Filme ‘Lindinhas’ mostra drama atual com muita sensibilidade

Reaças e progressistas unidos
Mariliz Pereira Jorge

Cena do longa ‘Lindinhas’ – Netflix

Corram que a Damares vem aí. A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos engrossou o coro da ignorância e pede medidas judiciais para que a Netflix tire do seu catálogo o filme “Lindinhas“. Ela acha que ao censurar uma obra de ficção protegerá nossas crianças.

A história fica pior. Demorou, mas chegou o dia de ver conservadores, no espectro mais reaça, de mãos dadas com progressistas, incluindo feministas. Juntos gritam que “Lindinhas” faz apologia à pedofilia e objetifica o corpo das pré-adolescentes. Ou não assistimos ao mesmo filme ou essa gente não entendeu nada. Ou, o mais provável, só viram o trailer, um equívoco da plataforma.

O premiado filme francês, da diretora Maimouna Doucoré, não foi elogiado pela crítica porque os esquerdistas “querem normalizar a pedofilia”, como delira a fascistada, ou porque “há homens babando nas meninas”, como sugeriram ativistas. É uma crítica social perfeita sobre a sexualização precoce e a influência danosa da internet na infância. É um drama atual mostrado com muita sensibilidade.

A protagonista é uma menina de 11 anos que deu vida às dezenas da mesma idade entrevistadas pela diretora. Amy tenta se enturmar numa escola e se encanta com as coreografias provocantes copiadas de videoclipes pelas colegas. O filme mostra sua transformação, quando passa a usar roupas justas, maquiagem, tenta parecer sensual, conquista admiradores e likes nas redes.

Sim, é perturbador ver crianças fazendo movimentos obscenos numa dança, mas é uma cena que reproduz o comportamento de milhões de garotas, inspiradas em artistas adultas. “Nossas meninas entendem que quanto mais uma mulher é sexualizada, mais ela é bem-sucedida”, disse Doucouré numa entrevista. “Elas apenas imitam o que veem, tentando alcançar o mesmo resultado, sem entender o significado. É perigoso.” Tão perigoso quanto a ignorância da turba. Assistam.

Photographer Per Florian Appelgren CHANEL Story for ELLE Thailand

Photographer: Per Florian Appelgren. Film: Lukas Wiegand. Fashion Stylist: Kai Atinan Nitisunthonkul. Hair: Nadine Thoma. Makeup: Tanja Kern Retouch: theVisualCraftRoom. Model: Kristin Soley.

GARCIA MADRID Spring/Summer 2021 Lookbook

GARCIA MADRID unveiled the lookbook for its Spring/Summer 2021 collection.

Photographer Rafa Gallar for ELLE Spain with Blanca Padilla

Photographer: Rafa Gallar at 8 Artist Management. Fashion Stylist: Berta Alvarez. Hair & Makeup: Paula Soroa. Model: Blanca Padilla.

Bradesco e Itaú lideram aporte de US$ 15 mi na fintech Quanto

Startup fundada em 2016 cria infraestrutura para que diferentes empresas do setor financeiro possam aproveitar as vantagens do open banking, enquanto dá controle a usuário sobre os seus dados
Por Bruno Capelas – O Estado de S. Paulo

Ricardo Taveira, da Quanto: open banking vai reforçar relação de confiança entre cliente e banco

Além de Itaú Unibanco e Bradesco, participaram da rodada ainda os fundos Kaszek Ventures e Coatue. “A missão da Quanto de trazer mais equilíbrio aos serviços financeiros é extremamente necessária tanto no Brasil quanto de maneira geral na América Latina”, disse Santiago Fossatti, sócio da Kaszek Ventures, por meio de nota. O investimento do Bradesco foi realizado pelo braço Inovabra Ventures, enquanto o do Itaú foi realizado diretamente – e, por isso, está sujeito à aprovação do Banco Central (BC). 

Com os recursos, a Quanto vai investir em expansão de equipe – tem 45 pessoas hoje e quer dobrar o time até o final do ano, apostando principalmente na área de tecnologia. “É uma área crítica da empresa: afinal, se tivermos uma falha, não somos só nós que vamos ter problemas, temos uma responsabilidade séria”, diz Taveira, que passou por fundos como Monashees e e.Bricks antes de fundar a empresa. 

Para faturar, a Quanto cobra uma licença das empresas que quiserem receber os dados de usuários – o modelo, conhecido no mercado como software como serviço, tem remuneração variável de acordo com a quantidade de dados trafegados e também de usos diferentes. Segundo Taveira, os valores de contratos com os parceiros, que incluem bancos tradicionais e também bancos digitais, variam entre a casa dos milhares e dos milhões de reais por mês. 

Já as pessoas comuns não tem nenhuma cobrança – e podem utilizar o aplicativo ou o site da empresa para fazer o controle de consentimento sobre o compartilhamento dos dados. “Muitas vezes, uma pessoa cota um financiamento com várias instituições, mas fecha só com uma – logo, as outras não devem ter mais os dados. Vamos permitir que esse controle seja feito de forma fácil”, explica o executivo. 

Enquanto o open banking não entra na prática no Brasil, Taveira afirma ainda que sua empresa permite aos clientes já testar como será essa nova realidade e fazer ajustes necessários. Um exemplo, segundo ele, é como lidar com comprovação de renda quando o usuário tem conta em dois bancos diferentes – um fenômeno comum, é de quem mantém a conta em um banco tradicional ao mesmo tempo em que testa um banco digital. “É preciso fazer as instituições conversarem, porque senão corre-se o risco de não conseguir ceder crédito ou fornecer um produto a alguém só porque parece que ele não tem renda”, afirma. 

Na visão dele, a maneira como os bancos vão se relacionar com os clientes vai mudar no futuro, servindo como um “concierge de serviços”. Um cliente que desejar comprar moeda estrangeira poderá ligar ao gerente e pedir ajuda não para fazer câmbio no banco, mas para encontrar a melhor cotação possível. “No fim das contas, o que vai ficar é uma relação de confiança. É algo que a Amazon soube fazer muito bem no varejo”, diz. 

iOS 14: veja as principais novidades para o sistema do iPhone

Atualização chega nesta dia 16 de setembro; maior mudança acontecerá na tela de início, que poderá receber componentes de interação, como no Android
Por Guilherme Guerra – O Estado de S. Paulo

iOS 14 chega nesta quarta, 16 

O iOS 14, nova geração do sistema operacional do iPhone, chega nesta quarta, 16. Todos os modelos de celular da Apple a partir do iPhone 6 vão receber a atualização – ele foi anunciado em junho na conferência de desenvolvedores da empresa, a WWDC. 

Na nova geração o iOS ganhará uma nova tela de Início, agora mais dinâmica e inteligente. Botões específicos, chamados de widgets, poderão ser fixados em diferentes tamanhos e uma biblioteca reduzirá o acúmulo de aplicativos com pastas inteligentes, solução similar ao concorrente do Google, o Android.

​Download mais leve de apps

Outra novidade é o App Clips, função que permite baixar partes de aplicativos de forma rápida e leve. Por exemplo, será possível alugar uma bicicleta sem baixar o app completo da empresa de transporte por aplicativo e sem perder tempo no cadastro, apenas utilizando as credenciais do iCloud e o Apple Pay. A função será ativada por meio de um código próprio ou QR, dispositivo por aproximação ou link na web. 

Siri menos invasiva

A ideia da Apple é que sua assistente de voz, a Siri também fique menos invasiva no iOS 14. Ao acionar a assistente, um ícone aparecerá na parte inferior da tela, sem tomar todo o espaço, como acontece atualmente. As respostas vindas da inteligência artificial também virão dessa maneira. O mesmo visual compacto ocorrerá para chamadas telefônicas. E, na linha “menos é mais”, miniaturas de vídeos e de videochamadas poderão ser reproduzidas em cantos da tela, permitindo simultaneamente assistir ao conteúdo e fazer anotações em um bloco de notas, por exemplo.

