Arquiteta Mariam Kamara desenvolve centro cultural em Níger em parceria com o renomado arquiteto David Adjaye

Projeto foi criado a partir da iniciativa filantrópica Mentor & Protégé, da marca Rolex
ANA LUIZA CARDOSO, DE LONDRES (FOTOS: ROLEX/THOMÁS CHÉNÉ E ROLEX/ATELIERMASOMI)

David Adjaye, mentor, with Mariam Kamara, prot (Foto: ©Rolex/Thomas Chéné)

Um centro cultural em Niamey, no Níger, munido de biblioteca, espaço para performances, café e exposição, pronto para abrigar uma cidade em transformação. Esse foi o resultado de dois anos de estudos e visitas realizadas pela arquiteta nascida na capital do estado africano Mariam Kamara, do Atelier Masōmī, que teve o seu trabalho acompanhado pelo renomado arquiteto britânico-ganês David Adjaye.

Eles fazem parte da iniciativa Mentor & Protégé, da marca suíça Rolex, voltada para a perpetuação do conhecimento nas artes e a transmissão de conhecimento de geração para geração.

Além de auxílio financeiro, a empresa une por um determinado período de tempo jovens talentosos e profissionais renomados em diferentes campos como música, cinema, dança e literatura. Lançado em 2002, o programa já atraiu nomes de peso como o artista David Hockney, o cineasta Martin Scorsese e o cantor Gilberto Gil. 

Os resultados para os participantes variam: um novo romance, uma nova produção teatral, uma carreira dançando com a empresa do mentor ou uma obra de arte colaborativa.

Arquiteta Mariam Kamara desenvolve centro cultural em Níger em parceria com o renomado arquiteto David Adjaye (Foto: Rolex/ateliermasomi)

No caso de Mariam, não apenas o centro cultural em sua cidade natal, mas uma oportunidade de dar um rumo e entender melhor o seu próprio trabalho, como ela explicou em uma entrevista coletiva realizada no escritório de Adjaye. 

“É o projeto mais ousado que todos que eu já fiz”, disse. “Eu queria firmar a minha voz, tinha uma necessidade de criar uma identidade e não sabia como. Eu sinto que agora estou chegando a uma resposta. E isso é maravilhoso”. 

Durante entrevista com cidadãos locais, ela registrou a necessidade de existirem lugares de acesso público, onde todos poderiam se reunir e, ainda assim, que esse ambiente respeitasse a cultura local. 

Ela optou, portanto, por uma arquitetura que possibilitasse boa ventilação e ainda uma cor em harmonia com a região desértica.

O centro cultural, que deverá ser chamado de Centro Cultural Boubou Hama e começará a ser construído no próximo ano. Ele foi apresentado pela primeira vez ao público em cerimônia realizada na segunda-feira (25), em um auditório, na Royal Academy of Arts, em Londres, com a presença de Adjaye e do arquiteto David Chipperfield (mentor do programa de arquitetura de 2017). 

Questionado sobre quem seriam os seus “mentores”, Adjaye citou como referência Chipperfield e Oscar Niemeyer.

Arquiteta Mariam Kamara desenvolve centro cultural em Níger em parceria com o renomado arquiteto David Adjaye (Foto: Rolex/ateliermasomi)
David Adjaye, mentor, with Mariam Kamara, prot (Foto: ©Rolex/Thomas Chéné)
Arquiteta Mariam Kamara desenvolve centro cultural em Níger em parceria com o renomado arquiteto David Adjaye (Foto: Rolex/ateliermasomi)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.