Por R$ 56 mil, novo Mac Pro é mais caro que carro popular no Brasil

O preço divulgado já é muito superior ao de um Fiat Mobi, que custa R$ 33,5 mil

Mac Pro chega ao Brasil por R$ 56 mil 

Nesta quarta-feira, 10, a Apple revelou os preços no Brasil do Mac Pro, seu computador topo de linha anunciado em junho – e que tem a aparência de um ralador de queijos. Na configuração básica, em formato de “torre” (que funciona como um computador único), o aparelho custa R$ 56 mil. É o suficiente para que o consumidor compre, por exemplo, um carro popular como o Fiat Mobi (R$ 33,5 mil, na versão de entrada) ou o Renault Kwid (R$ 34,5 mil, na versão de entrada) e ainda receba mais de R$ 20 mil “de troco”. Ou ainda comprar modelos mais avançados – o Volkswagen Polo, por exemplo, sai por R$ R$ 53,590 no modelo de entrada. 

Há versões ainda mais caras do Mac Pro: se o consumidor desejar a configuração “rack”, na qual é possível plugar várias máquinas em uma só para turbinar sua capacidade de processamento, o aparelho custa pelo menos R$ 60 mil. Por enquanto, o site da Apple não permite ainda que o usuário personalize as configurações do computador, o que pode elevar ainda mais seu preço. 

Na compra à vista, a Apple dá 10% de desconto. Para quem não dispuser de todo o dinheiro, a marca permite parcelamento em até 12 vezes, sem juros. Vale mencionar ainda que os valores citados acima são apenas para o computador – é preciso comprar um monitor separadamente. 

É bom lembrar que o Mac Pro não é um computador comum: ele é voltado a produtores de conteúdo de vídeo, áudio e games – e que precisam de sistemas parrudos. Por dentro, o novo Mac Pro é uma besta: seu modelo mais simples traz processador Intel de 8 núcleos, 32 GB de memória RAM e 256 GB de armazenamento em disco sólido.  

Nos EUA, dispositivo pode ser mais caro que uma BMW

Anunciado em junho, durante a conferência de desenvolvedores da Apple, a WWDC, o novo Mac Pro é o segundo aparelho da linha – sendo o sucessor de um dispositivo lançado em 2013 e que ficou conhecido como “lata de lixo”, devido ao seu visual cilíndrico. 

Nos Estados Unidos, a versão mais básica do Mac Pro custa US$ 6 mil (o equivalente a R$ 24,9 mil, na conversão desta terça-feira). Já na configuração mais potente, que inclui 1,5 TB de memória RAM, processador Intel Xeon de 28 núcleos com velocidade de 2,5 GHz e 4 processadores gráficos, o computador pode chegar a custar US$ 50 mil nos EUA. O custo é superior ao preço de uma BMW Series 3 por lá – o carro da montadora alemã é vendido a partir de US$ 40 mil em lojas americanas.   

Nos EUA, a produção do aparelho também já foi motivo de briga política. No início de 2019, o jornal Wall Street Journal chegou a publicar que a Apple transferiria sua produção para a China. Após receber isenções tarifárias, a empresa manteve a produção do dispositivo em Austin, no Texas.  

Tarantino declara que ‘Kill Bill 3’ ainda pode acontecer

Entre as muitas possibilidades para seu décimo, e último filme, o diretor não se opõe a um terceiro Kill Bill.
Nathália Gonçalves

Uma Thurman

A carreira de Quentin Tarantino como diretor de cinema está prestes a chegar ao seu fim, em 2019 ele lançou o nono dos 10 filmes que pretende dirigir, Era Uma Vez em… Hollywood. Em entrevista ao Andy Cohen, o cineasta revelou que seu último filme pode acabar sendo Kill Bill – Volume 3.

Tarantino contou que havia visto Uma Thurman no dia anterior, para um jantar, e que tem ideias para uma possível continuação para a história da Noiva. “Essa é a questão, conquistar o conceito de exatamente o que aconteceu com a Noiva desde então e o que eu quero fazer. Porque eu não gostaria de inventar uma aventura qualquer, ela não merece isso. A Noiva lutou por tanto tempo e com tanta força. Agora eu tenho uma ideia que pode ser interessante, mas eu não a realizaria por um tempo. Levaria pelo menos três anos até lá, mas é definitivamente uma possibilidade.”

O cineasta ainda revelou que filmes não estão nos seus planos imediatos. Antes de encerrar sua carreira nas telonas, ele tem planos para lançar um livro, uma peça de teatro e uma série de TV. Então, para quem quer ver Uma Thurman retornar ao icônico papel, é necessário ter paciência.

