A Pége amplia sua linha e faz colab com a Drama e pop up com a Cotton Project

Foi com um sapato atemporal e clássico – o babuche – que a Pége, de Mariana Adjuto e Patrícia Giufrida, começou em 2016. O calçado minimalista, artesanal e totalmente feito à mão, apelidado de Cora, foi o único produto da marca comercializado em seu primeiro ano.

Total look Pége: dos pés ao biquíni, com carinha retrô

Com a saída da sócia, Patrícia se tornou a única diretora criativa da Pége e está lançando novidades quentíssimas pro verão. Surgiram quatro modelos novos de calçados: a sapatilha Pina (inspirada na bailarina alemã Pina Bausch), a sandália Rita, a rasteira Dea (em homenagem à mãe da criadora) e o tamanco Vichy.

A nova colab de moda praia Pége x Drama utiliza apenas tecidos vintage

Pronta pra ampliar sua linha de produtos, ela estreia também uma coleção de moda praia, com carinha retrô. Todos os modelos são feitos com tecido reutilizado, criados em parceria com a nova marca Drama, de Maria Rocha: “A escolha de tecidos vintage foi da Maria, e é a cara da Pége. Além de ser sustentável, torna a coleção absolutamente limitada. Quando acabar, acabou. Não temos como fazer mais, e esse é o propósito do projeto”, conta Patrícia.

Cora: o primeiro modelo da Pége, já virou um clássico da marca

Chamada de “Amor de Verão não Sobe a Serra”, a coleção une a delicadeza da Pége com o ar divertido da Drama, com o cuidado de fazer peças para todos os corpos e que permitem várias formas de uso,  dependendo do modelo.

O novo modelo Rita (R$ 940) está disponível na Cotton Project e no site da Pége

colab com a Drama e a nova coleção já estão disponíveis no site da Pége e os calçados também ficam à venda numa pop up na loja da Cotton Project, nos Jardins, São Paulo, durante o mês de dezembro. Os novos sapatos custam de R$ 750 a R$ 940, e os biquínis são vendidos com top e calcinha separadamente (média de R$ 160 cada).

Fendi lança versão perfumada da bolsa Baguette

A FendiFrenesia Scented Baguette vem ainda acompanhada de um perfume de 5 ml

FendiFrenesia Scented Baguette e Nano Baguette (Foto: Divulgação)

Criada em 1997 por Silvia Fendi, a Baguette bag se tornou um ícone da marca italiana e foi reinventada de diferentes formas ao longos dos anos. Agora, a bolsa ganha versão inusitada: em parceria com o perfumista Francis Kurkdijan, a grife desenvolveu a nova bolsa FendiFrenesia Scented Baguette, que possui o couro Selleria perfumado. O acessório também foi lançado no tamanho Nano – ambos os modelos são no tom amarelo Fendi com design assinado pela artista e fotógrafa Christelle Boulé

As bags vêm acompanhada de um frasco de perfume de 5 ml desenvolvido por Francis especialmente para essa parceria, que pode ser usado na pele ou em um cartão que acompanha os modelos. As bolsas, que têm edição limitada, podem ser encontradas na boutique da marca no Miami Design District (a versão Nano também está disponível online nos EUA e na Europa). 

Silvia Fendi (Foto: Reprodução/Instagram)

Carlos Teixeira for Numéro Russia with Thais Borges

Photographer: Carlos Teixeira. Styling: Sara Soares. Makeup artist: Xana Lopes. Hair Stylist: Edgar venancio. Set Design: Marta Cruz. Model: Thais Borges at Elite Lisbon.

Governo dos EUA considera ordem judicial antitruste contra Facebook

Anunciada no início de 2019 por Mark Zuckerberg, junção da infraestrutura de Instagram, Messenger e WhatsApp pode ser bloqueada pela FTC

Mark Zuckerberg é presidente executivo do Facebook

Agentes do governo americano estão considerando lançar mão de uma ordem judicial preliminar contra o Facebook, por conta de preocupações em torno de concorrência desleal pela integração dos aplicativos da empresa, disseram fontes próximas ao assunto ao jornal Wall Street Journal. 

Se se tornar verdade, a ação movida pela Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês) deverá focar nas práticas do Facebook sobre a integração de seus aplicativos – incluindo o WhatsApp e o Instagram – e como os produtos da empresa também interagem com os de rivais. 

Segundo as fontes, a ação também poderia bloquear o Facebook de tomar atitudes anticompetitivas, bem como interromper integrações entre a infraestrutura dos apps da empresa que não poderiam ser desfeitas. 

No início de 2019, o Facebook anunciou que pretende integrar a infraestrutura de mensagens do Facebook Messenger, Instagram e WhatsApp – algo que as autoridades temem que não possa ser desfeito em uma eventual decisão por partir a empresa em várias partes, como foi feito com a Standard Oil de Rockfeller, disseram ainda as fontes. 

