Dior Autumn-Winter 2020-2021 Haute Couture

Prepare-se para ver o Autumn-Winter 2020-2021 Haute Couture collection by Maria Grazia Chiuri, showcased in an exclusive film directed by Matteo Garrone.

Facebook falha em diálogo com líderes de boicote a anúncios na rede; impasse continua

Em reunião de uma hora, Mark Zuckerberg e Sheryl Sandberg não conseguiram mostrar real compromisso com a mudança, disseram líderes de campanha por mudanças na rede social
Por Mike Isaac e Tiffany Hsu – The New York Times

Mark Zuckerberg e Sheryl Sandberg conversaram nesta terça-feira com líderes de entidades civis, mas não conseguiram convencê-los

Mark Zuckerberg e Sheryl Sandberg, os dois principais executivos do Facebook, fizeram uma videoconferência de uma hora na tarde desta terça-feira com grupos e organizações de direitos civis. A reunião tinha uma missão: fazer com que as entidades, que convenceram marcas como Unilever e Coca-Cola a retirar seus anúncios da rede social, entendessem como a empresa trata o discurso de ódio em suas plataformas. Mas, ao longo da chamada, Zuckerberg e Sandberg falharam em convencer seus críticos, fazendo o boicote à companhia seguir em um impasse. 

Durante a reunião, Zuckerberg, Sandberg e outros executivos do Facebook discutiram como a empresa trata com suas políticas de conteúdo. Em uma chamada de Zoom, eles falaram com representantes da Liga Anti-Difamação, da Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor e da Color of Change – os três grupos levaram centenas de empresas a pausar suas campanhas publicitárias na rede social nas últimas semanas. É uma forma de protesto contra a maneira como a empresa está cuidando mal, na visão dos anunciantes, de discurso de ódio e desinformação. 

Os grupos disseram que fizeram pedidos aos líderes do Facebook. Entre eles, a contratação de um executivo de liderança com histórico na área de direitos civis, bem como a necessidade de passar por auditorias regulares independentes e atualizar seus Padrões de Comunidade, declarou o grupo de direitos civis Free Press, cuja presidente executiva, Jessica J. González, estava na chamada. Mas Zuckerberg e Sandberg não concordaram com todas essas demandas, disseram os representantes. No lugar disso, os executivos do Facebook tentaram “girar a narrativa e usar sua poderosa máquina de relações públicas.” 

“Em vez de se comprometer com uma linha do tempo para desenraizar o ódio e a desinformação no Facebook, os líderes da empresa mantiveram seus velhos pontos de vista, sem atender nossas demandas”, disse González. “Eles entraram na chamada esperando tirar nota 10 só por presença”, disse Rashad Robinson, chefe da Color of Change, após o encontro. “Mas só estar presente não é suficiente.” O Facebook não estava imediatamente disponível para responder a pedidos de comentários da reportagem. 

Impasse deve continuar

Nas últimas semanas, o Facebook tem enfrentado pressão crescente para lidar com o discurso de ódio e a desinformação em seu site e outras plataformas. Rivais como Twitter e Snapchat, recentemente, tomaram atitudes contra publicações falsas ou inflamadas do presidente americano Donald Trump em suas plataformas. Já o Facebook resistiu em fazer algo, citando a importância da liberdade de expressão. No mês passado, empregados da rede social chegaram a fazer uma greve “virtual” no último mês, criticando a falta de ação de seus líderes. Desde então, mais de 700 anunciantes se juntaram ao esforço para boicotar o Facebook. 

