Pandemia faz grifes mudarem o roteiro e apresentarem coleções cruise apenas pela internet

Scroll down to content

Antes, marcas costumavam investir em locações espetaculares
Gilberto Júnior

Mariacarla Boscono para Valentino Foto: Divulgação

A intenção da estilista Virginie Viard era apresentar a coleção cruise 2021 da Chanel em Capri, em maio. Mas diante de todas as restrições impostas pela Covid-19, teve de mudar os planos e produziu uma série de fotos e vídeos para mostrar o trabalho inspirado no Mediterrâneo. Ainda que virtualmente, a maison francesa conseguiu transportar os fashionistas para o cenário, e fez muita gente desejar as saias longas, os vestidos em lamê e tops com shortinhos. Tudo leve, simples e refinado.

Antes da pandemia, esses desfiles aconteciam na entressafra das temporadas de outono/inverno e primavera/verão, com propostas para um guarda-roupa de meia-estação, mas pensado mesmo para quem queria brilhar num lugar ensolarado. Como parte do pacote, grifes poderosas costumavam investir em locações espetaculares, que dialogavam intimamente com as peças vistas na passarela.

A Louis Vuitton, por exemplo, já esteve em Kyoto, Nova York e Niterói. Este ano, praticando o distanciamento social, a marca viajou pelo mundo dos jogos e o resultado foi um lookbook com 18 modelos, clicados por Nicolas Krief no estúdio do estilista Nicolas Ghesquière, na sede da etiqueta, em Paris. O trabalho, inclusive, refletiu o universo pessoal do diretor criativo da linha feminina da tradicional casa. “Esta é uma exploração da minha identidade criativa”, resumiu Ghesquière.

Chanel buscou inspiração no Mediterrâneo Foto: Divulgação

Em carta aberta, o designer Olivier Rousteing contou que a inspiração da Balmain é um “encontro entre a aristocracia e o espírito rebelde da recém-solteira Lady Diana nos anos 1990, bem como o estilo de outro ícone da época, Julia Roberts”. Daí, os tons pastel, a alfaiataria, babados, chapéus e padrões de vichy. As peças, criadas em inúmeras conferências digitais, foram fotografadas na Normandia.

A Balmain mirou os anos 1990 e trouxe vichy e babados Foto: Divulgação

Produzida durante o lockdown italiano, a cruise da Valentino, dirigida por Pierpaolo Piccioli, tem como palavra-chave a simplicidade. É uma coleção cheia de movimento, bem fluida; colorido de verde, vermelho, rosa e preto. E o ensaio estrelado pela top Mariacarla Boscono é uma poesia fashion.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: