Heidi Rondak for Harper’s Bazaar Vietnam with Anastasia Jovanovic

Photography: Heidi Rondak. Styling: Hercules Terres. Hair & Makeup: Norbert Cheminel. Styling assistant: Luis Augusto Ribeiro Digital Operator: Erdem Akkaya. Model: Anastasia Jovanovic.

‘Scooby! O Filme’ divulga primeiro trailer dublado

Animação do Scooby-Doo, com o mesmo diretor de ‘Space Jam’, chega em 2020; esse é o primeiro longa animado do personagem nos cinemas

Cena de ‘Scooby! O Filme’, que teve primeiro trailer dublado divulgado Foto: Warner Bros.

Scooby-Doo e seus amigos voltam ao cinema com a animação SCOOBY! O Filme, com estreia prevista para 14 de maio de 2020, e que ganhou seu primeiro trailer dublado nesta terça-feira, 12.

O novo vídeo traz um pouco da origem da equipe de heróis e também cenas dos personagens já adultos.

O elenco de dublagem nacional conta com três netos do ator Orlando Drummond, a voz clássica de Scooby-Doo: Alexandre Drummond, como o Jovem Scooby-Doo; Felipe Drummond, como Fred; e Dudu Drummond, como Jovem Fred. Além deles, completam o elenco: Reginaldo Primo (Scooby), Mckeidy Lisita (Salsicha), Flavia Saddy (Dafne) e Fernanda Barone (Velma), as vozes originais dos desenhos animados recentes, e Victor Hugo (Jovem Salsicha).

O primeiro longa animado de uma aventura do Scooby-Doo para as telonas é uma história inédita da origem do Scooby e o maior mistério na carreira da Mistério S/A.

SCOOBY! O Filme revela como os amigos de longa data, Scooby e Salsicha, se encontram pela primeira vez e como se juntaram aos pequenos detetives Fred, Velma e Daphne para formar a famosa Mistério S/A.

Agora, com centenas de casos resolvidos e aventuras compartilhadas, Scooby e seus companheiros encaram o mais desafiador mistério: uma trama que libera o fantasma do cão Cerberus sob o mundo.

O elenco de dubladores da versão original de SCOOBY! O Filme é estrelado por Kiersey Clemons, Zac Efron , Will Forte, Jason Isaacs, Ken Jeong, Tracy Morgan, Gina Rodriguez, Amanda Seyfried, o duas vezes nomeado ao Oscar Mark Wahlberg, e Frank Welker.

SCOOBY! O Filme é dirigido por Tony Cervone, indicado ao prêmio Annie pelo filme Space Jam: O Jogo do Século. O filme será distribuído Warner Bros. Pictures.

Glamour US The ‘Women of the Year’ Issue 2019

Charlize Theron, Megan Rapinoe, Ava DuVernay

Glamour US The ‘Women of the Year’ Issue 2019: Charlize Theron, Greta Thunberg, Ava DuVernay, Megan Rapinoe, Yara Shahidi, Margaret Atwood e Tory Burch

As realizações dos homenageados do Glamour Women of the Year Awards são vastas, mas todas as suas histórias têm uma coisa em comum: essas mulheres não estão esperando que o mundo se torne um lugar melhor – elas estão criando um. Eles abrangem uma ampla variedade de idades, origens e profissões – um autor, um diretor, um atleta, um designer, atores e ativistas lutando para fazer uma diferença duradoura. Eles são todos guerreiros na linha de frente da mudança.

Hospedado por Busy Philipps no Alice Tully Hall no Lincoln Center da cidade de Nova York em 11 de novembro, o Glamour 2019 Women of the Year Awards foi um dos nossos maiores. Durante todo o ano, vimos mulheres subirem mais, pensarem mais e exigirem mais. Um número recorde de mulheres venceu as eleições para o Congresso no outono passado. Mais mulheres estão começando negócios do que nunca. Continuamos compartilhando nossas histórias #MeToo e nossas demandas por segurança no local de trabalho e em nossos relacionamentos. Insistimos em oportunidades iguais e salários iguais, especialmente para mulheres de cor.

Na noite de segunda-feira, 11 de novembro, comemoramos essas mensagens de esperança, força e resiliência – e as mulheres que usam suas plataformas para divulgá-las.

Grace Kelly, os 90 anos de um mito do cinema

Ícone da moda e dos filmes é lembrada por seu nascimento em 1929; veja galeria com fotos
Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

Furacão. Grace Kelly teve carreira curta em Hollywood, mas foi indicada para os maiores prêmios. Foto: FOTO ERWIN BLUMENFELD

No começo dos anos 1960, Alfred Hitchcock até tentou trazê-la de volta para o cinema. A burocracia palaciana vetou a ideia veementemente. Era fora de questão que sua alteza real, a princesa de Mônaco, pudesse estrelar um filme. O cinema era passado na vida de Grace Kelly. E ainda havia a questão do próprio filme, porque o papel que o mestre do suspense lhe propunha era o de Marnie, a ladra que compensava sua frigidez sexual – e de um trauma passado – roubando. Impossível. Grace nunca mais voltou ao cinema, mas interpretou, na vida, seu maior papel. Foi a tese de Olivier Dayan na cinebiografia que lhe dedicou. Grace, interpretada por Nicole Kidman, tem de interpretar o próprio papel como princesa sereníssima para evitar uma crise com a França, sob o general De Gaulle.

Grace Kelly! Ela nasceu em 12 de novembro de 1929 na Filadélfia – há 90 anos. Morreu em 14 de setembro de 1982, há 37 anos. Grace Patricia nasceu numa família rica e influente da Pensilvânia. O pai – esportista – recebera três medalhas de ouro na Olimpíada. Fez fortunas como construtor. A filha estudou nos melhores colégios e venceu o obstáculo familiar, quando resolveu tornar-se atriz. O irmão do pai era ator de vaudeville e chegou a fazer alguns filmes na Metro e na Paramount, onde ela reinaria. Interpretar não chegava a ser estranho naquele meio, mas não era o que John, seu pai, queria para a filha. Estudou arte dramática em Nova York e estreou na Broadway com uma peça de Strindberg, Father/Pai. Foi parar na TV, interpretando teleplays. O prestigiado diretor Henry Hathaway a notou e lhe ofereceu um papel em Horas Intermináveis, seu thriller de 1951. Uma coisa levando à outra, foi contratada para ser a esposa mórmon do xerife Will Kane/Gary Cooper num western que se tornou clássico, Matar ou Morrer, de Fred Zinnemann, de 1952. Na época, a personagem provocou controvérsia – pacifista, pega em armas em defesa do marido, e mata.

Grace Kelly
Tensão. Grace Kelly em ação em ‘Disque M Para Matar’ Foto: WARNER BROTHERS ENTERTAINMENT

Conta a lenda que Alfred Hitchcock assistiu a Matar ou Morrer e, mesmo considerando a atuação de Grace “mousy” (tímida), percebeu que havia nela alguma coisa. Contratou-a, a tomou sob sua proteção e a primeira coisa que fez foi remodelá-la. Como? Nos anos 1940, Hitchcock já elegera a sueca Ingrid Bergman, que fazia carreira em Hollywood. Em Grace, ele descobriu a mesma qualidade que vislumbrara em Bergman – ambas eram loiras frias, mulheres que, sob uma aparência glacial, podiam encarnar torrentes de emoção e sensualidade. Ao longo de dois anos e três filmes, entre 1954 e 55, o que o mestre fez foi oferecer a Grace papéis cada vez melhores – Disque M para MatarJanela Indiscreta e Ladrão de Casaca. A essa altura, já filmara Mogambo na África, com direção de John Ford. Ainda em 1954, após o dois primeiros filmes com Hitchcock, estrelou Amar É Sofrer, como a filha de um alcoólatra. Ganhou o Oscar, mas até hoje tem gente que reclama de sua interpretação um tanto apática. E chegou Ladrão de Casaca, em que Hitchcock resolveu filmar a história do ladrão aposentado que volta à ativa para descobrir quem está usando seus antigos métodos para roubar em locações na Côte d’Azur.

Grace Kelly
Coragem. Em ‘Janela Indiscreta’, Grace enfrenta assassino Foto: UNIVERSAL PICTURES

Ganha ajuda de uma socialite, Grace. Ambos se envolvem, e na cena-chave trocam um longuíssimo beijo, enquanto espocam no céu fogos de artifício. Mesmo em 1955, com toda censura, todo mundo entendeu que se tratava de um orgasmo. Durante a filmagem, ao visitar o Festival de Cannes, Grace conheceu o príncipe Rainier III. Casaram-se, no que na época foi considerado o conto de fadas perfeito. A princesa de Hollywood virou princesa de verdade. A partir daí, acabou o cinema. Dedicou-se à família, aos três filhos e ao trabalho humanitário com crianças carentes e jovens aspirantes à carreira artística. Em sua curta trajetória, havia sido nomeada para (e até vencido) alguns dos mais importantes prêmios da indústria cinematográfica mundial. Duas nomeações para o Oscar; três para o Globo de Ouro; duas para o Bafta Awards; uma para o NBR Award; uma para o YFCC Award e ainda uma para o Bambi Awards.

Grace Kelly
Sonho. Estrela vira princesa no casamento com Rainier II Foto: ARCHIVES DU PALAIS PRINCIER-MONACO – 15/4/1956

Virou ícone de elegância. Além de Hitchcock, outro diretor, Herbert Ross, tentou cooptá-la para fazer Momento de Decisão, que Anne Bancroft e Shirley MacLaine terminaram interpretando em 1997. Morreu num acidente de carro, aos 52 anos.

Essa vida tão perfeita, e a morte precoce, sempre alimentaram a fantasia do público. Surgiram especulações de que Hitchcock não tirara do nada sua ideia de uma Grace capaz de se transformar em vulcão erótico. Ela teria feito furor nos bastidores de Hollywood.

Contam-se histórias de romances tórridos com colegas de elenco. Teria sido uma devoradora. Não importa. O que permanece é o mito. Grace Kelly é considerada uma das grandes lendas do cinema de Hollywood – na verdade, segundo votação do American Film Institute, a 13.ª. O notório Andy Warhol dedicou-lhe um retrato em serigrafia, edição limitada, e outro luminar da pop art, James Gill, também fez seu retrato – Grace Kelly in Sun. Mas o que a imortaliza é o cinema, e são os filmes de Hitchcock. A tesoura de Disque M, os fogos de artifício de Ladrão de Casaca e, acima de tudo, a cena em que James Stewart, imobilizado, a envia para enfrentar o assassino de Janela Indiscreta. Grace faz parte das emoções de todo cinéfilo que se preze. Só para constar, o Telecine Cult apresenta nesta terça Matar ou Morrer, às 20h25, e Ladrão de Casaca, às 22h.

Goldman Sachs reavaliará limites de crédito do Apple Card após alegações de sexismo

Nem todo mundo ficou contente com a retratação do banco, entretanto

O Apple Card está sendo investigado por sexismo. Aqui está a resposta do Goldman Sachs

Ainda ontem, o site Macmagazine informou que a Maçã estava no meio de um fogo cruzado envolvendo alguns clientes do Apple Card, depois que uma enchente de comentários na web revelaram um problema um tanto quanto impertinente para um cartão de crédito: diferentes limites de crédito com base no gênero do cliente.

Mais precisamente, alguns (grandes) nomes no mundo da tecnologia relataram que tinham um limite de crédito disparadamente maior que o de suas esposas, sendo que em determinados casos ambos compartilham uma mesma conta e, em outras situações, eles até mesmo possuíam scores bancários menores do que elas.

Após a má impressão gerada pelos consumidores na internet, o Goldman Sachs decidiu se retratar por meio da sua conta de suporte, na qual foi divulgada uma declaração do CEO1 do banco, Carey Halio. Em nota, o executivo explica que o Goldman Sachs não está a par do estado civil de uma pessoa na hora que ele(a) aplica para o Apple Card; no entanto, Halio afirma que o banco analisará novamente as linhas de créditos dos clientes que esperavam um limite maior.

O chefão do Goldman Sachs também infere que a diferença nos limites de crédito decorrem do “histórico de crédito pessoal” de um cliente, ou seja, se os cartões que um(a) solicitante atualmente possui são, na realidade, versões adicionais da conta principal do cônjuge, isso poderá afetar o score da pessoa que está aplicando para o novo cartão.

O desenvolvedor David Heinemeier Hansson, que iniciou as discussões sobre a questão no Twitter, rebateu a declaração do Goldman Sachs, alegando que a instituição “não está em posição” de pedir ao público que simplesmente confie no banco, uma vez que confiança é “conquistada por ações justas e transparentes” e que a implementação do Apple Card foi justamente “o oposto”.

A Apple se absteve de comentar o caso e, até o momento, não respondeu aos pedidos de comentários de várias publicações — deixando o Goldman Sachs se virar com a batata quente. Nós vamos continuar acompanhando os possíveis desdobramentos dessa situação e informaremos assim que outras informações surgirem.