Confira unboxings, primeiras impressões e benchmarks do novo Mac Pro e do Pro Display XDR

E mais: todos os Macs compatíveis com o novo monitor da Maçã

Mac Pro Unboxing e segundas impressões: o poder está de volta!

Depois de meses de espera, o novo Mac Pro e o Pro Display XDR já estão entre nós.

Como para a maior parte de nós, meros mortais, esse “entre nós” é uma mera licença poética, nada melhor do que deleitarmo-nos da forma que podemos: conferindo as novas belezinhas da Maçã em vídeos, explorações e benchmarks.

Vamos dar uma olhada em tudo?

Para começar, vale conferir as segundas impressões de Marques Brownlee (ele já estava usando a máquina há algumas semanas, junto a dois Pro Displays XDR) sobre o Mac Pro. No vídeo, podemos ver os detalhes da colossal caixa que acompanha o computador — que conta, inclusive, com duas cintas de velcro na lateral para ajudar a desencaixotar a torre.

YouTuber mostra, também, os periféricos que acompanham o novo Mac Pro.

Como já notamos, o Magic Keyboard, o Magic Trackpad e o Magic Mouse que vêm com o computador são totalmente pretos — eles diferem-se dos acessórios na cor cinza espacial por apresentarem um acabamento prateado “comum”, mas com detalhes em preto mais escuro. Se você gostou do visual, talvez seja bom não se animar tanto: como notou o 9to5Mac, essas versões dos periféricos vêm exclusivamente com o novo Mac Pro e não serão vendidas separadamente (ao menos por ora).

Brownlee também fez alguns testes de velocidade e benchmarks com a nova máquina. A pontuação do Mac Pro no Geekbench foi a maior já vista pelo YouTuber em qualquer circunstância: 1.180 pontos na medição de núcleo único, e absurdos 21.303 pontos na medição multi-core! O SSD1 do computador bateu quase 3GB/s nas velocidades de leitura e gravação, o que é insano.

Para uma ideia mais real do que o novo Mac Pro pode fazer, Brownlee mediu também o tempo de renderização/transcodificação de um projeto 8K de 5 minutos feito no Final Cut Pro X. No novo MacBook Pro de 16 polegadas (um computador bastante poderoso em seu próprio mérito), a tarefa levou cerca de 20 minutos; no iMac Pro, foram pouco mais de 11 minutos. O novo Mac Pro precisou de apenas 4 minutos para fazer a mesma coisa. É impressionante!

Outro vídeo interessante é o do YouTuber Jonathan Morrison, que mostra as entranhas do novo computador em detalhes e relata suas experiências de duas semanas com a máquina, nas quais ele colaborou com artistas e profissionais de várias áreas simplesmente para criar coisas com o novo Mac Pro. O resultado? Sem surpresas, o computador lidou com absolutamente todas as tarefas sem dar um pio — literalmente: segundo Morrison, a máquina permanece completamente silenciosa mesmo quando trabalhando em potência máxima.

Morrison trouxe, também, o unboxing do Pro Display XDR e do Pro Stand de US$1.000. Vale, aqui, notar como o monitor e o stand conectam-se instantaneamente por meio de ímãs extremamente fortes — basta aproximar o painel do acessório e eles se unirão com a força do magnetismo.

Em mais uma medição de benchmarks, Morrison evocou o Cinebench R20, utilizado para analisar a performance de uma máquina no campo dos gráficos, da renderização de vídeos e da modelagem 3D. O novo Mac Pro recebeu uma pontuação de 9.918, quase sem igual na indústria de consumo.

Por fim, a YouTuber iJustine apelou, fazendo o unboxing do Mac Pro, de dois Pro Displays XDR e dois Pro Stands. Ela faz uma boa comparação visual entre os periféricos em cinza espacial e em preto, além de demonstrar na prática o quão rápida a máquina é na edição de vídeos.

Bônus: compatibilidade do Pro Display XDR

Nova versão do Final Cut Pro X rodando no Pro Display XDR

Talvez isso soe como novidade para alguns de vocês, mas o Pro Display XDR não é compatível apenas com o novo Mac Pro — ele também é capaz de conectar-se a alguns outros computadores da Maçã. A lista completa de máquinas compatíveis está na página de especificações do novo monitor, e você pode conferi-la logo abaixo:

  • Mac Pro (2019) com GPU2 conectada à arquitetura de expansão gráfica MPX Module;
  • MacBook Pro de 15 polegadas (2018);
  • MacBook Pro de 16 polegadas (2019);
  • iMac de 21,5 polegadas (2019);
  • iMac de 27 polegadas (2019);
  • Qualquer Mac com porta Thunderbolt 3 conectado a uma eGPU Blackmagic (do tipo “comum” ou Pro).

Notaram alguma ausência na lista? Sim, por algum motivo, o iMac Pro está de fora da lista de Macs compatíveis por padrão — o que é estranho, considerando que o iMac “tradicional”, menos poderoso, está incluído. Se a omissão é intencional ou um simples erro por parte da Apple, teremos de aguardar para ver. [MacMagazine]

VIA 9TO5MAC

99 vai permitir que motorista mulher só leve passageiras

Empresa lançou pacote de segurança nesta semana; recursos já adotados pelo rival Uber, como gravação de áudio da corrida, também serão implementados

Lançado como um rival da EasyTaxi, a 99 conseguiu crescer e se adaptar aos novos tempos do transporte urbano, sendo um rival à altura para o Uber no Brasil. Além disso, recebeu duas das maiores rodadas de investimento da história no País, de nomes como SoftBank e Didi Chuxing. 

A startup de mobilidade 99 anunciou novas medidas de segurança nesta segunda-feira, 9, para usuários e motoristas da plataforma. A principal novidade é o 99 Mulher, que permite que motoristas mulheres atendam apenas passageiras com perfil do mesmo gênero, além de contar com a opção de gravar o áudio todas as conversas que ocorrem no carro direto no aplicativo. 

“Hoje, mais de 99,99% das nossas chamadas terminam em segurança”, diz Thiago Hipólito, diretor de segurança da 99. “Mas não estamos tranquilos com esse número e vamos nos manter dedicados em sempre promover mais proteção antes, durante e depois das corridas”. A empresa conta, hoje, com 20 milhões de pessoas em 1,6 mil cidades do Brasil.

A 99 ainda informa que 67% das ocorrências na plataforma são de agressões verbais decorrentes, majoritariamente, de desentendimentos. As novas funcionalidades entram em cena para modificar situações como essas.

Os recursos, porém, não são novidades quando se fala de aplicativos de transporte. O Uber, concorrente direta, lançou as mesmas funções nos últimos dois meses. O U-Elas, função para as motoristas mulheres, foi implementado em outubro deste ano, enquanto o modo de gravação de áudio foi ativado em novembro. Na 99, as novidades entrarão em vigor ainda em dezembro de 2019. 

Dentro do pacote de segurança, a empresa também trabalhou ferramentas como identificação facial na hora de cadastrar a foto do passageiro no aplicativo, com uso de inteligência artificial. Outros serviços disponíveis são o bloqueio de usuários e preenchimento automático de CPF, que cadastra o nome do usuário a partir do registro do documento. A medida visa facilitar a identificação por parte do motorista, evitando apelidos.

Palácio proíbe designer de joias de Meghan Markle de publicar fotos da duquesa

O Palácio de Buckingham teria proibido o deisgner de joias Jennifer Meyer, responsável por algumas peças usadas por Meghan Markle, de usar fotos da duquesa de Sussex para promover sua marca.

Meghan Markle (Foto: Getty Images)

De acordo com o Daily Mail, funcionários do Palácio teriam instruído Meyer a apagar de seu perfil no Instagram fotos de Meghan usando suas peças, já que isso violaria o acordo de não divulgação que membros da família real supostamente assinam com as marcas que usam.

No perfil do Instagram de Meyer não há mais fotos de Meghan. No site oficial da designer, no entanto, ainda há pelo menos uma foto em destaque da duquesa usando um colar de ouro com pedras de turquesa, vendido por US$ 750, cerca de R$ 3,1 mil.

Palácio proíbe designer de joias de Meghan Markle de publicar fotos da duquesa (Foto: Reprodução)

Andreas Ortner for Aigner Spring Summer 2020 Campaign

Photography: Andreas Ortner. Art Direction: Garage Creatives. Styling by: Lynn Schmidt. Hair: Hauke Krause. Makeup: Loni Bauer. Models: Anna Mila Guyenz, Lupine Wang and Aira Ferreira.

Resident Evil 3 Remake é anunciado; assista ao trailer

Game será lançado em 3 de abril de 2020 para PC, PS4 e Xbox One
JESSICA PINHEIRO

A espera acabou: Resident Evil 3 Remake foi oficialmente anunciado no último State of Play deste ano, exibido nesta terça-feira (10). Assista ao primeiro trailer logo acima.

Resident Evil 3 foi lançado oficialmente em setembro de 1999 para PlayStation One e, posteriormente, chegou a outras plataformas.

Com o sucesso de Resident Evil 2 (2019), remake bastante aguardado pelo público; os fãs também apostavam em uma reimaginação do terceiro jogo da trilogia original, mas até então, a Capcom não havia confirmado.

