BBC lista 'os 100 melhores filmes' dirigidos por mulheres; confira

Ilustração de Encontros e Desencontros, de Sofia Coppola, um dos filmes mais citados pelos críticos – BBC News Brasil/Succession Varda

No ano passado, uma lista da BBC Culture, site de entretenimento e arte da BBC, com os 100 melhores filmes em língua não inglesa gerou uma discussão pertinente: de todos os selecionados, apenas quatro eram dirigidos por mulheres.

Essa escassez de diretoras vem se repetindo nas listas anuais da BBC: no ranking de 100 maiores comédias, de 2017, só havia quatro mulheres. Das 100 melhores filmes do século 21, feita em 2016, eram apenas 12 — nenhuma delas ficou entre as 20 primeiras posições. Na primeira pesquisa da BBC sobre os 100 maiores filmes americanos de todos os tempos, só dois eram co-dirigidos por uma mulher.

Então, em 2019, a BBC decidiu criar uma lista dos 100 melhores filmes dirigidos por mulheres. O resultado é a maior e mais importante pesquisa internacional da BBC Culture: 761 filmes diferentes foram votados por 368 especialistas em cinema de 84 países —críticos, jornalistas, programadores de festivais e acadêmicos. Há pessoas do Zimbábue ao Afeganistão.

"Cléo das 5 às 7" é um dos grandes clássicos da Nouvelle Vague francesa
“Cléo das 5 às 7” é um dos grandes clássicos da Nouvelle Vague francesa – BBC News Brasil/Succession Varda

Para que houvesse um equilíbrio de gênero, a BBC escolheu um número de eleitores bastante próximo entre homens e mulheres: 185 deles são do sexo feminino e 181, do masculino. Há também uma pessoa não-binária e uma que preferiu não dizer seu gênero. Cada eleitor listou seus dez filmes favoritos dirigidos por mulheres. Portanto, a lista apresenta os 100 que melhor pontuaram.

O resultado é uma impressionante coleção de filmes que demonstra o poder, a criatividade e a diversidade do cinema produzido por mulheres em todo o mundo: do filme mudo Sapatos (1916) ao drama The Souvenir (2019).

A maioria dos filmes da lista foi produzida a partir dos anos 1990. E, embora os EUA, a França, o Reino Unido, a Alemanha, a Itália, a Bélgica e o Canadá sejam os países de produção mais populares, filmes da Argentina, Irã, Ucrânia, Arábia Saudita, Índia, Tunísia e a República Tcheca também estão entre as 100 melhores. Não há nenhum filme brasileiro na lista.

A cineasta franco-belga Agnès Varda, que morreu em março deste ano, foi a diretora que mais apareceu na lista —seis filmes entre as 100 melhores—, seguida por Kathryn Bigelow, Claire Denis, Lynne Ramsay e Sofia Coppola.

A obra-prima de Jane Campion, O Piano (1993), ficou em primeiro lugar, citado por quase 10% dos críticos. Segundo a crítica Hannah Woodhead, a produção é bastante sensível e tem personagens femininas difíceis e reais. Para ela, o longa é “uma fábula penetrante que fala do desejo universal de amar e ser amado”.

Então, o que tem na lista? Um filme de uma pianista muda que redescobre a paixão fica ao lado de um longa sobre a crise existencial de uma garota parisiense; uma comédia surrealista tcheca, banida em seu país de origem; três dias na vida de uma mãe solteira na Bélgica; sexualidade e ciúme reprimidos na Legião Estrangeira e uma estranha amizade entre um ator de cinema e uma jovem em um hotel de Tóquio. E esses são apenas os cinco primeiros colocados.

Como sempre, a BBC não espera que essa lista seja definitiva, mas um ponto de partida para descoberta, discussão e debate sobre o cinema produzido por mulheres.

