Nicole Scherzinger se diverte com fantasia na quarentena

A cantora apostou na personagem de Olivia Newton-John no filme “Grease”

Nicole Scherzinger (Foto: reprodução/instagram)
Nicole Scherzinger (Foto: reprodução/instagram)

Nicole Scherzinger está aproveitando a quarentena para se produzir e replicar personagens de filmes. Nesta terça-feira, a cantora e eterna Pussycat Dolls encarnou a personagem de Olivia Newton-John no filme “Grease”.

“You’re the one that I want”, disse Nicole na legenda do clique no Instagram se referindo à uma parte da música principal do longa dos anos 70. Veja imagens abaixo:

Veja imagens abaixo:

Nicole Scherzinger (Foto: reprodução/instagram)
Nicole Scherzinger (Foto: reprodução/instagram)
Nicole Scherzinger (Foto: reprodução/instagram)
Nicole Scherzinger (Foto: reprodução/instagram)

5 hábitos de beleza que valem a pena adotar durante a quarentena

De escovação a seco ao uso do retinol, confira atividades que podem aprimorar a sua rotina de cuidados
LISA NIVEN-PHILLIPS

(Foto: Rafael Pavarotti)

O distanciamento social provavelmente já deve ter afetado sua rotina de beleza a esse ponto. O que significa que você provavelmente já parou de usar maquiagem, cortou os laços com o seu colorista e se arriscou a fazer uma franja nova e levemente instável. Mas o tempo extra em casa é na verdade uma ótima oportunidade para adotar novos hábitos de beleza, seja na forma de um ritual fácil de autocuidado ou de uma tarefa que você sempre adia (pincéis de maquiagem sujos, estamos olhando para vocês). Apenas pense: você pode aperfeiçoar esses pequenos hábitos agora e transformá-los em uma parte integral de sua rotina depois da quarentena.

Abrace a escovação corporal a seco
Escovar o corpo a seco é uma daquelas coisas que você sabe que deveria fazer, mas que raramente faz. Na verdade, você provavelmente já tem uma escova, na parte de trás de uma gaveta, nas profundezas do seu banheiro. Bem, vá e encontre – a quarentena é o momento perfeito para torná-la um hábito. “A escovação corporal é um dos favores mais baratos e simples que você pode fazer por si mesmo e traz grandes retornos com pouco esforço”, diz Kate Shapland, fundadora da Legology. “As cerdas ativam a linfa, que é a rede de vasos que flui logo abaixo da superfície da pele e remove os resíduos do corpo. O problema com a linfa é que ela só se move quando você se move. Portanto, se você passa a maior parte do dia sentado, graças ao estilo de vida home office, a linfa pode ficar lenta, desencadeando problemas como retenção de líquidos, digestão mais lenta e problemas de saúde da pele. Pense na escovação do corpo como uma maneira de sacudi-la de volta à vida.

“Tudo o que você precisa fazer é passar a escova seca sobre a pele, em direção ao coração – dos pés em direção as coxas e das mãos em direção aos ombros – por um minuto”, diz Shapland. “Faça no banheiro, antes, durante ou depois do banho ou no banho, ou depois de um treino. Às vezes, adiciono algumas gotas de óleo Legology Cellu-Lite às cerdas e faço uma rápida escovação depois do banho; economiza tempo, o óleo absorve mais rapidamente e você fica com um cheiro maravilhoso!”

Conheça o retinol
Nunca houve um momento melhor para embarcar no time de fãs do retinol. Apesar de ser uma potência antienvelhecimento capaz de aumentar a produção de colágeno, muitos de nós adiamos colocar o ativo em nossas rotinas por causa do tempo necessário para que sua pele desenvolva uma tolerância a esse ingrediente. Pode demorar um pouc, mas é por isso que uma quarentena é um bom momento para começar.

As cápsulas de Retinol Ceramide da Elizabeth Arden’s garantem que você use sempre a quantidade certa do produto, com ceramidas que aumentam a umidade para compensar qualquer ressecamento causado pelo retinol. O Paula’s Choice Clinical 1% Retinol Treatment é outra ótima opção, oferecendo resultados rápidos, confiáveis ​​e uma fórmula confortável. Comece usando apenas algumas noites por semana, antes de começar a usar com mais frequência. E lembre-se – mesmo que você sinta que nunca sai do seu sofá – passe um bom protetor solar todas as manhãs, pois o retinol torna a pele mais sensível aos danos causados ​​pelo sol.