Desde o crescimento do boicote, iniciado há duas semanas, os executivos do Facebook tem falado cada vez mais em conciliação – mas está difícil. Na quarta-feira, a empresa pretende lançar a parte final de uma auditoria anual de suas práticas e políticas de direitos civis. Os auditores examinaram como o Facebook cuida de temas como discurso de ódio, interferência em eleições e viés de algoritmos. / TRADUÇÃO DE BRUNO CAPELAS

Novidades de maquiagem que acabam de chegar nos e-commerce de beleza

Confira todos os lançamentos disponíveis em plataformas online e aprenda como escolher o produto ideal para o seu tom de pele
BÁRBARA ÖBERG (@BARBARAOBERG)

(Foto: Foto Anya Holdstock; eleza Adele Sanderson; Modelo Lulu Reynolds)

Não é necessário sair de casa para atualizar a sua coleção de beauté com as novidades saídas do forno. Todas as marcas com bons lançamentos de maquiagem nas últimas semanas estão disponíveis em e-commerce nacionais, como você verá na descrição de cada uma delas. Se bater aquela dúvida de como escolher a cor da base, batom, sombra, corretivos, leia um guia com 5 dicas para não errar nas compras de make pela internet. Confira:

Wired Pressed Pigment Palette, R$ 299, Urban Decay

Wired Pressed Pigment Palette, R$ 299, Urban Decay (Foto: Divulgação)
5Wired Pressed Pigment Palette, R$ 299, Urban Decay (Foto: Divulgação)

Julho já começa com tudo para Urban Decay. A nova coleção Wired traz uma linha de produtos, de lápis de olho a delineador multifacetado, com cores vibrantes, intensas e coloridas para você destacar seus olhos e aproveitar a tendências colorida na maquiagem. Vogue ama a paleta que oferece 10 tons com alta pigmentação. www.sephora.com.br/urban-decayPUBLICIDADEAds by Teads

Le Volume Stretch, R$ 255, Chanel

Le Volume Ultra-noir De Chanel

Uma nova coleção de produtos focados nos olhos acaba de desembarcar no e-commerce da Chanel. Entre eles, o delineador líquido Le Liner chega com sete cores, quatro delas em versão limitada. Há também itens para as sobrancelhas, a La Palette Sourcils é um duo de cera e pó para definir e colorir os fios, ainda acompanha quatro utensílios – de pinça a pincél – para um acabamento profissinal. Porém, a grande novidade fica por conta da máscara para cílios Le Volume Stretch. Com um aplicador impresso em 3D, totalmente oco e utraflexível, e uma fórmula com ésteres de jojoba e uma película flexível tipo látex, a promessa é alongar e esticar os cílios ao máximo. www.chanel.com/pt_BR/

Instamoisture Foundation, R$ 110, Kiko Milano

Instamoisture Foundation, R$ 110, Kiko Milano (Foto: Divulgação)
5Instamoisture Foundation, R$ 110, Kiko Milano (Foto: Divulgação)

Base de acabamento luminoso e textura leve, a Instamoisture Foundation da Kiko Milano promete uma cobertura média e é especialmente indicada para peles normais e secas. Sua fórmula enriquecida com extrato de framboesa e aloe vera foi desenvolvida para hidratar a pele por até 24 horas e também oferece SPF 25. www.kikocosmetics.com/pt-br

Sombra Les Phyto Ombré, R$ 320, Sisley Paris

Sombra Les Phyto Ombré, R$ 320, Sisley Paris (Foto: Divulgação)
Sombra Les Phyto Ombré, R$ 320, Sisley Paris (Foto: Divulgação)

Com óleo de rosa mosqueta na sua composição, o que evita o ressecamento das pálpebras, a nova sombra da Sisley tem textura híbrida – meio pó e meio creme – desenvolvendo uma espécie de véu de cor e brilho quando aplicada nos olhos. www.sisley-paris.com/pt-BR/

Base cushion FPS 40, R$ 155, Natura UNA

 Base cushion FPS 40, R$ 155, Natura UNA (Foto: Divulgação)
Base cushion FPS 40, R$ 155, Natura UNA (Foto: Divulgação)

Com promessa de alta cobertura e longa duração, a nova base cushion da Natura oferece um acabamento “matte natural” com efeito airbrush. No total, são oito tons disponíveis com uma fórmula vegana, hidratante e com FPS 40. www.natura.com.br

Gloss Labial Dior Addict Stellar Gloss, R$ 159, Dior

Gloss Labial Dior Addict Stellar Gloss, R$ 159, Dior (Foto: Divulgação)
Gloss Labial Dior Addict Stellar Gloss, R$ 159, Dior (Foto: Divulgação)

A estação mais fria do ano chegou no Brasil e nada melhor do que um gloss labial que oferece 24 horas de hidratação para deixar essa região protegida e, de quebra, dar um brilho extra. Com um aplicador ultra suave, a novidade tem uma ampla gama de tonalidades, que vão dos nudes aos rosas, passando pelos vibrantes tons vermelhos e corais. www.sephora.com.br/dior

Pó Bronzeador Terracotta After Summer – California Dream, R$ 335, Guerlain

Pó Bronzeador Terracotta After Summer - California Dream, R$ 335, Guerlain (Foto: Divulgação)
Pó Bronzeador Terracotta After Summer – California Dream, R$ 335, Guerlain (Foto: Divulgação)

Em todo verão no Hemisfério Norte, a Guerlain lança dois novos pós de edição limitada Terracotta XXL em uma caixa de metal reutilizável. Este ano, a coleção chamada California Dream é inspirada na atmosfera de sonho de verão pela costa americana. Os pós bronzeadores, o Terracotta Pacific Avenue e PalmStreet, são combinados com tons de blush e brilho. www.sephora.com.br/guerlain

Alexandre Vauthier Haute Couture Fall-Winter 2020-2021

Alexandre Vauthier Haute Couture Fall-Winter 2020-2021 Paris Digital Fashion week. RUNWAY MAGAZINE ® Collections. RUNWAY NOW / RUNWAY NEW

Alexandre Vauthier Haute Couture Fall-Winter 2020-2021 Paris Digital Fashion week. RUNWAY MAGAZINE ® Collections. RUNWAY NOW / RUNWAY NEW
Alexandre Vauthier Haute Couture Fall-Winter 2020-2021 Paris Digital Fashion week. RUNWAY MAGAZINE ® Collections. RUNWAY NOW / RUNWAY NEW
Alexandre Vauthier Haute Couture Fall-Winter 2020-2021 Paris Digital Fashion week. RUNWAY MAGAZINE ® Collections. RUNWAY NOW / RUNWAY NEW
Alexandre Vauthier Haute Couture Fall-Winter 2020-2021 Paris Digital Fashion week. RUNWAY MAGAZINE ® Collections. RUNWAY NOW / RUNWAY NEW
Alexandre Vauthier Haute Couture Fall-Winter 2020-2021 Paris Digital Fashion week. RUNWAY MAGAZINE ® Collections. RUNWAY NOW / RUNWAY NEW
Alexandre Vauthier Haute Couture Fall-Winter 2020-2021 Paris Digital Fashion week. RUNWAY MAGAZINE ® Collections. RUNWAY NOW / RUNWAY NEW

TikTok anuncia que vai sair de Hong Kong após novas regras de segurança

O anúncio desta terça-feira do TikTok sobre seu plano de sair de Hong Kong é notório porque o aplicativo pertence a uma empresa chinesa, mas opera apenas fora da China continental
Por Agências – Reuters

Apesar de ser da chinesa Bytedance, TikTok só funciona fora da China continental

TikTok anunciou nesta terça-feira, 7, que sairá de Hong Kong dentro de alguns dias, conforme gigantes globais da tecnologia tentam descobrir como operar na cidade sob as novas regras de segurança impostas por Pequim.

As principais empresas de internet dos Estados Unidos, como Facebook, Microsoft, Google e Twitter, anunciaram que suspenderam o processamento de solicitações de dados de usuários feitos pelas autoridades de Hong Kong enquanto estudam a nova legislação.

As plataformas de mídia social das empresas norte-americanas geralmente são proibidas na China, onde o acesso é bloqueado por um firewall. A maioria operava livremente em Hong Kong, mas agora terá que determinar como cumprir as novas regras da cidade, que, segundo grupos de direitos humanos, ameaçam liberdades que existiam há décadas.

O anúncio desta terça-feira do TikTok sobre seu plano de sair de Hong Kong é notório porque o aplicativo pertence a uma empresa chinesa, mas opera apenas fora da China continental. A controladora do TikTok, a ByteDance, administra um serviço semelhante e separado na China, enquanto afirma que o TikTok se destina a atrair usuários de todo o mundo. A saída da empresa de Hong Kong significa que os usuários da cidade, como os da China continental, serão agora excluídos da versão global.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse na segunda-feira que Washington está considerando proibir o TikTok nos Estados Unidos. Questionado sobre se os norte-americanos deveriam fazer o download do aplicativo, ele disse à Fox News: “Somente se você quiser suas informações privadas nas mãos do Partido Comunista Chinês.”

Em nota, o TikTok se posicionou sobre as acusações sobre a falta de segurança e sua atuação nos Estados Unidos. “O TikTok é liderado por um CEO americano, com centenas de funcionários e líderes-chave em segurança, produtos e políticas públicas nos EUA. Não temos outra prioridade senão promover uma experiência de aplicativo segura e confiável para nossos usuários. Nunca fornecemos dados dos usuários ao governo chinês e nem o faríamos se solicitado”, afirmou um porta-voz do TikTok.

Kourtney Kardashian – Vogue Arábia Julho / Agosto 2020 By Arved Colvin-Smith

Vogue Arábia Julho / Agosto 2020
Cast: Kourtney Kardashian
Photo: Arved Colvin-Smith

Facebook: uma semana após boicote, executiva Sheryl Sandberg diz que é preciso melhorar remoção de discursos de ódio

Segundo Sheryl Sandberg, rede social não vai atender a todos os pedidos dos grupos de direitos civis, mas vai pôr em práticas mais propostas feitas por eles
Bloomberg e AFP

Sheryl Sandberg: “Nunca seremos perfeitos, mas nos preocupamos profundamente” com a questão dos discursos de ódio, diz diretora de operaçõe da rede Foto: EDUARDO MUNOZ / Reuters

SÃO FRANCISCO – A diretora de operações do Facebook, Sheryl Sandberg, disse nesta terça-feira que a gigante das mídias sociais precisa melhorar a remoção de discursos de ódio de seus ambientes, numa resposta a um boicote de centenas de empresas que pararam de anunciar na rede social em protesto contra posts discriminatórios e desinformação na rede social.

“Ser uma plataforma em que todos possam se fazer ouvir é essencial para a nossa missão, mas isso não significa que é aceitável que as pessoas espalhem ódio. Não é”, escreveu Sandberg em um post.

Ela acrescentou  que o Facebook “precisa ser melhor em encontrar e remover conteúdo de ódio”.

O post marcou os primeiros comentários públicos da executiva sobre as questões levantadas por grupos de direitos civis desde que organizaram o boicote publicitário no mês passado.

Sandberg também disse que o Facebook divulgará na quarta-feira sua aguardada auditoria sobre direitos civis na rede — uma revisão das políticas e práticas da empresa que começou há dois anos.

Ela afirmou que a auditoria teve um “efeito profundo” na cultura da empresa.

“Não faremos todas as alterações que eles [os grupos de direitos civis] pedem, mas vamos pôr em prática mais de suas propostas em breve”, avisou.

Sandberg e o CEO Mark Zuckerberg devem se reunir nesta terça-feira com líderes de grupos como a NAACP (Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor) e a Liga Antidifamação, que organizaram um boicote chamado “Stop Hate for Profit”.

Os negócios de publicidade do Facebook e as equipes que lidam com recursos humanos e políticas da empresa se reportam a Sandberg.

O Facebook foi pressionado nas últimas semanas a encontrar e remover de modo mais eficaz as postagens que incluem discursos de ódio ou levam à supressão de eleitores.

A empresa de Menlo Park, na Califórnia, respondeu com e-mails e teleconferências a anunciantes irritados para explicar melhor suas políticas e como teria usado sistemas de software para agir com mais rapidez.