Eis a lista, segundo a opinião dos críticos consultados pela BBC

  • 100 – “Minhas Mães e Meu Pai” (Lisa Cholodenko, 2010)
  • 99 – “The Souvenir” (Joanna Hogg, 2019)
  • 98 – “Um Lugar Qualquer” (Sofia Coppola, 2010)
  • 97 – “Örökbefogadás” (Márta Mészáros, 1975)
  • 96 – “Os Encontros de Anna” (Chantal Akerman, 1977)
  • 95 – “Ritual in Transfigured Time” (Maya Deren, 1946)
  • 94 – “Notícias de Casa” (Chantal Akerman, 1977)
  • 93 – “Marcas da Vida” (Andrea Arnold, 2006)
  • 92 – “Raw” (Julia Ducournau, 2016)
  • 91 – “Minha Terra África” (Claire Denis, 2009)
  • 90 – “Fast Times at Ridgemont High” (Amy Heckerling, 1982)
  • 89 – “As Praias de Agnès” (Agnès Varda, 2008)
  • 88 – “Os Silêncios do Palácio” (Moufida Tlatli, 1994)
  • 87 – “35 Doses de Rum” (Claire Denis, 2008)
  • 86 – “O Sonho de Wadjda” (Haifaa Al-Mansour, 2012)
  • 85 – “Uma Canta, a Outra Não” (Agnès Varda, 1977)
  • 84 – “Retrato de Jason” (Shirley Clarke, 1967)
  • 83 – “Sintonia de Amor” (Nora Ephron, 1993)
  • 82 – “At Land” (Maya Deren, 1944)
  • 81 – “Garota Sombria Caminha pela Noite” (Ana Lily Amirpour, 2014)
  • 80 – “Quero Ser Grande” (Penny Marshall, 1988)
  • 79 – “Sapatos” (Lois Weber, 1916)
  • 78 – “A Maçã” (Samira Makhmalbaf, 1988)
  • 77 – “Tomboy” (Céline Sciamma, 2011)
  • 76 – “Garotas” (Céline Sciamma, 2014)
  • 75 – “O Atalho” (Kelly Reichardt, 2010)
  • 74 – “Chocolate” (Claire Denis, 1988)
  • 73 – “Corpo e Alma” (Ildikó Enyedi, 2017)
  • 72 – “Europa Europa” (Agnieszka Holland, 1980)
  • 71 – “A Concha e o Clérigo” (Germaine Dulac, 1928)
  • 70 – “Encantadora de Baleias” (Niki Caro, 2002)
  • 69 – “The Connection” (Shirley Clarke, 1961)
  • 68 – “Eve’s Bayou” (Kasi Lemmons, 1997)
  • 67 – “Os Anos de Chumbo” (Margarethe von Trotta, 1981)
  • 66 – “O Lixo e o Sonho” (Lynne Ramsay, 1999)
  • 65 – “Sem Rastros” (Debra Granik, 2018)
  • 64 – “Domando o Destino” (Chloe Zhao, 2017)
  • 63 – “Maria Antonieta” (Sofia Coppola, 2006)
  • 62 – “Estranhos Prazeres” (Kathryn Bigelow, 1995)
  • 61 – “India Song” (Marguerite Duras, 1975)
  • 60 – “Uma Equipe Muito Especial” (Penny Marshall, 1992)
  • 59 – “O Longo Adeus” (Kira Muratova, 1971)
  • 58 – Procura-se Susan Desesperadamente (Susam Seidelman, 1985)
  • 57 – “O Babadook” (Jennifer Kent, 2014)
  • 56 – “A 13ª Emenda” (Ava DuVernay, 2016)
  • 55 – “Monster” – Desejo Assassino (Patty Jenkins, 2003)
  • 54 – “Brilho de Uma Paixão” (Jane Campion, 2009)
  • 53 – “La mujer sin cabeza” (Lucrecia Martel, 2008)
  • 52 – “Lazzaro Felice” (Alice Rohrwacher, 2018)
  • 51 – “Harlan County: Tragédia Americana” (Barbara Kopple, 1976)
