Uniqlo U x Christophe Lemaire FW20

UNIQLO unveiled its new Uniqlo U Fall/Winter 2020 collection, designed by artistic director Christophe Lemaire.

Magalii Aravena | Resort 2019 | Full Show

Magalii Aravena | Resort 2019 | Full Show in High Definition. (Widescreen/1080p – Miami Swim

DEAUVILLE

Actor Sayyid Alami captured by the lens of Ismael Nebchi and styled by Tahi Guy Roland, in exclusive for Fucking Young! Online.

Hair: Jaffar @hairbyjaff
Make-up : Thierry do Nascimento @thierry.do.nascimento

Designer Renata Apolinário propõe criar em conjunto com o cliente para garantir uma peça única e cheia de significado

O objetivo da designer Renata Apolinário, à frente do Estúdio Apolinário, é estimular o autocuidado com suas criações
POR JULYANA OLIVEIRA

Designer propõe criar em conjunto com o cliente para garantir uma peça única e cheia de significado 

Estúdio Apolinário nasceu no final de 2017 sob o comando da designer de interiores Renata Apolinário Fernandes. A profissional também começou a cursar arquitetura, mas em determinado momento teve que trancar a faculdade e, para manter o contato com a área, começou a produzir objetos de decoração. “De início eram para uso próprio, eu decorava o meu quarto e presenteava, mas não demorou muito para começarem os pedidos e para eu encontrar a minha vocação”, revela Renata. 

Designer propõe criar em conjunto com o cliente para garantir uma peça única e cheia de significado (Foto: Divulgação)
Renata Apolinário, designer à frente do Estúdio Apolinário

Embora o Estúdio já tenha dois anos e meio, foi apenas durante a pandemia que a designer passou a dedicar-se integralmente à produção dos itens. “Antes eu trabalhava em formato CLT e acabava não tendo tanto tempo. Agora que estou em casa e consegui me entregar de cabeça, pude reforçar a certeza de que o meu lugar é em um ateliê”, conta. É lá que ela cria artes têxteis de macramê, tapeçarias e painéis de parede, além de algumas peças de cerâmica. 

Designer propõe criar em conjunto com o cliente para garantir uma peça única e cheia de significado (Foto: Divulgação)

Seu processo criativo foge a rotina comum de um artista, pois Renata propõe criar junto ao cliente. “As referências vêm através das conversas e trocas com ele. Eu costumo pedir fotos do ambiente onde a peça irá ficar e tudo é levado em consideração: as cores, os objetos, o formato dos móveis, os interesses”, revela. Cada criação da designer é única, não existe reprodução. “Quando se trata do artesanal nunca nada fica igual, mesmo que a gente repita o mesmo processo, algo sairá diferente e isso é único. Segundo que a riqueza também está na singularidade de cada um, o legal de poder criar algo do zero e desenvolvido especialmente para alguém é justamente projetar as características da pessoa naquele produto.”

Designer propõe criar em conjunto com o cliente para garantir uma peça única e cheia de significado (Foto: Divulgação)

A produção é dividida em duas etapas: uma digital e uma manual. “Na digital eu tenho conversas, fotos e programas que me auxiliam na hora de testar e montar um moodboard. Na manual tem o teste, os rascunhos e cróquis, e os experimentos”, explica. As peças são de cordas de algodão cru e lã sintética, materiais selecionados a partir da preocupação com o meio ambiente. “Tudo no Estúdio é pensando para gerar o menor impacto possível. As embalagens não levam plástico, são feitas de papelão ou apenas papel – no caso de entregas presenciais –, os cartões de visita são sacolas de lojas usadas que eu cortei e carimbei no verso nossas informações. Os fios de algodão são ecológicos, as lãs não são de origem animal, os suportes são galhos secos ou madeirites”, revela. Em relação ao tingimento, embora ainda seja químico, o Estúdio já realiza testes e peças com tingimento natural. “O objetivo é trabalhar apenas com cores provenientes do tingimento com plantas, temperos e cascas.”

Designer propõe criar em conjunto com o cliente para garantir uma peça única e cheia de significado (Foto: Divulgação)

Em suas criações, Renata busca criar produtos capazes de resgatar sensações, lembranças e sentimentos que foram esquecidos e negligenciados com o tempo. “Como um objeto que remete a casa da avó e te faz parar um minuto do seu dia para contemplar algumas memórias. Ser um lembrete na parede de alguém de que ela é única e que, o simples fato dela ser exatamente o que é, inspirou alguém. Quero conseguir estimular o autocuidado. Convidar a todos para fazer uma pausa, dar um respiro e se cuidar. Autocuidado não é só skincare. Investir em coisas que tornem a nossa casa aconchegante, que conte a nossa história e seja a manifestação do nosso eu, também é uma forma de carinho com nós mesmo” finaliza. 

As peças são vendidas pelo perfil do Estúdio Apolinário no Instagram. Entre em contato e conheça mais detalhes das peças feitas à mão por Renata. 

Designer propõe criar em conjunto com o cliente para garantir uma peça única e cheia de significado (Foto: Divulgação)

Confira o ensaio da musa do rock nacional Paula Toller

Cantora completa 58 anos neste domingo: “Me sinto mais saudável hoje”

Camisa Divina Criação e anéis Sara Joias Foto: Pedro Loreto

Edição de moda: Patricia Tremblais
Beleza: Everson Rocha
Assistência de fotografia: Daniel Sulima
Assistência de beleza: Karolina Sarmiento
Produção executiva: Matheus Martins
Tratamento de imagem: Marcelo Chelles
Foto: Pedro Loreto

Paula veste terno Eva e sutiã Belles Foto: Pedro Loreto
Blusa de gola alta A.Brand, camiseta Hering,blazer e calça, ambos Andrea Marques, brincos HStern, colares Swarovski Manufact Foto: Pedro Loreto
Paula Toller usa blusa e calça, ambos Eva, e anel Antonio Bernardo Foto: Pedro Loreto
Paula usa blazer amarrado na cintura e calça, ambos A.Brand, pulseira HStern e sandálias Maria Filó Foto: Pedro Loreto
Blazer amarrado na cintura e calça, ambos A.Brand, pulseira HStern;

O Esquadrão Suicida | Novo cartaz nomeia cada um dos personagens; confira

James Gunn revelou o elenco e seus personagens durante a DC FanDome
JULIA SABBAGA

O Esquadrão Suicida, dirigido por James Gunn, ganhou um novo pôster, que reúne todos os personagens e nomeia os integrantes da sequência. Divulgado pelo diretor no Twitter, o cartaz pode ser conferido acima.

A arte de divulgação foi a última revelação de Gunn em clima da DC FanDome, evento onde também foi feita a confirmação dos personagens do filme e a revelação de um vídeo de bastidores com as primeiras cenas.

O Esquadrão Suicida usará alguns dos mesmos personagens do longa de David Ayer, mas não terá tantas conexões com a trama. O longa deve se inspirar nas HQs do grupo na década de 1980, escritas por Jon Ostrander e Kim Yale

Com mais de 8 horas de duração, o DC FanDome trouxe novidades sobre os principais projeto da Warner/DC para os cinemas, incluindo um trailer inédito de Mulher-Maravilha 1984, um teaser com todos os personagens de Esquadrão Suicida 2, além de mais detalhes sobre Flash, Adão Negro e Shazam.

Um dos pontos altos da noite foi a participação do diretor Zack Snyder em um painel repleto de revelações, incluindo o primeiro trailer do SnyderCut, sua versão de 4 horas para o filme A Liga da Justiça.

Marysia | Resort 2019 | Full Show

Marysia | Resort 2019 | Full Show in High Definition. (Widescreen/1080p – Miami Swim Week)

Estrelas do FanDome se reúnem em vídeo de agradecimento aos fãs

Evento da DC reuniu novidades gigantes da Warner
JULIA SABBAGA

Todos os convidados que participaram da DC FanDome – incluindo Zack Snyder, Gal Gadot, Patty Jenkins, Ezra Miller e Robert Pattinson – se reuniram em um vídeo de agradecimento aos fãs, que serve de encerramento ao megaevento da DC, que aconteceu no último dia 22.

Com mais de 8 horas de duração, o DC FanDome trouxe novidades sobre os principais projeto da Warner/DC para os cinemas, incluindo um trailer inédito de Mulher-Maravilha 1984, um teaser com todos os personagens de Esquadrão Suicida 2, além de mais detalhes sobre FlashAdão Negro e Shazam.  