Para que uma ordem judicial seja impetrada, é preciso que haja maioria entre os cinco membros da FTC sobre o assunto. A FTC também entrar com um processo em uma corte federal para obter a ordem. Procurada pelo Wall Street Journal, a FTC se negou a comentar. O Facebook também. 

Apple compra startup britânica Spectral Edge para melhorar capacidades fotográficas do iPhone

A Maçã não quer mais dormir no ponto, aparentemente

Apple compra a startup britânica Spectral Edge para melhorar as fotos do iPhone

Ainda que a Apple tenha dado um bom salto no terreno da fotografia com os iPhones 11 e 11 Pro, isso de forma alguma significa que a Maçã pode dormir no ponto e deixar suas concorrentes a ultrapassarem (de novo). E a gigante de Cupertino parece estar muito ciente disso.

De acordo com a Bloomberg, a Apple comprou recentemente a startup britânica Spectral Edge, dedicada a criar tecnologias que melhoram ainda mais a capacidade fotográfica de smartphones. A empresa é (ou… era) baseada na cidade de Cambridge, onde a Maçã já tem escritórios — dedicados, especialmente, ao desenvolvimento da Siri e de recursos de inteligência artificial.

A aquisição não foi divulgada oficialmente, mas documentos publicados nos últimos dias indicam o acontecimento — por exemplo, o advogado corporativo da Maçã, Peter Denwood, foi nomeado diretor da startup, enquanto todos os outros conselheiros e membros da diretoria foram desligados. Não se sabe quanto a Apple pagou pela empresa.

Também não sabemos como, na prática, a tecnologia da Spectral Edge será aplicada nos iPhones do futuro. O que se sabe é que a startup desenvolvia uma técnica de inteligência artificial que usa a captura de uma imagem em infravermelho para tornar as fotografias mais nítidas, com cores mais vívidas — o que soa muito como a missão atual do Deep Fusion, mas com uma técnica ainda mais apurada.

O mais interessante é que as soluções desenvolvidas pela Spectral Edge podem ser implementadas tanto por hardware quanto por software — ou seja, pode ser que as melhorias conquistadas pela compra da startup cheguem a iPhones já existentes, e não apenas a futuros modelos. Isso, entretanto, teremos de aguardar para ver.

VIA IMORE

Sebastian Hilgetag for L’Officiel Austria with Anastasia Shestaeva

Photography & Retouch: Sebastian Hilgetag. Styling: Jade Sheils. Hair: Diego Fraile. Makeup: Melissa Righi. Model: Anastasia Shestaeva.

Umur Ozcan for Based Istanbul with Sveta Potomski

Photographer: Umur Ozcan. Stylist: Aras Kilic. Makeup: Gunes Ark. Hair Stylist: Mehmet Alpan. Model: Sveta Potomski.

PepsiCo anuncia lançamento da Pepsi Café para 2020

Pepsi promete equilíbrio entre receita que combina refrigerante com sementes arábicas e que deve chegar em duas versões em abril
Por Pedro Strazza

PepsiCo divulgou hoje (12) que planeja lançar no mercado a Pepsi Café, uma variante do refrigerante Pepsi que marca o novo investimento da marca no mercado de produtos à base de café. Previsto para ser disponibilizado no mercado estadunidense em abril de 2020, o produto mistura a receita tradicional da soda com um extrato de sementes arábicas, que praticamente dobram a quantidade de cafeína na lata.

De acordo com o AdWeek, o novo refrigerante contará com invólucros de 354 mL de volume e duas variações. Enquanto a primeira será chamada original e vai oferecer um sabor mais acentuado de café, o segundo é de baunilha e trará uma versão mais adocicada da mistura, descrito pela própria marca como um “toque final cremoso”.

Em comentário oficial no anúncio do novo sabor, o vice-presidente de marketing Todd Kaplan declara que a marca “sabe que os consumidores hoje procuram por produtos que atendam as necessidades de energia, indulgência e frescor durante as ocasiões profissionais a tarde.” e que a empresa está “confiante” de que a Pepsi Café será bem recebida pelo público do refrigerante e de café graças ao “equilíbrio perfeito” encontrado na receita.

Embora seja a primeira marca de refrigerante a buscar explorar o cenário atual de explosão de popularidade dos produtos à base de café nos EUA, a Pepsi no cenário global não é a única que está expandindo sua linha de sabores para atender o mercado. A Coca-Cola só este ano lançou no território estadunidense um sabor laranja com baunilha, além de ter colocado à venda no Brasil uma versão à base de café de seu produto, a Coca-Cola Café.

No caso específico do segmento de café, a própria Pepsi já se aventurou antes por estes mares nos anos 90, quando colocou nas lojas entre 1996 e 1997 a Pepsi Kona, uma variação da receita original turbinada de cafeína.

NEW Arturia Pigments 2.0 Presets Demo

Esta é uma demonstração sem falas do sintetizador Arturia Pigments 2.0 VST. Eu navego através de um monte de novas predefinições e improviso.