Kim Jones Drops Iconic Y2K Newspaper Print for Dior Men SS20

Para a coleção masculina de verão 2020, a icônica impressão de “jornal” da Dior – criada pela primeira vez para o desfile de alta costura Spring/Summer 2000 – foi retrabalhada por Kim Jones em colaboração com o artista contemporâneo Daniel Arsham. Evocador perturbador de um futuro imaginário, o motivo pontuado por comunicados de imprensa escritos pelo próprio Christian Dior e pela inscrição “collection été 3020” – um aceno às projeções temporais do artista – é revelado tanto na aparência quanto nos acessórios, a partir de uma organza de nylon jaqueta às meias e novas reinterpretações masculinas do saco de sela.

Livro ‘App Store Confidential’ que Apple tentou censurar chega ao topo dos mais vendidos da Amazon

Tem coisas que nem uma das empresas mais valiosas do mundo consegue fazer, e no caso da Apple isso significa tirar um livro de circulação por ele supostamente “revelar segredos comerciais”.

A Apple enviou uma carta a Sadowski e seu editor Murmann Verlag para pedir que parassem de entregar o livro às lojas, para recuperar todas as cópias em circulação e destruir os manuscritos do livro. Sadowski na foto acima posando com seu livro

Se você acompanhou as notícias da semana, então certamente se lembrará dessa história. Refiro-me, claro, ao caso do alemão Tom Sadowski, um ex-gerente da App Store que lançou o livro “App Store Confidential”, o qual não agradou nem um pouco a gigante de Cupertino.

Justamente pela motivo supracitado, a empresa pediu à Murmann, editora responsável pela comercialização da obra, que removesse todas unidades à venda e recolhesse aquelas que já haviam sido entregues. Como informamos, a editora não atendeu aos pedidos da Maçã — e agora ela não fará isso mesmo, uma vez que o livro está entre os mais vendidos numa das categorias da Amazon, como noticiado pela Reuters.

“App Store Confidential” entre os mais vendidos na Amazon

Chame isso de “Efeito Streisand”1 ou mesmo de publicidade, mas como a gigante de Cupertino ainda não conseguiu uma ordem judicial para interromper as vendas do livro, ela causou algo totalmente contrário do que queria ao exigir que os livros fossem recolhidos das prateleiras.

De acordo com a Murmann, a primeira tiragem do livro (com cerca de 4.000 cópias) estava vendendo muito bem, mas após as notícias recentes eles estão considerando dar início a uma segunda tiragem.

[O livro] é o número 2 na lista de mais vendidos da Amazon na Alemanha; todo mundo está falando sobre isso.

O gerente de longa data da App Store na Alemanha, Áustria e Suíça Tom Sadowski (acima) publicou um livro na terça-feira chamado App Store Confidential. A Apple emitiu uma carta de cessação e desistência para impedir que o livro seja publicado e distribuído, alegando que revela segredos da empresa

Apesar de a Apple alegar que o livro revela segredos da empresa, vários sites e pessoas que tiveram acesso ao material disseram que ele não traz nada além do “óbvio”, principalmente quanto às técnicas adotadas pela Maçã para divulgar e vender serviços online.

Justamente devido a direitos autorais (e pelo fato de estar em alemão), trechos da obra ainda não caíram na web. Não obstante, muitos têm comentado que o livro não apresenta nada que já não seja público sobre a Apple, com foco na carreira de Sadowski.

Cada capítulo do livro de Sadowski se inicia com palavras de sabedoria do cofundador da Apple, Steve Jobs, enquanto o texto é tudo menos revelador. Um destaque sobre uma visita de Tim Cook a uma startup de Berlim em 2017, por exemplo, não contém detalhes do que foi dito na reunião.

O advogado de Sadowski, Ralph Graef, acusou a Apple de “covardia” por ainda não levar o caso ao tribunal, afirmando que ela apelou a ameaças. Por fim, ele afirma que a empresa sabia da existência do livro desde novembro passado, quando Sadowski teria sido demitido.

VIA 9TO5MAC

SUNNEI Spring/Summer 2020 Campaign

SUNNEI unveiled its Spring/Summer 2020 campaign, captured by the lens of Andrea Artemisio and styled by Francesca Izzi.