Arranje tempo para o seu couro cabeludo
Muitos de nós usamos o tempo extra em casa para transformar o banho, de uma tarefa apressada, em um ritual agradável – e, francamente, não estamos dispostos a desistir disso assim que a quarentena terminar. O cabeleireiro das celebridades George Northwood, o homem por trás de muitos dos melhores estilos de Meghan Markle, Alexa Chung e Alicia Vikander, diz que uma limpeza semanal do couro cabeludo é uma maneira fácil de transformar sua rotina capilar.

“Gastando um tempo para realmente esfoliar o couro cabeludo e depois seguir com uma ótima máscara. Especialmente se você puder se sentar no banho e deixar o vapor da água realmente fazer tudo funcionar”, diz ele.Não significa ter que comprar novos produtos. “Pessoalmente, eu misturei um pouco de Aesop Redemption Body Scrub com meu xampu, pois ele já está do lado no banho – todo mundo tem um esfoliante por aí – ou há uma abundância de esfoliantes lá fora”, aconselha ele. “O mesmo vale para a máscara – basta usar o que você tem em casa. Se você ainda não tem uma máscara capilar favorita, também pode usar abacate ou óleo de coco da cozinha. Acima de tudo, trata-se de criar um ritual agradável, mas com o bônus de beneficiar seu cabelo e couro cabeludo ao mesmo tempo.”

Aperfeiçoe sua pedicure em casa
Entrando em pânico com o momento de encarar uma sandália, com suas consultas de pedicure canceladas? Este é realmente o momento perfeito para tranformar a sua rotina de manutenção de pés em casa em uma arte. O produto para o trabalho: Footner Exfoliating Socks. Você já deve ter experimentado ou provavelmente já viu um vídeo no YouTube levemente angustiante de alguém descascando os pés e quase definitivamente tem um amigo que jura que funciona – essas “meias” de plástico contêm uma mistura de ácidos esfoliantes que, após 60 minutos de uso, inicia o processo de “descascar” os pés para uma pele suave de bebê. Sim, você encontrará flocos de pele nos pés ou no chão por uma boa semana (dissemos a você que uma quarentena era um bom momento para fazer isso), mas os resultados são impressionantes, deixando os pés macios, suaves e esfoliados.

Para obter resultados perfeitos na sua pedicure, aplique algumas camadas de esmalte nos dedos dos pés. O novo Le Vernis da Chanel na cor Daydream é uma escolha chique, mas realmente qualquer tonalidade que anime e lhe dê algo novo para olhar, será a escolha certa.

Por fim, comece a lavar seus pincéis de maquiagem
Lavar os pincéis de maquiagem é um pouco trabalhoso, sabemos, mas os benefícios superam em muito a tarefa. Além do fato de que a boa higiene parece especialmente urgente no momento (aplicar o bronzer com um pincel ainda endurecido com pó de quatro semanas? Sempre nojento, agora horrível), lavar os pincéis faz com que eles durem mais e ajuda a aplicar a maquiagem mais efetivamente também.

“No que diz respeito aos meus pincéis pessoais, faço uma limpeza uma vez por semana com o Bobbi Brown’s Brush Cleaning Spray. Mas adoro fazer uma boa limpeza profunda com um xampu suave para bebês duas vezes por mês”, diz Amy Conway, artista profissional sênior da Bobbi Brown. Ela recomenda colocar um pouco de xampu na palma da mão e girar os pincéis úmidos até que ensaboem. Enxague e repita a atividade até que a água escorra sem nenhuma sujeira. Depois, alise novamente os pêlos da escova e coloque-os em uma toalha com as cerdas penduradas ao lado de um balcão ou mesa. “Isso ajudará o ar a contornar a cabeça da escova e a ventilar os cabelos para uma secagem mais rápida”, explica Conway.

Taís Araújo é dirigida por Lázaro Ramos em comercial gravado em casa na quarentena

Amon Borges

Taís Araújo e Lázaro Ramos em comercial de Doril (Reprodução)

Taís Araújo e Lázaro Ramos têm cumprido com atenção as recomendações das autoridades e especialistas para o isolamento social, na luta contra o novo coronavírus. O casal conta que está há cerca de 50 dias em quarentena na casa no Rio de Janeiro, onde vivem com seus dois filhos —filhos João Vicente, 8, e Maria Antônia, 5.

“Não tem sido fácil, assim como não tem sido fácil para ninguém”, diz a atriz em conversa com o Inteligência de Mercado. Pouco antes de o Brasil começar a adotar medidas mais rígidas na pandemia, no meio de março, a atriz fechou um contrato para a campanha do tradicional remédio Doril, que apresenta nova versão.

Com a evolução no número de casos e o agravamento da Covid-19, os compromissos fora de casa não poderiam ser cumpridos. Taís teria de se deslocar até São Paulo ou receber a equipe em sua casa para as gravações —ações que iam de encontro ao que já pregavam os especialistas.

Para solucionar o impasse, a atriz conta como deu uma ideia à marca: ‘Gente, eu sou casada com um diretor. O que vocês acham de o Lázaro dirigir?’. E a sugestão foi aceita.

O ator e diretor Lázaro Ramos seria então o responsável pela gravação feita inteiramente em casa para evitar a exposição de família e de outros profissionais.

“Dirigir eu já tinha dirigido. Mas ocupar várias funções em um só trabalho não”, diz ele. “Organizar cenário, fazer a câmera, enquadrar, dirigir foi algo novo. Foi bacana poder ter a colaboração da equipe que, de maneira remota, estava sempre dialogando.”

Segundo Carla Araújo, diretora de marketing de Doril, a ideia inicial da campanha era a mesma: mostrar a rotina de Taís Araújo e tratando da dor de cabeça, que pode tirar do ar e dificultar o dia a dia.

“A grande diferença diz respeito a situação vivida por Taís. Antes considerávamos uma rotina bastante diferente da que ela está vivendo hoje, tendo que se dividir entre set de gravação, casa, projetos etc. Hoje esses multipapéis são desempenhados de forma diferente e precisamos adequar nossa linguagem a essa nova realidade”, afirma a executiva.

Mas, diante do novo cenário, a dinâmica mudou e os gatilhos que causam a dor de cabeça também. “Ouvimos de consumidores, amigos e familiares sobre essa pressão e correria dos multipapéis que estamos vivendo em casa, tendo que ser de tudo um pouco para cuidar de quem amamos e de nós mesmos”, conta a diretora de marketing. Foram necessários 15 dias para a conclusão do vídeo e a campanha deve estrear nesta quinta (7).

O projeto, segundo a marca, contaria com uma equipe que poderia envolver até uma centena de pessoas de times de agência de publicidade, marketing e produção. Neste caso, o casal teve tutela a distância da produtora Sentimental Filmes.

“Eu e o Lázaro já trabalhamos juntos muitas vezes, com mais gente envolvida. Neste desafio, éramos apenas nós dois, com muitas responsabilidades distintas, sem que tivéssemos domínio de todos os conhecimentos para contar essa história”, afirma Taís.

Lázaro ressalta a quantidade de detalhes envolvidos e improvisos que fizeram na falta de uma equipe presencial. “Foram muitas reuniões online e nos dedicamos ao máximo para aprender e completar o trabalho, utilizando basicamente um celular moderno, um tripé e iluminação”, afirma.

Abaixo, veja making of e entrevista com Taís Araújo e Lázaro Ramos:

Inteligência de Mercado – Como tem sido para vocês administrar confinados trabalhos, tarefas domésticas, cuidado com os filhos, saúde mental e outros temas ao mesmo tempo?

Taís Araújo – Não tem sido fácil, assim como não tem sido fácil para ninguém. Claro que a gente tem que levar em consideração a com a condição que a gente tem, de ter um emprego, de ter uma casa, de ter comida na mesa, o que deixa tudo imensamente mais leve apesar de toda tragédia acontecendo. A gente vai vivendo um dia após o outro mesmo. Tentamos fazer as coisas de casal juntos, coisas junto com as crianças. Tenho a sensação de que a gente está se re-conhecendo. Está sendo bem bonito.

Lázaro Ramos – É o momento de busca por compreensão, ações de solidariedade e ficar atenta para manter a saúde física mental sua e das outras pessoas.

Qual a reação de vocês quando veio a sugestão para fazerem tudo de casa?
Taís – A sugestão foi dada por mim, porque eu já tinha sido chamada pra fazer [o comercial], já tinha fechado tudo. E eles começaram: ‘E aí vamos fazer com equipe reduzida? E aí vem de carro pra São Paulo…’. Até que a gente chegou à conclusão de que não havia a possibilidade de ter deslocamento, não havia possibilidade de equipe reduzida. Então eu falei: ‘Gente, eu sou casada com um diretor. O que vocês acham de o Lázaro dirigir?’. E aí decidimos fazer dentro de casa e pensei: ‘Vamos abrir esse precedente? A gente nunca abre a nossa casa, nunca mostramos a nossa intimidade’. Mas acho que esse momento vem para repensarmos tudo também, tudo. No início, quando pensei no Lázaro antes de sugerir, eu fiquei um pouco constrangida. Porque eu falei: ‘Ai cara, eu sugeri o meu marido para dirigir’. Mas o fato de o meu marido ser Lázaro Ramos facilita muito as coisas, porque as pessoas sabem quem eu estou indicando, que é um cara competente. Foi uma vergonha que veio e passou.

Lázaro – A primeira reação foi justamente de que era alternativa mais adequada para que se realizasse com segurança o trabalho. Eu fiquei feliz também pelo convite de Taís, porque é sempre bom falar sobre isso [questão do isolamento].

Como foi o processo de gravação em casa? Já tinham feito algo parecido?
Taís – A gente tinha uma equipe trabalhando remotamente, mas eles deram muita liberdade para o Lázaro, como diretor, também de fazer outros planos. Foi tudo amarrado entre eles e nós desde a aprovação do roteiro, da sugestão. Foi tudo construído junto. […] Ficamos muito pensando na época o que é adequado para o momento, o que é importante ser dito no momento e como a gente vai comunicar isso neste momento. É muito delicado, principalmente para a publicidade. A gente tem que comunicar o que está acontecendo, como está sendo a nossa vida de fato. Essa foi uma troca muito grande entre nós e a equipe.

Lázaro – Dirigir eu já tinha dirigido. Mas ocupar várias funções em um só trabalho não. Organizar cenário, fazer a câmera, enquadrar, dirigir foi algo novo. Foi bacana poder ter a colaboração da equipe que, de maneira remota, estava sempre dialogando. Mas na hora do vamos ver mesmo era uma administração que não era simples. Administrar a nossa casa, que continuava funcionando com nossos filhos, administrar o nosso tempo para conseguir realizar de forma bacana. Mas por outro lado teve algo de prazeroso, porque exercitar o nosso trabalho para a gente que estava tanto tempo pensando em outras coisas foi bom.

Mesmo com a experiência de vocês tanto na direção quanto na atuação, quais as principais dificuldades para fazer esse projeto?
Taís – Por mais que a gente tenha muitos anos de trabalho, de profissão, são profissionais que estão ali, que sabem. Tem cenógrafo, diretor de arte, mais seus assistentes, fotógrafo, iluminador, câmera, maquiador, figurinista… O mercado da publicidade movimenta muitos profissionais. Então a dificuldade foi de fazer o que a gente não sabe fazer, porque há muitos profissionais capacitados e que não somos nós para realizar esse tipo de trabalho. A gente tem que valorizar mais ainda esses profissionais, eles são muito importantes e têm de ser valorizados.

Lázaro – A maior dificuldade foi ter que ficar atento a tudo, para não perder continuidade, para não ficar cansado, perder a espontaneidade, para encontrar o melhor enquadramento. As vezes que eu operei câmera com compromisso de ser exibido foram câmeras profissionais, não eram celular. Entender o sistema de som e ao mesmo tempo manter o material organizado para que, quando chegasse à edição, não dificultasse o trabalho do editor. Ao mesmo tempo acho que o trabalho com teatro, e vindo de teatro popular onde muitas vezes executava diversas funções, acabou sendo resgatado neste momento. E o fato de ser com Taís, que é minha esposa, minha parceira e a gente tem muita sintonia, facilitou o processo.

De quais profissionais técnicos sentiram mais falta durante a produção?
Lázaro – É difícil de falar de um só profissional, porque a execução de um trabalho audiovisual é um processo construído em equipe. O assistente direção, o cenógrafo, o iluminador, câmera, são todas peças fundamentais. Não dá para escolher uma apenas. Acho que tem uma coisa importante a se falar é que esse vídeo por ser feito falando de um processo que está acontecendo no cotidiano de Taís, dos cuidados com a casa , dos cuidados consigo mesma, é um elemento que faz com que essa produção mais caseira acabe fazendo parte da narrativa também.

Taís, você costuma dizer que gosta de uma criação conjunta com a marca, algo colaborativo. Este projeto foi um grande exemplo disso?
Taís – Nossa, isso foi total um exemplo disso. Foi construído desde o início com eles. A gente tinha uma realidade e ela mudou. “E aí como a gente vai fazer agora?“. Foi construído tudo com eles e acho isso tão mais bonito. É mais bonito para a gente que está ali anunciando, para a marca e para o consumidor final. Porque eu falo o tempo inteiro que tem de ser construído junto. O consumidor final não é bobo, ele sabe o que quer e está junto de quem ele acredita. Basicamente é isso. A ideia de construir é para ter uma relação honesta com o consumidor final, não chegar lá só no final e segurar uma caixinha. Vai muito além disso, é respeitar o consumidor final.

Vocês são dois dos principais artistas negros do país e são ativos em questões raciais. Veem evolução de inclusão na publicidade? O que acham que falta para empresas e agências avançarem no tema de representativa negra?
Taís – É isso respeitar o público consumidor, respeitar o público negro enquanto público consumidor. Porque a gente tem o poder de consumo. Falta o que eu acabei de falar, respeitar o consumidor final. E o consumidor final é todo mundo, então todo mundo tem que se sentir contemplado representado.

Lázaro – Acho que já há empresas que ficaram atentas a isso, que é um público consumidor importante e precisa ser contemplado também na suas narrativas. Acho que perde a empresa que não está atenta.

Jeremy Choh for Grazia with Valerija Sestic

Photography: Jeremy Choh. Creative Direction: Marne Schwartz. Fashion Direction: Kim Payne. Hair: Francesco Avolio. Makeup: Riccardo Morandin. Model: Valerija Sestic at Elite Milan.

Como Ralph Dibny, o Homem Elástico, está salvando The Flash

Herói interpretado por Hartley Sawyer adiciona humor e charme ao melodrama da série da CW
NICOLAOS GARÓFALO

 Hartley Sawyer como Homem-Elástico em The Flash

Introduzido na quarta temporada como um investigador particular fracassado, Ralph Dibny demorou para conquistar os fãs de The Flash. Interpretado por Hartley Sawyer, o detetive era medroso, rude e nas poucas vezes que entrou em ação, atrapalhou os planos da Equipe Flash. Quase três anos depois de sua estreia, no entanto, o Homem Elástico do Arrowverse evoluiu não só como herói, mas também como personagem e é hoje uma das figuras mais queridas da série.

A evolução de Ralph começou no fim do quarto ano, quando ele e Barry (Grant Gustin) enfrentaram o Pensador (Neil Sandilands). Embora a batalha final contra o principal vilão da temporada fosse o grande foco do episódio, a personalidade do Homem Elástico foi devidamente aprofundada pela primeira vez e Sawyer teve a grande chance de brilhar na pele do herói. A partir da quinta temporada, quando o ator entrou para o elenco fixo da série, Ralph passou a ter mais destaque, tornando-se um grande amigo de Caitlin e um apoio emocional para Barry.

Mesmo servindo basicamente como um alívio cômico em seus primeiros dois anos em The Flash, a importância de ter Ralph em cena se tornou aparente na sexta temporada, atualmente em exibição. Em um ano irregular, é inegável que o herói é uma das poucas coisas que realmente funcionaram nos últimos episódios da série, que está mais melodramática do que o normal. Diferente de Barry ou Cisco (Carlos Valdes), Ralph se mantém otimista e leve e, seja parodiando 007 ou flertando com Sue Dearbon (Natalie Dreyfuss), traz um charme autorreferente que a série perdeu nas últimas temporadas.

Ainda que a primeira metade da temporada tenha focado em Iris (Candice Patton) e nos eventos do crossover Crise Nas Infinitas Terras, os melhores episódios exibidos entre 2019 e 2020 traziam, sem exceção, o Homem Elástico como peça central da trama. Sua relação com Caitlin/Nevasca se tornou uma das mais divertidas de The Flash e seu arco mais recente, o jogo de gato e rato com Sue, trouxe uma mudança bem-vinda à cansativa fórmula de vilão da semana. Graças ao carisma de Sawyer e do personagem que interpreta, os roteiristas da série se sentem mais à vontade para criar tramas divertidamente absurdas que usam de maneira inteligente o humor inocente de Ralph e sua maneira cômica de ver o mundo.

Enquanto a série apela cada vez mais para o melodrama para dar sequência às suas tramas, Ralph se tornou a ponte entre The Flash e suas origens nos quadrinhos da DC. Seu senso de humor apoiado em trocadilhos e metáforas que mais parecem piadas de “tiozão” relembram o período de inocência da Era de Prata das HQs e devolvem a leveza e a cor que conquistou tantos fãs quando a produção foi ao ar pela primeira vez.

As sequências de ação, um dos grandes pilares de qualquer série de super-herói, também têm se beneficiado da presença do Homem Elástico. Desde que chegou a The Flash, o herói já foi utilizado como trampolim, paraquedas, condutor elétrico, estilingue e o que mais desse na cabeça dos roteiristas. Ao contrário da velocidade de Barry, cuja representação na tela é limitada a efeitos visuais de eletricidade ou slow-motion, a elasticidade de Ralph tem sido explorada de maneira divertida e, em muitos casos, surpreendente durante as lutas da Equipe Flash contra os meta-humanos.

Embora não afete a trama principal da série, que segue focada em Barry, a presença de Ralph tem garantido pelo menos o mínimo de diversão esperada pelo público. Um dos personagens que mais cresceu desde sua primeira aparição, o Homem Elástico se tornou um dos favoritos dos fãs e principal arma de The Flash contra o marasmo que assombra a sexta temporada.

Parallel Takeover – Tini Weng / May 5 / 6pm-7pm

Parallel Takeover – Tini Weng / May 5 / 6pm-7pm

Heaven on Earth

Julio, Vitor, Rene, and Lucas, photographed by Cheng Po Ou Yang and styled by OR Huang, in exclusive for Fucking Young! Online.

MODELS: Julio Cesar Enricone @iam_julioenricone, Vitor Lodi Tonolli @vitor_lodi, Rene Maximo @renee.maximo, Lucas Rufino @rufinolucass/
Photos: Cheng Po Ou Yang @chenpooy
Styling: OR Huang @or.huang
Hair & Make-up: Weic Lin @weic_lin

Torrents dos filmes John Wick 3 e Contágio na América Latina contém malware, identificam especialistas

Perfil do Microsoft Security Intelligence identifica que hackers aumentaram a atividade em tempos de quarentena e de aumento no consumo de pirataria
Computerworld

Foto: Shutterstock

Downloads ilegais não são recomendados só pelos motivos óbvios. Além da prática ilegal, o download de material pirateado pode comprometer a máquina dos usuários ou seus dados.

Recentemente, o perfil do Microsoft Security Intelligence no Twitter fez uma thread para contar que percebeu que torrents dos populares John Wick 3 e Contagion na Espanha, México e em vários países da América do Sul estavam anexados com malware.

“A quarentena ainda está em vigor em muitas partes do mundo, e os hackers estão prestando atenção ao aumento no uso de serviços de streaming piratas e downloads de torrents. Vimos uma campanha ativa de mineração de moedas que insere um VBScript malicioso nos arquivos ZIP, que aparecem como downloads de filmes”, escreveu o perfil no Twitter.

A equipe identificou o problema em arquivos como ‘contagio-1080p’ ‘,’ John_Wick_3_Parabellum ‘,’ Punales_por_la_espalda_BluRay_1080p ‘, entre outros.

“A incorporação de malware em conteúdo ilegal, seja filmes, músicas ou aplicativos, é uma estratégia bastante comum para os invasores. A população que baixa esse conteúdo é, por definição, mais tolerante a riscos”, disse Tim Erlin, vice-presidente de gerenciamento e estratégia de produtos da Tripwire em declaração para o site TechRepublic.

Uma matéria da BBC de abril mostra que o Brasil começou a consumir 10% a mais de filmes piratas em determinado período de março comparado ao mesmo período de fevereiro. Em países onde foi decretado lockdown, como Itália e Espanha, a explosão do consumo de filmes piratas na mesma comparação foi ainda maior – 66% e 50%.

Minha História, série documental sobre vida de Michelle Obama, ganha trailer

Produção expande narrativa do seu livro de memórias
MARIANA CANHISARES

Minha História, nova série documental da Netflix sobre a vida da antiga primeira-dama dos Estados Unidos Michelle Obama, teve seu primeiro trailer revelado.

Os episódios acompanham Michelle durante a turnê de divulgação do seu livro de memórias, Minha História, em uma espécie de expansão do que ela narrou na biografia. Em outras palavras, além de tratar sobre sua infância e seu relacionamento com o antigo presidente americano Barack Obama, a produção mostrará também suas iniciativas envolvendo a juventude dos EUA e o período de transição após a saída da Casa Branca.

Minha História chega ao streaming nesta quarta-feira (6).