Um dos pontos altos da noite foi a participação do diretor Zack Snyder em um painel repleto de revelações, incluindo o primeiro trailer do SnyderCut, sua versão de 4 horas para o filme A Liga da Justiça.

‘WhatsApp não é recomendado para o home office’, diz Amelia Caetano do Instituto Trabalho Portátil

Aplicativo quebra barreira entre vida profissional e pessoal, além de dificultar gestão de informações
Por Giovanna Wolf – O Estado de S.Paulo

Amelia Caetano, especialista em trabalho remoto, diz que entre mensagem escrita e áudio, a segunda opção é menos eficiente

WhatsApp sempre foi um canal para falar com amigos e família. Porém, com a pandemia e o trabalho remoto, mensagens corporativas passaram a disputar atenção no app. Para Amelia Caetano, consultora especializada em home office do Instituto Trabalho Portátil, entretanto, a plataforma de mensagens não é a melhor opção para a comunicação no home office

“No WhatsApp, é difícil fazer gestão do conhecimento, as informações acabam se perdendo. Além disso, há o fato de o WhatsApp ser plataforma de uso pessoal, o que faz com que os dois universos acabem se misturando”, disse ao Estadão. A consultora afirma que entre mensagem escrita e áudio, a segunda opção é menos eficiente. A seguir, os principais trechos da entrevista.

O WhatsApp é recomendado para o home office?

Não. Como muitas empresas não tinham políticas de trabalho remoto antes da pandemia, várias delas tiveram que, da noite para o dia, entrar no mundo virtual durante a pandemia. O problema é que elas ainda carregam a mentalidade do mundo físico, o que resultou em algumas improvisações. As companhias acabaram por usar aquilo que tinham disponível e o que era de fácil acesso para os funcionários. Dentro disso, o WhatsApp passou a ser umas das principais ferramentas de comunicação. Mas, com isso, as empresas estão perdendo em gestão. 

Por que exatamente o WhatsApp não é eficiente?

Diferentemente de plataformas voltadas para o mundo corporativo, como o Slack, no WhatsApp é difícil fazer uma gestão do conhecimento, e as informações acabam se perdendo. Além disso, há o fato de o WhatsApp ser uma plataforma de uso pessoal. A pandemia tirou a barreira física que existia, entre a sua casa e o trabalho. Ficou tudo no mesmo ambiente. Usar o WhatsApp como ferramenta de trabalho dificulta ainda mais a virada dessa chave. Plataformas que são essencialmente corporativas podem dar a tranquilidade mental para o profissional poder separar os dois universos e descansar. Muitas pessoas dizem que é só não olhar a mensagem do chefe fora do horário de trabalho, mas isso é muito difícil quando você está sempre acessando o celular. 

E o áudio no WhatsApp, especificamente? Qual a sua opinião sobre ele?

O áudio é menos eficiente ainda que a mensagem escrita. Ao passar o áudio, você pode acreditar que está sendo mais ágil, mas, ao escrever, elaboramos melhor o pensamento. Além disso, o conteúdo de áudio é mais difícil de ser resgatado no histórico da plataforma, já que não entra no mecanismo de busca. Não é verdade que uma mensagem verbal é mais clara. Do ponto de vista profissional, o áudio não é indicado.

Enviar áudios no home office pode atrapalhar a produtividade?

Na mensagem escrita, você consegue ver se a mensagem é urgente, e assim pode se organizar para responder. No caso do áudio, você se sente obrigado a parar para ouvir, porque não consegue ter ideia sobre o tema. Às vezes, as pessoas escutam para saber o tema, descobrem que a mensagem pode esperar. Mais tarde voltam na conversa, escutam o áudio novamente para lembrar do que se trata e aí sim respondem. Esses processos atrapalham a produtividade. 

Como as pessoas estão distantes, o áudio não poderia ajudá-las a se sentirem mais próximas durante o trabalho?

Grande parte das comunicações no trabalho já eram realizadas por e-mail ou chat antes da pandemia. Uma alternativa para esse contato mais humano, por exemplo, seria fazer reuniões usando câmera, para que as pessoas se olhem.