Huawei e Samsung: teste dos relógios inteligentes

Modelos das duas marcas são muito parecidos no visual, mas suas funções e finalidade são bastante distintas
Por Henrique Martin – O Estado de S. Paulo

Huawei GT2 chegou ao Brasil em janeiro de 2020

Huawei Watch GT 2 e o Samsung Watch Active 2 são relógios conectados que, a grosso modo, poderíamos dizer que fazem a mesma coisa. Mas os dois modelos – apesar de serem relógios – têm finalidades bastante distintas. O da Huawei é um ótimo rastreador de exercícios, enquanto o da Samsung faz de tudo um pouco – incluindo medir sua atividade física.

Design

O modelo da Samsung segue um desenho mais universal e básico, com uma tela redonda sensível ao toque e dois botões na lateral, sem uma coroa protetora. O modelo tem opções de tamanho de caixa de 40 mm ou 44 mm e conectividade Bluetooth ou LTE/4G (para usar sem precisar do smartphone por perto). Testamos o de 44 mm com Bluetooth, que tem preço sugerido de R$ 1.799. 

Já o Huawei também traz duas opções de tamanho: caixa de 42 mm (com um design parecido com o do modelo da Samsung) e 46 mm que lembra bastante um relógio convencional – e mais voltado ao público masculino. Testamos os dois modelos (similares nas funções), com preço sugerido de R$ 1.499 (42mm) e R$ 1.699 (46mm). 

O desempenho de bateria dos dois modelos é bastante distinto. O Samsung Watch Active 2 consome mais energia e precisa ser recarregado a cada dois ou três dias – depende muito da intensidade de exercícios e de aplicativos abertos no próprio relógio. Já o Huawei Watch GT2 pode ficar até 15 dias longe da tomada. Se você faz exercícios regularmente e usa o GPS para rastrear os movimentos, porém, pode ser que precise recarregar a bateria uma vez por semana – o que é um fator excelente em um produto desses. 

Com aplicativos nativos, o modelo da Samsung roda um sistema operacional proprietário (Tizen)
Com aplicativos nativos, o modelo da Samsung roda um sistema operacional proprietário (Tizen)

Um detalhe curioso é que o Huawei usa uma base própria para recarregar a bateria, mas o Samsung tem carregamento sem fios embutido, e pode ser recarregado usando baterias externas ou bases de carregamento sem fio (como a própria parte traseira de alguns smartphones da marca, como os Galaxy S10 ou Note 10). Desse modo, é possível, por exemplo, viajar e não levar a base do carregador do Watch Active 2, se você tiver um smartphone compatível com o recurso de “carregamento reverso”. 

Um recurso interessante de ambos relógios é que eles contam com armazenamento interno e se conectam, via Bluetooth, a fones de ouvido sem fio. É possível assim transferir arquivos de músicas e podcasts para o relógio e sair para fazer exercícios sem levar o smartphone junto. 

Como smartwatch

Os dois modelos funcionam conectados a smartphones com Android ou iOS. Vale notar que, no sistema da Apple, algumas funcionalidades podem não estar disponíveis ou estão limitadas. Um exemplo é o recurso de medir estresse do Huawei Watch GT 2: ao conectar a qualquer Android, você acompanha seu estado. No iPhone, usando o mesmo app da Huawei para sincronizar os dados, a tela do recurso desaparece do relógio. 

O Samsung Watch Active 2 usa o app Galaxy Wearable para se conectar ao Android e permitir instalar e gerenciar aplicativos, novas faces para o relógio e atualizar apps existentes e o Samsung Health para lidar com exercícios. Já o Huawei Watch GT2 usa apenas o app Saúde para gerenciar tudo. 

Mas o que esperar de um relógio inteligente? Que ele consiga trazer ao menos notificações e permita responder de forma rápida – apesar de limitada por conta da tela pequena – a mensagens e ações iniciadas no smartphone. 

Se pensarmos desse modo, o modelo da Samsung é perfeito. Ele gerencia todas suas notificações (as que você liberar no aplicativo, claro, para não incomodar). Chegou uma mensagem de WhatsApp? Basta escolher as respostas rápidas pré-configuradas e responder de forma imediata, até mesmo com áudio gravado direto no relógio, sem precisar tirar o smartphone do bolso. 

Isso vale para outros recursos e aplicativos, como Spotify e Uber, que têm apps nativos que rodam direto no relógio. Também é possível responder e-mails, mas acreditamos que isso é algo que precisa de mais espaço em tela. O modelo da Samsung roda um sistema operacional proprietário (Tizen) que parece ser bastante aberto para desenvolvedores criarem novas soluções – tem até mesmo, dentro do Galaxy Wearable no smartphone, uma loja de novas faces para os relógios. 

Huawei GT2 está disponível nos tamanhos 42mm e 46mm
Huawei GT2 está disponível nos tamanhos 42mm e 46mm

Por outro lado, o Huawei Watch GT2 ainda engatinha na questão do “relógio inteligente”. Também roda um sistema proprietário, bastante limitado na integração com outros recursos: não é possível responder mensagens do WhatsApp, por exemplo. Elas aparecem como notificação, mas para respondê-las é preciso pegar o telefone. Funciona de um modo muito mais passivo, recebendo e mostrando a informação, sem poder interagir com ela. 

Falta também uma plataforma de aplicativos como existe na Samsung: além do tocador de música integrado que, com uma atualização recente, permite comandar as músicas em reprodução no Spotify, Tidal ou outro player de músicas, não tem nada muito inteligente nesse modelo da Huawei. Pelo menos dá para pedir um Uber e ver a notificação no relógio da placa e modelo do carro que está chegando. 

Como monitor de atividades físicas

Se os dois modelos têm diferenças grandes na função de smartwatch, na hora que você começa a usá-los como monitores de atividades físicas, percebe algumas diferenças. Ambos têm sensores que medem batimentos cardíacos em tempo real e avaliam capacidades de respiração e até mesmo do estresse do seu usuário naquele momento. 

A diferença aqui parece ser muito mais no modo que os produtos foram criados: o da Huawei é excelente para quem está começando a se mexer (tem treinos de corrida básicos, com indicações de quando andar, quando correr por pouco tempo, quando voltar a andar), mas também traz informações importantes para quem é mais avançado. Quer correr 30 minutos? 1h? Defina a meta e saia correndo, simples assim. 

O aparelho mostra em tempo real dados de desempenho, números de passos e distância e, no final do exercício, traz um resumo de tudo que foi feito: ritmo, passos, distância, altitude, volume de oxigênio máximo e até mesmo a elevação do terreno percorrido. É um pacote completo de informações úteis que servem para comparação da melhoria do desempenho – e perceber no corpo que as coisas mudaram ao longo do tempo. Entretanto, sendo usado como um monitor de atividades, o Watch GT 2 se trava nessa função, sem permitir ver notificações ou controlar músicas durante o exercício. 

Já o Watch Active 2 da Samsung tem uma filosofia mais generalista ao se tratar de acompanhar os exercícios físicos. Tem modos de treino mais genéricos – quer correr, basta ativar o programa no relógio e sair corre

Demonstração aprofundada do teclado de palco Yamaha YC61 com foco em órgão! – Existe algo que não pode fazer?

Apresentando o novo teclado Yamaha YC61 Stage, um teclado completo focado em órgãos, incorporado em um tamanho compacto de 61 teclas, que facilita o trabalho. Embalado com recursos e mudando o mundo dos pianos de palco, não há nada que este teclado não possa fazer!

Com o Virtual Circuit Modeling da Yamaha, o YC61 conquista o mercado como um dos teclados de emulação analógica com som mais realista. Equipado com 2 tipos de alto-falantes rotativos icônicos, motores de piano elétrico acústico e FM premium e alimentado pela mesma tecnologia que criou o DX7. Este piano de palco é como nenhum outro, projetado com base no desempenho e carregando um incrível teclado em estilo cascata e barras de tração físicas, tornam isso muito divertido de manipular e tocar! Não se deixe enganar, o YC61 pode assumir as características de um instrumento vintage, mas possui recursos mais que suficientes para torná-lo em qualquer estágio, estúdio ou cenário de destaque!

↪️ Episode Guide ↩️
» Introduction to the Yamaha YC61 (0:15)
» Quick Run-through of the Stored Presets (1:45)
» Let’s take a look at the Rotary Speakers (2:25)
» No presets, let’s build the sound ourselves (5:08)
» Hammond organ models (8:52)
» FM Engines (11:17)
» Keyboard Section (14:48)
» Splits & Layers (18:51)
» Effects (22:21)
» Electric Pianos (24:08)
» Lead Sounds (29:27)
» Yamaha Piano Sounds (34:29)
» Final thoughts & Overview (38:58)

Frankie Cosmos – Full Performance (Live on KEXP)

http://KEXP.ORG presents Frankie Cosmos performing live in the KEXP studio. Recorded October 30, 2019.

Songs:
So Blue
Windows
A Joke
Rings On A Tree

Host: Troy Nelson
Audio Engineer: Kevin Suggs
Cameras: Alaia D’Alessandro, Kendall Rock & Justin Wilmore
Editor: Justin Wilmore