“Estamos fazendo mudanças — não por razões financeiras ou pressão dos anunciantes, mas porque é a coisa certa a fazer”, disse Sandberg. “Nunca seremos perfeitos, mas nos preocupamos profundamente com isso. Continuaremos a ouvir, aprender e trabalhar nas próximas semanas, meses e anos.”

Segundo Sandberg, o encontro com grupos de direitos civis ocorre “no contexto do que poderia ser o maior movimento social da história dos Estados Unidos, e a maior e mais recente oportunidade para nossa nação agir contra o racismo”.

Mara Lazaridou for Glow Magazine with Maria and Alexandra

Photographer: Mara Lazaridou. Styling: Stefanos Malamas. Makeup: Maria Pagonaki. Hair: Nikos Mouratidis. Models: Maria & Alexandra.

Festival de Veneza, o primeiro a ser realizado após o coronavírus, terá programa reduzido

Cerca de 50 filmes serão exibidos no Festival de Cinema de Veneza, em setembro
AFP

Festival de Cinema de Veneza volta em setembro com tapete vermelho Foto: EFE/ Claudio Onorati

Festival de Cinema de Veneza, que celebrará sua 77ª edição de 2 a 12 de setembro, terá um programa “reduzido” devido à pandemia de coronavírus, informaram os organizadores nesta terça-feira, 7. 

“Estou muito satisfeito que a Mostra poderá ser realizada com uma redução mínima de títulos e seções”, anunciou o diretor do festival, o crítico de cinema italiano Alberto Barbera. 

“Sem esquecer as muitas vítimas dos últimos meses, o primeiro festival internacional a ser realizado após a interrupção forçada imposta pela pandemia adquire o significado de um reinício, uma mensagem de otimismo para o mundo do cinema tão atingido pela crise”, afirmou em comunicado.

Os organizadores especificaram que a seleção oficial terá “entre 50 e 55 filmes de todo o mundo”, que serão exibidos “nas salas tradicionais” do Lido e respeitando “as medidas sanitárias estabelecidas” pelas autoridades, incluindo o uso de uma máscara e distanciamento social.

No ano passado, o número de filmes selecionados oficialmente para as diversas seções da Mostra foi de 63 títulos, embora tradicionalmente sejam exibidos filmes paralelos e eventos não oficiais, chegando a cerca de 200.

O festival “fornecerá a visão geral habitual do melhor que a indústria cinematográfica produziu nos últimos meses, graças à resposta extraordinária que diretores e produtores deram, apesar das difíceis condições de trabalho dos últimos meses”, reconheceu Barbera.

Os organizadores confirmaram a realização do concurso, sem especificar o número de filmes ou títulos. 

Também estão programadas as mostras Orizzonti (Horizontes), entre as mais inovadoras, Biennale College, e alguns filmes convidados na seção Fora de Competição.

“Uma grande presença de autores e atores acompanhará os filmes no Lido, enquanto entrevistas coletivas serão realizadas on-line com aqueles que não poderão participar pessoalmente devido às restrições ainda em vigor para as viagens”, disse Barbera.

A lista de filmes selecionados será divulgada em 28 de julho durante uma conferência de imprensa.

Na semana passada, Barbera confirmou no Instagram que a Mostra também terá o tradicional desfile de estrelas no tapete vermelho, embora com as precauções necessárias para o coronavírus. 

Fotojornalistas e fãs poderão assistir ao desfile de estrelas e cineastas de cada estreia, como costuma acontecer todos os anos em frente ao Palácio do Cinema no Lido, o coração do festival.

“Será uma edição com características únicas em sua história e é por isso que será lembrada”, confessou Barbera em maio.

Espera-se a confirmação da presença da atriz australiana Cate Blanchett, presidente do júri, que reside na Inglaterra.

Além das salas tradicionais, duas arenas ao ar livre no Lido serão montadas para respeitar as medidas impostas para evitar a disseminação do coronavírus.

Os organizadores adiaram para 2021 a Bienal de Arquitetura e para 2022 a Bienal de Arte.