto).

Google Nest Mini no Brasil 

Privacidade

Ao lançar o Nest, o Google prometeu utilizar um chip que faz todo o processamento do áudio no próprio aparelho, em vez de encaminhar essas informações para a nuvem – uma medida vista por especialistas como fator de aumento de privacidade. O chip, porém, não estará ativo na sua chegada ao Brasil. Segundo Larissa Rinaldi, especialista em linguística do português no Google, ainda é necessária uma adaptação, que não foi feita ainda, pois a companhia considerou que isso atrasaria a chegada do produto ao País. 

Em julho, o Google encontrou polêmica ao ser revelado que funcionários da companhia escutavam os áudios de usuários do Assistant. Na indústria, o papel de humanos para treinar máquinas a conversar é amplamente conhecido – são eles que transcrevem áudio e indicam ao sistema se estão entendendo corretamente as informações. Na época, o Google reforçou isso em sua resposta: “Essa é uma parte fundamental do processo de construir tecnologia de voz”, escreveu no blog do Google David Monsees, gerente de produto do Google Search. 

Rinaldi confirmou que humanos ouvem pequenos fragmentos de áudio para saber se a máquina está entendendo corretamente as palavras. Isso, porém, não significa que o autor possa ser identificado – na verdade, nem frases inteiras podem ser identificadas, já que as frases são fragmentadas. A partir disso, o áudio é convertido em texto e informações como nomes e localizações são anonimizados.

Segundo ela, é a partir deste momento que funcionários podem ter acesso a frases maiores para que possam garantir que o sistema está atendendo corretamente os comandos. A executiva comanda uma equipe de cinco pessoas no Brasil, que trabalham na versão do Assistant voltado para o nosso português. Outras cinco pessoas em Portugal trabalham na versão local do sistema. Todas as informações enviadas ao sistema ficam armazenadas com criptografia por um período entre sete e 60 dias, diz a executiva.  

Décor do dia: banheiro chique em tons terrosos

Bancada de mármore rosado está entre os destaques do ambiente
FOTO JASON FRANK ROTHENBERG

Além dos tons terrosos, tão em alta na decoração, este banheiro tem outros elementos que, juntos, fazem do ambiente um objeto de desejo imediato. Enquanto os azulejos de metrô compõem uma base branca para a chegada do espelho redondo e das arandelas com acabamento dourado, a bancada de mármore rosado serve de apoio para acessórios de cerâmica escolhidos a dedo. Nem o arranjo foge à paleta: o capim dos pampas que adorna o vaso sobre a pia traz a textura natural sempre bem-vinda aos espaços de descompressão.

Metais de bronze e gabinetes de madeira natural – assim como as prateleiras na parede oposta, refletida no espelho – acrescentam temperatura à decoração. O arremate final fica por conta do tapete com estampa gráfica.