Tradução

A Apple anunciou a chegada de um aplicativo nativo de tradução, que pode ser um concorrente e tanto para pesos pesados como Google Tradutor. O app poderá ser acessado sem conexão à internet, o que pode vir a ser uma mão na roda em viagens. No lançamento, o app trará suporte para 11 línguas, incluindo o português brasileiro.

Novos Mapas

O aplicativo de navegação da empresa, o Mapas, continua sendo incrementado com novidades, como rotas de bicicleta e pontos para de recarga de carros elétricos – mas elas parecem estar longe de chegar ao Brasil. Já o iMessage (ou Mensagens, em português) , aplicativo de mensagens nativo do sistema bastante popular nos Estados Unidos, traz mais variações dos memojis, os emojis animados criados a partir do rosto e feições do usuário. No CarPlay (o sistema operacional da empresa para carros), iPhones e Apple Watch poderão substituir as chaves e abrir veículos.

Mostra Internacional de Cinema divulga cartaz da edição 2020

Assinada pelo diretor chinês Jia ZhangKe, imagem se refere a um acendedor de incensos de Fenyang; edição com exibições por streaming será entre 22 de outubro e 4 de novembro

Cartaz da edição da mostra de 2020  Foto: MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA

A organização da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo divulgou nesta quarta (16) a arte do cartaz da edição de 2020. Assinada pelo diretor chinês Jia ZhangKe, a imagem refere-se a um acendedor de incensos de Fenyang, executando sua função para o deus da literatura. Houve também a confirmação de que o filme mais recente do cineasta ZhangKe, Nadando até o Mar Ficar Azul, exibido no Festival de Berlim deste ano, está garantido. A 44ª edição do festival será entre os dias 22 de outubro até 04 de novembro em São Paulo e on-line para todo o Brasil. Muitos filmes serão vistos por streaming e outros ainda pelo modelo drive-in no Belas Artes.

Um tour pelo novo escritório da Goop em Santa Monica

Goop, uma marca de roupas femininas fundada pela atriz Gwyneth Paltrow, recentemente contratou a empresa de arquitetura e design de interiores Rapt Studio para projetar seu novo escritório em Santa Monica, Califórnia.

goop-santa-monica-office-11
Communal space

“Uma recepção personalizada da Artcrafters de North Hollywood dá as boas-vindas aos visitantes do espaço. Elegante e escultural, ele imita as formas escavadas do nome da empresa. Adjacente, uma tela larga e arredondada de metal fabricada por Bayly Art envolve a sala. Curvas radicais surgem novamente em momentos arquitetônicos maiores e são ecoadas em pequenos detalhes de móveis – gestos que orientam as pessoas pelo escritório e criam um fluxo intrínseco. A paleta de cores – suave, quente e convidativa – é igualmente agradável aos sentidos.

Vários espaços ao redor do escritório são projetados para cultivar o pensamento expansivo e o desenvolvimento criativo. Há uma sala de produtos e laboratório para inovação de bem-estar, uma cozinha de teste para experimentar receitas e filmar a série do YouTube hospedada por Paltrow e outros editores idiotas e uma sala de trabalho de moda e design para explorar estilos e criar novas coleções para G. Label. Para satisfazer o público ansioso de goop, novo conteúdo multiplataforma é capturado em estúdios de foto e vídeo e um estúdio de gravação de podcast. Um alto nível de transparência dentro do espaço e entre as equipes apóia a comunicação aberta e a colaboração produtiva, criando, em última análise, uma cultura de parceria fortalecida.

A área All Hands acolhe reuniões semanais e reúne funcionários, incluindo aqueles que ligam de longe. Forrado por uma cozinha, também serve para refeições. O deck adjacente, equipado com móveis de exterior aquecidos Galanter & Jones, é o lar de horas sociais de escritório e reuniões ao ar livre com vista para o horizonte de Los Angeles.

Iluminando o escritório estão os recursos de iluminação da Roll & Hill, que são geométricos, simples e refinados. Estações de trabalho, mesas de sala de conferência e salas modulares feitas sob medida foram criadas em colaboração com os MASH Studios locais, e uma mesa executiva personalizada e um conjunto de credenciais de sala de reunião foram feitos por Waka Waka, de Los Angeles. As cadeiras para tarefas e salas de conferências são da Vitra.

Espaço para respirar

Tão importante para as áreas ativas, mas de natureza totalmente diferente, é a cadeia de santuários calmos que oferecem aos funcionários a chance de se retirar e encontrar um momento privado para equilibrar o trabalho de colaboração social extrovertido. Uma sala de conferências executiva oferece um espaço confortável para a liderança se reunir, onde a mercadoria de marca que narra a história e evolução do goop é exibida. A sala de ioga oferece espaço para respirar, se alongar ou até mesmo ter aulas ministradas por funcionários e praticantes externos. Espaços de lounge isolados, salas de telefone pessoal e cabines aconchegantes com assentos redondos são feitos para momentos de silêncio – porque, no goop, os funcionários sabem que a produtividade requer momentos ocasionais de descanso. Esses espaços – encapsulados e ocultos – são projetados para refletir, reabastecer e recarregar.

Ethos diário

Por meio do design intencional, esse espaço de trabalho catalisa interações conscientes e estimula experiências cotidianas com base na clareza e no propósito. Ele une a comunidade goop e permite que a empresa continue inovando como líderes de pensamento e transformadores de cultura. Sintetizando a essência do goop e o estilo limpo e de bom gosto, ele atende à mente, ao corpo e ao espírito, inspirando os funcionários não apenas a trabalhar bem, mas também a viver bem ”.

goop-santa-monica-office-1
Lobby
goop-santa-monica-office-2
Lobby
goop-santa-monica-office-3
Waiting area
goop-santa-monica-office-5
Workstations

goop-santa-monica-office-6
Lounge

goop-santa-monica-office-14
Communal space
goop-santa-monica-office-15
Meeting space
goop-santa-monica-office-16
Meeting space
goop-santa-monica-office-17
Bathroom
goop-santa-monica-office-8
Kitchen / coffee point
goop-santa-monica-office-21
Kitchen
goop-santa-monica-office-23
Showroom

Madonna vai dirigir seu próprio filme biográfico

Filme sobre a carreira de Madonna vem sendo escrito pela cantora e por Diablo Cody
FÁBIO GARCIA

Madonna e a roterista Diablo Cody

Há algum tempo já sabíamos dos planos de Madonna para escrever sua cinebiografia nos cinemas, mas agora sabemos que não só o roteiro estará nas mãos da cantora como também a direção do filme (via The Wrap).

A história da cinebiografia, como era de se esperar, mostrará como a artista cresceu até se tornar a rainha do pop. Devemos ver Madonna interagindo com Andy Warhol, Keith Haring, Jean-Michel Basquiat e outros artistas influentes de Nova York que, de alguma forma, a inspiraram.

No entanto, a cantora avisa que não será um filme musical, mas que as suas canções aparecerão de alguma forma. “O foco do filme será sempre a música“, afirmou.

A autobiografia cinematográfica de Madonna é um projeto da Universal Pictures, e terá a direção da própria cantora. O roteiro vem sendo preparado por Madonna ao lado de Diablo Cody, roteirista do premiado Juno. A produção é de Amy Pascal.

O projeto ainda não tem data de estreia definida. Vale lembrar que a roteirista Diablo Cody atualmente trabalha também em uma série live-action de As Meninas Superpoderosas.