Resident Evil 3 sairá em 3 de abril de 2020 para PlayStation 4, Xbox One e PC. Além disso, Project REsistance foi oficializado como Resident Evil: Resistance e confirmado como o modo multiplayer online do novo remake.

Por fim, foi ainda revelado que a pré-venda do jogo dará acesso às roupas clássicas da heroína Jill Valentine e de Carlos Oliveira.

Google será alvo de investigação federal nos EUA por práticas trabalhistas

Ação acontece após a demissão de quatro funcionários que se manifestavam contra decisões e políticas da empresa

Google será alvo de investigação 

Google entrou na mira do US National Labor Relations Board (NLRB), órgão federal dos EUA que monitora relações de trabalho. A investigação acontecerá após a empresa demitir quatro funcionários que militavam em diferentes questões dentro da companhia, como a ideia de o Google criar uma versão censurada do seu motor de buscas para o mercado chinês ou o fornecimento de tecnologia para contratos militares.

Os quatro abriram um processo contra o Google em 5 de dezembro, alegando práticas trabalhistas ilegais por parte da empresa. Em setembro, o Google já havia feito um acordo com a NLRB, no qual daria sinal verde para que funcionários se sindicalizassem e falassem com a imprensa. O processo de dezembro afirma que o Google desrespeitou o acordo, o que levou à nova investigação. A análise do caso por parte da NLRB demorará 90 dias, e pode virar uma acusação formal por parte da agência. 

“As ações do Google são a antítese das liberdades e transparência que a empresa prega publicamente”, diz parte do processo. Os quatro funcionários foram demitidos cerca de 200 dias depois de um protesto em frente a um dos escritórios da empresa em São Francisco, EUA. Eles alegavam que a direção da companhia tomava ações retaliativas contra funcionários que se manifestassem contra a empresa. 

Em relação ao caso, o Google vem mantendo a mesma postura, dizendo que os quatro representavam uma ameaça de segurança dentro da empresa. “Demitimos quatro indivíduos envolvidos em violações intencionais e constantes das nossas políticas de segurança de dados, incluindo o acesso sistemático e a disseminação de materiais e trabalhos de outros funcionários. Ningupem foi demitido por levantar preocupações ou debater as atividades da companhia”, disse um comunicado da empresa. 

A investigação da NLRB aumenta as tensões entre a direção do Google e os profissionais que vem se manifestando contra as decisões da companhia em questões como imigração e assédio sexual. Segundo a imprensa dos EUA, o Google contratou um escritório de advocacia independente e com um histórico de atuação contra sindicatos para lidar com os funcionários. 

Marie Fredriksson, vocalista do Roxette, morre aos 61 anos

A cantora sueca enfrentava câncer desde 2002; ela é dona de hits como ‘The Look’ e ‘It Must Have Been Love’
AFP, O Estado de S. Paulo

A cantora sueca Marie Fredriksson, do duo Roxette Foto: Photo by Patrik STOLLARZ / AFP)

A cantora Marie Fredriksson, do duo Roxette, morreu na segunda-feira, aos 61 anos, anunciou sua agência nesta terça. A musicista sueca enfrentava um câncer no cérebro desde 2002. “É com grande tristeza que devemos anunciar que Marie Fredriksson, do grupo Roxette, morreu na manhã de 9 de dezembro, depois de 17 anos de luta contra o câncer”, disse Dimberg Jernberg Management em comunicado.

Na época, ela foi diagnosticada com um tumor após sofrer um desmaio. Ao lado do parceiro Per Gessle, o duo começaria uma turnê no ano seguinte.Em remissão, saiu em turnê e voltou aos estúdios em 2010,  mas seis anos depois seus médicos a aconselharam a descansar.

A banda Roxette, formada em 1986 pelo guitarrista Per Gessle e pela cantora Marie Fredriksson, vendeu quase 80 milhões de álbuns em todo o mundo e acumulou hits, incluindo The LookListen To Your Heart ou It Must Have Been Love.

“Você era uma música formidável, uma cantora excepcional, uma artista imensa. Obrigado por adicionar cores maravilhosas às minhas músicas em preto e branco”, reagiu Per Gessle.

Processo

Enquanto tratava o tumor, a cantora teve de enfrentar um processo de plágio. O compositor compositor sueco Stephan Malmstedt, entrou com umprocesso em Londres contra o grupo por ter supostamente roubado uma de suas canções, dado prejuízo a ele e causado “sete anos de trauma emocional”.

Ele acusou Per Gessle, do Roxette, de ter copiado sua canção Jenny and I no hit Sleeping in My Car, de 1993. Disse que mandou uma cópia da canção original paraa gravadora da banda, a EMI, em 1991.