Andrew Nguyen for ELLE Vietnam with Jess PW

Photographer: Andrew Nguyen. Fashion Stylist: Caroline Tran. Fashion Editor: Thuy Trang. Producer: Lauren Barge. Hair: KOH. Makeup: Filomena Natoli. Model: Jess PW at The Society Management.

Um tour pelos escritórios de empresa privada de tecnologia em Lisboa, Portugal

Uma equipe de designers da empresa de arquitetura e design de interiores Contacto Atlântico projetou recentemente um novo escritório para uma empresa privada de tecnologia em Lisboa, Portugal.

castilho-portugal-office-3
Meeting room

“Situado no centro de Lisboa, o projeto de renovação deste pequeno espaço de escritórios destaca-se pelo seu design minimalista, onde o branco e a madeira clara são os protagonistas da cena.

Uma área de trabalho open space é distribuída por uma única peça contínua de mobiliário com o mesmo acabamento do piso, abrangendo o espaço existente e criando vários postos de trabalho, que funcionam paralelamente a dois longos planos de vidro. Com uma presença relevante, estes dois elementos transparentes dividem os restantes espaços do primeiro.

Os espaços principais, uma sala de reuniões com dois acessos (um público, outro ligado diretamente ao espaço de trabalho) e uma zona de entrada, com dispensa e casa de banho, apresentam os mesmos materiais do resto da proposta. Assim, é garantido um espaço de escritórios homogéneo e funcional ”, afirma a Contacto Atlântico.

  • Location: Lisbon, Portugal
  • Date completed: 2020
  • Size: 753 square feet
  • Design: Contacto Atlântico
  • Photos: Gonçalo Henriques
castilho-portugal-office-6
Breakout space
castilho-portugal-office-1
Meeting room
castilho-portugal-office-8
Workstations
castilho-portugal-office-9
Workstations
castilho-portugal-office-2
Meeting room
castilho-portugal-office-4
Corridor
castilho-portugal-office-5
Corridor
castilho-portugal-office-7
Small meeting room

Selam Fessahaye | Spring Summer 2019 | Full Show

Selam Fessahaye | Spring Summer 2019 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – Stockholm Fashion Week)

Mostra Internacional de SP terá filmes online e exibição em drive-in

Evento acontece de 22 de outubro a 4 de novembro
MARIANA CANHISARES

A 44ª edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, que acontece de 22 de outubro a 4 de novembro, definitivamente não será como as edições anteriores.

Por causa da pandemia, o evento exibirá os filmes selecionados em uma plataforma de streaming exclusiva, idealizada pela mesma empresa responsável pela do Festival de Toronto. Mas, quem quiser ver estes títulos na telona, poderá também assistir a alguns deles no drive-in Petra Belas Artes. O ingresso para cada título custará R$ 6.

Vale notar ainda que alguns filmes gratuitos estarão disponíveis nas plataformas do Cinesesc e da Spcine, e que o evento contará ainda com aulas, webnares e lives com profissionais da área.

Prêmio Humanidade deste ano, a homenagem anual que a Mostra presta a grandes nomes do cinema, dessa vez será dedicado aos funcionários da Cinemateca. A organização reconhece a dificuldade que estes profissionais têm passado desde o ano passado, por causa da falta de pagamento dos seus salários.

Por fim, o cartaz deste ano ficará a cargo do diretor chinês Jia ZhangKe, cujo longa Nadando até o Mar Ficar Azul faz parte da seleção da 44ª edição do festival.

Projeto em Tóquio lança banheiros públicos transparentes para promover diversidade

‘The Tokyo Toilet Project’ é sem fins lucrativos

Designed by: Shigeru Ban O banheiro no Parque Comunitário Haru-no-Ogawa – Satoshi Nagare

Um dos principais centros comerciais e financeiros do mundo localizado em Tóquio (Japão), Shibuya, ganhou novos banheiros públicos para promover a diversidade. O projeto que leva o nome de “The Tokyo Toilet Project”, é idealizado pela Fundação Nippon e conta com a ajuda de 16 designers e arquitetos

Sem fins lucrativos, a ação conta com 17 novos banheiros como uma forma de “se mover em direção à realização de uma sociedade que acolhe a diversidade”, segundo explica a Fundação, em seu site. Três dos banheiros foram disponibilizados para uso no dia 5 de agosto e desde então, vêm chamando atenção das pessoas.

Até agora, o design mais falado é o do arquiteto Shigeru Ban, ganhador do Prêmio Pritzker, cujos banheiros transparentes ocuparam o Parque Comunitário Haru-no-Ogawa e no Mini Parque Yoyogi Fukamachi. São duas unidades e cada uma possui três cubículos coloridos.

“O design transparente tem um motivo prático, que é permitir que uma pessoa verifique facilmente o interior antes de entrar e assim, verificar se está limpo ou não”, contou o criador em publicação da Fundação. Segundo ele, a arte conta também com uma nova tecnologia de vidro inteligente que torna as paredes opacas quando a porta é trancada. “À noite eles iluminam os parques como uma bela lanterna.”

Ainda de acordo com a Nippon, a inicativa pretende expandir em 2021, com objetivo de promover ainda mais acessibilidade. “A missão é aplicar um design inovador para tornar os banheiros públicos acessíveis a todos, independentemente do sexo, idade ou deficiência, para que as pessoas se sintam confortáveis ​​ao usar esses banheiros públicos e promover um espírito de hospitalidade para o próximo.”

Além da construção, a Fundação garante também promover a manutenção dos banheiros públicos em parceria com o governo da cidade.

Na França, Amazon retira de seu site bonecas sexuais com aparência de meninas

Medida se deu depois de mobilizações de associações. Secretário de Estado para a Infância e Famílias vai lançar uma comissão independente para tratar da pedofilia e violência sexual contra crianças
AFP

Casamento afasta meninas dos seus sonhos, escola, família e amigas Foto: Ilustração de Lari Arantes

A Amazon França retirou de seu site “bonecas sexuais que parecem meninas” após a mobilização de associações, anunciou nesta segunda-feira o secretário de Estado francês para a Infância e Famílias.

“Após o alerta das associações, às quais sou grato, pedi à [Amazon] para parar de comercializar bonecas sexuais com forma de meninas em sua plataforma […], o que a Amazon França fez imediatamente, comprometendo-se a permanecer vigilante. Banir a pedofilia de nossa sociedade é responsabilidade de cada um”, afirmou Adrien Taquet no Twitter. O secretário de estado pretende lançar, no outono europeu, uma “comissão independente sobre violência sexual infantil”.

Em mensagem à agência de notícias AFP, a Amazon França afirmou que “a proteção de crianças e adolescentes é uma prioridade para nós. Todos os parceiros de vendas devem seguir nossas políticas e qualquer violação leva à aplicação de medidas apropriadas, incluindo a possível exclusão da conta do vendedor”.

A Associação Internacional de Vítimas de Incesto alertou no sábado, em sua conta no Twitter, sobre essas “bonecas sexuais pedófilas com aparência de menina”, objetos ilegais, uma vez que o artigo 227-23 do Código Penal Francês proíbe a representação de um menor quando esta representação tiver caráter pornográfico. A associação, que aplaudiu “a rápida intervenção” de Adrien Taquet, também lembra que o caso já havia ocorrido na Amazon Reino Unido em 2018.

Zoom lança serviço telefônico no Brasil a US$ 20 por mês

Voltado para o mercado corporativo, o Zoom Phone permite ligações ilimitadas para 40 países, além de chamadas locais
Por Bruno Romani – O Estado de S. Paulo

Zoom Phone chega ao Brasil 

Gigante das videochamadas, o Zoom anunciou nesta segunda, 17, a chegada do seu serviço telefônico ao Brasil. Voltado para o mercado corporativo, o Zoom Phone permite ligações ilimitadas nacionais e para outros 40 países por preços entre US$ 8 e US$ 20 por mês, dependendo do plano escolhido. 

O produto combina ligações do tipo VoIP, que realiza chamadas pela internet, com serviços de telefonia tradicional, conhecida pela sigla PSTN (Public Switched Telephone Network). E permite que funcionários de empresas também tenha um número telefônico local, que pode ser alterado em caso de mudanças de país. 

O serviço pode ser integrado com outras suítes de produtividade, como o Office 365 e o G Suite. “Acreditamos que diferentes setores, como varejo, indústria e o mercado financeiro, podem se beneficiar do serviço”, afirmou em ligação com jornalistas líder global dos produtos Phone e Rooms. 

Além do Brasil, outros 24 países ganharam o serviço. A empresa não revela quantos clientes espera atrair com o novo produto. Ao todo, o Zoom tem 300 milhões de usuários em todo o mundo, principalmente entre os que usam o serviço gratuito de videochamadas. 

Caleb & Gladys for Numéro Russia with Daphne Groeneveld

Photography: Caleb & Gladys. Fashion Stylist: Aleksandra Markovic. Hair Stylist: Akihisa Yamaguchi. Makeup Artist: Chiao Li Hsu. Manicurist: Narina Chan. Producer: Jean Jarvis. Casting Director: Sheri Chiu. Set Designer: Izabelle Garcia. Fashion Assistant: Giulia Odasso. Makeup Assistant: Elijah Hong. Set Designer Assistant: Deena Winter. Model: Daphne Groeneveld.

O benefício das conversas com estranhos

Os breves contatos sociais com pessoas da vizinhança têm sido fundamentais para o meu bem-estar, escreve a autora
Jane E. Brody, The New York Times – Life/Style

Ilustração de Gracia Lam/The New York Times

Sempre fui uma pessoa extrovertida, e gosto de estabelecer contatos casuais com pessoas que encontro na vida diária, passeando com o cachorro, fazendo compras no supermercado, fazendo exercícios na academia e até varrendo a calçada. Estas conexões efêmeras acrescentam diversidade à minha vida, são uma fonte de informações úteis e, muitas vezes, me proporcionam o necessário apoio emocional e físico. Igualmente importante é o fato de que quase sempre me deixam com um sorriso no rosto (embora agora esteja escondido embaixo da máscara).

Nos últimos meses, com a ordem de permanecer em casa por causa da pandemia do coronavírus, muitas pessoas perderam estes encontros diários. Eu fiz o máximo para preservar quantos pude, enquanto lutava para me preservar. Como o tempo para estar com a família e os amigos mais próximos é muito limitado pelo desejo mútuo de evitar a exposição à covid-19, os breves contatos sociais distanciados com pessoas da vizinhança, tanto as que conheci casualmente há anos, e as que acabei de conhecer, têm sido fundamentais para o meu bem-estar emocional e prático, e quem sabe até para a minha saúde.

Os benefícios que associo às pessoas que conheci casualmente foram reforçados recentemente por um achado fortuito. Durante uma limpeza inspirada pela covid, dei com um livro da minha biblioteca intitulado Consequential Strangers: The Power of People Who Don’t Seem to Matter… but Really Do (Estranhos Consequenciais: O Poder das Pessoas que Parecem não Importar, Mas Importam, em tradução livre). Publicado há 11 anos, este volume esclarecedor é de autoria de Melinda Blau, que escreve sobre ciência, e Karen L. Fingerman, atualmente professora de psicologia da Universidade do Texas, em Austin, que estuda a natureza e os efeitos dos chamados vínculos fracos que as pessoas estabelecem com os outros em suas vidas: o barista que busca seu café, a pessoa que corta o seu cabelo, o proprietário do mercado local, as pessoas que veem frequentemente na academia ou na estação de trem.

Em uma entrevista, Fingerman observou que as relações casuais com pessoas encontradas no decorrer da vida diária podem nos dar a sensação de que pertencemos a uma comunidade, o que ela descreveu como “uma necessidade humana básica”.

Como ela e Melinda Blau escreveram em seu livro, os estranhos consequenciais “são tão vitais para o nosso bem-estar, para o crescimento e para a nossa existência no dia a dia quanto a família e os amigos íntimos. Eles nos ancoram ao mundo e nos fazem sentir conectados a algo maior. Eles também ampliam e enriquecem a nossa vida e nos oferecem as oportunidades de novas experiências e informações que estão além do alcance do nosso círculo íntimo. São relações sociais vitais – pessoas que nos ajudam a chegar até o fim do dia e a tornar a vida mais interessante”.

A minha tendência a “bater longos papos” com absolutos estranhos que encontrei pela vida afora resultou em uma série de conhecidos que preenchem meus dias com conversas agradáveis, conselhos, informações, a assistência de que necessito e, o que é mais importante de tudo durante este período de semi-isolamento forçado, uma valiosa sensação de relacionar-me com pessoas que compartilham do meu ambiente.

O fechamento determinado pela covid-19 lembra a muitos quão importantes são os relacionamentos para a nossa qualidade de vida – não apenas os relacionamentos com os amigos e os familiares que amamos e conhecemos bem e que nos conhecem bem, mas também com os mais casuais, que nos ajudam a manter uma perspectiva positiva durante estes tempos sombrios e angustiantes.

A pesquisa de Fingerman mostrou também que as pessoas mais integradas socialmente são também mais ativas fisicamente. “O sedentarismo mata as pessoas”. Ela disse. “Você precisa levantar e se mexer para estar em contato com as pessoas que conhece durante a sessão de ginástica”. Os estranhos consequenciais também são benéficos para o nosso cérebro, acrescentou, porque “conversar com eles é mais estimulante do que com as pessoas que conhecemos bem”.

Uma colega pesquisadora do mesmo campo, Katherine L. Fiori, presidente do departamento de psicologia da Universidade Adelphi, que estuda as redes sociais dos adultos mais velhos, concluiu que as atividades que promovem “laços mais fracos” do que os que formamos com a família e os amigos íntimos proporcionam uma maior satisfação de viver e melhor saúde emocional e física.

“Quanto maior o número de laços mais fracos, mais forte é a associação com sentimentos positivos e menos sentimentos depressivos”, afirmou Fiori em uma entrevista. “Claramente não é verdade que os laços próximos sejam tudo aquilo de que adultos mais velhos necessitam”.

E não apenas os adultos mais velhos, mas todos os adultos. Fingerman disse que a pesquisa mostrou que, em geral, “as pessoas se sentem melhor quando tem um grupo mais diversificado de pessoas em sua vida”. Mas como Fiori observou: “Infelizmente, a covid reduziu de maneira considerável a nossa capacidade de manter laços mais fracos. Poderá levar muito mais tempo para conseguir isto on-line”.

Para fazer frente à solidão e manter suas numerosas relações casuais, uma das minhas amigas da academia começou um grupo por e-mail que, não só preencheu a falta de conversas diárias, como também lhe proporcionou um sistema de apoio constante para o caso dela se machucar e lutar com o isolamento mais sombrio.

Em seu livro, Blau e Fingerman enfatizam a importância de criar e de estar em ambientes que estimulam os relacionamentos com estranhos consequenciais. Há dezenas de anos, quando The New York Times ergueu cubículos para seus redatores e editores, destruiu um ambiente que permitia a troca de informações e promovia a camaradagem. Isto me levou a trabalhar em casa na maior parte dos dias, poupando-me o tempo e o esforço para me vestir, para ir ao trabalho e tomar a condução. Desconfio que quando as limitações da covid forem finalmente suspensas, muito mais pessoas que trabalham no escritório irão querer fazer o mesmo e sacrificar os relacionamentos casuais baseados no trabalho.

As autoras escreveram: “O fato de morar, trabalhar, fazer comprar e conviver no mesmo lugar tem tudo a ver com os laços fracos que cultivamos, e portanto com a nossa qualidade de vida”. Como descreveram em um tema central do livro, “Os conhecidos casuais nos inspiram a nos aventurarmos além das nossas zonas de conforto”. E se não fizermos isto, nunca saberemos o que poderíamos ganhar  com os relacionamentos que estabelecemos com “pessoas  que aparentemente não importam”. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA