Sharon Stone diz que posou nua só para conseguir papel no filme ‘Instinto Selvagem’

Atriz de 62 anos foi capa da Playboy em 1990

Sharon Stone – Instagram/sharonstone

A atriz Sharon Stone, 62, revelou que só conseguiu o papel de destaque no filme “Instinto Selvagem” (1992) por conta de uma estratégia ousada: a de posar nua propositalmente.

Em entrevista ao “The Drew Barrymore Show”, Stone disse que a produção do longa tinha em mente chamar uma outra atriz para o papel de Catherine Trammel. Só que ela resolveu agir para que fosse a escolhida.

“Decidi posar para a Playboy. Achei mesmo que era o papel certo para mim e sabia o que tinha de fazer para consegui-lo. Não tinha perspectiva suficiente para perceber o que iria acontecer”, disse ela sobre o papel que a destacou no mundo. Por conta dele, inclusive, foi nomeada ao Globo de Ouro. A capa da revista foi dois anos antes, em 1990.

A estratégia de posar nua deu certo. Sharon Stone virou um símbolo sexual e abriu portas para outros diversos filmes em sua carreira, dentre eles “Casino” com Robert DeNiro.

Até hoje a atriz arrasa corações. Em 2019, Sharon Stone entrou em um aplicativo de namoro e teve a sua conta bloqueada por acharem que ela era fake.

O relato foi feito pela própria artista em sua conta no Twitter na ocasião, reclamou. “Entrei no Bumble e eles fecharam minha conta. Alguns usuários relataram que não poderia ser eu. Ei Bumble, estou sendo excluída?”, questionou ela.

Muitos internautas comentaram e brincaram com a situação. “Se você está no Bumble não há esperança para o resto de nós”, afirmou uma fã. “Sinto muito, isso é tão errado. Mas meu fim de semana parece menos louco ao ver isso”, brincou outro.

Britney Spears posta foto sendo carregada pelo namorado Sam Asghari na praia

Cantora ainda postou vídeo em que fala de seu verão

Britney Spears e Sam Asghari (Foto: Reprodução/Instagram)

Britney Spears usou seu Instagram, na noite de quarta-feira (14), para postar uma foto em dia de praia com o namorado, o personal trainer Sam Asghari, e ainda divulgou um vídeo falando sobre seu verão.

“Depois do meu último post, muitos amigos quiseram saber mais do meu verão. Claro! Por que não? Acho que o auge do meu verão foram dois amigos comigo na piscina e também tive duas festinhas. Foi bem divertido e, a meu ver, verão ainda está rolando”, disse Britney (assista clicando abaixo).

Recentemente Britney voltou a preocupar seguidores Isso porque eles pediram para ela usar vermelho, caso estivesse com problemas, e ela fez duas publicações seguidas falando sobre a cor.

“Vermelho em breve”, anunciou ela, em um post com a imagem de uma rosa vermelha. “Um gostinho de vermelho!!!! Obs: A primeira foto é a original!!!”, escreveu Britney, em uma sequência do mesmo clique, em que ela aparece com um top vermelho.

Esta não é a primeira vez que Brit deixa mistério sobre sua saúde mental no ar. Muitas pessoas acreditam que ela estaria totalmente debilitada durante a pandemia e seu pai, Jamie Spears, esteja controlando demais. Ele foi acusado até de tomar o celular da artista, que sofre de bipolaridade e já esteve internada em uma clínica psquiátrica em 2007. O movimento #FreeBritney (Britney livre) foi um dos assuntos mais comentados no mundo.

Britney Spears foi comparada, por seu próprio advogado, a um paciente em coma por supostamente não ter capacidade para assinar uma declaração juramentada, no longo processo sobre a tutela e conservadoria de sua fortuna, estimada em R$ 1,1 bilhão (US$ 200 milhões). De acordo com o TMZSam Ingham fez a analogia em uma nova audiência do caso.

View this post on Instagram

🌹🌹🌹

A post shared by Britney Spears (@britneyspears) on

Segundo o site, o juiz do processo começou a fazer perguntas sobre Britney querer um co-conservador de sua propriedade, para trabalhar ao lado do pai da estrela. Ele perguntou então a Sam, se Britney assinaria uma declaração para que houvesse um relato em primeira mão de como ela se sente em relação à conservadoria. [Léo Gregório]

Cher faz raríssima apresentação no Billboard Music Awards

Cantora de 74 anos apresentou premiação na edição do evento musical

Cher (Foto: Getty Images)
Cher (Foto: Getty Images)

Cher, de 74 anos de idade, uma das maiores musas da música pop, fez uma aparição pública raríssima, ainda mais se tratando de uma premiação. Isso porque ela esteve no palco do Billboard Music Awards 2020, que aconteceu na noite de quarta-feira (14).

Cher subiu ao palco para apresentar o Billboard Icon Award, prêmio especial da noite, que foi dado ao astro da música country Garth Brooks. Cher, claro, virou assunto nas redes sociais pela presença.

ma das últimas aparições públicas de Cher foi em dezembro do ano passado, antes da pandemia do novo coronavírus, quando se apresentou no Madison Square Garden, em Nova York. Já no Billboard Awards, ela esteve na edição 2017, sendo inclusive uma das atrações musicais daquela edição. [Léo Gregório]

Cher (Foto: Getty Images)
Cher (Foto: Getty Images)
Cher (Foto: Getty Images)
Cher (Foto: Getty Images)

Sylvie’s Love | Tessa Thompson reencontra antigo amor em trailer

Filme elogiado em Sundance chega ao Amazon Prime Video em 25 de dezembro
NICOLAOS GARÓFALO

Elogiado longa exibido em Sundance, Sylvie’s Love teve seu primeiro trailer divulgado nesta quarta-feira (14). O filme mostra a personagem titular, vivida por Tessa Thompson, como uma jovem produtora televisiva nos anos 1950. Por causa de seu trabalho, a moça reencontra Robert (Nnamdi Asomugha), um saxofonista por quem se apaixonou anos atrás, e vê seus antigos sentimentos voltarem à tona – assista acima.

Escrito e dirigido por Eugene Ashe (Homecoming), o filme conta ainda com Aja Naomi King, Eva Longoria e Tone Bell no elenco.

Sylvie’s Love chega ao Amazon Prime Video em 25 de dezembro.

Polêmica sobre Gal Gadot no papel de Cleópatra provoca debate histórico

Internautas criticaram escolha da atriz para viver rainha africana

Photographed by: Dudi Hasson Makeup by : @naorappel Hair by: @sagidahary Styled by: @noa_rennert

LOS ANGELES – A notícia de que a atriz israelense Gal Gadot fará o papel de Cleópatra gerou a mais recente controvérsia de “whitewashing” —termo que se refere ao embranquecimento de personagens de outras etnias— de Hollywood e renovou um debate histórico sobre a ancestralidade da antiga rainha do Egito.

Gadot, mais conhecida por encarnar no cinema a “Mulher Maravilha” (2017), está confirmada como produtora e estrela do novo épico cinematográfico da Paramount. Ela assumirá o papel que ficou famoso com Elizabeth Taylor no clássico de 1963, “Cleópatra”.

O filme biográfico vai recontar a “história pela primeira vez através dos olhos das mulheres, tanto atrás quanto na frente das câmeras”, escreveu Gadot no Twitter.

A diretora de “Mulher Maravilha”, Patty Jenkins, também fará parte da produção, assim como a roteirista de “Ilha do Medo” (2010), Laeta Kalogridis.

O anúncio, no entanto, imediatamente gerou críticas nas redes sociais sobre a escolha da atriz branca nascida em Israel para interpretar uma rainha africana.

“Hollywood sempre escala atrizes americanas brancas como a Rainha do Nilo. Pelo menos uma vez, eles não conseguem encontrar uma atriz africana?”, tuitou o autor James Hall.

O furor traz à tona críticas mais amplas ao hábito de Hollywood de selecionar atores brancos para papéis não brancos, aparentemente com base na suposição de maior apelo de bilheteria, uma prática que costuma ser chamada de “whitewashing”.

Porém, outros usuários das redes sociais rapidamente notaram que a própria Cleópatra —uma governante do século 1 a.C. descendente de Ptolomeu, general de Alexandre, o Grande— era de ascendência grega e pode ter sido branca.

“Incrivelmente animada para ter a chance de contar a história de Cleópatra, minha faraó ptolemaica favorita e indiscutivelmente a mulher greco-macedônia mais famosa da história”, tuitou Kalogridis, que também será produtora executiva da obra e tem origem grega. A postagem foi retuitada por Gadot, que não fez comentários sobre o tema.

Outros acusaram a reação contra a escala de Gadot de se apoiar em noções anti-semitas. Vários usuários das redes chamaram atenção para o serviço obrigatório cumprido por Gadot nas forças armadas de Israel.

Essa não é a primeira vez que a atriz é alvo de críticas online. Em março, ela enfrentou uma chacota generalizada por estar à frente de uma montagem em vídeo de celebridades cantando “Imagine”, de John Lennon, em suas casas.

O vídeo, destinado a dar esperança aos afetados pelo confinamento devido à covid-19, foi considerado desconectado com a vida das pessoas comuns.

“Mulher Maravilha 1984”, o próximo filme de Gadot, deve chegar aos cinemas em dezembro, embora alguns analistas prevejam que sua data de lançamento possa ser alterada para o próximo ano, como aconteceu com diversos outros blockbusters.

AFP

Monster Hunter | Milla Jovovich caça criaturas no primeiro trailer completo

Adaptação dos games da CAPCOM chega aos cinemas ainda em 2020
ARTHUR ELOI

Monster Hunter/Divulgação

Monster Hunter, filme que adapta os jogos da CAPCOM, teve seu primeiro trailer completo divulgado, que mostra a aventura protagonizada por Milla Jovovich (Resident Evil).

Monster Hunter é uma franquia de RPGs da Capcom que começou no PlayStation 2 e se passa em um universo no qual existem vários monstros para serem caçados ou capturados. O jogo gerou derivados como animes, mangás, jogos de cartas e quadrinhos.

Leia a sinopse oficial do filme: “Paralelo ao nosso mundo, existe outro: um mundo de poderosos e perigosos monstros que controlam seus territórios com ferocidade mortal. Quando a Tenente Artemis (Milla Jovovich) e seu esquadrão de elite são transportados através de um portal que liga os dois mundos, eles vão ser confrontados com a experiência mais chocante de suas vidas. Em sua desesperada tentativa de voltar para casa, a corajosa tenente encontra um caçador misterioso (Tony Jaa), cujas habilidades únicas permitiram com que ele sobrevivesse nessa terra hostil. Enfrentando incansáveis e aterrorizantes ataques dos monstros, os dois guerreiros se unem para lutar contra eles e encontrar um meio de voltarem para casa”.

Com orçamento de US$ 60 milhões, o longa tem direção de Paul W.S. Anderson. Antes previsto para chegar em abril de 2021, Monster Hunter entra em cartaz em 3 de dezembro de 2020 [via Variety].

História de amor entre duas freiras rouba a cena na conservadora Croácia

Documentário ‘Nun of your business’ ganhou o troféu principal do público no Festival de Cinema ZagrebDox
AFP

Marita Radovanovic e Fanika Feric, personagem do documentáiro 'Nun of your business', premiado pelo público no Festival ZagrebDox Foto: DENIS LOVROVIC / AFP
Marita Radovanovic e Fanika Feric, personagem do documentáiro ‘Nun of your business’, premiado pelo público no Festival ZagrebDox Foto: DENIS LOVROVIC / AFP

Marita era freira em uma ilha croata quando conheceu Fani, uma outra freira que viria a se tornar seu grande amor. A vida das duas inspirou um documentário recentemente apresentado no Festival de Cinema ZagrebDox, do qual saiu com o Prêmio do Público. “Nun of your business”, cujo título em inglês brinca com a palavra “nun” (freira) e a expressão “none of your business” (isso não é da sua conta), narra a vida das duas mulheres desde a infância em partes remotas da Croácia, passando pela decisão de entrar para a igreja e o encontro entre elas, que aconteceu há dez anos.

— É a história de um amor inesperado e incomum, mas me concentrei mais na questão da liberdade individual — disse a diretora Ivana Marinic Kragic à AFP.  — Elas encontraram forças para lutar por seu amor, algo que em geral não é aceito em nossa sociedade.