VIA CNBC

Kevin McHale, ex-‘Glee’, se dedica exclusivamente a carreira musical

Ator é um dos competidores mais conhecidos do ‘X Factor Celebrity’, no Reino Unido, e concedeu entrevista ao ‘E+’
CAMILA TUCHLINSKI – O ESTADO DE S.PAULO

O ator, dançarino e cantor Kevin McHale. Foto: Instagram/@kevinmchale

Kevin McHale é um dos atuais competidores mais conhecidos do X Factor Celebrity, que é exibido no Reino Unido. Isso porque o ator foi um dos astros de Glee.

A versão de X Factor com personalidades do mundo artístico pretende caçar um ‘novo talento da música mundial’.

O programa vai ao ar pelo Sony Channel toda quarta, às 21h20. 

Kevin McHale é ator, cantor, dançarino, locutor e deu uma entrevista para a reportagem do E+ nesta terça-feira, 12, logo pela manhã, antes das gravações do programa. Ao atender o telefone, arriscou um bom português: “Bom dia!”. 

Esbanjando simpatia, Kevin falou sobre a expectativa com o X Factor, planos para o futuro e como foi a experiência dele em gravar um clipe aqui no Brasil. 

Você deve se lembrar dele em Glee no papel de Artie Abrams, um estudante cadeirante que vence as barreiras do preconceito e se apresenta para os colegas de escola.

Assista ao vídeo: 

Agora, a cada etapa de X Factor CelebrityKevin McHale conquista ainda mais fãs. “Oh, eu prefiro não ter expectativas (risos). Estar no X Factor é uma maneira de desafiar a mim mesmo. Prefiro não criar muitas expectativas, mas estou muito feliz em participar do show e é uma oportunidade de eu me reconectar”, afirmou. 

Das diversas habilidades que tem, como atuar, dançar e cantar, Kevin admite que está focado na carreira musical agora.  

Na noite de sábado, 9, o cantor escolheu um cover feminino no X Factor Celebrity. Ele cantou um single de Dua LipaDon’t Start Now, e arrasou no palco. 

Assista ao vídeo:

No Instagram, Kevin McHale agradece a participação dos fãs ao longo do reality. Arraste a seta para o lado para conferir fotos dos bastidores de X Factor Celebrity:

Kevin McHale lançou em outubro deste ano o vídeo da canção Younger. O clipe foi gravado em São Paulo em lugares conhecidos como a Rua da Consolação, Avenida Paulista, cartão postal da cidade, e o Parque do Ibirapuera. 

Sobre a experiência de estar no Brasil, o cantor enfatiza: “Foi muito importante para mim gravar em São Paulo. Foi surpreendente! E observar as pessoas se relacionando também foi uma experiência muito interessante. Eu gostei muito”, afirmou.

Sobre planos para o futuro, o ator prefere deixar a vida levar. “Eu penso que depende do que acontecer (no reality). Ainda não tenho nada definido ou algum plano específico. Prefiro esperar. Talvez voltar ao Brasil possa ser um dos planos para o futuro”, brinca. 

Assista ao vídeo:

Peças de Lego compõem fachada da nova sede da marca

Edifício em Billund, na Dinamarca, tem design escandinavo com toques divertidos

Um grande tijolo amarelo chama atenção no topo de um edifício de escritórios em Billund. A pequena cidade dinamarquesa é o endereço da nova sede da Lego, para onde cerca de 2 mil funcionários estão se mudando durante a primeira fase que acaba de ser concluída – a finalização do projeto está prevista para 2021.

O edifício assinado pelo CF Møller Architects foi criado de acordo com uma composição de Lego, e os arquitetos até usaram blocos para fazer os modelos. A ideia é que a obra estivesse em sintonia com a marca, tanto no quesito visual quanto no estado de espírito.

Por isso, detalhes divertidos fazem parte do conceito. “É um edifício projetado especialmente para nós e nosso pessoal, que reflete a marca, mas ainda é um ambiente adulto sofisticado”, declarou Sudhir Saseedharan, líder de design global da Lego, em entrevista à Wallpaper.

Por dentro, o design escandinavo atende às cores da Lego e à sustentabilidade – a estrutura gera 50% da energia necessária através de painéis solares –, enquanto a estrutura se divide em “hubs” em que as pessoas podem trabalhar de maneira flexível e interagir umas com as outras.

Há salas de reuniões, cabines para chamadas particulares, locais para trabalho em conjunto em plano aberto e um terraço onde é possível almoçar tranquilamente.