  • 50 – “O Mundo é o Culpado” (Ida Lupino, 1950)
  • 49 – “Salaam Bombay!” (Mira Nair, 1988)
  • 48 – “Síndrome Astênica” (Kira Muratova, 1989)
  • 47 – “Um Anjo em Minha Mesa” (Jane Campion, 1990)
  • 46 – “Quando Chega a Escuridão” (Kathryn Bigelow, 1987)
  • 45 – “Triunfo da Vontade” (Leni Riefenstahl, 1935)
  • 44 – “Docinho da América” (Andrea Arnold, 2016)
  • 43 – “As Virgens Suicidas” (Sofia Coppola, 1999)
  • 42 – “As Aventuras do Príncipe Achmed” (Lotte Reiniger, 1926)
  • 41 – “Cafarnaum” (Nadine Labaki, 2018)
  • 40 – “Meninos Não Choram” (Kimberly Peirce, 1999)
  • 39 – “Retrato de Uma Jovem em Chamas” (Céline Sciamma, 2019)
  • 38 – “Paris is Burning” (Jennie Livingston, 1990)
  • 37 – “Olympia” (Leni Riefenstahl, 1938)
  • 36 – “Wendy e Lucy” (Kelly Reichardt, 2008)
  • 35 – “Matrix” (Lana e Lilly Wachowski, 1999)
  • 34 – “O Romance de Morvern Callar” (Lynne Ramsay, 2002)
  • 33 – “Você Nunca Esteve Realmente Aqui” (Lynne Ramsay, 2017)
  • 32 – “O Porteiro da Noite” (Liliana Cavani, 1974)
  • 31 – “Os Catadores e Eu” (Agnès Varda, 2000)
  • 30 – “Zama” (Lucrecia Martel, 2017)
  • 29 – “Um Casamento à Indiana” (Mira Nair, 2001)
  • 28 – “As Duas Faces da Felicidade” (Agnès Varda, 1965)
  • 27 – “Selma: Uma Luta pela Igualdade” (Ava DuVernay, 2014)
  • 26 – “Histórias que Contamos” (Sarah Polley, 2012)
  • 25 – “The House is Black” (Forough Farrokhzad, 1963)
  • 24 – “Lady Bird” (Greta Gerwig, 2017)
  • 23 – “O Mundo Odeia-me” (Ida Lupino, 1953)
  • 22 – “Precisamos Falar Sobre Kevin” (Lynne Ramsay, 2011)
  • 21 – “Inverno da Alma” (Debra Granik, 2010)
  • 20 – “Clueless” (Amy Heckerling, 1995)
  • 19 – “Orlando” (Sally Potter, 1992)
  • 18 – “Psicopata Americano” (Mary Harron, 2000)
  • 17 – “Pasqualino Sete Belezas” (Lina Wertmüller, 1975)
  • 16 – “Wanda” (Barbara Loden, 1970)
  • 15 – “La Cienaga” (Lucrecia Martel, 2001)
  • 14 – “O Pântano” (Lucrecia Martel, 2001)
  • 13 – “Caçadores de Emoção” (Kathryn Bigelow, 1991)
  • 12 – “Os Renegados” (Agnès Varda, 1985)
  • 11 – “A Hora Mais Escura” (Kathryn Bigelow, 2012)
  • 10 – “Filhas do Pó” (Julie Dash, 1991)
  • 9 – “Aquário” (Andrea Arnold, 2009)
  • 8 – “Toni Erdmann” (Maren Ade, 2016)
  • 7 – “Guerra ao Terror” (Kathryn Bigelow, 2008)
  • 6 – “As Pequenas Margaridas” (Věra Chytilová, 1966)
  • 5 – “Encontros e Desencontro” (Sofia Coppola, 2003)
  • 4 – “Bom Trabalho” (Claire Denis, 1999)
  • 3 – “Jeanne Dielman” (Chantal Akerman, 1975)
  • 2 – “Cléo das 5 às 7” (Agnès Varda, 1962)
  • 1 – “O Piano” (Jane Campion, 1993)

BBC NEWS BRASIL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.