Marita Radovanovic, à direita, e Fanika Feric, à esquerda, com a diretora Ivana Marinic Kragic ao centro Foto: DENIS LOVROVIC / AFP
Marita Radovanovic, à direita, e Fanika Feric, à esquerda, com a diretora Ivana Marinic Kragic ao centro Foto: DENIS LOVROVIC / AFP

Kragic destaca que não queria provocar polêmicas, mas sim despertar empatia na conservadora sociedade croata, onde pessoas LGTBQ são vítimas de discriminação e onde a influente Igreja Católica considera a homossexualidade uma “deficiência” e uma “perversão”.

Marita Radovanovic, de cabelos curtos com mechas rosa, tinha 18 anos quando ingressou no convento da ilha de Korcula, no sul do país, onde nasceu. Incentivada por seu desejo de ajudar os outros, ela foi contra a vontade de sua família, que queria que ela levasse uma vida “normal”.

Decepção

No seminário, ela encontrou Fanica Feric, conhecida com  Fani. Mas a amizade que se formou no início só se transformou em relacionamento amoroso vários anos depois, quando Marita já havia deixado a Igreja.

Foi no convento que Marita, hoje com 36 anos, conheceu sua homossexualidade e teve seu primeiro relacionamento com uma mulher. Já Fani, 40, sempre soube que era lésbica, mas tinha medo de dizer isso em sua pequena cidade no leste da Croácia. Ela diz que foi atraída pela vida religiosa quando ouviu freiras e crianças cantando em um coro e entrou pra a vida monástica aos 23 anos.

— Não pensei para onde estava indo. Num convento há muitas mulheres — relembra, sorrindo.

Mas as duas acabaram decepcionadas. Marita percebeu que a comunidade religiosa não estava isenta do assédio e da mesquinhez típicas de outros grupos humanos.

— Antes, eu idealizava tudo, mas percebi que a estrutura (da Igreja) não combinava comigo. A palavra da minha ordem era “Veritas”. Depois de um tempo, decidi ser honesta comigo mesma e com Deus, que é amor.

— É difícil quando você não se encaixa por ser diferente — diz Fani. — Para os católicos, a homossexualidade é um grande pecado. Eu rezei a Deus para me curar da minha ‘doença’. Mas depois percebi que se Deus me fez assim, não havia nada para curar.

As duas começaram a conversar regularmente ao telefone depois que Marita abandonou o hábito para estudar em Split, em 2009.

— Eu pensava nela mais do que na Bíblia — brinca Fani, que morava em Zagreb na época.

Depois de uma fatídica visita de Marita, Fani pediu ao convento alguns dias para refletir sobre sua situação.

— Na juventude, quando via uma estrela cadente, sempre dizia: ‘Deus, por favor, mande alguém como eu’. Agora ela estava lá, então eu deixei o convento.PUBLICIDADE

A diretora Kragic levou sete anos para rodar seu filme. Ela precisava ganhar a confiança das duas mulheres e deixá-las confortáveis com sua nova vida “civil”. Depois de passar vários anos em Zagreb, uma trabalha no setor do turismo e a outra com restauração.

Elas moram em Korcula, onde a família de Marita as aceitou como são. E embora tenham se afastado da instituição religiosa, mantêm sua fé intacta e esperam convencer outros a seguirem seu próprio caminho.

— Foi o que eu fiz, tanto no convento quando percebi que não era para mim, quanto no que diz respeito ao Fani — enfatiza Marita.

Luis Onofre | Spring Summer 2020 | Full Show

Luís Onofre | Spring Summer 2020 | Full Fashion Show in High Definition. (Widescreen – Exclusive Video/1080p – Moda Lisboa – Lisboa Fashion Week) #Modalisboa

Marc Jackson Burrows – Under The Crescent Moon/Blissful Dawn/Free The Spirit

Lili Sumner & Ahmed Elramly – WSJ. Magazine October 2020 By Christian Macdonald

Fall in Love With These Autumn Styles   —   WSJ. Magazine October 2020   —   www.wsj.com
Photography: Christian Macdonald Model: Lili Sumner & Ahmed Elramly Styling: Tonne Goodman Hair: Lucas Wilson Make-Up: Sally Branka Casting: Piergiorgio Del Moro